quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Organização do mal

Em nossa última reunião nos deparamos com um ser em forma de aranha tecendo uma teia sobre o grupo. Retiramos os fios e fizemos ele assumir uma forma humana. Era um mago e usava uma roupa com capuz cobrindo-lhe a cabeça. Através da psicofonia de uma das médiuns dialogamos com a criatura. Ele iniciou reclamando que eu me 'metia' em tudo, que 'atirava pra todos os lados', e disse que eu devia ter um objetivo. Disse-lhe que meu objetivo era ajudar as pessoas e ele retrucou que eu deveria me concentrar nesses 'pobres coitados' que andam vagando por ai, que não são 'organizados'.
Perguntei o motivo dele se preocupar com isso e ele disse que sempre que eles fazem uma 'reunião' tem um ou dois 'dos dele' que foram retirados de lá por mim. Falou que eles eram organizados e que não queriam ajuda, tampouco interferência em seus assuntos. O tal mago então me propôs um acordo, onde eu deveria 'não interferir' na 'organização' que ele representava e eles não nos atacariam. Diante de nossa negativa, após as ameaças de sempre, de atacar nossos familiares e conhecidos entre outras, ele saiu em disparada pq um dos médiuns localizou a 'base' deles.
Antes de sair inclusive deu uma bofetada no médium (no astral). Quando chegamos no local junto com a equipe espiritual, em questão de segundos, já estava tudo vazio. A base desses seres era um grande pavilhão com muitas portas de cada lado da construção, assemelhando-se até a um imenso corredor. Essas portas na verdade eram 'portais interdimensionais' ligados diretamente a locais aqui no plano físico onde esses seres trevosos atuavam, havia portas que davam em centros espiritas, igrejas, escolas, hospitais, em residências, etc.
Uma das médiuns percebeu a existência de uma sala 'blindada', onde os outros companheiros do tal mago (a cúpula da organização) estavam, juntamente com ele, escondidos. Aproveitamos que estavam todos reunidos ali e 'levantamos' a sala inteira com eles dentro. Encontramos tbm uma espécie de 'sala de controle' com uma tela tipo de computador com mapas e esquemas de localização dos portais interdimensionais. Nossa equipe nos orientou a não destruir este local pois eles iriam utilzar essa base na luta contra outras organizações maléficas.
Abraço.

Gelson Celistre

domingo, 13 de setembro de 2009

Paixão e loucura

Numa das reuniões mensais que reservamos para estudo e atendimento interno do grupo, manifestou-se um ser que havia morrido já idoso de tuberculose, abandonado pela mulher (uma das médiuns) em um hospital. Queria saber pq ela o deixou quando estava doente, sentia-se amargurado, além de estar ainda em péssimo estado de saúde, respirando com dificuldade inclusive. Enquanto o tratávamos energeticamente, incorporou uma mulher em outra médium, falando com o espírito tuberculoso algo do tipo 'bem feito'. Essa mulher gaguejava e estava com perturbação mental.
A situação foi a seguinte: o homem estava noivo dessa mulher e se apaixonou por outra (a nossa médium) tendo terminado seu relacionamento com a noiva. Esta já havia comprado inclusive o vestido de noiva e quando o noivo cancelou tudo ela enlouqueceu. Vestiu-se de noiva e foi para igreja esperá-lo. Foi internada num hospício e morreu louca, no mesmo estado em que se apresentava para nós.
O seu ex-noivo teve uma vida normal com a nova mulher que escolheu (nossa médium) mas no fim da vida contraiu tuberculose que, naquela época, não tinha cura, tendo sua mulher sido obrigada a deixa-lo internado para não se contagiar tbm.
A ex-noiva ainda estava dementada e conversando com ela induzimos uma regressão à vida anterior aquela, onde ela assumiu a personalidade dessa outra vida e teve algumas 'revelações' sobre seu destino. Ela foi mãe do homem que fora seu noivo e, tendo este se apaixonado e engravidado um moça que ela desaprovava para ser sua nora (a nossa médium), mandou que efetuassem um aborto nela, 'na marra', e depois ainda lhe injetaram um ácido no útero para que ela nunca mais tivesse filhos (a médium que fora essa moça sentiu uma forte dor/queimação em seus ovários nesse momento). Não bastasse isso ainda mandou cortar a língua da moça para que ela não contasse isso para ninguém.
Ela entendeu então pq foi abandonada pelo homem que amava e tbm pq motivo tinha nascido 'gaga' naquela encarnação.
Em casos onde o espírito em sua última encarnação estava demente, quando efetuamos a regressão o deixamos com aquela personalidade, a fim de facilitar sua recuperação. É um caso bem direto de ação e reação, causa e efeito.
Abraços.

Gelson Celistre

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Dificuldade nos relacionamentos amorosos

     Esta consulente nos procurou pq queria entender algumas situações de sua vida, algumas até comuns a muita gente, como 'dificuldade nos relacionamentos amorosos', que não dão certo, estão indo bem e do nada terminam, etc. A consulente possui sensibilidade mediúnica e está se 'desenvolvendo' numa casa de Umbanda que, segundo nos afirmou, é de 'umbanda branca', ou seja, não utiliza sangue em seus rituais e nem faz trabalhos para o mal.


     Um dos obsessores que a acompanhavam era um espírito feminino, que em outra existência fora sua 'mãe-de-santo' no candomblé, sendo que na ocasião ela depois te ter feito todos os 'assentamentos', deu-lhe as costas e foi trabalhar com uma outra mãe-de-santo que não era do candomblé e sim da umbanda.   
   Esse ser provocava os rompimentos dos relacionamentos atuais da consulente. Não bastasse isso a consulente levou ainda o filho da tal mãe-de-santo, que era seu namorado. Durante a 'doutrinação' veio à tona que essa mãe abusava sexualmente do filho, que além de seu filho natural era tbm seu filho-de-santo. Um irmão dele saiu de casa na adolescência por perceber o tipo de relação incestuosa da sua mãe com o irmão.
     A outra mãe-de-santo, a da umbanda, tbm estava junto tentando proteger sua 'filha', apesar de ser um espírito com boa intenção, tbm precisava de auxilio. Antes de ser levada por nossa equipe ela disse que no local onde a 'filha' ta desenvolvendo agora eles não sabem identificar as entidades, se são guias de verdade ou mistificadores, e que se ela 'deixasse', sua filha acabaria recebendo algum obsessor que se faria passar por guia.
     Além das 'mães-de-santo' dela de outra vida estava junto tbm o ex-namorado, filho de uma delas, revoltado com a mãe pq naquela vida, tendo perdido o 'filho-amante' e uma das 'filhas' de santo, ela fez um feitiço que acabou provocando o desencarne prematuro da consulente. Fizemos ele ver que em uma vida anterior eles foram casados, e que ele a abandonou com um filho pequeno, sendo que alguns anos mais tarde retornou, matou ela a machadadas e vendeu a criança como escravo, esse filho inclusive era o seu irmão que saira de casa na adolescência, e que já o havia perdoado.
     Apareceu ainda uma criança chorando, que fora filha da consulente em uma outra existência. Disse que apanhava muito do pai e que ele tbm batia em sua mãe, que era a consulente, e que ele costumava enfiar a cabeça de sua mãe na água até ela quase se afogar, várias vezes, como forma de punição por alguma desobediência. Sua mãe tinha um amante e ele descobriu, tendo matado o tal homem e a surrado. Ela pensou que fora essa filha que a tinha denunciado e a matou.
     O pai dessa criança, o ex-marido, acabou aparecendo tbm para reclamar suas 'posses' e dialogando com ele, descobrimos que atualmente no astral trabalhava para dois outros seres, 'educando' os espíritos que eles mantinham como serviçais e prisioneiros. Claro que logo adentramos no local e libertamos todos. Os dois 'chefes' dele ao perceberam a movimentação entraram nas celas para se fazer passar por escravos tbm mas quando eu mandei ele pensar nos seus chefes eles foram identificados pela equipe. Um deles, o mais revoltado, incorporou e começou a tentar nos intimidar. Tinha uma aparência um tanto monstruosa, maior que um ser humano, mas quando o fizemos 'assumir' sua verdadeira aparência, ele se mostrou como um anão.
    Conversando com o ser, se desdobrou à visão dos médiuns duas vidas consecutivas desse ser, as últimas, nas quais ele fora anão. Na última era anão de circo e na anterior era um bobo-da-corte. Essas vidas tinham gerado uma revolta muito grande neste espírito por ser motivo de chacota e inclusive por ter sido muito maltratado na ultima vida, no circo, pelo dono. Dessa última existência ela trazia uma cicatriz no lado esquedo do rosto, devido à uma mordida de um leão, pois o dono do circo enfiava a cabeça dele dentro da jaula do leão para amedontrá-lo e torturá-lo e numa dessas o animal lhe cordeu a face. Interessante que antes de o médium nos revelar esse fato estávamos sentindo em nossa face a dor que ele sentia.
     Investigando as causas, descobrimos que em vida anterior a essas o tal anão era uma pessoa muito cruel e que se comprazia em decepar as pernas das pessoas na altura dos joelhos e que fez isso com muita gente, iclusive com uma pessoa que, reencarnada, veio a ser o dono do circo que tanto o detestava. Foram resgatados ainda 12 seres que o anão havia cortado a perna e inclusive a trupe do circo onde ele trabalhava veio buscá-lo ois ele preferia continuar vivendo naquela região trevosa. No final todos os necessitados foram socorridos.

     Por trás de uma situação aparentemente simples e comum como costumam ser as 'dificuldades nos relacionamentos amorosos', se desdobrou uma teia interligando vários seres em diferentes graus de sofrimento, alguns apenas sofrendo, outros fazendo tbm outros sofrerem, mas todos com um ponto em comum, que era a consulente. Devido a ter sensibilidade mediúnica, logicamente devido ao seu comprometimento de vidas passadas, ela acabava trazendo todos para a sua vida, inconscientemente é claro, mas nem por isso deixando de sofrer as influências.


Gelson Celistre

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Sequela cármica

Atendimento de uma moça com úlcera em um dos olhos (está tratando com a medicina convencional) e com fortes dores de cabeça. Logo que os sensitivos sintonizaram com ela captaram cenas de vidas passadas dela.
Uma das médiuns a viu torturando pessoas. Ela pingava nos olhos das pessoas cera de vela quente, acendia uma vela sobre o rosto da pessoa, abria-lhe as pálpebras e pingava em seus globos oculares a parafina que derretia da vela. Outra médium captou a vida seguinte a essa, tendo ela nascido cega e com debilidade mental.
A úlcera que apresenta no olho atualmente é uma sequela cármica, provocada por ressonância vibratória com uma vida anterior. Daquela existência infeliz onde ela praticava estes atos insanos, uma grande quantidade de seres jazia ainda em suas celas, aprisionados e vivendo em constante sofrimento. Libertamos este 'bolsão' de espíritos sofredores e logo outro médium escutava um ser com um machado proferindo impropérios contra nós. Promovida a incorporação em outra médium, o ser afirmava que não a deixaria escapar, pq só faltara ela para ele terminar o 'serviço'. Afirmou que queimara várias bruxas como ela e que costumavam abrir a cabeça delas com um machado pq, segundo lhes diziam os inquisidores, por dentro a cabeça das bruxas era diferente.As dores de cabeça que ela sentia eram do machado de seu algoz constantemente lhe partindo o crânio.
Conversamos com este ser o convencemos a procurar uma outra atividade. Era mais ignorante do que mau, continuou a fazer no astral o que sabia fazer quando encarnado e que achava que era o certo, visto ser pessoa sem muitas luzes intelectuais e oriundo de uma época onde a palavra do clero era incontestável.
Esta consulente havia sido atendida em outro local com apometria tbm, infelizmente em um local que está dominado por entidades trevosas, devido à conotação 'mercantilista' do local e da falta de propósitos mais nobres, sem falar é claro da falta de estudo e entendimento não só da apometria mas como do espiritismo e do intercâmbio mediúnico em geral.
Quando ela foi atendida naquele local, os mentores 'trevosos' do grupo que lá atua promoveram uma pequena melhora na úlcera da consulente, a fim de a aliciarem por gratidão, pois a mesma tem comprometimento pretérito com a magia negra e eles pretendiam utilizá-la como mais uma 'bateria viva' para seus propósitos maléficos. Nem bem a consulente saiu já estava ali a proprietária encarnada do local, desdobrada, revoltada por estarmos 'interferindo' em seus trabalhos e pq 'falamos mal' do seu grupo, em alusão ao fato de termos esclarecido a consulente de que o local se encontrava sob influência maligna.
Com a retirada do bolsão de sofredores é provável que com o tratamento convencional ela se cure do problema e este não mais retorne, dependendo é claro das atitudes que a consulente vier a tomar em sua atual existência pois para que ocorra esta 'sintonia' com uma vida passada e a consequente 'ressonância', é preciso que haja uma frequência harmônica na atual encarnação, ou seja, que e sua psiquê ainda residam os sentimentos que a fazim agir com desprezo pela vida alheia, mesmo que em menor grau.
Abraços.

GELSON CELISTRE