segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Relatório da desconexão do reiki



     Já efetuamos as desconexões do reiki das pessoas que nos solicitaram e não encontramos nenhum mago negro ou algum ser desse nível ligado aos reikianos que desconectamos. Todos estavam sendo vampirizados, mas era por seres de menor gravidade ligados aos mestres que os iniciaram.
     Quem vive desse tipo de atividade atualmente se inicia em vários sistemas holísticos diferentes, não apenas em reiki, e o tipo de seres que se aproximam desse pessoal por consequência é mais eclético.
     Encontramos todo tipo de espírito ligados aos reikianos, mas em sua maioria eram espíritos medíocres e oportunistas, espíritos que se aproveitam da ignorância dos "mestres" para vampirizar seus inciados, mas não era nada elaborado como da primeira leva de desconexões que fizemos, onde os reikianos estavam desdobrados e presos no astral em grupos, parecendo baterias para fornecimento de energia. 
     O tipo de vampirização que encontramos foi o mesmo que ocorre na obsessão, quando um espírito se aproxima muito de um encarnado, com exceção de um caso apenas onde encontramos um grupo de extraterrestres vampirizando de forma mais elaborada um grupo de encarnados, mas à semelhança da situação que encontramos no post Abdução voluntária, essas pessoas desdobradas se ofereciam aos ETs para serem vampirizadas.
     Através de um dos casos também, onde o mestre de reiki também era envolvido com xamanismo e organizava viagens ao Peru, demos uma geral naquela região. Quando os médiuns me relataram a situação, a imagem que me veio a mente foi a do palácio do Jabba, The Hutt, em Tatooine, no Retorno de Jedi (saga Star Wars, episódio VI). Uma salada de fruta com seres de tudo quanto é canto da galáxia.
Como vai gente de vários locais visitar aquela região (Machu Picchu, Vale Sagrado, etc.), com propósitos místicos, com a intenção de se conectar com alguma coisa, já vão predispostas a receber e doar qualquer coisa achando que vai ser bom, tinha espíritos de tudo quanto é espécie, da Terra e da orla exterior da galáxia, só para sugar essa gente. 
     E apesar de ter um grupo de espíritos ancestrais na região, que já sugavam quem dali se aproximava, uma multidão de espíritos acabou sendo atraída para o local devido à abundância de ectoplasma e a facilidade de extração. E não eram espíritos envolvidos com magia e tal, eram coitados, espíritos sem eira nem beira, mendigos do astral atrás de um almoço grátis, e obtinham. Fizemos um resgate grande desse povo e libertamos um bando de fascinados que foi se iniciar no Peru e acabou preso lá em desdobramento, mas não era especificamente por conta da iniciação no reiki, esses eram mais ligados a xamanismo.
     Em resumo, os magos negros não estavam mais ligados ao reiki, apenas espíritos comuns e medíocres em sua maioria, com um potencial danoso bem menor.

Gelson Celistre

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

A louva-deus

    "Eu estou sofrendo com ataques espirituais intensos, estou passando por um processo de vampirização durante o sono onde sou levada a lugares horríveis e sujos e tenho a minha energia sugada. E eu sei que o meu caso é complexo porque eu venho sofrendo uma obsessão que já dura anos e está me prejudicando de tal forma, que não deixa minha vida fluir normalmente... Inclusive esta noite passada eu sofri um desses ataques e acordei hoje pela manhã me sentindo muito mal! Por eu ter uma certa mediunidade, eu sinto a presença constante desses espíritos negativos me rondando. Eu vejo vultos pela casa, inclusive tenho percebido que a energia da casa onde eu moro está muito densa... Eu me sinto vigiada o tempo todo, sinto presenças perto de mim. Eu não sei quem são esses espíritos mas percebo que eles estão me prejudicando bastante. Me sinto enlaçada na egrégora deles, é como se eu tivesse amarrada e querendo me libertar de algo que não sei o que é... Moramos só eu e minha mãe. Ela teve um AVC há 4 anos e eu cuido dela."

A fêmea do louva-deus come a cabeça do macho após o acasalamento.
Ao verificarmos a situação da consulente conforme o relato dela acima, no deparamos com a seguinte situação. A casa onde ela reside estava tomada por espíritos ligados a um terreiro de macumba, e era uma grande quantidade. A energia estava realmente muito densa. Vimos que esses espíritos foram enviados por um homem e sua mãe, que segundo a consulente nos informou depois seria um ex-namorado dela que é feiticeiro. Vimos que em vida passada ela se apaixonou por ela mas foi preterido por outro e então ele se suicidou. A mãe dela naquela vida é a mesma da vida atual e ela naquela vida passada havia ficado com muito ódio da jovem, que ela culpava pela morte do filho,
Segundo a consulente nos informou depois o relacionamento com esse ex-namorado foi muito turbulento, ele violento e possessivo e a agredia, sendo que ela só conseguiu se livrar dele depois de alguns anos, com registro na polícia, sendo que ele acabou preso por alguns meses, mas não aceitou o término e ainda a persegue, tendo inclusive dito na ocasião que "... se vingaria de mim em cima da única pessoa que eu tenho no mundo: a minha mãe. e não demorou muito ela teve esse AVC."
Vimos no atendimento que de fato através de magia negra esse ex-namorado conseguiu provocar esse AVC na mãe da consulente, porque ela tem karma para isso, devido a ter sido bruxa em várias vidas passadas, assim como a consulente. Nós desfizemos todos os feitiços que ele e a mãe fizeram e ainda prendemos os espíritos que trabalhavam com eles no astral, mas o que já passou para o físico devido ao karma dos envolvidos dificilmente vai mudar.
Dentre os muitos espíritos que estavam na casa um deles em vida passada foi marido da consulente. Era um rico fazendeiro com o qual ela se casou, o já conhecido golpe do baú. Depois de casada ela o matou para ficar com seus bens. Mas ela era muito gananciosa e aplicou esse golpe em mais alguns homens, casando e aumentando seus bens, depois matando o parceiro. Além disso ela tinha muita luxúria e quando se encantava com algum homem o tomava como amante, mas tal qual a fêmea do louva-deus que devora a cabeça do macho depois da cópula, quando enjoava do amante ela mandava seus capangas decapitá-lo.
A consulente está resgatando um karma muito difícil, gerado principalmente na vida onde ela era a "louva-deus" e em vidas onde praticou magia negra. Nestes casos é comum a pessoa se achar injustiçada porque nessa vida ela se acha uma pessoa boa e não faz mal a ninguém, mas o karma é um processo que se desenrola no tempo, de uma vida para outra, e mesmo que hoje eu seja um cara legal, isso não vai desfazer todo o mal que eu gerei em vidas passadas. Como diz o espírito Ramatis, a semeadura é livre mas a colheita é obrigatória. Tudo que sai de nós volta para nós, seja bom ou ruim, essa é a lei do karma.

Gelson Celistre

terça-feira, 13 de novembro de 2018

O imediato

     Uma viagem de navio parece evocar alguma coisa nas pessoas que as predispõe ao romance. Talvez a imensidão do mar as faça se sentirem pequenas e solitárias e isso provoque nelas uma necessidade de buscar uma relação. Nossa história começa algumas centenas de anos atrás, num navio que cruzava os mares, e termina nos dias de hoje, com um casal se divorciando.

Imediato: o oficial cuja função vem imediatamente abaixo a do comandante
de um navio, é quem assume o comando da embarcação em caso de incapacidade,
de impedimento ou morte do capitão.
     Esse casal já se conhecia de outra vida, onde o que era para ser um romance na visão de um deles, se tornou uma tragédia. O homem de hoje era o capitão de um navio de passageiros e era muito assediado pelas mulheres, tanto por seu porte elegante quanto por seu cargo de prestígio. A mulher de hoje era seu imediato, era um homem homossexual e era apaixonado pelo capitão, que era heterossexual e nem suspeitava dos sentimentos de seu imediato. O imediato odiava as mulheres, principalmente as de seios voluptuosos, pois eram as preferidas do capitão. 
     Decidido a "proteger" seu amado do assédio, o imediato, que também era um psicopata, passou a sequestrar e matar as mulheres que se interessavam pelo seu capitão. Naquela época não era incomum as pessoas caírem dos navios ou então sumirem em algum porto onde atracavam. Mas o rapaz não as matava simplesmente, ele as agredia e torturava cruelmente, provocando sequelas irreparáveis naquelas que não morriam. O imediato, para manter sua sexualidade oculta dos demais marinheiros, costumava frequentar os bordéis dos portos por onde passavam, mas apenas para descarregar sua raiva e batia nas prostitutas covardemente, apenas porque elas eram mulheres e ele não. Algumas figavam tão desfiguradas que não conseguiam mais trabalhar.
     Mas além disso, o imediato tinha uma mania bizarra surgida por conta da predileção de seu capitão por mulheres com seios voluptuosos: ele cortava fora os mamilos das mulheres que atacava e os guardava num pequeno baú. Durante anos ele cometeu inúmeros crimes que nunca foram descobertos, até que um dia criou coragem e decidiu se declarar ao capitão. O jovem se travestiu com um vestido e se apresentou ao capitão, declarando seu amor eterno, dizendo a ele que não se importava de ser sua "amante" em segredo, desde que ele não procurasse mais mulheres. Não bastasse isso ele ainda mostrou ao capitão um baú com os mamilos das mulheres que ele assassinou, como mostra de seu amor.
     O capitão ficou horrorizado com a cena protagonizada pelo seu imediato e cortou totalmente as esperanças dele de ter algum relacionamento "antinatural" com ele, de maneira bastante enérgica. O imediato não conseguiu aceitar a situação e cometeu suicídio.
     Na vida atual, o casal agora como homem e mulher, se encontrou novamente, se casaram, tiveram uma filha, e o casamento que já estava falido há anos, terminou em divórcio. 
     A mulher recentemente foi operada de um nódulo no seio que surgiu por conta de suas atividades domésticas, mais especificamente o corte de carnes, pois ela trabalha no ramo de alimentação. O nódulo é um resquício energético kármico dos atos dela da vida passada de cortar os mamilos das mulheres e foi por conta da operação para retirada desse nódulo que essa frequência se abriu.  Acabamos resgatando as vítimas do imediato da outra vida, pois muitas ainda estavam ligadas a essa situação, além de outros espíritos ligados às vítimas que queriam vingança e que passaram a obsidiá-la após a operação, pois quando a frequência abriu muitos a encontraram.
     Em muitos casos onde as pessoas pensam estar amando alguém isso não passa de uma obsessão, porque em alguma vida passada queriam e não conseguiram um relacionamento com essa pessoa. É raro encontrarmos situações como essa quando na vida anterior o casal realmente viveu junto, pois a convivência revela como nós somos realmente e isso destrói as ilusões que o outro cria sobre nós. Nesses casos uma vida só basta e geralmente damos graças a Deus pelo "até que a morte os separe", pois não queremos mais encontrar a pessoa em outras vidas.
     Nos casos onde a relação não chega a ocorrer nossa mente se fixa e armazena apenas as ilusões que ela criou sobre o outro e passa a fantasiar como maravilhosa uma relação que nunca ocorreu realmente. Aí numa outra vida você encontra essa pessoa e sua mente traz de volta aquele "amor", e na grande maioria dos casos a pessoa quando acaba se relacionando com essa outra vive em sofrimento, mas acreditando que ela é o grande amor da sua vida e não se rende às evidências de que o melhor é seguir cada um o seu caminho.
     
Gelson Celistre
      
   

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Abdução voluntária

     Tratamos uma mulher que está em adiantado estado de deterioração de suas funções fisiológicas, sem condições sequer de se locomover normalmente, tendo que utilizar uma cadeira de rodas, e sem diagnóstico médico de qual doença seria a causa de sua enfermidade.



     Essa mulher pertence a um grupo até muito grande de pessoas que anseiam em encontrar um extraterrestre, tendo visitado (antes de  estar enferma) vários locais onde ocorreram supostos avistamentos e onde algumas pessoas dizem ter contato com alienígenas. Essas pessoas, em sua maioria ingênuas, acreditam que todos os extraterrestres estão aqui para auxiliar em nossa evolução. Muitos imaginam que esses ETs nos salvariam de alguma catástrofe cataclísmica, nos levando em segurança para o espaço em seus discos-voadores.
     Como já comentei em outros posts, a Terra atrai seres de vários outros planetas, por ser ainda um planeta primitivo com inúmeras formas de vida em uma dimensão material, densa, e com uma civilização ainda pouco evoluída tecnologicamente e socialmente. Somos uma espécie de zoológico onde esses seres vêm nos observar. 
     Alguns desses aliens são apenas pesquisadores, querem nos estudar sem nos causar mal, outros possuem ligação com grupos de espíritos que transmigraram para cá e se sentem responsáveis pelo que esses seres causam aqui e querem de fato nos ajudar, mas pelo que temos vistos esses dois tipos são uma minoria. Mas creio que a maioria dos alienígenas que aportam aqui estão interessados apenas em nos explorar de alguma forma. 
     Esse mulher que atendemos foi vítima de seu próprio desejo de ser abduzida. Nesses locais que ela foi os alienígenas de fato transitam, mas não como eles imaginam, na dimensão física, pois a maioria dos ETs está numa dimensão paralela, mais ou menos equivalente ao nosso plano astral. 
     Esses ETs se alimentam da nossa energia e essa mulher estava sendo mantida em desdobramento num desses locais, onde faziam ela pensar que era uma pessoa muito importante e que sua presença ali era de grande ajuda para eles. Projetavam cenas onde ela realizava trabalhos e comandava operações, estimulando o ego dela para que desejasse continuar ali. Enquanto isso eles sugavam a energia dela, o que iria provocar inevitavelmente a morte dela aqui no físico, e que provavelmente vai ocorrer em breve apesar de a termos resgatado, porque seu corpo físico já está muito debilitado.
     Além dela nossa equipe espiritual resgatou milhares de pessoas ao redor do planeta em situação semelhante, muitos já à beira da morte, ligados a diversos grupos de extraterrestres, de diferentes planetas, e todos estavam lá por vontade própria, devido ao anseio de fugir de suas vidas normais e serem abduzidos.
     Muita gente afirma não se sentir parte desse planeta, acham que são de outro orbe porque não são felizes aqui, não se adaptam, e geralmente acham que são de algum planeta melhor que esse, no fundo também se achando melhor do que os que aqui vivem, e são levados a acreditar em parte por conta de charlatões que dizem o que elas querem ouvir, que estão aqui em missão, que são especiais, e que esses aliens virão resgatá-los e os livrar de seu tormento, levando-os de volta para seu lar ancestral nas estrelas.
     Mas se você está aqui, se nasceu nesse planeta, mesmo que já tenha vivido em outros planetas, você é terráqueo. E se está aqui/agora é porque tem karma a resgatar, porque está ligado a esse planeta e tem que evoluir nele. Ninguém escapa do karma, se você quer "voltar" para algum planeta do qual já foi expulso por mau comportamento, precisa se melhorar, evoluir de fato e não apenas "se achar" melhor ou diferente.
     O futuro dessa mulher, apesar de ter convivido por anos em desdobramento com alienígenas, vai ser morrer e renascer aqui na Terra, e com sérios problemas mentais e fisiológicos em sua próxima encarnação.
     Então se você que está lendo isso também anseia em ser abduzido, pense bem, pois você pode conseguir o que deseja.

Gelson Celistre
     
     

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Epidemia de dança de 1518

     Dias atrás quando entrei no Facebook me deparei com uma chamada desses sites de notícias genéricas sobre uma epidemia de dança que teria ocorrido na cidade francesa de Estrasburgo no século XVI, mais precisamente em 1518. A história me chamou a atenção e resolvi pesquisar mais na internet. Encontrei uma ótima reportagem, de 2013, no site do Terra
     Basicamente a reportagem relata que no ano de 1518, por volta do dia 14 de julho, uma mulher saiu de sua casa e começou a dançar na rua por seis dias consecutivos, em uma semana já eram 34 pessoas dançando e no final do mês seguinte, agosto, já eram mais de 400 pessoas dançando sem parar, sendo que muitas delas vieram a morrer por exaustão ou ataques cardíacos.

Gravura de Henricus Hondius sobre esboço de Pieter Brueghel,
 o Velho, que testemunhou um caso de praga de dança em 1564.
     Entre os historiadores existem algumas teorias das possíveis causas, que vão desde intoxicação alimentar por cereais contaminados, peste negra, até efeitos psicológicos, sociológicos e culturais, mas não passam de especulações, a causa real dificilmente poderia ser comprovada pela ciência, pois o fato ocorreu há 500 anos.
     Como acontece nestes casos, já sabia que tinha algo para verificarmos em nosso grupo quando a matéria me chamou a atenção, então repassei para os membros do grupo de apometria pelo whatsapp. A primeira médium que leu já foi atacada e dois espíritos já se aproximaram dela, que passou a sentir dores na cabeça e face. Outra ainda leu e já começou a vomitar, relatando que havia sonhado com esse episódio da dança durante a noite anterior.
     Mais duas médiuns entraram na conversa e a história não registrada nos livros de história se descortinou ante a visão espiritual do grupo. Um homem que casara por interesse queria que sua esposa morresse para que ele pudesse desfrutar de sua fortuna. Ele tinha conhecimento de um grupo de bruxos que vivia numa caverna e foi procurá-los para resolver o seu problema. Eram um homem e seis mulheres os componentes do tal grupo de bruxos.
     Os bruxos pediram 14 crianças com menos de dois anos de idade como pagamento pelos seus serviços, pois eles queriam carne humana macia, afinal devido à idade já estavam lhes faltando alguns dentes. Para quem acha que é mito, bruxos/as comiam sim criancinhas, bebiam seu sangue e ainda faziam outras coisas de cunho sexual.
     Fazer a mulher morrer era muito fácil, bastava ministrar-lhe algum veneno que lhe provocasse uma morte parecida com a de alguma doença conhecida, para assim não levantar suspeitas sobre o marido, mas para os bruxos poderem receber seu pagamento era necessário um pouco mais de estratégia. Assim, eles deram ao homem uma poção muito forte que ele deveria fazer com que muita gente bebesse, principalmente pais de famílias onde houvesse crianças pequenas.
     O tal homem pagou um outro para colocar a poção num poço de uma cidade próxima, Estrasburgo, e assim conseguiriam atingir muita gente. A maneira como as autoridades da cidade reagiram na verdade aumentou a proporção do evento, que não pretendia inicialmente atingir tanta gente, mas como deu muito certo, providenciaram mais poção para suprir a demanda.
     O que ocorreu nesse episódio da dança foi uma verdadeira orgia demoníaca pois a poção facilitava o desdobramento astral e a incorporação, o que foi muito bem aproveitado por uma orda de demônios, que vampirizaram as pessoas de várias formas. A dança que todos viram era manifestação mais visível, mas dentro das casas e longe dos olhos de todos, muitos mais eram vampirizados, inclusive sexualmente. Muita gente morreu mesmo pela total falta de energia e muitos deixaram filhos pequenos.
     E para onde iriam essas crianças? Para um orfanato, que era gerenciado por uma simpática velhinha. Assim ficava fácil pegar as crianças pois estavam todas juntas e a simpática velhinha na verdade era uma bruxa ligada ao grupo de bruxos da caverna. Uma curiosidade mórbida sobre essa poção é que um dos ingredientes era o tutano de ossos humanos, que era extraído com as pessoas ainda vivas.
     Quatro das médiuns do nosso grupo faziam parte daquele grupo de bruxos da caverna. A que vomitou e havia sonhado com a dança faltou na reunião que tivemos dois dias antes de eu enviar o texto porque sentia fortes dores nas costas, já há quatro dias, isso porque já havia se conectado com essa situação e na verdade foi através dela que se abriu essa frequência. Essa médium acabou encontrando na vida atual uma outra bruxa daquele grupo e isso abriu a frequência.
      A simpática velhinha do orfanato na vida atual é "pai-de-santo", mas desses que faz tudo por dinheiro e inclusive faz sacrifícios humanos em seu terreiro. Assim conseguimos resgatar muitos espíritos que foram vítimas daquele grupo de bruxos naquela vida e também que foram vítimas da velhinha na vida atual. Como costuma acontecer nesses casos, muitos espíritos ligados a esse evento, mesmo tendo se passado 500 anos, ainda estavam vivenciando aquela situação na dimensão astral. 
     A abertura da frequência não ocorreu por acaso, foi promovida pela nossa equipe espiritual para diminuir a força da bruxa do orfanato pois na vida atual, como pai-de-santo, ela já matou muita gente em rituais e nesse período de eleições muita gente contratou os serviços desse pai-de-santo, que já fez muitos "cortes" humanos. 
     A médium estava com dor nas costas porque naquela vida passada não sabia que o grupo de bruxos do qual ela participava decidiu que iriam sacrificar a filha dela naquela vida. Quando ela descobriu o processo já estava em andamento e ela, ao tentar salvar a filha, foi arremessada violentamente contra uma mesa, tendo batido com a coluna na quina do móvel. Ela estava grávida de pouco tempo mas perdeu o bebê e a própria vida. Aquele bebê que ela perdeu na vida atual é filha da outra médium, a que primeiro leu o caso quando postei no grupo e que sentiu dores na cabeça e face. A menina que naquela vida foi sacrificada, filha da médium que vomitou, na vida atual é um sobrinho dela.
     Interessante observar como nos reencontramos com outros espíritos com os quais nos relacionamos no passado na vida presente. Nos deparamos agora com um grupo de espíritos que se relacionaram há 500 anos numa cidade da França, vivendo próximos e se relacionando novamente em outro continente. E todos envolvidos com magia, as bruxas de outrora agora como médiuns trabalhando para a luz e a simpática velhinha do orfanato ainda no caminho das trevas, agora como pai-de-santo.

Gelson Celistre

     
     
     
     




segunda-feira, 17 de setembro de 2018

O que significa uma frequência aberta na apometria?

     Pelo processo natural de nascimento no sistema reencarnatório a que nos encontramos submetidos devido ao nosso baixo grau evolutivo, a cada nascimento criamos uma nova personalidade. Antes de nascermos, quando nosso espírito é conectado a um óvulo fecundado, inicia-se um processo de miniaturização do corpo astral, até ficar apenas um ovóide. Nesse processo de miniaturização acabamos perdendo o acesso a memória da vida que tivemos antes dessa pois "perdemos" o órgão cerebral do corpo astral que foi miniaturizado, que é onde estavam as lembranças. Mas essas lembranças estão lá e futuramente poderemos acessá-las de uma ou outra maneira.


     À medida que nosso corpo material vai crescendo nosso corpo astral também vai. De igual forma, à medida que vamos crescendo aqui vamos formando uma nova personalidade, que vai ser formada em função da nossa experiência de vida, família onde nascemos, condições financeiras, classe social, enfim, nossa personalidade vai ser definida por uma série de fatores. Mas a base em que ela vai ser criada é o que já trazemos de vidas passadas em nosso espírito, geralmente não mudamos muito de uma vida para outra.
     O ciclo que se inicia no nascimento, passa pelo período após a morte, e que finaliza quando renascemos numa vida seguinte, é o que chamamos de frequência. Basicamente é o período em que formamos uma personalidade.  Todas as personalidade que tivemos ficam armazenadas em nossa memória mentoastral, em algum tipo de célula monádica, e nunca se perde. É como se fossem músicas gravadas num CD ou pendrive. Num futuro muito distante quando formos muito mais evoluídos espiritualmente, vamos poder revisitar cada vida que tivemos como se a estivéssemos revivendo novamente, mas vai demorar muito ainda.
     Então o que significa dizer que a pessoa está com uma frequência aberta? Significa que hoje essa pessoa se desdobra, ou seja, seu espírito sai do corpo, e na dimensão astral, ao invés de se manifestar com a personalidade que ele tem nessa vida material atual, ele se manifesta com a personalidade que teve em uma vida passada. Um exemplo, estou atendendo o Joãozinho Certinho que na vida atual é um respeitável pai de família, mas que desdobrado se apresenta com a personalidade que ele teve numa vida anterior onde ele era a Mariazinha Corrimão, uma alegre prostituta.
     Isso significa que o Joãozinho quando se desdobra como Mariazinha vai trabalhar num bordel, passa a noite toda fazendo sexo com vários espíritos, a grande maioria desencarnados, e por conta disso o Joãozinho acorda fisicamente esgotado, pois teve suas energias sugadas durante a noite, além de começar a sentir atração por outros homens, pois quando uma frequência de vida passada fica aberta por muito tempo ela começa a influenciar na frequência de vida atual, como se quisesse tomar o seu lugar.
     Uma situação muito comum é quando uma pessoa assassina a outra e o espírito do que morreu fica lhe perseguindo, lhe assombrando. Como está sempre muito perto de seu assassino, acaba acontecendo de nascer como seu filho, pois durante um ato sexual onde ocorre fecundação ele é quem está mais próximo do espírito e com a energia mais próxima da dele. Quando o ódio é muito grande entre eles às vezes o próprio pai violenta ou mata o filho ainda bebê, pois embora não tenha conhecimento do que houve com eles em vidas passadas, o sentimento de ódio ele tem.
     Então, repetindo, uma frequência aberta é quando estamos desdobrados mas estamos agindo com uma personalidade que tivemos em outra vida. É comum as pessoas terem três ou quatro frequência abertas, até uma meia dúzia, mas já pegamos pessoas com mais de 100 (cem) frequências abertas ao mesmo tempo. Um dos sintomas de pessoas que estão com muitas frequências abertas é não se sentirem parte desse mundo, não sentirem atração pelas coisas normais da vida material, não terem foco na vida, serem dispersas, etc., além da falta de energia.
     E porque uma frequência se abre? Pode ser por vários motivos, mas geralmente o "gatilho" são emoções mal resolvidas. Exemplo: a pessoa em vida passada morreu na masmorra de um castelo, hoje ela assiste um filme do Robin Hood e em determinado momento que aparece uma masmorra no filme abre a frequência, ela se desdobra e vai para um local no astral onde ainda tem aquela masmorra e passa a sofrer como sofreu naquela vida, sem que aqui ela saiba o motivo, passa a ter medo de sair de casa, acha que a estão perseguindo, etc.
     E como se fecha a frequência? Para fechar a frequência temos que apagar da mente da pessoa aquela memória de vida passada, depois de tirar ela da masmorra e todos os outros espíritos que estiverem lá, temos que prender os carrascos e outros espíritos que estejam mantendo os espíritos presos lá, e depois temos que destruir o local no astral. E o interessante é que muitas vezes os espíritos que estão nesses locais como a masmorra nem sabem que estão mortos, mesmo tendo se passado vários séculos. Mas muitas vezes existem seres poderosos que mantêm essas situações, essas frequências abertas, para poderem sugar as energias dos encarnados que estão lá desdobrados, então um atendimento "simples" de apometria requer um grande suporte logístico e espíritos muito bem preparados, ou seja, não basta fazer cara de piedoso e mentalizar algum símbolo ou uma chama colorida e esperar que isso ou algum "mestre ascensionado" vai resolver a situação.
     Abrir frequências de vidas passadas é algo muito comum porque como temos muitos débitos cármicos nascemos próximos e/ou acabamos nos relacionando com pessoas com as quais já tivemos relações em vidas passadas, tanto de amor quanto de ódio, então a própria convivência com pessoas do nosso dia a dia abre frequências e é assim que o karma age, colocando frente a frente as energias desarmônicas até que elas se harmonizem.
     Mas em muitos casos as frequências que se abrem estão relacionadas com coletividades inteiras,  como as que se relacionam com a Segunda Guerra Mundial por exemplo, se atendemos alguém que foi nazista ele geralmente está com a frequência aberta e atuando em algum campo de concentração no astral com milhares de espíritos em sofrimento. Para invadirmos em campo de concentração com espíritos com armas e equipamentos para se defender não é tão simples, exige estratégia planejamento, além de soldados qualificados, pessoal de apoio, equipe médica, armas e equipamentos para transporte, etc. Por isso não tem como se trabalhar com apometria sem apoio espiritual e nenhum grupo do astral com essa qualidade de espíritos preparados e intenção vai se ligar a uma pessoa que aqui no físico vive da exploração da dor alheia, prometendo curas "quânticas" ou similares, coisas milagrosas ou impraticáveis. É preciso agir com ética e honestidade e quem se propõe a auxiliar o próximo precisar ter capacidade e condições para tal.

Gelson Celistre
   

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Onde fica o umbral?

     Muito se fala em umbral na literatura espírita, termo que foi popularizado pelos livros do espírito André Luiz, psicografados pelo médium Chico Xavier. Apesar de nos livros o umbral ser descrito como uma região da dimensão astral, muitos espíritas ou pessoas com algum conhecimento do espiritismo, acreditam que o umbral é apenas um estado de espírito, algo que só existe na mente daquele espírito em razão de seus pensamentos e/ou sentimentos.

Imagem de como seria a colônia espiritual Nosso Lar.
     Se analisarmos do ponto de vista funcional, o umbral equivaleria ao purgatório dos católicos, um local intermediário para onde vão as almas que ainda tem salvação, e penso que a intenção do uso do termo foi essa mesmo, mostrar que existe um local para onde vão as pessoas "comuns", que não são "santos" mas que cometeram seus "pecadinhos".
     No livro mais conhecido do espírito André Luiz, que até virou filme, Nosso Lar, é contada a história de um médico que após sua morte ficou por cerca de oito anos numa região meio escura, povoada por espíritos atormentados, até que se arrependeu sinceramente e, após uma oração, apareceu um grupo de espíritos socorristas que veio resgatá-lo e o levaram para uma colônia astral, uma cidade, chamada Nosso Lar. A conotação religiosa do episódio do médico André Luiz é bem evidente, com o arrependimento e a consequente "salvação". 
     Esses livros do André Luiz trouxeram muitas informações novas sobre a realidade do mundo espiritual que não foram bem aceitas pelos espíritas mais ortodoxos, aqueles para os quais tudo que não está nos livros de Allan Kardec é falso, embora o próprio codificador da doutrina espírita tivesse dito que outras informações viriam depois dele. Para este grupo de espíritas o umbral seria apenas uma criação da mente do espirito, como se ele estivesse em suspensão no espaço vivenciando as situações apenas em sua mente, como se fosse um delírio ou fantasia.
    Mas de fato o umbral é uma região, ele existe realmente na dimensão astral, assim como existem aqui no plano físico países e continentes. A diferença é que na dimensão astral o que existe está em diferentes dimensões e se acessa pela frequência, ou seja, pelo estado energético que o espírito apresenta. O umbral é uma faixa de frequência. Se fizéssemos um comparativo com as estações de rádio FM, que nas Américas varia entre 87.7 e 108 MHz, poderíamos situar o umbral no meio dessa escala, entre os 94 e 102 MHz. 
     As regiões que ficam abaixo e acima dessa faixa, a grosso modo, seriam o inferno e o céu. O "inferno" é uma região abismal, local de energia muitíssimo densa, para onde vão os espíritos realmente muito ruins, e o "céu" são as regiões superiores, onde habitam os "espíritos de luz", seres que após incontáveis vidas na matéria aprenderam a lição e evoluíram, não necessitando mais reencarnar em corpos materiais. 
     A Terra na dimensão física, onde estamos vivos agora, se localiza no umbral, ou seja, nós já vivemos no umbral, só que ainda temos corpos físicos. Quando morrermos se tivermos evoluído um pouco acima da média, vamos flutuar como se fôssemos um balão com hélio e vamos nos situar na dimensão astral nas partes menos densas do umbral, geralmente onde se localizam as colônias espirituais como Nosso Lar. Por outro lado se formos pessoas muito ruins, bandidos, assassinos, etc., vamos para as regiões mais densas (baixas) do umbral, sendo que alguns muito ruins já caem para as regiões abismais. A maioria entretanto fica por aqui mesmo, ligados aos familiares ou a situações que os mantém muito próximos dos encarnados.
     O umbral está em toda parte e todos nós após a morte vamos  estar nele, alguns por pouco tempo por possuírem um pouco mais de evolução ou por terem obtido merecimento para serem resgatados para alguma colônia e outros porque não possuem grau evolutivo nem mérito para sair dele (a grande maioria).
     É possível transitar pelas várias faixas do umbral, mais ou menos densas, mas isso depende da condição de cada espírito. É como aqui, podemos mergulhar sem equipamento por alguns minutos, mas se for muito tempo precisaremos de roupas especiais de mergulho, oxigênio, etc. No baixo astral também, podemos passar por lá rapidamente sem proteção mas se for demorar é preciso equipamento especial. Para chegar nas regiões menos densas é o mesmo, espíritos "comuns" não conseguem chegar nelas sozinhos pois a densidade de seu corpo astral não permite; seria como a gente querer voar aqui na Terra, para conseguir só com uso de equipamentos (asa delta, avião, foguetes, etc.). É por isso que na literatura espírita é sempre difícil um "morto" em uma colônia vir visitar um parente vivo, porque ele não consegue vir sozinho e isso demanda o auxílio de outros espíritos mais e/ou equipamentos, exige gasto de energia e uma logística e geralmente o espírito que quer não tem merecimento para que se coloque todo esse aparato ao dispor dele, por isso geralmente tem que trabalhar um tempo na colônia até que mereça algo do tipo.
     Por esse motivo também as pessoas que desejam obter comunicação com um ente falecido devem desconfiar de pessoas ou locais que oferecem contato com os mortos com muita facilidade. Será que a pessoa falecida com quem você quer se comunicar merece que se disponha de tempo, energia e pessoal qualificado no astral apenas para que você acredite que ela está "viva" ou para amenizar sua dor? E se ela nem sequer foi resgatada para alguma colônia e está vagando pelo umbral? Será que é fácil localizá-la e trazê-la até você para algumas palavras? De onde vai vir a energia necessária para tudo isso? E a troco de que? É para se pensar.
     Então o umbral não é um estado de espírito, ele existe na dimensão astral e pode ter várias "configurações", assim como temos diferentes ecossistemas aqui no plano físico, com relevo e vegetação próprias, nas regiões umbralinas também temos isso, existem vales e montanhas, assim como florestas e desertos. Também encontramos no umbral construções como temos aqui, casas e prédios. Existem cidades (que os espíritas chamam de colônias) em regiões densas do umbral também, onde existe miséria e favelas, que são administradas por seres maus, assim como existem as colônias do tipo Nosso Lar. 
     Existem também reflexos de construções do nosso mundo, como castelos, aldeias, prédios, pirâmides, barcos, etc, de diferentes épocas da nossa história, que acabam se plasmando no astral por conta de eventos que ocorreram neles e por terem espíritos ligados a eles, mas lá eles são tão reais como aqui, não são uma mera ilusão dos espíritos que habitam neles, todos que passarem por esses locais podem ver e interagir com esses sítios astralinos.
     Algumas comunidades continuam vivendo "no passado", como uma cidade inteira da idade média, uma aldeia indígena, um templo grego, uma pirâmide maia, etc., assim com existem cidades "futuristas", com alta tecnologia. Então no umbral tem de tudo e seus limites não são claramente demarcados. 

Gelson Celistre
     
    

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Os simbiontes

     Nossa história começa nos anos 80, onde alguns jovens ensaiavam uma peça em um teatro anexo à uma escola. Em dado momento, conforme o relato de um desses jovens, as portas do teatro se fecharam, as cadeiras da platéia foram arrancadas e arremessadas em direção ao palco, e os atores que ensaiavam a peça foram jogados ao chão e não conseguiam se mover, como se estivessem sendo puxados por uma enorme força magnética. Durante algum tempo que não souberam precisar, ficaram ali imóveis, grudados ao chão, e perceberam algo como se fossem vultos passando entre eles. Só conseguiram se mover quando alguém conseguiu abrir as portas do teatro pelo lado de fora, mas ninguém soube explicar-lhes o que havia ocorrido.
   
Venom symbiote, anti-herói do universo Marvel.
     Alguns dias depois um outro jovem se juntou a eles para os ensaios e incorporou uma entidade feminina que disse precisar da ajuda deles, pois a Terra passaria por transformações em breve e eles precisavam estar preparados para ajudar no reequilíbrio do planeta. Essa entidade psicografava cartas através desse jovem médium, que eram lacradas e com instruções para seram abertas no mês seguinte ou algum tempo depois. Quando abriam as tais cartas viam escrito ali acontecimentos que de fato ocorreram com eles naquele período. Também essa entidade ditava ensinamentos nessas cartas, propunha mudanças alimentares aos jovens, e dizia que eles não deveriam ter vícios. O jovem com o qual falamos inclusive afirmou que fumava e largou o cigarro, assim como a carne vermelha.
      Depois de um tempo outros se juntaram ao grupo, que de seis pessoas passou para 12, e sempre antes de aparecer alguém a entidade informava antes, dizendo que em determinado momento viria alguém com tais e tais características. Uma das orientações dessa entidade feminina foi a de que o grupo todo deveria se reunir para receber ensinamentos em uma ilha próxima ao local onde viviam, onde ficariam alguns dias. Esses encontros "naturistas" nessa ilha ocorreram mais de uma vez pois esse grupo se reuniu durante mais de 10 anos. Ao longo do tempo três entidades femininas se revezaram na liderança desse grupo. Alguns dos tais ensinamentos eram psicografados em latim, o que obrigou os jovens a buscar ajuda para a tradução, inclusive com um grupo Rosacruz. Num dos encontros na ilha inclusive um desses rosacruzes apareceu sem ser convidado, mas acabou sendo aceito pela entidade para participar dos ensinamentos. 
       Vou fazer uma pausa aqui para demonstrar que vemos aqui vários elementos usados por espíritos fascinadores. Uma entrada triunfal para provocar o espanto dos fascinados (o poltergeist no teatro), as previsões (as cartas lacradas) para mostrar que tem o poder de prever o futuro, a adulação do ego (são especiais, foram escolhidos para salvar o mundo), a transmissão de ensinamentos (para parecerem sábios e superiores), exigências (não fumar, não comer carne, etc.), e o isolamento,  pois eram instruídos a não comentar com estranhos sobre o que faziam.
       Em dado momento a entidade que se manifestava disse que dois deles precisavam nascer aqui nesse mundo como simbiontes, e pediram por voluntárias no grupo. Duas jovens se ofereceram  para isso, uma delas a que nós atendemos. Cerca de 6 meses após esse evento ela, que nem casada era, conheceu um homem e engravidou. Nascia um simbionte (que vive em simbiose, duas espécies distintas vivendo juntas). A outra voluntária também engravidou na mesma época. Esse filho foi um dos motivos pelo qual ela nos procurou, pois ele sofreu uma queda e ficou vários dias em coma. Mais tarde, com cerca de 10 anos ficou muito rebelde e com ideias de suicídio, além de apresentar um comportamento meio bipolar. Chegou a tomar medicamentos "faixa preta" mas abandonou, e na adolescência foi levado a tomar o "santo daime", e segundo sua mãe acabou estabilizando um pouco e até melhorou. Ela teve também uma filha que morreu no parto, porque um dos aliens tentou se acoplar nela mas a incompatibilidade energética foi muito grande e causou um colapso.
       O grupo dos 12 escolhidos acabou se dispersando, mas foram "avisados" que em determinado momento se reencontrariam. Bem, isso não vai mais acontecer. Vamos ao fatos. Esses seres não estavam nem um pouco interessados no futuro do planeta, mas sim em sua própria sobrevivência, pois eles caíram aqui "por acaso". Trata-se de um grupo de seres extraterrestres que foi exilado de seu planeta de origem. Existem várias formas de se enviar espíritos para o exílio e uma delas é aproveitando a órbita de astros errantes, como cometas e asteróides. Foi o caso desse grupo de alienígenas. Eles foram imantados a um asteróide que vagava sem rumo no espaço e que quando passou perto da Terra foi atraído pela nossa gravidade e acabou se fragmentando e algumas partes caíram no solo. 

     Esses alienígenas tinham a forma muito semelhante a uma medusa do mar e a densidade de seus corpos é equivalente ao nosso corpo astral. Eles caíram em várias partes do planeta e um grupo acabou ficando no nordeste do Brasil, onde escolheram pessoas com alguma mediunidade e impressionáveis para serem seus hospedeiros. Eles tentaram por várias vezes se "acoplar" aos jovens durante os tais encontros na ilha, mas não obtiveram sucesso, por isso disseram que tinham que nascer aqui. Mas a energia deles é incompatível com a nossa e o plano deles era se acoplar nas pessoas durante o nascimento, para conseguir dominar a mente e o corpo do hospedeiro.
     Foi o que ocorreu com o filho da consulente, pois desde seu nascimento um dos alienígenas vivia dentro de seu corpo físico, "grudado" na nuca dele. Porém havia um conflito entre o espírito do filho, legítimo dono do corpo físico, e a entidade intrusa, o alienígena. Os problemas de comportamento que ele apresentou por volta dos 10 anos foram porque lutava incessantemente com o alien pela posse do próprio corpo, havia uma espécie de rejeição. Quando fez uso do santo daime isso enfraqueceu as ligações do corpo astral dele com o físico e isso fortaleceu o alien, facilitando a ligação dele com o corpo etérico do hospedeiro, e isso diminuiu o conflito energético interno.
     Descobrimos que esses alienígenas medusa eram algumas centenas espalhados pelo planeta, em vários países, vivendo em simbiose com seus hospedeiros humanos, totalmente ocultos. Foram todos recolhidos e estão sendo preparados para um novo exílio. Curioso que enquanto procurava uma imagem para colocar no post achei a do pokemon Symbiont, que se assemelha muito com a dos aliens medusa. Coincidência?


     Gelson Celistre
       

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Desconexão do reiki

Hoje se comemora o Dia Internacional do Reiki. Quem acompanha o blog sabe que para nós o reiki foi uma criação das trevas e que as pessoas iniciadas acabam desdobradas e presas no astral, sendo vampirizadas. Neste mês o post Reiki Master - A verdade sobre o reiki completa 7 anos. Logo depois publicamos dois relatos onde contamos como prendemos o verdadeiro criador do reiki, o mago negro Oslon. Publicamos também alguns relatos de desconexões como Reiki - Mais uma desconexão, O mago oriental - desconexão reiki, Mestre Reiki Extraterrestre e Desconexão reiki (+1).



Na época em que publiquei os primeiros relatos, em agosto de 2011, oferecemos a oportunidade de efetuar a desconexão de quem havia sido iniciado em reiki e foram dezenas de pessoas que desconectamos em todo o Brasil e até de outros países. Em nosso grupo continuamos fazendo desconexões em nossos atendimentos presenciais sempre que surge a oportunidade. Muitas pessoas depois disso acabam encontrando nosso blog e me solicitam a desconexão. Como não atendemos à distância não podemos atender estas solicitações, mas resolvi abrir mais uma oportunidade de desconexão do reiki para quem assim o desejar.
Vale ressaltar que na primeira onda de desconexões de reiki, que efetuamos há sete anos atrás, nós prendemos os principais seres das trevas ligados a mestres de reiki "famosos" aqui na Terra, os mais poderosos. O verdadeiro criador do reiki também já havia sido preso, o mago negro Oslon, e muitos dos "mestres de reiki" que continuaram na ativa aqui no físico ficaram sem seu "mestre" no astral. Isso fez com que vários seres das trevas de menor periculosidade se aproximassem desses mestres de reiki para pegar para si a energia de quem eles iniciavam, mas muitos desses seres não tinham realmente poder e nem condições de efetuar uma coleta de energia como os seus antecessores, que criavam verdadeiras "fazendas" de pessoas desdobradas, como se fossem fazendas de gado de produção de leite.
Depois disso inclusive atendemos algumas pessoas presencialmente que haviam sido iniciadas em reiki e algumas delas estavam sofrendo uma "vampirização" simples, sem o requinte das anteriores e algumas até nem estavam presas, pois a pessoa que as iniciou estava conectada com um ser das trevas medíocre. Não temos mais encontrado magos negros ligados a iniciações de reiki, apenas espíritos das trevas medíocres ou candidatos a mago, bruxos de menor poder, mas de igual modo eles vampirizam os iniciados.
Na verdade o reiki acabou perdendo muito do seu status para as terapias quânticas, que são a modinha do momento no setor de terapias holísticas.
Bem, mas para encerrar esse ciclo de reiki, vamos fazer mais uma onda de desconexões à distância. Se você foi iniciado em reiki, leu nossos posts, e quer se desconectar:

Envie um e-mail para gelsoncelistre@hotmail.com, até o dia 30 de setembro de 2018, informando:

1- Nome completo

2- Data de nascimento

3- Endereço completo

4- Em que tipo de reiki foi iniciado e qual o nível

5- O(s) nome(s) do(s) seu(s) mestre(s) de reiki

6- No campo "assunto" do e-mail escreva apenas Desconexão reiki, veja exemplo abaixo:

A partir de 1º de outubro iniciaremos as desconexões. Os nomes de quem solicitar a desconexão não serão revelados, as desconexões serão feitas em sigilo, então você não precisa temer represálias pois seu "mestre" não vai ficar sabendo.
A desconexão é apenas para iniciações em reiki, iniciações em outros sistemas não serão trabalhadas nesse momento.
Atenção, não iremos informar individualmente o que foi visto nem feito em cada desconexão.

Gelson Celistre


segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Síndrome do pânico

     O consulente relata o seguinte: " uns 4 anos atras  tive crises de pânico (falta de ar, parecia que ia morrer, crise horrível!) fui diagnosticado com síndrome do panico e depressão, fiquei quase um ano afastado do serviço, tomando medicamentos como Ansitec, rivotril, ... tive uma melhora significativa e voltei a trabalhar, trabalhei por quase 3 Anos, atualmente estou a ... meses desempregado, ja fui em diversas entrevistas de emprego e me saboto nas entrevista acabo falando coisas que nem acredito que falei. ... aprendi controlar o inicio da síndrome do pânico, quando adormece um braço e formiga o pescoço, sei que é uma possível crise,  noivei com ... a  a qual mal conhecia nos encontramos e foi como amor a primeira vista!!, todos acharam estranho no inicio, mas nos dávamos muito bem, ainda nos damos bem, mas parace que algo mudou, algo está  pesado no relacionamento, (pelo menos eu acho) ela é um amor de pessoa."


      A síndrome do pânico do consulente estava sendo causada por uma série de fatores que tem a ver com o karma que ele está resgatando na vida atual. Uma influência forte na síndrome do consulente era devido à proximidade de um espírito de uma menina que em vida passada foi filha dele e dessa sua noiva da vida atual. Naquela vida passada ele era a mulher e a noiva era o homem, e o casal tinha uma filha. Acontece que o homem (a noiva hoje) era psicopata e quando essa filha tinha cerca de 6 anos a prendeu num sótão e a estuprava frequentemente. A esposa (o consulente hoje) sabia e era conivente. O espírito da menina estava junto do consulente e ele estava sentindo o que ela sentia presa no tal sótão sempre na expectativa de quando seu pai iria entrar e estuprá-la. 
     A tal menina acabou morrendo vítima desses estupros, um dos quais resultou numa gravidez. A criança quando nasceu foi morta de maneira cruel. Essa criança que foi morta e que nasceu de um dos estupros, na vida atual era padrinho do consulente, e frequentava terreiros de religião africana. Esse padrinho já morreu na vida atual e casualmente foi o consulente quem o levou para o hospital na ocasião de sua morte. Esse padrinho não aceitou bem a morte e estava acompanhando o consulente. Também fez um acordo com seres ligados ao terreiro onde frequentava, para que eles retirassem o espírito do consulente do corpo e ele "assumisse" o posto, vivendo no corpo do consulente. Retiramos o tal padrinho e prendemos os seres do tal terreiro.
      Em outra vida o consulente vivia numa aldeia indígena e junto com outro índio matava crianças em oferenda a um deus qualquer com o objetivo de ficarem fortes. Uma de suas vítimas naquela vida, que era filha do chefe da aldeia, é a atual noiva do consulente. Naquela vida o consulente e seu amigo foram induzidos a acreditar que se matassem a aldeia toda e se entregassem em holocausto a esse deus a quem seguiam, renasceriam muito poderosos. Eles incendiaram a aldeia causando a morte de todos que viviam nela. Grande parte desses espíritos estavam ligados ao consulente, em sofrimento, e também o ser asqueroso que acreditavam ser um deus. O amigo do consulente daquela vida estava junto do consulente também o induzindo a matar a noiva, o que lhe causava angústia pois agora ele não quer matá-la. As vítimas foram resgatadas e o ser foi preso.
       Em outra existência ele estava doente e para prolongar sua vida, procurou um bando de ciganos e para fazer uma "troca de vida", um ritual comum ainda hoje nos terreiros de macumba, onde sacrificam uma vida por outra. Algumas pessoas matam um bicho, galinha, bode ou boi, mas muitos sacrificam pessoas (hoje em dia isso ainda acontece). Naquela vida o consulente levou seu irmão junto sem ele saber que seria sacrificado. Quando enfiaram a adaga no coração dele, no momento da morte, o irmão jurou vingança. Na vida atual eles são irmãos novamente e no astral a frequência estava aberta com o irmão o atacando tentando se vingar.
      Em outra vida o consulente morava no interior, filho de pais com posses, e foi mandado para estudar na "cidade grande". Mas ao invés de estudar ele pegou o dinheiro que os pais mandavam e montou um bordel. Era muito cruel com as meninas e quando uma delas engravidava por acidente ele a torturava até a criança nascer, isso quando não abortavam. De qualquer modo tanto os que acabavam sendo abortados quanto os que nasciam, eram todos vendidos a cinco bruxas que os usavam para magia negra e rituais. Alguns dos bebes que nasciam e eram meninas ele deixava se criar por ali para crescerem e trabalharem no bordel. Além disso tudo, antes de sair do interior ele tinha "desonrado" uma moça que acabou engravidando e cujos pais acabaram matando de pancada por conta dessa "desonra" para a família. Essa moça na vida atual é a noiva do consulente.
     Em uma vida mais recente o consulente foi nazista durante a Segunda Guerra Mundial e era responsável por uma fábrica de rações para os soldados. Quando as coisas começaram a escassear na Alemanha eles começaram a usar carne de crianças prisioneiras de campos de concentração para fazer as rações dos soldados. Encontramos o local no astral ainda ativo e foi um resgate muito grande de espíritos.
      Como podemos ver pelas frequências abertas e espíritos ligados ao consulente, o karma que ele está começando a resgatar é bem pesado e os espíritos próximos a ele tem fortes ligações de outras vidas, principalmente com a noiva. São muitas emoções contraditórias, energias positivas e negativas se confrontando no inconsciente, e administrar essa pressão faz parte do karma do consulente.
     Já tratamos vários casos de síndrome do pânico e sempre encontramos essas situações, frequências de vidas passadas e obsessões complexas. Percebemos que a medicação alopática receitada por psiquiatras geralmente não cura, apenas entorpece a mente da pessoa, deixando ela mais calma, mas não trata as causas e no astral geralmente piora a situação pois facilita o desdobramento da pessoa, o que acaba energizando essas frequências e potencializando situações de obsessão pois desdobrada a pessoa é vampirizada mais facilmente.
     Provavelmente a síndrome do pânico do consulente vai desaparecer, talvez não completamente devido ao karma pesado que ele está resgatando, pois é provável que ele abra outras frequências com situações semelhantes. Para piorar a situação, vimos que o formigamento que ele sente no braço e pescoço é quando um espírito tenta incorporar nele, pois possui mediunidade de incorporação, fruto de suas ações de vidas passadas.
      

     Gelson Celistre 
    

domingo, 5 de agosto de 2018

Sobre o karma

     Vejo muitas terapias prometendo liberação de karmas e curas, necessitando apenas que o interessado se consulte com o terapeuta pagando-lhe o preço que ele pede. Quanto mais quântico o pretenso método mais caro é o tratamento. Também prometem curar qualquer coisa com essas terapias, que fazem curas da pessoa em várias dimensões, além de liberar os karmas. Algumas pessoas também oferecem curas intergaláticas,de seres de outros planetas, muito evoluídos, mas que aparentemente não tem o que fazer a não ser curar os terráqueos doentes.Vejo também alguns sites que se dizem budistas apresentando várias leis do karma e até pessoas iniciadas no budismo fazendo interpretações dos ensinamentos de Buda afirmando que o karma é um processo do qual se você se desligar não precisa pagar.
     Citando um famoso parapsicólogo católico, o Padre Quevedo, "isso non ecsiste". A lei do karma é simples, tudo que sai de você volta para você. É isso, tudo que vai volta. Inventar 12 leis do karma para amenizar a rigidez e simplicidade da lei é querer dar um "jeitinho" na situação. Afirmar que pode liberar o karma de alguém com alguma terapia miraculosa é fraude. Afirmar que "saindo do processo" você não precisa pagar o karma é iludir para angariar adeptos.
     Lido com pessoas de várias orientações religiosas e espiritualistas e a grande maioria acredita em reencarnação e karma. Mas quando estão sofrendo um revés na vida, quando estão com alguma doença grave ou dificuldade financeira ou amorosa e dizemos que é kármico não aceitam. Parece que o karma "ruim" só existe para os outros, eles mesmo que tenham feito muita coisa ruim no passado hoje não merecem sofrer porque são "pessoas boas", espiritualizadas, espíritas ou espiritualistas.
     Imaginem uma caixa d'água no topo de uma torre muito alta. Assim é nosso reservatório kármico, tudo que fazemos, nossas ações, essa energia fica armazenada num reservatório que está sempre ligado a nós, que estamos lá embaixo da torre. A energia que sai desse reservatório tem um limite, uma capacidade máxima de vazão, o que faz com que o karma que temos acumulado vá sendo liberado aos poucos ao longo de nossas encarnações.
     Temos muita energia nesse reservatório então mesmo que nessa vida eu seja muito desonesto e engane e roube muita gente, não significa necessariamente que na vida seguinte vou sofre o retorno desse karma, porque ele vai para o reservatório kármico onde já tem outros trocentos karmas e ele vai entrar na fila para resgate.
Apenas como exemplo já atendi inúmeras pessoas que foram nazistas na Segunda Guerra Mundial e que fizeram todo tipo de atrocidade nessa vida passada e na vida atual não sofrem nem 1% do que fizeram outros sofrer. Isso ocorre porque o karma que geraram como nazistas foi para o reservatório e ainda não foi liberado para o resgate.
     Agora vamos imaginar como algum terapeuta qualquer vai ter poder para liberar o karma de alguém? Vamos supor que ele tenha acesso ao teu reservatório kármico, o que ele vai fazer com a energia que está lá? O karma vai passar a ser dele? Ou ele magicamente vai fazer o karma desaparecer? Se isso fosse possível ele poderia fazer o próprio karma dele desaparecer e estando aqui sem karma se tornaria um santo ou um "mestre ascensionado" imediatamente,e nem precisaria mais lidar com essas necessidades mundanas que todos temos como comer e se vestir, e consequentemente não precisaria trabalhar como terapeuta para sobreviver.
     Não existe atalho para evolução. Nem jeitinho algum que vá te livrar do teu karma. Se na vida atual você está resgatando um karma muito ruim, consequência de muita m**** que fez em vidas passadas, o único jeito de amenizar é sendo uma pessoa justa e honesta, agindo com ética e respeito para com todos. 
     Por exemplo, quem já enganou em outras vidas é impelido pelo seu próprio karma a se ver em situações onde pode ser enganado, mas nessas situações ainda existe o livre-arbítrio, pois é você quem escolhe. Se você se melhorou como pessoa, pode ter a intuição de que a tal terapia não cumpre o que promete e que é só enganação, pode ficar desconfiado e ir pesquisar, se deparar com um texto como este, e evitar ser lesado. Nesse caso a energia kármica retornou e você a resgatou. A mudança, a evolução que você teve entre a geração e o resgate do karma elevou sua vibração o suficiente para que você absorvesse a energia kármica sem ser lesado, embora o problema que você tem continue na mesma.
     Mas se você ainda é muito parecido como era naquela vida onde gerou o karma, se não evoluiu muito, você vai ler a propaganda da terapia e vai achar que aquilo é maravilhoso, que finalmente encontrou o que vai resolver o teu problema, e aí seu karma vai se cumprir.também, só que você vai ser lesado, e seu problema vai continuar sem solução do mesmo jeito.
     Alguns problemas não vão se resolver porque tem certos atos de muita gravidade que mesmo tendo evoluído muito pouco pode ser amenizado. Uma pessoa que assassinou muitas pessoas, mesmo que hoje fosse um santo, iria morrer assassinado se fosse resgatar esse karma. Mas ele podia morrer assassinado sendo um bandido ou sendo uma pessoa boa, são diferentes maneiras de resgatar, numa você sofrer e geralmente gera mais karma negativo e em outra você esgota o karma. Um político brasileiro desses que temos notícia de desvio de milhões, certamente serão várias vidas onde vai sofrer as consequências, como morrer na fila da emergência antes de ser atendido, nascer com uma deficiência causada por agrotóxicos que ele ajudou a liberar em troca de propina, etc.
     Então resumindo, nenhuma terapia tem o poder de liberar karma de ninguém, muito menos curar qualquer coisa.


Gelson Celistre