sábado, 30 de julho de 2011

Confederação intergalática

Atendemos uma pessoa que há mais de 20 anos participa de um grupo de estudos sobre a Grande Fraternidade Branca e uma tal de Confederação Intergalática ou Interplanetária. Eles se reunem regularmente para "enviar luz para o planeta" e estudar as msgs de "seres extraterrestres", etc. Nas palavras do consulente: "Nos reunimos fraternalmente para estudar, ampliar nossa consciência e emanar vibrações de Paz, Harmonia e Amor para toda Humanidade. É Ação Mental através do Plano Mental.Alguns dos membros, que possuem mediunidade, "canalizam" as msgs e alguns tbm enxergam esses seres "ascencionados", alguns supostamente membros da Grande Fraternidade Branca (as canalizações ocorrem na "sede" da Ordem Interplanetária, que fica numa cidade paulista, e de lá é enviada aos diversos grupos espalhados pelo Brasil, sendo esse do consulente um desses grupos).


O consulente nos procurou por estar há vários anos se tratando de epicondilite, tendinite e síndrome do túnel do carpo, que lhe causa dores nas mãos e nos braços, e tbm relata dificuldades para dormir. Relata tbm dificuldades financeiras, pois tem atua na área de bioeletrografia (fotografia kirlian) e o negócio não vai para frente. Ele acreditava inclusive que isso poderia ser por conta de entidades trevosas, por conta dele identificar obsessores com seu trabalho.

Tbm já fez tratamentos em centros espíritas, num outro grupo de apometria, além dos tratamentos convencionais, sem sucesso. Pelo que sabemos oficialmente ainda não existe cura para esses problemas de LER/DORT (lesão por esforço repetitivo e distúrbios osteo-musculares relacionados ao trabalho) e o consulente inclusive aponsentou-se por esse motivo.

Entretanto, já nos deparamos com alguns casos semelhantes e o que constatamos neles, assim como no caso deste consulente, é que em desdobramento as pessoas portadoras desses problemas geralmente estão agindo cruelmente para com outros espíritos, seja inflingindo-lhes dores por tortura ou em experimentos macabros.

Uma pessoa sem experiência nesses casos jamais cogitaria isso, principalmente pelo perfil do consulente, uma pessoa tranquila, "espiritualizada", aquele tipo que vc olha e pensa que seria incapaz de matar uma mosca. O fato dele há mais de 20 anos ter criado um grupo espiritualista já demonstra seu pendor, mas como só boa vontade não basta, temos que relatar aqui o ocorrido para servir de alerta aos demais.

Junto do consulente havia um espírito, um "capataz", que espancava e chicoteava um grupo de espíritos, seguindo ordens do consulente. Nesse local do astral havia dezenas de corpos esquartejados pelo chão, um local escuro e lamacento. Efetuamos o resgate e nos deparamos com outro local, esse com milhares de espíritos, todos escravizados e em extremo sofrimento, e o "chefe" do local, ao contrário do que geralmente ocorre, não era nenhum espírito trevoso desencarnado, mas era o próprio consulente em desdobramento.  Efetuamos o resgate dos espíritos, apagamos a mente do consulente desdobrado e o enviamos de volta ao corpo.

O interessante foi quando pedimos para ele mentalizar o grupo que ele frequenta, a fim de verificarmos que tipo de entidades os estavam mistificando, pq já sabíamos de antemão que era um caso assim. O que os médiuns viram foi um local de muita luz, com várias pessoas vestidas de branco, dando passes em outras pessoas deitadas em macas, esses todos encarnados, e alguns desencarnados tbm emitindo muita luz.

Me projetei no local e quando cheguei lá os seres "de luz" desencarnados me interpelaram, perguntando se eu precisava de alguma ajuda ou tratamento. Os médiuns não sentiram nada de ruim, mas pedi para eles observarem o que iria acontecer e logo que me aproximei deles sua fisionomia mudou, a "casca" de luz caiu e se mostraram com realmente eram, seres das trevas.

Abaixo de cada maca ou leito onde os encarnados aplicavam passes havia um encanamento, um complexo sistema de tubos, que canalizava a energia para um enorme recipiente, parecendo um caldeirão, de onde os seres trevosos depois recolhiam a energia (ecotoplasma) e a utilizavam para suas finalidades malignas.

A energia em si era boa, tanto que nossa equipe recolheu o recipiente com aquela energia para utilização no atendimento dos espíritos resgatados, mas as entidades trevosas a negociariam com outras facções trevosas por conta de ser uma energia "boa", recolhida de pessoas cheias de "boa vontade".

A ignorância e a vaidade é o que leva as pessoas a se filiarem a esses grupos "exóticos", pq se sentem "especiais", diferentes dos outros, se acham melhores, e o tipo de atividade que executam não lhes exige nada, não precisam se modificar interiormente, basta serem o que pensam que são, "seres de luz". É comum ouvirmos essas pessoas afirmarem "sou luz", dizerem que temos uma centelha divina em nosso interior, etc., como se isso bastasse para anular sua condição kármica.

Se nós estamos aqui na Terra agora é pq ainda não conseguimos com que a nossa "centelha divina" demonstrasse alguma coisa de divina perante as leis cósmicas e não vai ser repetindo "eu sou luz" que vamos conseguir isso. O que nos trouxe até aqui foram nossas más ações e somente praticando boas ações é que vamos conseguir equilibrar a balança.

Abraço.

Gelson Celistre.


segunda-feira, 25 de julho de 2011

O aprendizado pela dor

Existem situações pelas quais nenhum de nós gostaria de passar. Por mais que a gente saiba que a vida não acaba aqui, que existe vida após a morte, que vamos nos reencontrar com nossos entes queridos do "outro lado", etc., ninguém gostaria de perder um filho de repente, assim de uma hora pra outra, ainda mais uma criança.

Esta foi a triste situação pela qual está passando o consulente pois há pouco mais de dois meses, sua filha de  5 anos, que nunca havia tido nenhuma doença grave, teve um mal-estar súbito e morreu em menos de 5 minutos por parada cardíaca, sem que os médicos tenham descoberto o motivo. Ele relatou tbm que quando era criança, em torno de 4/5 anos, ele começou a pensar na morte e sentia um frio por dentro, uma sensação de vazio, como se a morte fosse o fim de tudo. Segundo ele esse sentimento sempre o acompanhou mas está lhe incomodando muito agora que perdeu a filha, apesar dele estar estudando a doutrina espírita.

Todos nós cometemos erros em nossas vidas passadas mas a lei de ação e reação, tbm conhecida como karma, sempre nos oportuniza uma reparação em uma vida futura. A lei é corretiva e não punitiva, mas em muitas situações nós só aprendemos sentindo na própria pele o que fizemos aos outros, ou seja, aprendemos pela dor.

Ao abrirmos a frequência do consulente nos deparamos com a situação de vida passada que gerou este "resgate" na vida atual dele. Ele foi seminarista e trabalhava num orfanato mantido pela sua Congregação e, não soubemos pq motivo, ele matou por envenenamento dezenas de meninas órfãs que viviam ali. Ele misturava veneno em remédios e alimentos destinados às meninas, aleatoriamente, e se comprazia em ficar observando-as e tentando adivinhar quais morreriam.

O local ainda estava plasmado no astral com dezenas de espíritos, das meninas, ainda presos lá, em grande sofrimento. Os médiuns sintonizados com essa frequência sentiram fortes dores abdominais, que era o que sentiam as meninas antes de morrer. Resgatamos esses espíritos e destruímos o local. A filha do consulente foi uma das meninas que ele matou por envenamento naquela existência.

Quando o consulente entrou na sala de atendimento estava acompanhado de um ser meio peludo, que ficou atrás dele e com a mão em seu ombro. Promovemos a incorporação dele, que disse estar apenas "fazendo seu trabalho", que seria evitar que o consulente falasse algo que não devia. Conversei um pouco com o tal ser tentando saber para quem ele trabalhava, que ele disse não saber, mas disse que esses outros seres estão "cuidando" da família dele.

Pedi aos médiuns que localizassem a família que estaria sendo cuidada e eles a encontraram num local umbralino, relegada à própria sorte. Resgatamos a familia e ele, percebendo que o enganaram, nos mostrou o ser de quem recebia ordens e através desse localizamos várias bases e laboratórios trevosos, com muita gente encarnada desdobrada.

Descobrimos que as energias vitais (ectoplasma) que eles coletavam nesses locais eram direcionadas para várias pirâmides espalhadas pelo astral. No interior dessas pirâmides, bem no centro, havia uma mesa redonda, com sete espíritos sentados ao redor, de costas para o centro, que recebiam em suas cabeças a energia da pirâmide, uma espécie de amplificador humano de energia, e a direcionavam para a mesa, onde abaixo havia um espírito com o corpo todo enfaixado, como uma múmia, e coberto por um manto negro com capuz.

Puxamos uma dessas múmias encapuzadas para tentar descobrir alguma coisa mas ela estava irredutível. Retirei o manto e as faixas e descobrimos que se tratava de um ovóide com algum objeto, possivelmente eletrônico, implantado em seu interior, que servia para manipulá-lo à distância. Ele tinha noção do que era (um ovóide) e o implante lhe permitia mais liberdade do que ele teria nessa condição.

Rastreando o objeto encontramos uma pirâmide maior no interior de uma grande caverna onde o mentor de toda essa operação estava. Era um ser muito antigo aqui na Terra e sem uma "forma"definida, além de uma mancha escura. Por conta das pirâmides e das múmias achei que ele estava sem reencarnar desde à época do antigo Egito mas ele disse que usava a forma (pirâmide) apenas para coletar energia e rastreando a mente dele vimos que na época em que os humanos ainda habitavam as cavernas ele já possuia laboratórios e bases no astral. Deve ter sido exilado aqui há milênios e conseguiu evitar a reencarnação até agora pois não conseguimos achar nenhuma vida "física" dele aqui na Terra. Foi preso e será exilado.

Uma curiosidade é que os laboratórios desse ser estavam ligados com vários laboratórios farmacêuticos aqui da Terra, e o "produto" principal que esse ser negociava era a fórmula de remédios para o estômago. Por estar há muitos milênios aquí na Terra ele tinha conhecimento sobre plantas já extintas no plano físico, as quais ele tem o material genético no astral, e que ele inspira aos farmacólogos para a criação de remédios estomacais. O ruim é que cada pessoa que ingeria um comprimido desse remédio criava uma conexão com esses laboratórios no astral e passava a ser desdobrada e vampirizada, tendo sua energia vital sendo canalizada para as tais pirâmides e por fim para ele mesmo. A quantidade de pessoas encarnadas ligadas a esse ser o alimentando era de centenas de milhares.

Quem utilizava os remédios para o estômago
"criados" por este ser se tornava vítima de vampirização.
A esposa do consulente estava desdobrada num hospital de base trabalhando como enfermeira, profissão que ela teve em sua encarnação passada na Alemanha nazista. Ela participava como assistente em pesquisas genéticas com crianças e a informação que nos foi passada é que as experiências que ela fez na  vida passada provocaram uma anomalia genética que ela transmitiu à filha, o que motivou a morte dela.

Invadimos a tal base mas fomos identificados e soou um tipo de alarme, que provocou a explosão de várias salas onde arquivavam os resultados de suas pesquisas e trabalhos. Como eles sabem que estão sendo localizados e suas bases sendo destruídas, estão criando essas bases sem as conectar com uma base central. Os dados coletados e obtidos com as atividades e experiências feitos em determinada base são coletados de forma a não deixar rastros que possam ser seguidos, assim com os comandantes de cada base não possuem informações sobre outras bases, nem sobre atividades nem sobre localização.

Prendemos os nazistas desencarnados que estavam lá, e os muitos que eram encarnados tiveram suas mentes apagadas e foram enviados de volta a seus corpos. A esposa do consulente "deu trabalho" para sair pq não queria abandonar suas atividades. A perda da filha por motivo médico desconhecido aumentou em seu inconsciente o desejo de realizar experiências genéticas, que era o que ela fazia na tal base em desdobramento.

Os médiuns perceberam a presença de espíritos "de terreiro" e fomos averiguar. Na casa do consulente havia vários deles, "trabalhos" e coisas afins. Foram presos e a casa foi limpa. Descobrimos que esses seres eram ligados a trabalhos feitos em cemitério e que se conectaram com o consulente e sua esposa quando da morte da filha deles (a tristeza baixa o padrão vibratório e esses seres conseguem se aproximar e entrar em sintonia).

Por fim encontramos a filha do consulente presa em seu próprio túmulo, acuada por dois seres metidos a exus, portando lanças, que a impediam de sair do túmulo, que ela via apenas como um local escuro. Ela estava muito assustada mas uma das médiuns a pegou nos braços e a entregou a um dos membros da nossa equipe espiritual, não tinha noção de estar morta e tbm não dissemos a ela no momento do resgate. Apenas a resgatamos e confortamos, oportunamente ela saberá o que ocorreu.

Pelo que o pai falou sobre ela e pelo que os médiuns perceberam, é um espírito que sabia o tipo de resgate que teria que realizar nessa vida e que não se revoltou, ao contrário, levou muita alegria e amor aos que conviveram com ela. Apesar de estar "presa", os espíritos malignos não conseguiam fazer mal a ela e esse período de pouco mais de dois meses que ficou nessa situação deve ter sido para ela resgatar mais alguma coisa de vidas passadas.



Gelson Celistre.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

ET`s II - A revanche

A postagem anterior sobre os ET`s já estava pronta e antes mesmo de eu publicá-la tivemos outro "contato imediato" com os "extraterrestres", este de maneira inusitada. Um amigo psicólogo que reside em outro estado me enviu um e-mail dizendo que na noite anterior lhe veio à mente a minha imagem, e que ele pensou que eu talvez estivesse querendo conversar algo com ele. Respondi ao e-mail dizendo que, se era eu mesmo, não tinha a menor idéia do que seria, mas que iria investigar.


No mesmo dia tive oportunidade de averiguar o que se passou e encontramos a seguinte situação: meu amigo estava desdobrado, preso numa "nave", com três ET's ao redor dele, muito altos e magros, túnicas prateadas, com cabeça e olhos grandes.

Descobrimos que esses ET's estavam trabalhando com vários psicólogos, usando-os para acessarem os pacientes deles. Na tal nave havia vários aparelhos modernos e a médium conseguiu ver o chip, pequeno e muito fino, que estavam colocando nos psicólogos, um equipamente de alta tecnologia que transmitia para eles tudo o que a vítima percebia através de seus sentidos e tbm seus pensamentos e emoções. Através desse chip eles podem induzir pensamentos nessas pessoas, de modo que elas pensem serem seus próprios pensamentos.

Enquanto a médium me relatava o que via eu apareci em desdobramento supraconsciente na tal nave, mas eles sentiram minha presença e tentaram me atacar com um tipo de bastão curto com uma luz como de neon dentro, um emissor de energia. Eles se movimentavam de maneira estranha segundo a médium, pois não caminhavam, mas flutuavam, como se deslizassem no chão.

Quando eles se aproximaram de mim emiti um tipo de onda magnética da minha testa, que chegando neles os paralisou. Depois os prendi em uma bolha de material transparente. Pedi a médium que perguntasse a mim (em desdobramento) quem eram esse ET's, o que ela fez, e lhe respondi que eles eram apenas cientistas trevosos e que escolheram essa forma para impressionar quem gosta desse tipo de assunto (ufologia).

A imagem minha que veio à mente desse meu amigo foi criada pela nossa equipe espiritual para ele me procurar, pois ele tinha merecimento para ser auxiliado e esses cientistas precisavam ser detidos, entretanto, precisávamos de um elo de ligação, o que foi conseguido quando chegaram nele, assim se reuniram as condições para que pudéssemos acessar o local.

Soltei meu amigo, que estava amarrado em uma cadeira, tipo essas de dentista, lhe renovamos as energias e o mandamos de volta ao corpo, depois de apagar da mente dele sua estada ali, para evitar novos acessos por outros seres. Nossa equipe espiritual ficou trabalhando no local para desconectar outros encarnados "chipados" e analisar os equipamentos encontrados.

Enviei um e-mail relatando a ele o que havia ocorrido e em seguida ele me respondeu dizendo que há poucos dias ele havia assistido uma palestra de um outro psicólogo, que passou vários filmes sobre a presença e permanência dos extra-terrestres aqui na Terra, desde o início dos tempos. Por conta disso esse meu amigo passou a semana toda procurando na internet os livros que o palestrante indicou, como; As chaves de Enoch, Os superdeuses, etc.,  e outros de autores como Zecharia Sitchim, Adrian Gilbert, Maurice M. Cotterell, etc.

Três dias depois minha filha, de 8 anos de idade, acorda bem cedo num domingo, chorando e dizendo que estava com dor de cabeça. Levamos ela num médico de plantão e ele receitou um anti-inflamatório e "alivium" para a dor, alegando uma virose qualquer. Ela passou o dia meio indisposta mas à noite já estava um pouco melhor; quando foi para seu quarto dormir começou a tossir muito, acabou levantando novamente e foi se deitar no sofá da sala.

Resolvi verificar se não havia algum componente espiritual nessa virose. Três seres de baixa vibração estavam no quarto dela e rastreamos ela desdobrada num local trevoso, presa a uma cadeira, e com tubos enfiados nos braços, por onde estavam lhe injetando um fluido venenoso. Junto dela neste local havia um outro ser, que incorporou na médium e conversou comigo.

Este ser parecia tranquilo e disse que tinha um aviso para mim, que eu não deveria ter "mexido" com o que não devia e que através dos meus familiares eles iriam me atacar, até que eu parasse com minhas atividades. Perguntei se ele era novato pq já me fizeram esse tipo de ameaça várias vezes e nunca me intimidei. Pedi para a médium vasculhar a mente dele enquanto conversávamos mas ela disse que não havia nada, só o tal recado para mim.

O ser dizia que não adiantaria pq ela não sabia de nada, nem de onde veio, nem onde ficavam seus superiores, etc. Investigando melhor descobrimos que esse ser era na verdade um artificial, uma criação astral, uma espécie de robô ou clone humano, sem existência própria. Como nossos adversários já aprenderam que se enviarem algum ser nós conseguimos extrair tudo que existe na mene dele e acabamos chegando nos "mandantes" da coisa, estão enviando artificiais ultimamente, para dificultar o rastreamento.

Entretanto, não foram felizes ainda pq nós desintegramos o artificial e o que sobrou, uma espécie de "pó astral", nós enviamos de volta para a região do astral de onde ele foi tirado. Assim conseguimos chegar numa base militar umbralina, nazista, onde havia no pátio várias "naves espaciais" estacionadas. Entramos no local numa vibração um pouco superior de modo a não sermos vistos, percorremos um longo corredor até chegarmos numa sala toda envidraçada.

Nesta sala havia vários cientistas que estavam mudando a aparência de espíritos normais, humanos, para que parecessem extra-terrestres. E o interessante é que haviam feito uma lavagem cerebral, seguida de hipnose, para que esses espíritos realmente acreditassem que eles eram ET`s e assim passar mais "veracidade" aos contatados.

A intenção é realmente a de "invadir" a Terra pois à medida que mais pessoas acreditarem nisso, eles podem conseguir energia suficiente para materializar algum ET desses aqui. Com os chips eles podem promover uma "ilusão coletica" nos crédulos "chipados", pois todos que se ligam a esse assunto através de livros, palestras, cursos, programas de TV, etc., estão recebendo implantes desses chips de alta tecnologia. Com esses chips eles não só podem fazer com que as pessoas vejam os ET`s mas tbm eles poderão sentir que os tocam, algo como uma imagem em 3D aprimorada, ou seja, podem fazer com que várias pessoas tenham um "contato imediato" com os ET`s.

Em outra locação dessa base havia um tipo de anfiteatro onde milhares de pacientes que receberão os chips eram "bombardeados" com idéias e imagens de ET`s, naves, etc, de modo a preparar a mente deles para receber o implante. Essas pessoas foram "coletadas" em workshops, cursos, palestras, etc. sobre extra-terrestres, no mundo todo. Eles introduzem sutilmente na mente dessas pessoas, a princípio, que racionalmente é possivel que existam ET`s e que eles podem ter estado aqui na Terra, e que pessoas "especiais" podem vê-los, depois seguem  com o bombardeio de imagens e sons.

Em desdobramento supraconsciente eu observei tudo ali, depois paralisei os cientistas da sala envidraçada que havíamos visto, mas criei uma imagem em movimento deles no vidro, para que observando de fora da sala eles fossem vistos trabalhando normalmente, como se os vidros virassem uma TV onde estivesse passando um filme deles trabalhando ali.

Depois disso nos dirigimos ao anfiteatro, paralisamos o guarda da entrada, e enquanto a médium retirava os chips já implantados em alguns deles eu criei várias telas onde fui mostrando para as pessoas ali o que acontecia naquela base, e tbm falei claramente a elas que estavam sendo enganadas e lhes dei um comando mental para que lembrassem de minhas palavras ao voltar ao corpo, que estavam sendo enganadas.

Nesse momento chegaram outros membros de nossa equipe para levar os seres que prendemos e os milhares de encarnados desdobrados que estavam ali. Eu e a médium voltamos aos nossos corpos e nossa equipe espiritual ficou lá para terminar o trabalho.

Ainda sobre os ET`s, em nossa última reunião o dirigente de um outro grupo de apometria que veio nos visitar, e que motivou o relato anterior, apareceu em desdobramento na nossa reunião, juntamente com vários ET`s. Ele tentou fazer com que uma das médiuns, que não compareceu na reunião onde foi atendido, participasse de um ritual de sacrifício humano no astral. Isso foi um tentativa dele de "desmoralizar" o grupo, pois no íntimo ele não aceitou que estavam sendo enganados pelos falsos ET`s. Esses ET`s que vieram com ele eram criações da própria mente dele.  Desmanchamos essas imagens e o enviamos de volta ao seu corpo.

Abraço.

Gelson Celistre

sábado, 16 de julho de 2011

ET's

     Recentemente um dirigente de um outro grupo de apometria esteve nos visitando para aprender mais sobre apometria e relatou que eventualmente eles tem recebido a visita de "seres de luz". Segundo nos disse os médiuns videntes, inclusive ele que tbm é médium, enxergam uma grande nave sobre o local da reunião deles, emitindo uma luz muito forte, e seres emitindo muita luz aparecem e lhes transmitem mensagens, dos quais eles só distinguem a silhueta humanóide.


    Como eles enxergam muita luz e tbm como os seres falam coisas boas, nunca os aconselhando a fazer algo errado, mas falando da importância dos trabalhos espirituais, de estarem preparados para resgates coletivos que irão ocorrer, etc., acreditaram que eram "seres de luz".

     Com a anuência do colega resolvemos averiguar do que se tratava pois já sentíamos que não era coisa boa. Pedi que ele lembrasse da última vez que houve a tal aparição e logo os médiuns começaram a ver os tai seres. Dessa vez aparecendo com mais nitidez, irradiando muita luz realmente, e com um formato humanóide "clássico" de ET's (extraterrestres), um corpo meio esguio e uma cabeça ovalada, com olhos grandes.

     Posicionaram-se dois ao lado do dirigente que nos visitava e um atrás de cada um do nosso grupo. Fizemos um deles incorporar e conversamos um pouco. O tal ET disse que estavam nos estudando, que precisavam de nós para suas experiências, e que vieram de um planeta chamado "Evolução".

     Não sei quantas pessoas ele já enrolou com essa conversa mas comigo não deu certo. Emiti um comando para que eles se mostrassem como realmente eram, e ai os médiuns os viram com a aparência de um lagarto, os tradicionais draconianos, servos dos dragões, que alguns chamam de reptilianos. Inclusive o dirigente que até então não os estava vendo pq eles haviam colocado um aparelho nele com essa finalidade, conseguiu enxergá-los em sua forma "natural".

     Esse ser com o qual conversamos, e provavelmente os outros tbm, estava hipnotizado e acreditava que sempre tivera essa forma de lagarto, e que se disfarçavam para não causar má impressão nos "humanos";além disso ele acreditava que eles eram uma raça não-humana superior.

     Emiti um comando para ele voltar à forma humana que ele tinha antes dessa de lagarto e ele, mesmo dizendo que nunca fora humano, se transformou num homem, cabelo castanho e olhos claros, e que vivera sua última encarnação aqui na Terra na Atlântida. Ele mesmo demonstrou surpresa com sua aparência e com algumas lembranças que passou a ter, pois estava há muitos milênios nessa forma e nem lembrava mais que já tinha tido outras.

     Assim como esse haviam vários outros grupos desses seres se fazendo passar por ET's e sugando com isso as energias de milhares de pessoas que se dedicam a ter "contatos" com seres intergaláticos e similares, em vários locais no Brasil e no mundo. Nossa equipe espiritual começou a se deslocar para pontos situados sobre várias cidades onde esses ET's possuem bases fixas para destruí-las. Uma das bases maiores deles era sobre a cidade de Brasília.

A Serra da Canastra, em Minas Gerais, é um dos locais onde
frequentemente ocorrem avistamentos de supostos ET`s.
     Ainda nessa linha extraterrestre, há alguns dias havíamos feito uma verificação no astral da Serra da Canastra, em razão de uma das médiuns haver estado lá há alguns anos e ter visto e conversado com seres "extraterrestres". Caso idêntico a este pois eram apenas seres trevosos explorando a credulidade dos aficcionados pela temática extraterrestre, igualmente com várias bases em locais de "contatos", onde desdobravam essas pessoas e faziam realmente experiências com elas de novas drogas e coisas do tipo, para implantar chips de controle e monitoramento, assim como lhe sugar as energias vitais.

Veja também ET's II - A revanche

Gelson Celistre.

terça-feira, 12 de julho de 2011

O mestre dos 7 raios

Há alguns dias recebi um e-mail com uma psicografia cuja autoria espiritual era atribuída a uma pessoa muito conhecida e polêmica no meio televisivo aqui no Brasil, por conta de ser ela muito "desbocada" e estar sempre falando palavrões quando estava "viva".

A primeira "pista" para se identificar uma mistificação é a autoria; se for atribuída a uma pessoa muito conhecida quando viva já é um indício de que o autor está querendo chamar a atenção mais pelo nome do que pelo conteúdo.

Como já sei que essas msgs são todas "fraudulentas" e não me acrescentam nada de útil nem costumo ler, apenas deleto. Entretanto, me "deu na telha" de ler essa. Afinal, meu trabalho é diretamente com entidades trevosas e de vez em quanto tenho que me "atualizar" acerca das artimanhas que eles estão desenvolvendo.

Tem uma parte da suposta msg onde a autora espiritual relata sua estadia em um local de baixa vibração, um bordel para ser mais exato, e essa parte é bastante plausível, é condizente com as situações que existem nos bordéis do astral inferior. Até aí tudo bem.

No meio da narrativa ela fala sobre uma "deusa" vestida de vermelho que a resgatou, irradiando beleza e luzes como se fossem fogos de arifício, uma tal de deusa do "raio rubi". Depois tem uma enrolação onde ela conta que uma tal de mestra Nada mandou buscarem ela e tal, que foi pra colônias e o escambau, diz que assitiram num telão que o Sai Baba foi não sei pra onde, e que a mandaram seguir "as pegadas" de Jesus, Buda, Chico Xavier, Mestra Nada, etc.

Uma das muitas imagens da Mestra Nada que circulam pela internet e que,
 segundo a médium vidente que trabalhou no caso, é idêntica ao artificial criado pelo mago.
Outras pistas da mistificação: a entidade associa o nome de um espírito qualquer ao de espíritos reconhecidamente elevados, no caso aqui a tal de "mestra Nada" com espíritos como Jesus e Buda. As afirmações sobre as entidades que eles querem "autenticar" vem junto com informações que já são de conhecimento comum, como fatos sobre a vida em colônias e cidades astrais, amplamente divulgadas em livros espíritas. Sem falar em aberrações escancaradas como afirmarem que a msg seria para comemorar não sei quanto tempo lá que existe o blog divulgando essas insanidades.

Resumindo, no geral essa "psicografia" podia até ser da pretensa autora espiritual, pois a vida dela era muito conhecida e para quem é do meio espírita/espiritualista não seria tão difícil imaginar que ela fosse parar num local como o que ela relata, um bordel.

Realmente é complicado para um leigo ou alguém com conhecimento superficial sobre espiritismo/espiritualismo identificar certas coisas que denotam que a msg é fraudulenta. Claro que se tivessem uma boa base, ou seja, se tivessem estudado Kardec e Ramatis, identificariam com facilidade.

Bem, o caso é que eu li isso e acabei encontrando um velho conhecido. Ao ler o e-mail eu me desdobrei e fui parar numa região qualquer do astral. Não foi itencional e eu nem percebi que estava nesse local, até que logo depois encontrei uma médium que trabalha comigo e ela me perguntou onde eu estava, pois ela sentiu que eu estava (desdobrado) "longe".

Fomos verificar onde eu estava e a médium logo começou a sentir um frio glacial. Era um local de vibração muito baixa pq até eu senti esse frio, e olha que hoje tava quente aqui no Sul, pois depois de uma semana com temperaturas abaixo de zero estava 17° C nessa hora.

Eu estava desdobrado em um laboratório observando o espírito de uma mulher que estava lá, tbm desdobrada, toda amarrada e amordaçada, com os cabelos desgrenhados. A médium diz que, apesar da situação em que se encontra, a mulher parece meio enlouquecida. Há uma movimentação muito grande de médicos e enfermeiras nesse lugar.

A médium continuava a sentir muito frio e começou a sentir uma forte tontura. Nesse laboratório é onde criam os "artificiais" dos 7 raios, e ela tbm viu nesse local uma mulher com aparência angelical, e embora estivesse trajando um vestido vermelho, parecia mesmo uma deusa, com um olhar de um ser "do bem". A imagem que ela viu e que muitos médiuns enxergam é uma criação artificial desse laboratório, a tal "mestra Nada". Além dessa tal "mestra do raio rubi", existiam mais seis artificiais representando os outros 6 "mestres" dos raios coloridos, que na verdade não exsitem realmente, são apenas criações materializadas no astral.

As imagens que circulam associadas aos 7 raios são
sempre com seres angelicais, mestres, etc.
Ligados a esse local haviam milhares de pessoas encarnadas, todas deslumbradas com a "beleza" dos tais mestres dos raios coloridos, que seriam azul, dourado, rosa, branco, verde, violeta, etc., cada um com um "mestre". No caso o do rubi seria uma tal de "mestra Nada". Essas pessoas são principalmente médiuns fascinados e hipnotizados, presas da própria vaidade.

Logo em seguida apareceu o mentor dessa grande ilusão, o mestre do raio que o parta, um antigo mago, que me conhecia dos meus tempos (mais) trevosos. Seu corpo astral está em farrapos, quase desaparecendo, pois ele evita a reencarnação necessária há muitos milênios. Ele se esconde sob um longo manto escuro com capuz lhe cobrindo o que ainda resta da cabeça. Ele precisa da energia desses encarnados fascinados para se manter.

Ele já havia percebido nossa presença e atacou a médium, fez um gesto em espiral na testa dela que lhe provocou tontura, os olhos lacrimejaram muito, e ela não conseguia mais enxergar com sua vidência. Logo que ela começou a enxergar percebeu que eu estava me apresentando vestido como um mago, com uma túnica negra e usando um medalhão com o símbolo do pentagrama no peito, e junto a mim vários outros magos que pertenceram a essa mesma Ordem em épocas remotas.

Criamos uma espécie de energia no formato do pentagrama e ela começou a sugar tudo que havia ali, inclusive o velho mago, mestre do raio que o parta, que embora relutante, foi preso por nós juntamente com os artificiais dos 7 raios que ele criou e que mantinham milhares de pessoas fascinadas e vampirizadas.

Enquanto isso a médium, agora em desdobramento supraconsciente como uma sacerdotisa, paralisou os cientistas. Me dirigi à mulher amarrada ali e a libertei, era a médium que recebeu a tal psicografia, e lhe disse para esquecer esses mestres dos raios e voltar para seu corpo físico.

O pessoal de nossa equipe espiritual chegou para levar os cientistas que a médium prendeu e tbm para libertar milhares de encarnados ligados aos tais mestres dos raios coloridos. Após eles terminarem, os magos que estavam comigo começaram a destruir o local. Enquanto isso eu emiti uns comandos para as pessoas que estavam ligadas a esses mestres dos raios coloridos não busquem esse tipo de "espiritualidade", baseada no deslumbramento e nas futilidades, onde a "salvação" não depende da "reforma íntima", de mudança de maus hábitos, mas de afirmações tolas de "eu sou isso "eu sou aquilo", invocações, etc.

Após isso eu estava conversando com a médium sobre o atendimento e ela entrou no blog que divulga essas msgs, provocando um desdobramento da pessoa que recebeu a psicografia, que incoporou na médium e me perguntou o que eu estava fazendo ali, que eu me metia em tudo, etc. Ficou fazendo afirmações de "eu sou luz" e perguntando se eu não queria a ajuda dela... enfim, totalmente fascinada com o que imagina ser a "luz". Ainda mostrei a ela o mestre dos 7 raios preso e as criações artificiais que ela cultua como deuses, mas ela não acreditou. Mandei-a de volta para seu corpo e dei o caso por encerrado.

Abraço.

Gelson Celistre.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A gueixa

Os problemas

Mulher solteira, trinta e poucos anos, sente fortes dores de cabeça, irritabilidade, depressão, dores no fígado (ela acha que são por conta dos analgésicos que toma pra dor de cabeça), acorda cansada e tem problemas de relacionamento familiar. Foi atendida por um grupo de apometria em SP em janeiro (fazem atendimento em duplas, um doutrinador e um medium) e na hora do atendimento sentiu uma dor de cabeça muito forte e tbm havia feito na mesma época uma cirurgia espiritual num outro centro tbm em SP.

Num segundo atendimento em abril (de apometria) no mesmo local, apesar de estar em outra sala, ela percebeu que incorporou  um obsessor muito furioso que dizia que: "... ela é minha!". Identificaram que ela tem mediunidade e aconselharam a desenvolver. Interessante que lhe disseram após a consulta que 70% do problema dela havia sido resolvido, o resto só dependia dela...

Ela tbm sonhou que o pai, falecido há cerca de dois meses, vinha lhe dar "passes", e no sonho ele estava bem, feliz, e numa espécie de hospital (morreu por insuficiência pulmonar e provavelmente tinha câncer na garganta tbm). Ela já havia sonhado com ele em regiões umbralinas antes e acreditou que o atendimento de apometria, onde comentou isso, ele tivesse sido socorrido. Além disso, a consulente nos disse que pretende morar no Japão, onde já morou uns anos, sendo que quando esteve lá ficou muito doente e teve que retornar ao Brasil.

As causas principais

As causas principais são a mediundiade não desenvolvida e o retorno cármico de ações negativas cometidas por ela no passado e atualmente em desdobramento inconsciente. Se ela utilizar suas faculdades mediúnicas para auxiliar os espiritos sofredores pode melhorar em muito sua qualidade de vida minimizar os efeitos cármicos que está sofrendo. Entretanto, apesar de lhe terem dito que 70% do que ela tinha havia sido resolvido, ainda haviam algumas coisas com ela, conforme relato a seguir.

As causas acessórias


As bruxas (relacionado aos problemas familiares)


A consulente e suas irmãs da vida atual foram todas bruxas e participavam de rituais de sacrifício humano onde mataram muitas pessoas, inclusive crianças. No astral ainda havia muitos espíritos que foram vítimas desses rituais em extremo sofrimento, com partes de seus corpos esquartejados, dilacerados, havia espíritos de crianças pendurados pelos pés, enfim, era uma situação terrível.

Muitas culturas ancestrais realizavam rituais com sacrifício
humano, o que tbm era comum na Idade Média em cultos satânicos ou rituais de bruxaria.
Ela e uma de suas irmãs, com a qual ela tem grandes problemas de relacionamento, eram rivais pela liderança desse grupo de bruxas e havia uma forte hostilidade entre elas, o que ainda persiste na vida atual, inclusive pq o fato de viverem numa mesma casa ajudava a manter essa frequência aberta. Resgatamos os seres, apagamos as mentes dos encarnados desdobrados e destruímos o local.

Havia um ser com chifres, com o corpo todo negro, que era quem "recebia" essas oferendas. Ele tinha vários outros grupos de bruxas ligados a ele, além de locais onde realizava experiências macabras, que foi preso, sendo que os resgatamos os espíritos que estavam nesses outros locais, que eram muitos.

O pretendente (relacionado ao fato de não ter um companheiro)


Havia um espírito masculino junto da consulente, segurava uma adaga numa das mãos e seu corpo estava todo ensanguentado, retalhado por cortes. Junto desse espírito havia um outro espírito, feminino, este em péssimo estado, parecendo "podre".

A história desse casal de sofredores é a seguinte. Na vida passada onde a consulente era bruxa, havia um rapaz que estava loucamente apaixonado por ela, a ponto de fazer qualquer coisa para conseguir isso. Ela então lhe disse que se ele entrasse para a seita dela que eles poderiam ficar juntos. Para isso ele teria que participar de um ritual, que consistiria em ele "dar seu sangue", e depois disso eles estariam ligados para sempre.

Na hora do ritual ela lhe deu uma adaga e disse para ele fazer um corte no braço, deixando o sangue escorrer. O rapaz estava meio que fascinado por ela e num estado de extrema excitação nervosa. Ela sedutoramente o mandou fazer outro corte, e mais outro, até que ele desmaiou de fraqueza e veio a morrer ali mesmo.

O ritual estava sendo realizado dentro de uma gruta um pouco distante da aldeia onde moravam e o corpo ficou ali. Acontece que esse rapaz tinha uma oficialmente uma noiva, que o procurou desesperadamente depois do sumiço dele na aldeia, e que quando o encontrou ficou desesperada, em estado de choque, e ficou junto ao corpo do rapaz dentro da tal gruta até morrer tbm. A noiva, o espírito que parecia "podre" dizia que jamais permitiria que ela tivesse um homem... Resgatamos o casal e os levamos para atendimento.

A gueixa (relacionado a acordar cansada e as dores no "fígado")

Em outra vida a cosulente já havia vivido no Japão e foi uma "gueixa", uma espécie de prostituta. Quando ela esteve morando lá ela abriu essa frequência de vida passada e atraiu para si vários espíritos de ex-clientes, entre outras coisas. Quando ela se desdobra, principalmente durante o sono quando é mais fácil de sermos vampirizados, ela se encontra com esses espíritos para fazer sexo. Como eles estão desencarnados em sua maioria acabam sugando as energias dela, por isso acorda cansada e com dores pelo corpo.

Gueixa
Dessa frequência tbm ela puxou um espírito em forma fetal que ela havia abortado naquela vida de prostituta, um de muitos. Ligado a ela tbm estava um espírito de um militar japonês, que era o pai desse feto que ela abortou. Ele era cliente dela e tbm era apixonado por ela, quiz retirar ela daquela vida e casar com ela, que recusou pq gostava do que fazia. Ele ingenuamente queria até ajudá-la mas não tinha condições nem de ajudar a si mesmo.

Conversando com ele, incorporado numa das médiuns, perguntei quando ele havia encontrado a consulente nesta vida e ele me disse que foi no Japão, quando ela esteve lá, e que ela conhecia uma outra moça que fora filha dele em outra existência. Quando ela voltou ao Brasil ele veio acompanhando ela, pois gostava dela. Resgatamos o feto, que estava grudado na lateral do corpo astral da consulente, e o velho soldado japonês.

Este caso costumo chamar de ressonância vibratória geográfica, pq ele ocorre devido à ligação geográfica terrestre com locais plasmados na dimensão astral. Se ela não tivesse ido ao Japão não teria aberto essa frequência de vida passada onde foi gueixa.

Situação geral

Estas situações todas ocorrendo em conjunto eram responsáveis pelos demais sintomas da consulente, como irritabilidade, dores de cabeça, depressão, etc. Uma melhora considerável somente com o "desenvolvimento" mediúnico, como mencionado anteriormente, e com mudanças nos padrões de pensamento e sentimento, o que não ocorre de um dia para o outro.

Entretanto, devido ao tipo de karma que a consulente está resgatando nessa vida, se ela não se envolver em alguma atividade espírita/espiritual que lhe propicie direcionar suas energias para alguma finalidade que lhe gere um karma positivo, ainda vai ter muitos outros problemas, além de não conseguir "resolver" estes.

Sobre o pai recentemente falecido, que ela imaginou já haver sido socorrido, encontramos ele numa região umbralina purgatorial e não nos foi permitido resgatá-lo, devido à ausência de merecimento por parte dele, que ainda precisa "purgar" alguns fluídos tóxicos e tbm pensamentos e sentimentos negativos que insiste em manter.

Abraço.

Gelson Celistre.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Eterna juventude

A consulente teve um ataque de choro sem motivo, foi domir, e acordou doente, sem condições de ir trabalhar, sem forças e com dores por todo o corpo. Fato semelhante ocorreu com uma irmã dela ao mesmo tempo. Este tipo de problema está ligado à mediunidade, neste caso agravado por uma situação que a consulente estava vivendo em desdobramento inconsciente.

Logo que sintonizou com a consulente, a médium a viu envolta em algo escuro, como se fosse um saco com transparência fumê, um tipo de placenta artificial. Logo que viu isso, dois espíritos se aproximaram da médium desdobrada, um de cada lado, e puseram as mãos em seus ombros, fazenda-a se sentir mal e tremer muito (fisicamente). No astral a médium caiu e estava tendo convulsões, mas conseguiu se desdobrar em outra frequência, como sacerdotisa, e se recuperou, paralisando os dois espíritos.

Logo em seguida voltou a ver o local onde estava a consulente e percebeu então que assim como ela, haviam ali dezenas de outras mulheres dentro dessas placentas artificiais penduradas, como se fosse um depósito de um frigorífico. Algum ser invadiu a mente da médium dizendo-lhe para se afastar dali, para ficar quieta.

Nesse momento ela se desdobrou em outra frequência e se viu correndo numa floresta (desdobramento supraconsciente), como se estivesse atrás de alguém ou procurando alguma coisa. Estava com a aparência de uma guerreira indígena. Ela chegou em uma clareira e viu refletida a imagem do local onde estavam as placentas penduradas. Nesse local havia várias bruxas que preparavam um ritual de sacrifício que envolvia uma criança, sobrinha de uma delas.

A prática de rituais de bruxaria acaba abrindo frequências de vidas
passadas onde as participantes eram bruxas e isso atrai bruxas que ainda
praticam a magia negra no astral, e que se ligam a essas pessoas, aparecendo
muitas vezes para elas como algum ser que elas cultuam ou acreditam que seja do bem.
Essas bruxas são todas encarnadas, com exceção de uma, que era a líder do coven. A criança sacrificada tbm é encarnada. Na realidade a bruxa líder estava recriando no astral, um ritual que elas faziam quando estavam todas encarnadas, em uma outra época, e participavam desse tipo de bruxaria. A finalidade de tal ritual, era manterem-se sempre jovens e lindas... A busca pela eterna juventude!

A bruxa líder encontrou suas antigas companheiras, agora encarnadas, e as desdobrou naquela antiga frequência, convencendo-as de que ficariam eternamente jovens se elas "sacrificassem" a criança, como faziam quando eram bruxas encarnadas, em uma outra época. Claro que a criança não poderia ser morta no astral e o que aconteceria com ela é que seria vampirizada e teria suas energias sugadas pela velha bruxa, podendo até mesmo vir a falecer em corpo físico.

Entretanto, a bruxa líder as enganou e enquanto elas se viam ao redor de um caldeirão na floresta na verdade estavam num outro local, armazenadas em placentas, como se fossem "fetos adultos". As dores que a consulente sentia eram por conta de seu corpo estar encolhido e pela perda de suas energias na placenta artificial criada pela velha bruxa.

Pedi a médium que incoporasse a velha bruxa para que eu pudesse conversar com ela, que era arrogante e me ameaçou caso eu não fosse embora. Disse a ela que apagaria a mente das outras e as mandaria de volta a seus corpos e ela "invocou" milhares de morcegos que voaram em minha direção (eu estava desdobrado lá na tal floresta) e surgiram muitas serpentes pelo chão ao meu redor, bem como aranhas e sapos. Criei um tipo de saco e recolhi os bichos todos nele.

A bruxa jogou um tipo de pó em minha direção, mas soprei de volta pra ela, que ficou com o rosto deformado ao ser atingida pelo tal pó. Seu rosto envelheceu repentinamente, ficando todo enrugado, os olhos profundos e negros, sem a parte branca das órbitas, e ela enlouquecida correu em minha direção ostentando grandes unhas negras, que tencionava cravar em mim. Eu a paralisei e coloquei no saco junto com os bichos que ela havia feito surgir ali.

Com a roupagem fluídica de uma índia guerreira, a médium cortou (usando uma machadinha) as ligações fluídicas entre as outras bruxas (encarnadas desdobradas) e a criança que seria sacrificada no tal caldeirão . Esse caldeirão era o elo magnético-vibratório entre todas as bruxas e a criança, que teve sua mente apagada e adormeceu, retornando ao seu corpo físico.

Ainda como índia, a médium voltou ao local onde estavam as placentas e com sua machadinha rasgou aqueles "sacos gestacionais" e libertou as mulheres. Elas caíram no chão juntamente com um líquido escuro e fétido que havia nesses sacos. Nesse momento os corpos das bruxas que estavam ao redor do caldeirão se "acoplaram". Na realidade o que havia nos sacos era o duplo etérico das mulheres, seu corpo energético, mantido ali por uma magia negra muito especializada.

A médium passa umas folhas no corpo das mulheres, fazendo um tipo de limpeza, coloca elas uma ao lado da outra enfileiradas e bate com um dos pés no chão, ao que as mulheres começam a adormecer e a flutuar lentamente de volta aos seus corpos físicos.

Juntamos aquelas placentas todas e queimamos. Os dois espíritos que surgiram no início e estavam paralisados ali foram levados a um local onde um guardião de nossa equipe veio buscá-los. A médium bate no chão com um dos pés novamente e surge uma fumaça sobre todo o local, que em seguida desceu e o local desapareceu.

A eterna juventude é um argumento tentador para as mulheres, some-se a isso um passado onde foram bruxas e matavam crianças para beber seu sangue com a finalidade de permanecerem jovens, e temos então um cenário perfeito para uma velha bruxa se manter sempre jovem na dimensão astral, tendo em vista, que os seres que evitam a reencarnação por longos períodos através de métodos anti-éticos, sofrem a ação degenerativa do magnetismo do planeta e a maneira de permanecer no astral sem precisar reencarnar é sugando as energias vitais dos encarnados.

Abraço.

Gelson Celistre.

sábado, 2 de julho de 2011

O desdobramento inconsciente

A técnica apométrica demonstrou a possibilidade de que nossa consciência pode se dividir e atuar em mais de uma dimensão simultaneamente. O interessante é que, apesar de isso ocorrer com todos nós em algum ou em vários momentos de nossa vida, não temos consciência nenhuma disso. Vc pode estar "desdobrado" na dimensão astral no exato momento em que lê este texto sem ter a menor idéia disso e tbm sem nenhum controle "consciente" sobre o que está fazendo no astral. Mesmo assim, o que fazemos no astral em "desdobramento inconsciente" acaba nos afetando aqui no plano físico de várias formas, nos causando desde perturbações psicológicas e emocionais até sérios problemas de saúde.

Allan Kardec quando codificou o espiritismo já observou que saímos do corpo físico em espírito durante o sono e o Dr. Lacerda nos mostrou que tbm podemos sair em espírito do corpo, mesmo estando conscientes nele, ou seja, em estado de vigília.

Saímos em corpo astral quando nosso corpo físico repousa, durante
o sono, mas isso tbm ocorre quando estamos acordados, em estado de vigília.
Já nos deparamos com inúmeros casos onde as atividades dos consulentes em desdobramento inconsciente estavam interferindo em suas vidas aqui na dimensão física e este relato tem a ver com um desses casos, particularmente interessante pq no estado de desdobramento inconsciente o consulente tinha consciência de estar "encarnado", isto é, lá na dimensão astral ele sabia que tinha uma vida aqui no plano físico. No caso podemos dizer que se trata de "desdobramento inconsciente" sob o ponto de vista de nossa dimensão para a astral pq se fosse de lá para cá seria um desdobramento consciente.

Os problemas relatados pelo consulente eram os seguintes: andava deprimido, a vida desmoronando, e afirmava que quando procura ajuda espiritual "...parece que o caos vem ainda maior... há uma semana atrás estive em um centro kardecista buscando ajuda, no outro dia conheci uma louca que com certeza estava possuída e amputou parte do meu dedo com os dentes... tudo que tento fazer dá errado, não consigo emprego...". O consulente frequentou durante muito tempo terreiros de culto de nação.

Esses dados são importantes para avaliarmos o caso de um modo geral e para demonstrarmos a questão do desdobramento a que nos propomos. No momento da consulta, quando eu disse a ele que iríamos ver o que ele andava fazendo desdobrado no astral ele ficou extremamente nervoso, tremia muito, como se uma parte dele tivesse medo do que iríamos descobrir. Entretanto, isso era a nível inconsciente pois conscientemente ele não tinha conhecimento do que poderia estar fazendo em desdobramento.

As energias que o circundavam eram densas, nos deparamos com uma quantidade enorme de espíritos na casa dele, muito sangue, entidades trevosas com laboratórios, etc., mas o mais interessante foi nos depararmos com o consulente desdobrado como um pai-de-santo no astral.

Ele vivia numa caverna ambientada como um terreiro, sentado em um trono, com vários espíritos ali para lhe servir. Gostava de se exibir para eles e mostrar seu "poder". Fiz ele incorporar numa das médiuns e conversamos. Pedi ao consulente que conversasse com ele mesmo tbm, para que ele pudesse se conhecer melhor, tentar entender seus próprios processos emocionais e mentais.

O consulente na personalidade incorporada não queria ter uma vida no plano físico, ele simplesmente abominava sua encarnação e preferiria estar somente morto. Ele mesmo se prejudicava na vida física para ver se isso o levaria à morte, inclusive por suicídio. O episódio relatado pelo consulente onde uma mulher aparentemente possuída lhe mordeu o dedo a ponto de arrancar um pedaço foi protagonizado por ele mesmo em desdobramento.

Para demonstrar aos outros espíritos seu "poder" ele fez a tal mulher, que estava alcoolizada, atacar ele mesmo aqui no plano físico para "tirar sangue" dele mesmo. É um caso onde o espírito não queria ter renascido, estava vivendo numa região umbralina onde detinha algum poder e não queria ter saído de lá, um caso de reencarnação compulsória. 


O que pudemos fazer foi resgatar os espíritos ligados aos seres trevosos dos laboratórios, recolher os espíritos que estavam na casa do consulente e em sua caverna no astral, assim como destruí-la. O apagamento da memória nesses casos não surte muito efeito pq a pessoa está com um grau de consciência maior no astral e age com conhecimento suficiente para gerar um karma que impede que ela receba o benefício do esquecimento em 100%, ou seja, não podemos mudar o sentimento que ele tem de não querer ter renascido e nem evitar que ele aja contra sua própria vida como encarnado, pois em última análise, é a vontade dele, é o que ele quer. Mesmo assim apagamos o que deu e talvez o que ocorreu provoque uma mudança nos sentimentos do consulente em relação a sua vida.

Interessante tbm que durante vários dias depois da consulta o consulente tentou atacar uma das médiuns do grupo em desdobramento e no astral ele tbm enterrou um feitiço no meu quintal, o que demonstra que intimamente ele não aceitou termos lhe tirado sua "segunda vida" e queria vingança.

Esse caso é interessante pq o grau de consciência do consulente enquanto desdobrado era muito grande, tanto que ele tinha consciência de ter uma vida aqui no plano físico e queria acabar com ela pois a vida que ele tinha no astral era mais interessante. Enquanto aqui ele era apenas mais uma pessoa lutando pela sobrevivência, sem emprego e sem sorte no amor, lá ele era o cara, era importante e poderoso. Por outro lado, ele aqui não tinha a menor idéia do que ele fazia desdobrado e nem de como ele era lá.

Geralmente em casos de desdobramento inconsciente a personalidade desdobrada não sabe que já reencarnou ou está num estado de confusão mental. Pode ocorrer, por exemplo, de algum ser que conviveu conosco em uma vida passada, e que era nosso inimigo, nos encontrar e ficar próximo a nós nos obsidiando. Quando nos desdobramos e nos encontramos com ele assumimos inconscientemente, meio que de modo automático, a personalidade que tínhamos naquela vida, devido à própria energia do obsessor e das lembranças que ele desperta em nós.

Nesse tipo de caso, que é o mais comum, quando estamos nesse desdobramento inconsciente é como se esquecêssemos momentaneamente que estamos encarnados e temos outra vida aqui, as personalidades não se comunicam entre si. O tratamento nestes casos é simples, basta apagar a memória daquela personalidade e ordenar o reacoplamenteo ao corpo físico.

Abraço.

Gelson Celistre.