sábado, 30 de março de 2013

O circo dos horrores

     O consulente relata o seguinte: "... mal consigo sair da cama, eu to numa situação lamentável. Aconteceu uma situação no carnaval em relação a sexo... Eu já to faz umas semanas assim, cada vez pior, eu sinto todos os meus chakras totalmente drenados, eu praticamente não durmo a não sei quanto tempo... Eu tenho sintomas fisicos também (diarreia, rash, emagrecimento,  falta de apetite etc). Eu acredito que não só tenha me passado uma doença fisica, talvez aids, mas também alguma coisa espiritual energética... eu queria saber, eu vou morrer? eu ainda tenho alguma chance de não morrer? Eu também sinto que vou para um lugar ruim, que estou muito negativo, mas muito mesmo. Eu sinto que estou definhando muito rapidamente... Eu tenho certeza absoluta que vou morrer, ja to há varias semanas assim, e essa certeza é absoluta,  eu tenho medo ...".



     Ao sintonizarmos com o consulente começou o espetáculo, surgiu um local escuro, à meia-luz, um picadeiro de circo. No centro do picadeiro há um homem, calça jeans e camisa aberta, parecendo extremamente cansado, esgotado energeticamente. A platéia que o assiste no centro do picadeiro, ocultos nas sombras das arquibancadas, é formada por seres escuros, espíritos das trevas, e irradiam constantemente sobre ele uma energia densa. Eles desejam enfraquecer esse homem tanto física quanto mentalmente, até que ele se num ato de insanidade tire a própria vida. O homem no centro do picadeiro é o consulente.
     Resgatamos o consulente desse circo dos horrores e logo apareceu o mestre de cerimônias. Um homem forte, musculoso, só que com uma cabeça de bode. O cabeça de bode é o homem com o qual o consulente se envolveu sexualmente no carnaval. Apesar de estar encarnado ele é um vampiro sexual e todos que se relacionam com ele acabam aprisionados na dimensão astral, como o consulente, mas sua ação de vampirização energética é tão intensa que pode provocar os sintomas que o consulente descreveu, e pode mesmo levar a pessoa a morte. Esse cabeça de bode procura por escravos sexuais e quando os encontra acabam como o consulente. 
     Prendemos os seres que se ocultavam nas sombras e que eram comparsas desencarnados do cabeça de bode e destruímos o picadeiro. O mestre de cerimônias teve sua mente apagada e foi enviado de volta o corpo. Porém, o circo ainda tinha outras atrações e logo começamos a ver várias jaulas empilhadas umas sobre as outras com pessoas presas nelas e circulando pelo local vários seres com roupas estranhas e o rosto pintado como se fossem palhaços.
     Essas pessoas nas jaulas são os escravos sexuais do cabeça de bode e os palhaços sáo seres que os vigiam. Libertamos esses espíritos, que foram tratados e enviados de volta ao corpo físico, pois sáo pessoas encarnadas que estão lá em desdobramento inconsciente. Os palhaços foram presos e destruímos o resto do circo dos horrores.
     Mas o consulente ainda estava com outra frequência aberta, onde corria nu, parecendo enlouquecido, com os órgãos genitais deformados, como se ele tivesse se auto-mutilado, tentando cortar fora. O consulente está totalmente perturbado, psicótico. Foi recolhido e tratado. 
     O consulente tem sido homossexual em suas últimas encarnações e numa dessas, em 1789, o ano da Revolução Francesa, o encontramos em Paris tendo um tórrido caso de amor com outro jovem. Acontece que este outro jovem está atualmente desencarnado e tendo encontrado o consulente encarnado aqui no físico, o desdobrou para ambos continuarem seu relacionamento sexual no astral. Fechamos essa outra frequência onde o consulente estava desdobrado e prendemos seu amante, que era outro vampiro sexual. Ao ser isolado em uma bolha ele se mostrou com os olhos vermelhos e uma boca enorme cheia de dentes pontiagudos, como a boca de uma piranha.
     Esse local era uma colônia de vampiros e havia vários como esse que estava com o consulente, inclusive o cabeça de bode em outra frequência, tbm com essa boca de piranha e olhos vermelhos. Havia vampiros desses que eram encarnados desdobrados e outros que eram desencarnados. Prendemos os vampiros desencarnados e os encarnados apagamos a mente e mandamos de volta ao corpo, depois de termos feito eles voltarem a ter uma aparência humana.
     Ainda encontramos o consulente preso em outra frequência, amarrado a um tronco e ao seu redor um fauno lhe olhando cobiçosamente, como se estivesse imaginado o que faria com ele. Esse local era uma caverna e nas paredes havia vários buracos onde esse fauno aprisionava espíritos de encarnados desdobrados, de quem ele retirava energia através de relações sexuais. O fauno foi preso e os encarnados resgatados.
     Além disso ainda nos deparamos com um ser que nos levou a um local onde havia uma montanha próxima a uma praia onde vagavam vários espíritos como se estivessem drogados, em transe, e do alto da montanha este ser os controlava. Ele tentou nos atacar pq o consulente era um dos espíritos que ele dominava e ficou revoltado por termos fechado as frequências onde o encontramos. Foi preso e as pessoas, provavelmente usuários de drogas aqui no físico, enviadas de volta ao corpo.
     Na encarnação anterior a atual o consulente tbm foi homossexual e acabou sendo seminarista. Entretanto, não chegou a ser ordenado padre pq foi pego fazendo sexo com outro seminarista e ambos foram expulsos do seminário. Viveram alguns anos muito conturbados, perseguidos pela culpa e vergonha, até que o consulente não resistiu à pressão e se suicidou. Isso foi em 1927. 
     O consulente é um espírito que tem sido escravo da sexualidade há várias existências, provavelmente tendo se iniciado nisso através de cultos pagãos de fertilidade e depois "evoluindo" para rituais sexuais, orgias e sacrifícios humanos em magia negra. Seu maior problema atualmente, karmicamente, é aprender a controlar seus impulsos sexuais. Não se trata de ser ou não homossexual, mas de ter uma vida sexual saudável, sem exageros. Tudo aquilo que nos domina e vira um vício é prejudicial, causa um desequilíbrio em nossa vida e nos traz sofrimento.

Abraço.

Gelson Celistre

      

quinta-feira, 21 de março de 2013

Mediunidade


     Atendimento de uma mulher a pedido do marido que, conforme nos disse: “Há um grupo de apometria em minha cidade..., mas aparentemente as 'entidades' más que acompanham minha esposa estão sempre atrapalhando os planos para um atendimento presencial aqui! De acordo com alguns médiuns locais que consultávamos, minha esposa é médium desde criança, mas por algum motivo, em algum momento ainda na infância, ela foi 'ofertada' a alguma(s) entidade(s) trevosa para 'obstruir' esse dom mediúnico que não era compreendido e bem visto pela família! Essas entidades estavam aparentemente 'adormecidas' até ela descobrir que tem dons mediúnicos e começar a tentar desenvolvê-los novamente! Desde então nossas vidas estão arruinando! ... Prestes à perder nossa casa ... Éramos prósperos, mas agora dependemos da ajuda financeira dos poucos amigos que restaram! Os médiuns locais não tem 'força' para lidar com tais entidades! Também não conseguem uma 'aproximação' ou 'visualizar' uma solução para o problema, porque as tais entidades não permitem ou se escondem nas 'trevas'! A apometria foi indicada como possível solução, mas - como escrevi no início - sempre acontece algo de errado e a sessão é adiada!”
O médium que não participa regularmente de um trabalho
espiritual vive sempre rodeado de espíritos sofredores e obsessores
     Logo que sintonizamos com a consulente foi sentido um sentimento de ódio muito grande dela pelo marido, pela intromissão dele na “mediunidade” dela. A consulente logo que percebeu que estávamos sintonizados com ela incorporou numa das médiuns e disse:

- A sessão vai contiunar a ser adiada! Sempre!!! Por todo o sempre!!! E mesmo essa daqui não vai dar certo, não vai ir adiante. O que esse imbecil quer agora??? (referindo-se ao marido).

- Sei lá, respondi, o marido é teu.

- E quem são vcs? O que querem por aqui? Vcs não tem nada com isso então não se intrometam aqui ou vou dar um jeito em vcs, como já dei em todos os outros que tentaram se meter aqui!!! Vão pagar pra ver???

- Que violência.

- Vc ainda não viu nada, continue a me perturbar aqui e aí sim vc vai ver o que é violência!! O que aquele abestalhado tá te pagando pra vc vir aqui se meter comigo?Ele é mesmo um estúpido, idiota, mas eu já estou perto de dar um jeito nele tbm! O dele já está guardado faz tempo! Ele não pede por esperar pq já fiquei sem paciência com todas essas intromissões dele nos meus assuntos! E se vc disser algo pra ele vai se arrepender e muito!

     A consulente lidera na dimensão astral um grupo de bruxos e antes dela reencarnar na vida atual teve seus conhecimentos sobre magia bloqueados por um espírito que queria o bem dela. Entretanto, como nasceu com mediunidade e os pais a levaram em algum centro espírita para “bloquear” isso, no momento em que fizeram esse trabalho de magia no centro abriram essa frequência e os outros bruxos do grupo dela começaram a sentir a energia dela e a reencontraram. Quando ela começou já adulta a tentar desenvolver a mediunidade (de maneira inadequada) esses espíritos bruxos se aproximaram dela e as lembranças dela começaram a voltar. Desde então ela se desdobra e vai “trabalhar” com esse grupo de bruxos no astral.

   Nesse grupo de bruxos houve muitas disputas internas pelo poder e ela venceu a todos, tornando-se a líder do grupo. Estes espíritos andam sempre com ela atualmente, mas não como obsessores e sim como comparsas. Eles andam com ela para protegê-la. Verificamos que a consulente tem passado apenas cerca de quatro horas por dia acoplada em seu corpo físico, sendo que no resto do tempo fica “fora da casinha”, ou seja, desdobrada nessa frequência como bruxa.

     Sempre que o marido tentou agendar alguma consulta espiritual ela desdobrada prendia os médiuns do local e dava um jeito aqui no físico de não poder comparecer, justamente para não ser descoberta agindo no astral nessa frequência. Libertamos vários médiuns que estavam presos no astral por ela e seus comparsas bruxos.

    Numa vida passada a consulente e seu marido já foram casados. Ele era muito rico e ela queria o dinheiro dele. Depois de casados ela contratou uns homens que o prenderam, amarram as pernas dele com um corda e o desceram dentro de um poço seco. Depois Jogaram sete baldes cheios de ratos dentro do tal poço. O homem ainda aguentou oito dias antes de morrer e ser devorado pelos ratos.

     Em outra existência a consulente oficiou milhares de rituais com sacrifícios humanos que envolviam orgias sexuais e canibalismo, onde os espíritos das pessoas mortas eram aprisionados no astral. Efetuamos o resgate de uma grade quantidade de espíritos nessa frequência.

     A consulente na encarnação anterior a esta era um oficial nazista da SS e torturou e matou inclusive colegas de farda, oficiais superiores a ele, para obter um cargo com maior prestígio e poder. Um desses oficiais da SS que ela torturou e ateou fogo ainda vivo é o marido atual dela nesta encarnação. Nessa vida passada inclusive como membros da SS eles trabalharam com o Klaus Barbie, o açougueiro de Lyon.

     Enquanto resgatávamos os espíritos a consulente desdobrada nos atacou junto com seu grupo de bruxos, mas foram todos contidos e presos os bruxos, sendo que a consulente teve essa frequência fechada e foi reacoplada em seu corpo físico.

     A consulente ainda está desdobrada em várias frequências, e em todas ela está ligada a seres das trevas pois em várias vidas ela se envolveu fortemente com magia negra e rituais com sacrifício humano. Tbm foi um médico que fazia experimentos com medicamentos sem o conhecimento dos pacientes e levou muitos deles à morte. Em outra existência foi um serial killer que torturou e matou várias pessoas.

    O grande problema da consulente é a mediunidade, que ela possui de modo ostensivo e que tentaram "bloquear" através de um ritual num centro espírita quando ela era criança. Mediunidade não é dom, é karma, e como karma não é opcional a pessoa fazer uso dela ou não pois a mediunidade vai se manifestar de qualquer modo. Some-se à mediunidade o karma negativo que ela acumulou em várias vidas e o resultado é desastroso para ela como espírito.
     O médium é um imã para os espíritos desencarnados e vai sempre atrair para junto dele espíritos sofredores e obsessores, além dele mesmo estar propenso a se desdobrar e se aliar a antigos comparsas de outras vidas onde fazia o mal. O médium que não participa regularmente de um trabalho espíritual, onde ele se coloque à disposição da espiritualidade para fazer o bem, vai estar sempre rodeado de espíritos e fluídos densos que vão se acumulando e acabam por criar um campo de energias negativas ao seu redor, que pode gerar perturbações psíquicas, emocionais e tbm doenças em seu corpo físico.
Abraço.

Gelson Celistre

terça-feira, 12 de março de 2013

Grupo de cura

     Atendimento relativo a um grupo de cura e apometria além-mar, localizado na Europa. Segundo nos foi informado o grupo faz “curas energéticas” e estão dando os “primeiros passos na apometria”, estudando através de apostilas encontradas na internet. Ainda segundo a pessoa que nos contatou: “Por vezes chega-nos o Dr Lacerda e nos vai dando dicas de cura... e quando é necessário enviar seres mais renitentes para luz indica-nos sempre a utilização da inversão de spin.“
O grupo de cura estava ligado a  um demônio que
se apresentava como a deusa egípcia Sekmet, para o qual
em uma vida passada eles faziam sacrifícios humanos.
     O pedido de atendimento foi feito pq uma médium do grupo estaria sendo “atacada fisicamente” por entidades das trevas, supostamente pq “nos passa informação importante para nosso crescimento energético e espiritual espiritual ela é "atacada" fisicamente por 2 ou 3 seres que não acham piada nenhuma ao que ela nos relata e ensina... Aqui nem a inversão de spin, nem o envio de energia carmim e prata resolve, nem a mentalização da legião de Miguel, etc (pois pensamos que foram de vez e lá aparecem de novo)!”.  
     Inicialmente vou alertar aos espíritas/espiritualistas interessados em auxiliar através de trabalhos espirituais como curas energéticas e utilização da apometria que boa vontade não basta, é preciso ter conhecimento sobre a dimensão espiritual, sobre as leis do karma e como se processa o intercâmbio com a nossa dimensão física.
     É nas obras espíritas onde mais se pode obter informações sobre o mundo espiritual, então quem pretende se aventurar por estas paragens no mínimo deveria ler os livros de Allan Kardec, Ramatis, Chico Xavier, Ranieri, Roger Feraudy, Conde Rochester, Dr. Lacerda e tantos outros escritores que desnudam a realidade extra-física, a maioria deles inclusive disponível gratuitamente na internet. É claro que acabamos lendo muita besteira tbm mas depois de uma boa dose de leituras conseguimos identificar quando o autor não entende realmente do assunto ou apenas repete o que outros já escreveram sobre o tema.
     Sobre apometria especificamente a grande maioria se esquece ou ignora que a força principal utilizada é a energia mental e que portanto a eficácia de um “comando” depende de quem o está emitindo. Um mesmo comando emitido por duas pessoas diferentes terá efeitos diferentes sobre uma mesma criatura, por exemplo, um comando para paralisação de um espírito agressor.
     Não existe uma força inerente ao comando de paralisação em si, não existem palavras mágicas, ou seja, não basta qualquer um ordenar, contar até sete ou estalar os dedos para que o espírito se paralise. A força do comando depende da energia mental de quem está emitindo o comando, sem esquecer que o tal espírito agressor tbm tem energia e vontade, então a força de quem ordena tem que ser maior do que a de quem ele pretende que lhe obedeça.
     É por este motivo que muitos grupos de apometria fracassam, pq fazem cursos com pessoas que desconhecem a realidade na prática e que passam para os alunos em cursos e/ou apostilas que basta emitir o comando de apometria que funciona, o que não é verdade.
     Inicialmente podemos notar que o grupo em questão não tem nenhuma noção da realidade espiritual. Imagine se o Dr. Lacerda vai aparecer para dar “dicas” para qualquer grupo de pessoas que resolva praticar apometria. É um absurdo.
     As pessoas imaginam que qualquer espírito está à disposição delas no momento que precisarem, como se a única finalidade da existência desse espírito fosse ficar à espera de alguém que vai “invocá-lo”, ou então, que o espírito tem super-poderes e consegue ficar monitorando bilhões de pessoas à espera de alguém que precise de seu auxílio para então ele se manifestar espontaneamente.
     Realmente a médium do grupo viu um ser com a aparência do Dr. Lacerda, mas evidente que não era ele; esse espírito era apenas um “laranja”, um espírito que foi colocado ali para iludir e massagear o ego dos integrantes do grupo, e tbm para ocultar outro ser ligado a eles, esse sim um ser realmente das trevas e que influenciava vários grupos de cura como esse e outros similares.
     Esse outro ser foi preso pela nossa equipe espiritual e cortamos sua ligação com vários grupos espalhados por diversos locais no mundo. Várias pessoas desdobradas eram mantidas sob estado de fascinação, acreditando estar em contato com espíritos de luz e “fazendo curas”, quando na verdade estavam apenas doando energia para esse ser das trevas.
     A tal médium não estava sofrendo ataque de nenhum ser das trevas por estar revelando ou ensinando algo de útil ao tal grupo, e sim pq estava desdobrada torturando outras centenas de espíritos. Ela os agredia em desdobramento e quando retornava ao corpo físico sentia os efeitos do que fazia de ruim no astral contra os outros espíritos. Libertamos esses espíritos e fechamos essa frequência.
     Esse grupo de cura tbm já esteve reunido em outra vida, no ano 1217, todos eles, e formavam um grupo de adoração à deusa egípcia Sekmet, onde sacrificavam crianças em rituais macabros, sendo que a tal médium era a líder desse grupo. Agora que se reencontraram ela novamente os estava guiando para o mesmo propósito pois todos eles ainda estavam ligados ao demônio feminino que se apresentava como a deusa egípcia Sekmet. O que acontecia era que os espíritos que eles imaginavam estar “encaminhando” para a luz, na verdade estavam sendo encaminhados para esse demônio, que os mantinha aprisionados. A tal médium fazia com que estes espíritos assumissem a aparência de bebês no astral para ofertá-los ao tal demônio.
     Interessante que quando prendemos o tal demônio numa bolha energética ele modificou sua aparência e a cabeça de leoa passou a se parecer com a de um leão, com um juba feita de fios vivos que ficavam se mexendo e o corpo de um animal mesmo, como um felino de grandes proporções. Devido ao tempo que ficou com a aparência de Sekmet moldada e aos atos demoníacos que vinha cometendo, ele teve sua energia e aparência perispiritual modificadas e provavelmente vai renascer numa classe animal inferior à humana, senão aqui na Terra em outro planeta primitivo.
     O contato com o desconhecido pode ser fascinante mas não está livre de perigos e quem deseja se aventurar por caminhos ocultos deve estar bem preparado.


Gelson Celistre