quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

A intenção

Um dos espíritos que se manifestou em nossa reunião tinha uma história estranha comigo, de uma vida passada. A médium que o recebeu viu uma cena onde esse espírito disparava um revólver na minha cabeça, a bala estourava meus miolos, e ele novamente me encontrava em outra ocasião e repetia o gesto.
Tendo ele incorporado conversamos a fim de descobrir o motivo de sua ira. Segundo nos relatou o espírito, ele era meu 'braço direito' em uma grande empresa, que era de minha propriedade. Estando passando por dificuldades financeiras que julguei insuperáveis, resolvi me matar. Nosso amigo disse que eu,  não tendo coragem de por fim a própria vida, o convenci a me matar, dizendo-lhe que com a minha morte a empresa receberia um seguro e ficaria bem. Ajustado o acordo, ele cumpriu com sua parte, e me deu um tiro na cabeça.
Entretanto, foi descoberto o que ele fez e o infeliz acabou sendo preso. Pelo que ele nos revelou e que constatamos logo em seguida, muitos outros funcionários cometeram suicidio tbm, deixando suas famílias em grandes aflições. Esse nosso amigo disse que havia 'pedido' para nascer 'perto de mim' apenas para ter o prazer de me matar novamente, desta vez por sua própria vontade e não ludibriado por mim. Ainda que, segundo ele, com a minha morte a empresa nada recebeu pois eu inventara essa história de seguro para que ele fizesse o que eu não tinha coragem de fazer. Muitos daqueles que se mataram e suas famílias ainda estavam no 'sítio' da empresa no astral e foram todos resgatados, inclusive esse. Esse espírito sabia que morrera, mas como me encontrava 'vivo' imaginou que tinha reencarnado e por isso tentava me matar novamente. A médium afirmou que haviam nove 'balas' na minha cabeça, dos disparos que ele efetuava a fim de me 'matar'.
Mal esse acabara de sair e já se manifestou outro pela mesma médium, dizendo que 'é muito fácil colocar gente junto de quem é devedor'. Esse ser afiarmava que o trabalho de resgate que eu estava fazendo o incomodava (ele é quem provocara o 'reencontro' daquele outro comigo). Disse a ele que acaba por me fazer um bem pois esses que ele colocava perto de mim eu acabava resgatando. Ele alegou desconhecer alguma vida passada onde nos conheceramos mas respondendo ao meu 'comando', lembrou da uma existência onde ele era um 'cristão', nos primeiros tempos do cristianismo, onde os seguidores do Nazareno eram perseguidos e mortos, dizendo que nessa vida ele foi morto pq eu o traí, delatando-o como cristão.
Ele afirmou que era proprietário de terras e que quando conheceu a 'boa nova' largou tudo para seus irmãos consanguíneos e saiu  a pregar pelas comunidades, durante muitos anos até ser capturado e morto.
Sua decepção começou quando chegou do outro lado. Disse que não encontrou nada do que ele 'acreditava' e que só quem apareceu foi uma entidade 'do outro lado', que foi quem o 'acolheu', segundo suas palavras.
Então o fiz voltar àquele momento e ver que havia lá tbm 'seres de luz', mas que ele não os percebeu. Pedi a ele que perguntasse a um deles pq ele não os via e nem eles o chamaram para junto deles  e então esses seres lhe disseram que ele esperava um 'tratamento especial' por conta do que havia feito. Esperava uma grande recepção em reconhecimento ao seu 'trabalho' de  pregação. A intenção com que se filiara ao movimento cristão foi errônea, não o fez por amor desinteressado, mas por desejar glória e louvores.
Após conversarmos mais algum tempo e de esclarecê-lo sobre alguns pontos em que ele se equivocara na interpretação, ele aceitou conversar com nossa equipe espiritual.
Este ser estava ligado a várias comunidades no astral, mas não era uma região 'cavernosa', eram agrupamentos humanos que dispunham de alguma tecnologia 'avançada'. Uma 'nave' de nosso pessoal foi passando e recolhendo essas comundiades inteiras; todos os seres desses locais foram resgatados.
Esta situação demonstra bem a importância da nossa intenção ao realizar alguma coisa, pois é a intenção que 'qualifica' o ato em termos kármicos.
Abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário