segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Insanidade nazista

A médium incorporou um menino que havia morrido num hospicio. Ele dizia que não era louco e chorava pa sua mãe não havia acreditado nele. Seu pai era ''médico de crianças' e ele o vira fazendo 'coisinhas' com sua irmã, a pretexto de examiná-la; ele tinha 8 anos quando viu isso e contou a sua mãe, mas ela não acreditou e contou o ocorrido ao marido, que então disse que o menino (seu próprio filho)  era louco e que teriam que interná-lo.

Conversamos com o menino e o fizemos lembrar uma existência anterior onde já fora filho desses mesmos pais, era filho único, e levou a empresa da família à falência por esbanjar todo o dinheiro que podia, além de mentir muito para os pais. Ele percebeu que sua mãe não acreditara nele por conta de suas mentiras anteriores. Esclarecido e encaminhado, a médium percebeu que havia um bolsão de espíritos ligados àquele hospício infantil, crianças com problemas mentais e com deformidades que eram ali abandonadas por seus pais. Efetuamos o resgate mas a médium permanecia ainda no tal hospício.

Averiguamos mais e encontramos um porão (sempre tem um!!) com doentes mentais adultos. Efetuamos o resgate e conversei com um ser que estava ali 'cuidando' deles. Este, após as ameaças de sempre, disse que precisavam deles para seus 'trabalhos'. Colocavam esses espíritos desequilibrados perto de encarnados que queriam deixar loucos tbm. Resgatamos todos e era uma quantidade absurdamente grande de seres. Este estava muito amedrontado por 'perder' todos esses espíritos.

Conversando com ele descobrimos que eles tinham ainda um grupo 'especial' de seres, loucos de grande genialidade e inteligência, que estavam sendo preparados para 'incorporar' no novo planeta (o do exílio), esses eram em quantidade muitissimo inferior aos outros, cerca de dois mil apenas. Segundo ele muitos já tinham sido 'despachados' para o novo planeta e quando lhe perguntei como ele se esforçou para controlar seu próprio pensamento a fim de evitar que nós descobrissemos, a médium conseguiu captar o que ele sabia. Eles estão enviando seres para o planeta do exílio através de portais interdimensionais.

Após terminarmos com esse trouxemos seu 'superior" imediato, um ser muito arrogante, disse que sentia nojo de gente como nós que se fazia de bonzinho e tal.  A princípio afirmou não me conhecer, mas aos poucos fomos juntando as peças do que ele ia deixando escapar e por fim ele perdeu o controle emocional e descobrimos que ele era.

Pra variar um antigo 'colega' trevoso (ele afirmou ter sido exilado aqui há 172.000 anos, vindo de Capela), um médico nazista de 'alta patente', que afirmou que eu era membro da equipe dele (no astral). Ele se gabava de ser um dos inspiradores de Hitler. Ele me chamava muito de 'imbecil' e disse que eu soltei algumas de nossas cobaias encarnadas e que por conta disso descobriram nosso laboratório e o destruíram. Ele afirmou ter morrido em 1948, mas segundo informações anteriores em que nos disseram que o laboratório nazista em que eu trabalhava fora destruído por uma equipe espiritual no segundo ano da 2ª Guerra, e provável que ele trabalhasse lá desdobrado.

Ele disse que quando ele morreu já lhe disseram que ele não encarnaria mais na Terra e que ele não sabia pq tinham me dado a chance de reencarnar. Disse a ele que tbm não sabia pois eu 'era' tão trevoso quanto ele, ao que ele me disse para que eu me suicidasse pois assim saberia de todas as respostas. Esse teve sua mente apagada e foi levado por dois guardiões.

Enquanto procurávamos os líderes dos seres enlouquecidos que havíamos resgatado, descobrimos que muitos deles são cientistas encarnados e estudantes de ciências médicas, que estavam todos 'chipados'. Segundo nos informaram esses cientistas desenvolvem remédios para 'depressão' e similares que na realidade provocam a loucura ao invés de 'curar'.

Averiguamos com  nossa equipe a possibilidade de reprogramar esses chips para que tabalhassem para o 'bem', mas nos disseram que devido ao fato deles desconhecerem a tecnologia específica utilizada nesses chips e devido tbm à urgência do momento, seria melhor retirá-los e destruí-los, que foi o que fizemos.

Abraço.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Mantra de purificação

     O consulente relata ter dificuldade de expressar seus sentimentos, principalmente quando é para se 'defender', isto é, quando alguém o destrata  ele não consegue 'revidar' verbalmente. Tbm relata que rejeitou dois filhos seus quando soube que a esposa estava grávida, chegando mesmo a propor que ela fizesse um aborto. Atualmente se diz envergonhado dessa atitude e que os filhos são ótimos (já estão adultos), não lhe dão problemas de nenhuma espécie, etc.
     Aberta a frequência logo surgiu um espírito que havia morrido com a cabeça decepada, ligado a ele havia um bolsão de espíritos sofredores, mais de trezentos, que tiveram a mesma morte. Este ser fora contemporâneo do consulente em uma vida passada, por volta do ano de 1639, e todos foram mortos por se rebelarem contra um suserano local ou rei de alguma região da Europa.   
     Este espírito não tinha noção de que estava 'morto', mas era atraído para a casa do consulente e imaginava que estava sonhando quando o via. Ele tentava 'alertar' o consulente de que o carrasco que havia lhe cortada a cabeça vivia na casa dele. Descobrimos que os dois filhos que o consulente rejeitara eram dois dos quatro carrascos que haviam matado aquela gente.
     A atual esposa do consulente, que tbm estava presente na consulta, era uma espécie de 'insufladora' do povo, os instigava a se revoltar e reclamar mas ela mesmo não fazia nada, ficava às escondidas. O tal ser disse que eles não gostavam dela por conta disso e nos revelou que eles a mataram apedrejada.
     Para piorar a situação do consulente, ao lado de sua residência existe um 'terreiro' de macumba e os seres que 'trabalham' naquele local eram todos comparsas do consulente e de sua esposa, de vidas passadas onde eram todos feiticeiros. Eles tinham um acordo de que os que esetivessem encarnados 'trabalhariam' com os desencarnados, mas reclamava (o que se manifestou pelo grupo) que eles não estavam cumprindo sua parte e por isso eles ficaram na 'casa ao lado', pois em desdobramento ambos, o consulente e sua esposa, estão trabalhando com eles em magia negra.
     Além de vários outros espíritos de baixa vibração na residência do consulente, havia um em formato de cobra, uma imensa naja. Este ser fora transformado pela esposa do consulente no passado e ainda estava aprisionado a ela, que o usava em seus rituais e trabalhos de magia negra quando desdobrada.
     A esposa do consulente, infelizmente para ela, tem a falsa idéia de que 'não tem problemas' por conta de seguir uma religião que segundo ela a fez reconhecer 'a verdadeira natureza de seu ego' e que 'recita' mantras de 'purificação' que ela acredita que 'purificam' suas vidas passadas, a presente e as futuras. Ela afirmou ainda que conhece muito bem a Lei do Karma.
     Até tentamos lhe fazer ver que isso é uma ilusão, que nenhum mantra tem o poder de purificar ações passadas, presentes e as que ela ainda nem fez. Se bastasse recitar algum mantra para se purificar não precisariamos da Lei do Karma, mas enfim, cada um acredita no que quer. A orientamos a estudar alguma outra coisa que a fizesse entender que existe, por exemplo, o desdobramento inconsciente, e que ela desdobrada está gerando karma negativo para ela mesma, mas creio que foi em vão.

Abraço.

Gelson Celistre

Alterando o passado

Abrimos uma frequência minha de uma época em que eu comandava alguns laboratórios trevosos no astral, cuja sintonia é facilmente conseguida através de minha 'mão esquerda'. Nessa época eu tinha alguns dedos 'robóticos' na mão esquerda e, atualmente, quando eles ficam 'dormentes', é pq asintonia com esse período esta´forte' e temos algo a resgatar.


Desta vez foi um laboratório que me pertencia e que 'mudou de lado', ou seja, era um laboratório trevoso que passou a trabalhar para a 'luz'. Em uma reunião com mais nove membros de minha 'organização', decidimos destruir tudo. Esse laboratório era um prério com 14 andares, sendo dois no subsolo e nós (naquela ocasião) o explodimos. Os corpos astrais dos que ali trabalhavam estavam lá ainda todos despedaçados e eles se imaginavam todos 'mortos'.
Fizemos o tempo 'retroceder' até antes da explosão e tudo voltou ao normal, com aqueles seres fazendo o que estavam fazendo antes sem nem imaginar o que já havia lhes ocorrido e nem o que estava por vir.
Retornamos no tempo até a reunião onde havíamos decidido o trágico fim de nossos ex-funcionários, e dei ordens então para que não fosse destruído o tal laboratório. Nesse momento os demais membros disseram que não os destruiríamos agora mas quando o fizéssemos seria uma vingança terrível, imaginando que se eu adiara o fim deles era pq estava planejando algo muito pior.
Nossa equipe disse à uma das médiuns que esses outros ainda iriam destruir o tal laboratório pois na mente deles as minhas ordens soaram como uma 'moratória', mas que eles acreditavam que eu ainda queria a destruição e os mandaria fazer o serviço posteriormente, com algum requinte de perversidade provavelmente. Então apagamos a mente desses seres para que nada lembrassem e para que o laboratório voltasse a atuar, dessa vez pela falange do Cordeiro. Esses outros nove, assim como eu, tbm estão encarnados.
Abraço.

A intenção

Um dos espíritos que se manifestou em nossa reunião tinha uma história estranha comigo, de uma vida passada. A médium que o recebeu viu uma cena onde esse espírito disparava um revólver na minha cabeça, a bala estourava meus miolos, e ele novamente me encontrava em outra ocasião e repetia o gesto.
Tendo ele incorporado conversamos a fim de descobrir o motivo de sua ira. Segundo nos relatou o espírito, ele era meu 'braço direito' em uma grande empresa, que era de minha propriedade. Estando passando por dificuldades financeiras que julguei insuperáveis, resolvi me matar. Nosso amigo disse que eu,  não tendo coragem de por fim a própria vida, o convenci a me matar, dizendo-lhe que com a minha morte a empresa receberia um seguro e ficaria bem. Ajustado o acordo, ele cumpriu com sua parte, e me deu um tiro na cabeça.
Entretanto, foi descoberto o que ele fez e o infeliz acabou sendo preso. Pelo que ele nos revelou e que constatamos logo em seguida, muitos outros funcionários cometeram suicidio tbm, deixando suas famílias em grandes aflições. Esse nosso amigo disse que havia 'pedido' para nascer 'perto de mim' apenas para ter o prazer de me matar novamente, desta vez por sua própria vontade e não ludibriado por mim. Ainda que, segundo ele, com a minha morte a empresa nada recebeu pois eu inventara essa história de seguro para que ele fizesse o que eu não tinha coragem de fazer. Muitos daqueles que se mataram e suas famílias ainda estavam no 'sítio' da empresa no astral e foram todos resgatados, inclusive esse. Esse espírito sabia que morrera, mas como me encontrava 'vivo' imaginou que tinha reencarnado e por isso tentava me matar novamente. A médium afirmou que haviam nove 'balas' na minha cabeça, dos disparos que ele efetuava a fim de me 'matar'.
Mal esse acabara de sair e já se manifestou outro pela mesma médium, dizendo que 'é muito fácil colocar gente junto de quem é devedor'. Esse ser afiarmava que o trabalho de resgate que eu estava fazendo o incomodava (ele é quem provocara o 'reencontro' daquele outro comigo). Disse a ele que acaba por me fazer um bem pois esses que ele colocava perto de mim eu acabava resgatando. Ele alegou desconhecer alguma vida passada onde nos conheceramos mas respondendo ao meu 'comando', lembrou da uma existência onde ele era um 'cristão', nos primeiros tempos do cristianismo, onde os seguidores do Nazareno eram perseguidos e mortos, dizendo que nessa vida ele foi morto pq eu o traí, delatando-o como cristão.
Ele afirmou que era proprietário de terras e que quando conheceu a 'boa nova' largou tudo para seus irmãos consanguíneos e saiu  a pregar pelas comunidades, durante muitos anos até ser capturado e morto.
Sua decepção começou quando chegou do outro lado. Disse que não encontrou nada do que ele 'acreditava' e que só quem apareceu foi uma entidade 'do outro lado', que foi quem o 'acolheu', segundo suas palavras.
Então o fiz voltar àquele momento e ver que havia lá tbm 'seres de luz', mas que ele não os percebeu. Pedi a ele que perguntasse a um deles pq ele não os via e nem eles o chamaram para junto deles  e então esses seres lhe disseram que ele esperava um 'tratamento especial' por conta do que havia feito. Esperava uma grande recepção em reconhecimento ao seu 'trabalho' de  pregação. A intenção com que se filiara ao movimento cristão foi errônea, não o fez por amor desinteressado, mas por desejar glória e louvores.
Após conversarmos mais algum tempo e de esclarecê-lo sobre alguns pontos em que ele se equivocara na interpretação, ele aceitou conversar com nossa equipe espiritual.
Este ser estava ligado a várias comunidades no astral, mas não era uma região 'cavernosa', eram agrupamentos humanos que dispunham de alguma tecnologia 'avançada'. Uma 'nave' de nosso pessoal foi passando e recolhendo essas comundiades inteiras; todos os seres desses locais foram resgatados.
Esta situação demonstra bem a importância da nossa intenção ao realizar alguma coisa, pois é a intenção que 'qualifica' o ato em termos kármicos.
Abraço.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Mecanismos da reencarnação

A consulente, mulher de aproximadamente 40 anos, estava tentando há quase um ano engravidar novamente, tendo conseguido e finalmente, há cerca de umas três semanas, já com 4 meses de gravidez, foi fazer um exame de rotina, uma ultrassonografia, para veriricar se estava tudo bem com o bebê.
Acontece que a consulente desde que soube que estava grávida sentia que estava gerando uma menina, inclusive já tinha até comprado todo o enxoval na cor rosa. Para sua surpresa, a médica lhe informou, sem ela perguntar inclusive, que ela estava esperando um menino. Ela a princípio não acreditou pq tinha certeza de que era uma menina. Quando a médica repetiu que era um menino e que ela tinha certeza, o estado de ânimo da consulente mudou instantaneamente, sentiu-se mal e começou a chorar. Ela nos disse inclusive que na hora sentiu como se tivesse 'perdido' uma filha, tendo ficado muito abalada por vários dias.
Recentemente, um de seus filhos, uma menina de 11 anos, que possui medinidade, estava vendo perto de si um espírito com a aparência de um homem negro, com o rosto deformado. Na reunião este ser estava junto com a consulente e investigando descobrimos se tratar de uma antiga vítima de ambas, a consulente e sua filha, que no passado eram 'bruxas', e fizeram algumas experiências macabras com este ser antes de o matarem. Este ser foi recolhido e auxiliado, mas informaram a uma das médiuns que esta situação tem a ver com o filho que a consulente está esperando, que é um 'inimigo' da sua futura irmã, essa outra filha da consulente, e que a nível inconsciente, ela já 'percebeu' que o futuro irmão é um antigo desafeto. Nos pediram para 'tratarmos' ele antes do nascimento para que a situação entre ambos seja amenizada e tbm sugeriram que seria bom a menina, acompanhada da mãe, fazer sessões de regressão, pois os problemas entre eles está relacionado a várias vidas.
Efetuamos o desdobramento desse espírito em gestação e, atavés da psicofonia de uma das médiuns, conversamos com ele. O espírito já se manifestou chorando, por se sentir rejeitado pela futura mãe. Conversamos com ele, que se lamentava por estar passando por isso novamente, e disse que é muito ruim a sensação de ser rejeitado por quem deveria lhe amar. Ele a princípio estava feliz com a oportunidade de nascimento, mas quando ocorreu o 'incidente' e sua futura mãe descobriu que não era uma menina que ela esperava, ele se sentiu rejeitado e aflorou então a antiga desavença que havia entre eles, e desde então ele estava disposto a nascer para destuir, ambas, sua futura mãe e a irmã.
Decobrimos que numa vida passada ele fora casado com a consulente, vida em que ela e a filha eram bruxas e o drogavam sem ele saber, ocasionando sua morte por demência. Ele era muito rico e elas queriam sua riqueza. Houve ainda outra vida em que a consulente foi mãe de um casal de gêmeos e como não queria ter filhos homens, trocou o menino com outra mulher por uma menina. Este menino era este mesmo espírito que agora ela recebe novamente como filho.
Como este espírito ainda estava muito 'revoltado' com a situação, e num estado de 'vitimismo' muito forte, fiz ele lembrar de uma vida anterior a essas, para ele entender o motivo de ter passado por essas situações de rejeição. Em vida anterior a essas ele fora casado com a consulente e a filha dela atual, sua inimiga,era sua filha. Naquela vida ela as maltratava muito, as mantinha presas em casa, e violentava sua própria filha. Tendo recordado estes fatos e com as colocações que lhe eram feitas por nós, ele aceitou esquecer o passado e tentar ser feliz nessa nova oportunidade de renascimento que está tendo. Apagamos sua memória desses fatos todos e o pusemos para dormir, tendo ele já assumido um posição 'fetal' e se aproximado novamente à consulente.
É uma situação bastante complexa pq a repulsa da sua futura mãe é tamanha que se ele tivesse sido ligado ao óvulo no momento da concepção, ela o teria rejeitado e teria um aborto espontâneo. Entretando, determinou a Lei que este grupo de espíritos precisa se reconciliar e que a maternidade é o meio mais eficaz de apaziguar esses corações endurecidos. Através dos mecanismos da reencarnação, que ainda são pouco conhecidos por nós, foi feita uma 'substituição' de espíritos durante a gestação.
No momento da concepção o espírito que foi ligado à consulente foi o mesmo que já fora sua flha em outra encarnação, a que fora irmã gêmea desse que vai nascer, motivo pelo qual a consulente sabia que esperava uma menina, pq de fato era um espírito feminino que estava ligado a ela. Entretanto, passada a fase crítica da gestação, foi feita uma substituição desse espírito pelo que agora está acoplado à consulente, seu antigo desafeto.
Esperemos que esse grupo de espíritos consiga superar suas antigas desavenças e se perdoar mutuamente, evitando assim sofrimentos futuros para eles mesmos. Para nós fica a lição de que existem muitas maneiras da Lei se fazer cumprir e que os mecanismos da reencarnação ainda são pouco conhecidos por nós, que muitas vezes 'fantasiamos' os acontecimentos e imaginamos que tudo na natureza ocorre de forma mágica e miraculosa, olvidando que o Criador se utliza de todos os meios de que dispõe, inclusive da tecnologia adquirida pelos espíritos que colaboraram na sua Obra, para que seus desígnios se cumpram.
Abraço.

O mentor

Atendimento de uma senhora de aproximadamente 60 anos, com quadro de depressão e síndrome do pânico. O marido a acompanhou. Segundo ela o próprio médico que a está tratando sugeriu que ele buscasse um auxílio espíritual. Ela e o marido são frequentadores de 'terreiros' e ambos possuem algum grau de mediunidade ostensiva, a mulher incorpora e o marido ouve os espíritos.

A grande maioria dos médiuns não é capaz de identificar o grau evolutivo
dos espíritos que se dizem "mentor" e se deixam enganar por qualquer entidade.

 A primeira entidade a se manifestar era uma cigana que era mantida prisioneira, juntamente com o resto de seu 'bando', pela tal senhora, que em vida passada era sua 'líder'. O atual marido, naquela encarnação, era comparsa da sua atual mulher, e ele era quem mantinha as cigans presas e as vigiava para que não fugissem, castigando duramente as que tentavam escapar. Quando viajavam de uma localidade a outra a consulente e o seu capanga, o atual marido, iam numa carroça, e as ciganas escravas iam caminhando atrás, amarradas por cordas nos pulsos atadas à carroça.

Após conversarmos um pouco com este ser, lhe prometemos ajuda a salvo da consulente e seu marido, pois elas tinham muito medo deles, e todas foram socorridas. O marido da consulente revelou que há alguns meses, estando os dois em casa, a mulher 'incorporou' um ser que passou por todos os cômodos da casa, parando dentro do banheiro da residência e lá a consulente se 'contorceu' toda e foi aí que começou seu 'problema', que segundo o marido o médico psiquiatra definiu como "tendências e pendores", em relação a que ele não soube explicar.

Tbm foi tratado um espírito que fora enteado da consulente e que tinha muita raiva dela. Naquela existência a consulente era casada com o pai desse espírito e tinha um amante (que é o seu marido da vida atual) e para poder se encontrar com esse amante, ela ministrava drogas ao marido sem ele saber. Essa situação se prolongou por um bom tempo e por fim, o então marido dela teve morte provocada por envenenamento. Esse espírito que era filho do falecido sabia do ocorrido mas nunca contou a ninguém, saiu de casa e teve sua vida normalmente.

Entretanto, quando morreu encontrou com o espírito de sua ex-madrasta e esta o aprisionou. Foi libertado e auxiliado. Ressalte-se que a consulente relatou que na vida atual tem um filho já adulto que é viciado em drogas e que ainda vive com ela e o marido, sem trabalhar nem estudar. Este seu filho é o mesmo espírito que no passado ambos, ela e o marido, provocaram a morte por envenenamento e ainda o drogavam sem ele saber.

O retorno cármico agora é evidente, receberam como filho, viciado em drogas, aquele mesmo espírito que eles levaram à ruina no passado, com a missão agora de ajudá-lo a se reerguer. O marido 'ingenuamente' acreditava que a tal entidade estava que incorporou em sua esposa e andou por todos os cômodos da casa estava 'limpando' a casa e ainda a interpelou perguntando se ele (o marido) estava precisando de alguma coisa, achando que a tal entidade estava ali para ajudá-lo de alguma forma. Após ele contar a tal história, iria tentar buscar essa entidade para conversar com ela pois já sabíamos que o que ela havia feito na casa não era nada do que o 'pobre coitado' acreditava, mas uma das médiuns já havia visto uma 'gira' perto dela e pedimos que ela desse passagem para vermos se era a mesma.

A entidade disse que não fora ela quem esteve lá, mas que foi uma 'colega', e que a consulente ainda iria sentir muito medo. A princípio reticente e não querendo conversar, conseguimos entabular um diálogo e a 'moça' acabou simpatizando conosco, revelando então sua ligação com a consulente e o marido. Essa entidade faz parte do astral da 'casa' espírita que o casal frequentava (ou frequenta ainda) e tiveram a grata surpresa de reconhecer a consulente quando ela esteve lá pela primeira vez como uma antiga desafeta do grupo tudo.

Em vida passada a consulente fazia parte de um grupo de mulheres ligadas a esse tipo de religião e todas trabalhavam juntas numa casa, quando ela conseguiu ascender ao poder lá e ser a 'líder', ela mandou todas as outras embora, para que apenas ela tivesse 'poder'. O grupo tudo queria vingança. Enquanto conversávamos nossa equipe espiritual já foi na tal casa e recolheu todas as 'giras', por fim, veio um espírito que fora filho dessa que conversava comigo e ela aceitou ir conversar 'com aquela mulher de branco', que era uma da nossa equipe, com a garantia dada por mim de que se não quizesse não seria obrigada a ficar.

Vale ressaltar que o marido da consulente, que estava presente, dirigiu-se agressivamente a este ser dizendo a ele que 'estava se metendo com quem não podia' (ele) e chegou a afirmar arrongatemente que "nada me atinge'. Logo em seguida iríamos demonstrar a ele que sua certeza era ilusória pois a esposa então revelou que ele mantinha em casa uma 'segurança', que ele periodicamente tinha que 'reforçar' com uma garrafa de uísque. Ele então nos disse que por mais de uma vez uma entidade se apresentara a ele e que esta entidade foi vista em mais de um centro, e que não pode se manifestar pq era 'muito evoluído' para aqueles locais.

Pedi a ele que chamasse a tal entidade e ele ficou meio arredio, mas mesmo assim a tal entidade foi trazida a nós e, incorporada, relutava em falar alguma coisa. Mesmo não querendo, o ser acabou revelando que se fazia passar por 'mentor' e guia do marido da mulher com o propósito de lhe roubar energia. Sua finalidade era manter uma 'rede' de encarnados iludidos e fascinados para lhes sugar a energia vital. O ser afirmou que além do marido da consulente mantinha ligado a ele vários outros encarnados, não só de religiões 'espíritas', mas de várias outras, inclusive 'daquelas que as pessoas se jogam no chão' (evangélicos), afirmando que em muitos casos elas caíam pq naquele momento ele lhes retirava subitamente o fluido vital e elas desfaleciam acreditando que estavam sendo 'libertas' ou 'limpas' de algum mal.

O marido da consulente pediu para perguntar algo para o ser e foi permitido, ele indagou 'pq ele' havia sido escolhido, já que ele ia atrás de 'auxilio espiritual' (nas casas que costuma frequentar) 'ingenuamente', para se melhorar. A entidade disse que por ele ter sido um deles no passado fica mais fácil. O homem ficou visivelmente irritado por ter sido enganado. Este ser fazia parte de um grupo de mais de cem entidades vampirizadoras que, assim como ele, estavam ligados a várias pessoas encarnadas lhe sugando a energia, se fazendo passar por 'mentores'.

Essa organização possuía um prédio de vários andares no astral com salas onde havia avançada tecnologia de vigilância, com monitores onde viam tudo que se passava com suas 'fontes' de energia. Todos foram recolhidos e os fios que os ligavam as pessoas foram cortados, o prédio foi destruído. Esse com quem conversávamos estava em péssimo estado, há mais de dois séculos sem reencarnar. Enquanto conversávamos com ele trouxemos seu 'superior' na organização à qual pertencia de vampiros energéticos. Este se recusava a falar e se mostrava muito contrariado por estar ali.

Mas foi mostrado aos médiuns que ela mantinha muitos espíritos aprisionados, principalmente de indígenas aqui do Brasil, pois ele fora um jesuíta em sua última encarnação. Os médiuns foram em sua 'base' e libertaram todos os espíritos aprisionados enquanto eu o 'entretia' tentando conversar. Depois que todos foram resgatados ele foi adormecido e levado pela equipe espiritual.

Outra médium percebeu algumas crianças junto à consulente, muito assustadas, temerosas e um pouco aturdidas. Estes seres tinham ligação com a consulente e com o 'jesuíta'. Naquela existância a consulente "trabalhava" para os jesuítas, que faziam 'orgias' com alguns meninos. A consulente era quem cuidava dessas crianças e ela os 'dopava' com drogas para que elas não percebessem o que acontecia.

Depois de servirem à lascívia dos 'jesuítas', ela cuidava de seus ferimentos, pois eles sentiam dores (pela penetração) e muitos adoeciam, com sangramentos e vítimas dos maus tratos que acompanhavam a seviciação. Como eles estavam drogados não entendiam bem o que lhes sucediam, mas acreditavam que ela os ajudava e protegia, por conta dela cuidar deles, por isso estavam junto dela. Boa parte da 'síndrome do pânico' que ela sentia vinha deles. Na casa da consulente haviam vários outros bolsões de espíritos ligados ao casal, que foram todos retirados e auxiliados.

Depois que os consulentes se retiraram, após termos lhes dado as explicações do que ocorrera para que não tivessem dúvidas e se conscientizassem de suas más ações do passado, bem como os ter orientado a se evangelizar, um dos médiuns revelou que durante todo o atendimento o homem (o marido) estava atacando o grupo no astral pois na realidade, ele é quem era o 'mentor' daquela organização, o líder desses vampiros e que teve uma 'chance' de se modificar com esta encarnação atual que está vivendo.


Gelson Celistre.