domingo, 26 de agosto de 2012

A eterna juventude

     O desejo de ser eternamente jovem e bela parece ter sido partilhado por quase todas as mulheres em todas as épocas. Na atualidade as mulheres recorrem a cirurgias plásticas e implantes mas em outras épocas recorriam à magia negra e pactos com o diabo.



     Vimos no post anterior que a consulente teve uma existência trágica em função de seu descontrole emocional e nas existências seguintes essa situação se agravou. A vida seguinte da consulente foi onde hoje é a Inglaterra.
     
     Bretanha, Ano 82 DC

          Uma mulher muito bonita, com a pela clara e os cabelos negros, estava nua numa sala com vários homens, tbm nus. Os homens estavam num estado de transe, como que hipnotizados, e ela fez sexo, um a um, com todos eles.  Após o coito os homens ficavam extremamente desvitalizados e a mulher ao contrário sentia-se rejuvenescida, pois ela retirava deles muito mais energia do que eles desprenderiam normalmente durante uma relação sexual.
     A consulente naquela existência era uma feiticeira, uma vampira sexual, que aprendeu a extrair e absorver a energia sexual dos homens para permanecer sempre jovem e bela. Ela mantinha um plantel de homens presos por vários anos, sendo que quando algum morria desviatalizado ela o substituía por outro. Eram algumas dezenas de homens.
     Na dimensão astral, atualmente, a consulente ainda mantinha essa frequência aberta e a encontramos como antes, nua e se relacionando com dezenas de homens. Havia um grupo de 58 homens com os quais ela fazia sexo no astral vampirizando-lhes as energias sexuais. Desse grupo, 40 eram espíritos desencarnados e 18 eram homens encarnados que estavam desdobrados assim como ela, provavelmente pessoas próximas dela na vida atual.
     Resgatamos os desencarnados e os encarnados foram reacoplados a seus corpos, com a mente apagada, bem como a consulente, que relutou muito em sair dessa frequência e atacou a equipe espiritual, transfigurando sua aparência, ostentando presas aparentes, como se vê nos filmes de vampiros.
     Durante um período de aproximadamente 700 anos, após essa existência na Bretanha, a consulente teve poucas passagens na dimensão física e todas foram muito parecidas com essa, onde ela tinha uma preocupação excessiva com a aparência corporal e onde utilizou o vampirismo sexual para prolongar sua juventude e beleza. Nessas vidas inclusive ela teve sempre a mesma aparência física.
     No ano de 713 DC quando ela morreu aqui em uma dessas vidas, no astral foi feita uma intervenção na mente dela por espíritos superiores, para que não voltasse a renascer e repetir as mesmas atitudes.
    Entretanto, parece que esses sentimentos afloraram do inconsciente da consulente, talvez pela abertura da outra frequência na Roma Antiga, e na dimensão astral ela voltou a praticar o vampirismo sexual. O tratamento nestes casos é fecharmos a frequência, apagando da mente da pessoa a lembrança daquela existência, mas se esses sentimentos e desejos ainda forem fortes nela provavelmente vai abrir outras semelhantes.
     A sociedade através dos meios de comunicação de massa, como a televisão, revistas, músicas, cinema, etc., promove um verdadeiro culto à juventude e beleza, principalmente a feminina, tornando o corpo da mulher uma mercadoria, um objeto de desejo, com valor monetário. A mídia explora o sexo através de telenovelas, filmes, shows, etc.
     A distorção de valores é tão grande que as próprias mulheres acabam se vendo como um objeto cujo valor está associado à forma de seu corpo, vivendo uma preocupação constante com seu peso, em intermináveis dietas, academia, cremes e remédios para emagrecer, alimentando uma indústria bilionária, que lucra tanto com as vendas de produtos de beleza quanto com a venda de remédios anti-depressivos para as que não conseguem atingir o "padrão" estipulado e estimulado pela mídia.

Abraço.

Gelson Celistre

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Arquepadia

     É muito difícil pensar em termos de eternidade, geralmente nosso referencial é nossa vida material de algumas dezenas de anos. Mesmo quem acredita em reencarnação parece ter dificuldade de entender que a maioria de nossos problemas não vai se resolver nessa encarnação. Traços de personalidade que trazemos de milhares de anos e que ainda estão muito fortes em nós, dificilmente iremos conseguir dominar nessa existência.
     É uma ilusão acreditar que numa vida apenas iremos deixar de ser egoístas, vaidosos, orgulhosos, etc. Somos eternos e o tempo que levamos para nos modificar também é grande e não mudamos em uma ou duas vidas. Somos do jeito que somos há milhares de anos, há dezenas ou centenas de vidas. Nosso karma tbm é distribuído ao longo de várias e às vezes o karma que estamos resgatando em uma vida se originou centenas de anos atrás.
     A consulente que atendemos viveu uma situação que é bastante comum para a idade dela. Jovem, se envolveu com um homem pelo qual sentiu uma forte atração, mas terminou por sentir que ele não gostava dela. Após isso, “depois de quase dois meses chorando pelo termino e me sentindo um lixo com pensamento de morrer estou me esforçando o maximo para seguir minha vida mas não consigo, sinto uma tristeza muito grande em meu peito, uma dor, acordo cansada, acordo varias vezes a noite e sinto dificuldade em dormir. Sinto dor em meu corpo, dor em minha cabeça, cólicas, dores e sentimento que ate então não sentia.”
     O karma que a consulente está resgatando com este homem agora teve origem há cerca de dois mil anos, como veremos a seguir:


     Roma Antiga, Ano 14 DC

     A consulente era uma moça de uma família nobre na Roma Antiga, órfã de mãe e com um pai que lhe fazia todas as vontades. Era orgulhosa e vaidosa e mantinha presos vários homens, escravos, acorrentados uns aos outros pelos pulsos, unicamente para satisfazer sua luxúria e desejo de dominação. Ela se comprazia em poder manter esses homens à sua disposição. Seu pai tinha um cargo político de prestígio e comandava vários soldados.
      A consulente sentiu-se atraída por um deles, um oficial romano, e o tentou seduzir. O jovem entretanto, era casado, tinha um filho, e amava sua esposa. Além disso, conhecedor do caráter da jovem e da situação de escravidão que ela impunha ao grupo de escravos, a desprezava por sua leviandade e lascividade.
     Como não conseguiu seduzir o jovem oficial com seus atributos, ela procurou uma velha bruxa que vivia numa caverna e levou uma peça de roupa e sandálias de couro do tal oficial. A bruxa fez um feitiço misturando o sangue da moça aos objetos, que ela enrolou numa pele de animal e guardou. O feitiço era para que o homem ficasse com a jovem e o pagamento que ela teria que fazer à velha bruxa era lhe entregar seu primogênito, seu primeiro filho com este homem.
     O oficial romano, sem entender o motivo, começou a se sentir atraído pela moça. Em alguns momentos ele sentia raiva de si mesmo por sentir atração pela moça pois ele amava sua esposa. Mas o feitiço da velha bruxa era forte e ele acabou cedendo ao desejo de se relacionar sexualmente com a moça. Ela por sua vez planejou o encontro de tal forma que eles fossem surpreendidos pelo seu pai, que diante do fato obrigou o oficial a desposá-la.
     Quando ele contou a sua esposa o que aconteceu e que ele teria que casar com a moça, ela se suicidou. Para piorar o sofrimento do rapaz, sua esposa estava grávida quando se matou e ele só ficou sabendo depois da morte dela. A moça por sua vez tbm engravidou dele já no primeiro coito e o rapaz viveu um grande dilema, pois sentia remorso pela morte da esposa grávida mas tbm não queria abandonar a moça por ela estar tbm esperando um filho seu.
     Por várias vezes ele pensou em matar essa moça que o desgraçou mas ai lembrava que ela estava grávida dele. Pensou tbm em se matar pois não via mais sentido na vida mas não o fez por conta do filho que estava por nascer. O filho nasceu e a moça não cumpriu sua parte no trato com a velha bruxa, que era lhe entregar seu primeiro filho, e ainda para que ninguém soubesse do ocorrido, mandou matar a velha bruxa.
     No astral a bruxa passou a obsidiar o oficial até ele se matar, pois assim ela se vingaria da moça, e o fez de tal forma, perturbou tanto o rapaz que ele se matou. Depois de morto ela ainda usou o espírito do rapaz para atormentar a moça, pois ela mostrou a ele o que aconteceu e que tudo fora orquestrado pela tal moça. A jovem morreu atormentada pelo espírito do oficial poucos anos depois da morte dele, tendo tbm se suicidado, jogando-se de um penhasco. No astral ela foi escravizada por vários espíritos de homens a quem ela havia aprisionado quando viva e que já haviam morrido, até renascer novamente.
     Essa situação, que chamamos de ressonância de vida passada, começou na vida atual quando ela encontrou esse homem, que é o mesmo espírito pelo qual ela foi obcecada naquela existência há quase dois mil anos. O reencontro dos dois e seu envolvimento abriu essa frequência e fez com que a consulente sintonizasse com aquela vida passada, provocando a sintonia dos envolvidos e seu consequente desdobramento.
     No astral encontramos junto a consulente, além de alguns dos espíritos que ela tinha aprisionado naquela vida e que estavam desencarnados, o oficial (o homem com quem ela se relacionou nesta vida) e sua esposa (atual namorada do tal homem), ambos encarnados, mas tbm o feto que a esposa do oficial abortou, cujo espírito está desencarnado no momento, e tbm a velha bruxa, que estava potencializando de todas as maneiras possíveis a sintonia da moça com essa frequência para fazê-la sofrer. Os desencarnados foram retirados, inclusive a bruxa, e os encarnados enviados de volta ao corpo, depois fechamos a frequência.
      As dores no corpo da consulente eram por conta dela ter sintonizado com essa vida passada e entrado em ressonância, como alguns dos espíritos estavam desencarnados a sintonia com a consulente fez com que ela sentisse as dores deles, em parte provocadas por ela no passado. Sua relação com o tal homem tbm fez aflorar nela os sentimentos da vida passada, onde todos sofreram muito e acabaram se suicidando.
     Além dos fatores kármicos envolvidos, o jovem hoje se sentiu atraído pela consulente pq o feitiço feito há quase dois mil anos ainda estava ativo. Este tipo de fenômeno chamamos de arquepadia, do grego épados (magia) e archaios (antigo), um feitiço/magia feito há muito tempo mas que continua ativo, mesmo o "alvo" da magia tendo já reecarnado várias vezes. Desmanchamos a arquepadia.
     Isto ocorre pq o feitiço é endereçado ao indivíduo, ao espírito, e não ao seu corpo físico unicamente. Como somos seres únicos, imortais, mesmo mudando nossa roupagem material (o corpo físico) nossa energia ainda se mantém inalterada. É por este motivo que espíritos/obssessores nos encontram quando estamos encarnados, mesmo com outra aparência e num outro tempo.
     Essa frequência de vida passada da consulente foi fechada e os sintomas, se não desaparecerem totalmente, devem diminuir consideravelmente. Entretanto, ainda havia outras frequências abertas da consulente, que relatarei no próximo post.


Gelson Celistre

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O fascínio quântico

     Ultimamente tem havido uma verdadeira avalanche de terapias "quânticas", temos apometria quântica, cura quântica, radiestesia quântica, quantum healing, eteriatria quântica, reiki quântico, mesa radiônica quântica, medicina quântica, reprogramação quântica, salto quântico e por aí vai. Mas o que significa esse "quântico" ou "quântica"?
     A primeira coisa que o usuário de alguma dessas terapias vai descobrir é que por ser quântico o tratamento ou iniciação na tal terapia ou sistema quântico é bem mais caro que o convencional. Afinal, dizem esses terapeutas, a terapia quântica é muito mais eficaz. Bem, isso ainda não explica o que vem a ser o quântico, então vamos às suas origens.



     De onde vem o "quântico"

     O cientista Albert Einstein (1879-1955) foi o primeiro físico a utilizar o termo quantum, numa pesquisa sua publicada em 1905 sobre a constante de Planck. E o que seria essa constante de Planck? Max Planck (1858-1947), também físico, publicou um artigo em 1900 onde apresentou uma equação (E=h.f) que acabou revolucionando a física moderna, e tem a ver com a emissão de ondas eletromagnéticas e radiação emitidas por um corpo qualquer. Para nós leigos pode parecer apenas mais uma equação que nem sabemos onde utilizar mas este traballho lhe rendeu o Prêmio Nobel de Física em 1918. A constante de Planck é o "h"da equação, e significa , acreditem ou não, um pacote discreto de energia. O "E" é energia e o "f" é frequência. Está ficando complicado? Tbm acho.
     Na prática ele constatou que as equações da física clássica não explicavam os fenômenos que ele observou em seus experimentos sobre radiação e sobre o comportamento das partículas subatômicas e propôs a tal equação com sua constante para tentar explicar o que descobriu.
     A física quântica estuda os eventos que ocorrem nas camadas atômicas e sub-atômicas, ou seja, entre moléculas, átomos, elétrons, prótons, pósitrons, e outras partículas. O grande astro dessa história é o elétron, que quando aquecido passa de uma órbita para outra órbita distante, sem passar pelas órbitas intermediárias, isto é, se o átomo fosse nosso Sistema Solar, o tal elétron seria o planeta Mercúrio, o mais próximo do Sol (que seria o núcleo do átomo) que de repente desaparece e reaparece ao lado do planeta Netuno, o mais distante do Sol, sem passar por Vênus, Terra, Marte, etc. A questão é como ele fez isso, como desapareceu de um local e reapareceu em outro. Quando está visível o elétron é uma partícula e quando está se movendo é uma onda (eletromagnética).
     Se analisarmos esse detalhe, vamos concluir que o tal elétron estava em dois locais ao mesmo tempo pois enquanto ele estava em sua órbita original tbm estava em algum lugar desconhecido a caminho da outra órbita onde reapareceu do nada. Ele realizou um salto energético ou um salto quântico. E o que isso tem a ver com terapias e com a espiritualidade? Boa pergunta. Alguns físicos observaram a semelhança entre esses eventos e as teorias espiritualistas, como o que chamamos de desdobramento, com a viagem astral, com a imortalidade da alma (o corpo morre - o elétron desaparece - e renasce - o elétron aparece em outro lugar), etc. 
     O físico indiano Amit Goswami, mais recentemente, ficou famoso no mundo todo ao aparecer no filme metido a documentário "Quem somos nós?", fazendo analogias entre os conceitos da física moderna, quântica, e a reencarnação, a vida após a morte, etc. Então, resumidamente, uma terapia quântica, teoricamente, te curaria milagrosamente, te levando da doença à cura instantaneamente. Entretanto, assim como a física quântica não tem a menor idéia de como o elétron desaparece de uma órbita e reaparece em outra, esses terapeutas quânticos tbm não tem a mínima noção de como operar esse milagre de cura em seus pacientes. 
     Uma coisa é ocorrer esse fenômeno com um elétron e outra coisa é fazer desaparecer um tumor cancerígeno (e onde o tumor reapareceria???). Além disso, nossa ciência não sabe onde o elétron vai reaparecer, só sabe fazer ele sumir, mas onde ele vai surgir eles náo sabem. Comparando com a reencarnação seria assim, a gente morre num local numa determinada vida e renasce em outro local em outra vida. O estágio em que a ciência está é o de matar alguém e ficar observando se vai renascer em algum lugar, mas sem ter a menor idéia de onde e nem de que maneira. Some-se a isso tudo que os próprios cientistas descobriram que o estado que o tal elétron vai assumir (particula ou onda) depende de quem o está observando e do modo como o faz, isto é, o observador interfere no objeto que está observando, que só se apresenta de determinada forma pq está sendo observado.
     Entenderam pq as terapias quânticas são mais caras? Não? É simples, é pq além de prometer te curar, prometem que isso vai ocorrer instantaneamente, de uma maneira que nem os próprios terapeutas sabem explicar. Por isso dizem que é quântico, pq não se sabe quase nada sobre isso e nem como funciona (nem os físicos), mas tem o status de ser científico.
     
     O salto quântico

     Foi investigando mais uma dessas modalidades espirituais quânticas, que promete coisas absurdas a quem for iniciado em suas práticas, que nos deparamos com o que vou relatar a seguir. Inicialmente encontramos o ministrante do tal salto com um capacete de onde saíam vários fios/tubos, que estavam ligados a uma máquina semelhante aos aparelhos de raio-X que os dentistas utilizam. Além do criador do tal salto quântico várias outras pessoas iniciadas por ele tbm tinham os tais capacetes na cabeça, só que o criador do tal salto tinha esses fios ligados em todo seu corpo, principalmente nos chacras, onde os fios/tubos eram mais grossos.
   Trata-se de mais um médium fascinado com delírios messiânicos, achando que vai revolucionar o mundo, como vários que já encontramos. Enquanto essas pessoas não se conscientizarem de que possuem mediunidade por um efeito kármico e não por serem mais espiritualizadas ou evoluídas que as demais, enquanto acharem que são escolhidos, missionários, seres intergaláticos que vieram auxiliar a humanidade, etc., serão presas fáceis para espíritos mistificadores e vampirizadores.
     Logo após encontrarmos esse pessoal quântico ligado a essas máquinas, que além de lhes retirar energia ainda lhe incutia imagens e idéias quânticas, de que são especiais, que são seres intergaláticos, que são luz e outras bobagens do tipo, fomos parar num imenso planalto na dimensão astral onde havia milhares de pessoas em estado de transe, todas caminhando lentamente em direção a um abismo.
     Ao chegarem na beira do abismo, abriam os braços como se fossem voar e se atiravam, sumindo na escuridão. Estavam mesmo dando um salto quântico, só que para um imenso abismo nas trevas. No fundo do abismo essas pessoas ficam todas em pé ao redor de um gerador, uma ao lado da outra, interligadas por fios e gerando um campo magnético criado com a própria energia delas, pois são todas pessoas encarnadas que estão lá em desdobramento, e esse campo tbm transmite as imagens que eles enxergam durante a tal iniciação do salto quântico (para o abismo).
     As pessoas presas nesse abismo funcionavam como uma imensa bateria, gerando um campo energético muito forte, devido a estarem todas encarnadas e produzindo ectoplasma. Finalmente vimos o ser que gerencia tudo isso e que criou a tal iniciação do salto quântico através do médium encarnado que ele fascinou. Esse ser tinha a aparência de um homem velho, vestindo uma roupa ao estilo Star Trek, só que prateada, careca e com a pele do rosto enrugada. Na testa do tal velho havia como se fosse gravado na pele a imagem do "olho que tudo vê", que é um olho dentro de um triângulo, e o interessante é que o tal olho parecia ter vida, ele se mexia na testa do velho.
     Esse ser, que tem muitos conhecimentos científicos e de magia, é quem dirige a mente do médium encarnado e quando ele vai iniciar alguém, ele cria as imagens na mente do iniciado, o hipnotiza, desdobra e leva para o local onde ele tem as máquinas parecendo os aparelhos de raio-X, onde implanta mais coisas na mente do iniciado, e depois o leva desdobrado para o planalto das trevas, onde o iniciado então vai dar o seu salto quântico para o abismo.
     Esse ser trabalha com vários terapeutas quânticos no mundo todo e no tal abismo, que na prática era um gerador orgânico onde as células de energia eram as pessoas, havia cerca de um milhão e duzentas mil pessoas, mas elas não ficam o tempo todo desdobradas ali, ficam um tempo, depois voltam para o corpo físico, e mais tarde retornam, para que não sintam muito fisicamente a perda de energia.
     Começamos a cortar a ligação energética que havia entre as pessoas ali no abismo e o velhote percebeu. De imediato ele acionou outros espíritos, que apareceram uniformizados, com uma farda azul, tipo tropa imperial de Star Wars, portando uma arma prateada que viemos a descobrir mais tarde que emitia raios de luz, como se fosse um raio laser.
     Como eles não estavam nos vendo trataram de isolar o perímetro. Lembram do filme dos Caça-Fantasmas? Então, a tropa imperial ali tinha um dispositivo semelhante ao que os caça-fantasmas usavam para prender os fantasmas. Eles jogaram várias caixinhas no chão, que se abriram e emitiram uma energia para o alto, que criou um campo energético ao redor do local. Nesse momento o resto da nossa equipe chegou e iniciou-se uma batalha ali e a tropa imperial foi imobilizada.
     O ser que comandava tudo, o de roupa prateada, é um ET e estava em nosso planeta há pouco tempo. Chegou aqui há cerca de 40 anos e se aliou com alguns seres trevosos locais. Ele se chama Arkedios e veio de um planeta-prisão chamado Kretus, onde estava preso por desenvolver um tipo de arma muito nociva, pois era um cientista, mas algum outro ser o ajudou e ele conseguiu fugir, vindo parar aqui no astral da Terra.

     O fascínio quântico

     Já nos deparamos com dezenas de médiuns e terapeutas fascinados por espíritos das trevas, principalmente nesta linha quântica. Os espíritos fascinaodores atiçam nessas pessoas sua vaidade e lhes incutem idéias de grandeza, fazendo essas pessoas se acharem especias ou escolhidas. Mascaram a vaidade do médium com uma pretensa vontade deste em ajudar o próximo.
     A faculdade mediúnica, seja do tipo (vidência, audiência, incorporação, psicografia, etc.) que for, não é atestado de superioridade moral e nem significa que o médium é mais evoluído espiritualmente que as demais pessoas, ao contrário, 99% dos médiuns possuem mediunidade de prova, ou seja, possuem essa faculdade por efeito kármico e para eles é uma espécie de teste ou provação.
     É muito fácil para os espíritos que estão na dimensão astral criarem imagens para os médiuns, alterar sua própria aparência para se apresentarem como mestres de alguma coisa, ET's, caboclos, médicos, pretos-velhos, santos, etc. Os espíritos verdadeiramente de luz não gostam de ostentação e não perdem seu tempo nem o dos médiuns transmitindo mensagens repetitivas falando de amor e misericórdia, de caridade, etc.; preferem não dizer nomes e nem cargos (mestre disso ou daquilo), não se vestem de maneira chamativa, não bajulam o médium tratando ele como se fosse um escolhido e nem o fazem se sentir especial.


Gelson Celistre

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

O supersoldado

Atualmente, nesta encarnação, o consulente é uma criança e apresenta uma doença de pele, dermatite atópica, onde a pela resseca, coça, forma uma espécie de casca vermelha e depois descama. A mãe relata que consulta regularmente com dermatologista e já fez diversos tipos de tratamento no menino, todos sem sucesso.
   

     Em suas três últimas encarnações o consulente vem fazendo pesquisas com a pele humana e na encarnação anterior a atual ele realizou essas experiências aqui no plano físico tbm.    
     Um agravante da situação do consulente é que ele estava desdobrado na dimensão astral fazendo experimentos com enxerto e implante de pele em seres humanos, num laboratório ligado a um grupo nazista. Em sua encarnação anterior ele foi um cientista nazista e antes mesmo do início da guerra, ele já  fazia experimentos com pele humana, em 1938.
     A finalidade dos experimentos não era apenas transplante ou enxerto de pele, mas sim o desenvolvimento de uma pele mais forte para ser implantada nos soldados alemães, uma pele que fosse resistente a arranhões, cortes, e que suportasse melhor o frio e o calor, etc. Esses experimentos faziam parte de um projeto mais amplo de se criar um supersoldado. Faziam experimentos de mutação genética com pele de cobra e outros répteis para serem usadas em seres humanos.
     Os nazistas efetuaram diversos experimentos com o uso de soros e drogas na tentativa de aumentar a força e resistência dos soldados em batalha, projeto que teve seguimento em outros países após o fim da guerra e especula-se que ainda atualmente.
     O consulente tinha obsessão em efetuar um implante de pele num corpo inteiro e com esse intento ele levou sofrimento e morte a muitas pessoas. Ele queimava o corpo das pessoas vivas para tentar transplantar a pele que retirava de outra pessoa tbm viva. Ele provocava queimaduras com fogo, ácido, abrasão, esfolava com um bisturi, etc. e era totalmente alheio à dor que provocava nas cobaias humanas. Era tão obcecado que passava dias e noites trabalhando.
     Estes experimentos foram feitos em um dos campos de Auschwitz durante a Segunda Guerra Mundial e havia milhares de espíritos a serem resgatados nessa frequência, onde encontramos um grupo de comandantes nazistas ainda em atividade no astral (somente neste campo foram mortos mais de 160.000 pessoas). Embora a guerra tenha terminado aqui no plano físico, na dimensão astral os campos de concentração ainda continuam plasmados e serão necessários ainda vários anos efetuando resgates até conseguirmos eliminá-los completamente e resgatar todos os espíritos envolvidos.
     Um dos fatores que favorecem a existência ainda desses campos no astral é o fato de que a maioria dos nazistas que estão reencarnados se desdobram e voltam a atuar nesses locais no astral, alimentando com sua energia os desencarnados que estão lá, assim como tbm os sentimentos negativos das vítimas do nazismo reencarnadas, que tbm se desdobram, retornam aos campos e perpetuam neles mesmos o sofrimento que tiveram na vida anterior. Sem falar que uma grande parte de espíritos que não conseguiu se desvincular daqueles acontecimentos e reencarnar, continuam ainda no astral sem saber que morreram e ainda presos nos tais campos.
     Quando resgatamos os espíritos desse campo e prendemos os comandantes nazistas, descobrimos entre eles alguns que ainda estão encarnados e que estavam ali em desdobramento. Um deles era o recém capturado húngaro Laszlo Csatary, preso em Budapeste aos 97 anos de idade no dia 18 deste mês. Nesse grupo tbm estavam mais dois nazistas que escaparam e que ainda se encontram foragidos, sendo que um deles vive na Europa e o outro no Canadá. Muitos dos que foram dados como mortos tiveram suas mortes forjadas e continuaram em liberdade, vindo a morrer muito tempo depois de causas naturais sem nunca terem sido descobertos.
     Os nazistas desencarnados que atuavam neste campo de Auschwitz favoreciam seus colegas encarnados, ajudando-os a se manterem incógnitos aqui na Terra, afastando deles pessoas que poderiam suspeitar de seu passado, monitorando as atividades dos caçadores de nazistas, etc.
     Além dessa frequência de sua vida passada o consulente atuava em outro laboratório no astral, onde tbm efetuava experiências dermatológicas. Este outro laboratório era anterior à vida passada do consulente como cientista nazista e lá um dos projetos dele tinha relação com a utilização do "fogo selvagem" (pênfigo) como uma doença epidêmica, de modo a infectar e levar ao óbito uma grande quantidade de pessoas.
     Numa dessas três últimas vidas inclusive o consulente foi acometido por esta doença (pênfigo), já por efeito kármico, mas isso não diminuiu seu ânimo em continuar as pesquisas. Os problemas de pele que ele apresenta nesta encarnação são o início do resgate dele de situações de várias vidas onde fez experimentos dermatológicos muito cruéis em seres humanos.

Abraço.

Gelson Celistre