quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Kratos

     O diabo tem várias faces! Foi ouvindo essa frase que se iniciou este trabalho espiritual. A médium ouvia sem parar isso. Em seguida começou a ver uma pequena cidade com uma capela ao centro, tudo com aspecto de estar abandonado. O interior da capela estava todo empoeirado, com teias de aranha e folhas de árvores espalhadas pelo chão.
     Dentro dessa capela a médium viu um homem vestindo uma túnica escura com um capuz lhe cobrindo a cabeça. Ao lado outro homem, este vestindo um terno branco, usa óculos, gel no cabelo, e aparenta ser jovem. É ele quem está dizendo que o diabo tem várias faces e que ele vai revelar uma dessas faces, que é a do outro homem com capuz encobrindo o rosto.
     Ambos os espíritos que se encontram ali são pessoas encarnadas e estão ali em desdobramento. O que está com o capuz sou eu e o de terno é alguém que mora numa cidadezinha chamada Rochedo de Minas, em Minas Gerais, onde alguma pessoa que o conhece leu meu blog e questionou alguma coisa a esse homem, que respondeu a essa pessoa exatamente isso: O diabo tem várias faces! Esse homem pelo jeito imagina ter alguma “autoridade” espiritual ou religiosa, algum pastor talvez.
     Enquanto estamos ali, uma velhinha que também está desdobrada nessa capela me olha e se benze, com ar assustado. Esse tipo de coisa é comum acontecer, alguém lê o blog, fica impressionado com alguma coisa e vai tirar dúvidas ou perguntar para algum conhecido seu, e em vários casos as pessoas se desdobram e me procuram no astral, algumas para pedir ajuda, outras para me atacar, e outras, como nesse caso, para me “desmascarar”.
     Esse homem na verdade não tinha poder algum para me desdobrar e me levar para esse local e isso logo percebemos, mas pela sua tola vaidade um ser das trevas que quer acabar com nosso trabalho utilizou a energia dele e de outras pessoas com pensamentos similares sobre mim para me desdobrar e tentar me prender no astral.
     Como esse outro ser realmente era perigoso e já estava na hora de ter suas atividades encerradas, pois estava prejudicando milhares de pessoas, foi permitido que isso ocorresse.

     Kratos 

    Quem tem filho jovem e/ou quem gosta de games, já deve ter ouvido falar em Kratos, do game God of War, da Sony. Eu mesmo já comprei para meu filho. Kratos é um guerreiro grande e forte que enfrenta várias criaturas da mitologia grega e outras.




      Pois o ser que utilizou a energia do pastor se apresentou para o médium dessa forma, se auto-intitulando Kratos e com a aparência que o personagem tem nos games. Quando a médium me disse o nome do ser e como ele era comecei a rir, porque ela não conhecia o personagem do jogo, mas aí relatei a ela brevemente que era um personagem de game e que provavelmente esse ser devia estar zombando dela.
      Mas nesse momento informaram a ela que esse ser se utilizava da aparência do personagem Kratos como forma de se conectar com as pessoas que jogam esse jogo aqui no físico e obter energia delas, pois as pessoas, os jovens principalmente, passam muitas horas nesses jogos e dispendem muita energia mental e ectoplasma durante o jogo, o que cria as formas astrais e mentais as quais este ser estava recolhendo e se apropriando.
     A quantidade de usuários que jogam esse game está na casa dos milhares, senão milhões, e encontramos uma quantidade bastante expressiva deles desdobrados e sendo manipulados por este ser, inclusive meu filho, que tem 12 anos. Estavam todos em um enorme vale escuro onde havia milhares de adultos, jovens e crianças, todos jogadores de God of War.
     Mas eu e o pastor ainda estávamos na igreja, que a essa altura já estava cheia de “fãs” do meu trabalho, pessoas que leem meu blog e não concordam com o que eu escrevo, e nessa hora o pastor retirou o capuz da minha cabeça, sendo que as pessoas começaram a me cuspir e insultar. Isso fez com que eu sumisse dali da igreja e fosse transportado para um vale no astral onde o Kratos mantinha desdobrados os usuários do game God of War.
     Esse ser era inteligente e ele fez com que cada uma daquelas pessoas desdobradas ali me visse como um dos personagens que o Kratos enfrentava nos jogos, fazendo elas se sentirem o próprio Kratos, e encorajando-as a me atacar. Como meu filho estava ali também o tal ser o incitou a me atacar, imaginando que por conta dos nossos karmas de vidas passadas ele conseguiria de alguma maneira me derrotar ou aprisionar no astral de alguma forma.
     Meu filho no astral assumiu a aparência do Kratos e começou a me atacar, enquanto isso o tal ser satisfeito ligou as outras pessoas nele para que ele ficasse mais forte.  De fato ele absorveu a energia dos demais e foi crescendo de tamanho, juntamente como o tal ser, e me aprisionaram numa jaula, bem no meio do tal vale, e os milhares de jogadores desdobrados lá vieram em direção a essa jaula para me atacar, todos se metamorfoseando em Kratos.
     Fiquei um bom tempo preso nessa jaula enquanto continuavam a chegar mais pessoas desdobradas, aos milhares, ao tal vale, até quando o tal Kratos achou que tinha energia suficiente para me manter preso apareceu no local com sua forma verdadeira.

     Mumm-Ra

     No céu do tal vale surgiu uma múmia cinzenta que veio voando em direção à jaula onde eu estava preso e quem já tem um pouco mais de idade deve lembrar de um desenho animado dos anos 80 chamado Thundercats, onde o vilão era uma múmia mirrada que vivia numa pirâmide e que se transformava num cara bem grande forte, até meio parecido com o Kratos, quando ia enfrentar os heróis, que eram os thundercats.



      Pois essa figura exótica é quem dominava tudo ali, inclusive o Kratos, que na realidade era um ser artificial criado por ele. Esse ser já vem vampirizando os encarnados há décadas, antes através do imaginário do desenho animado, e mais recentemente, através do game God of War.
      O Mumm-Ra desceu em frente à jaula e de seu corpo irradiavam-se raios negros em todas as direções, que ao atingir os espíritos desdobrados ali os deixavam com uma aparência sombria e o estado de transe em que se encontravam se aprofundava.
       Mas como todos que deviam estar ali já estavam, os muitos milhares de gamers do God of War, não tinha mais porque mantermos a farsa de estarmos realmente presos, então emitimos um comando para que toda energia que ele retirou retornasse às pessoas desdobradas. De imediato ele começou a encolher e ficou praticamente da metade do tamanho com que chegou ali. No final prendemos o Kratos-Mumm-Ra e ele foi exilado.
       Nós ainda não temos consciência do poder de nossos pensamentos e de como a energia que geramos em nossos corpos aqui na dimensão física assume proporções gigantescas na dimensão astral. Esse na verdade é o segredo da eficácia das técnicas apométricas nos tratamentos espirituais e também o motivo pelo qual nos tratamentos físicos a apometria não tem o mesmo efeito.
      A energia manipulada na dimensão astral, a grosso modo, para ser utilizada aqui na dimensão física precisa passar por um processo de materialização e esse processo consome muita energia, por exemplo, uma quantidade de energia que no astral pode iluminar uma cidade inteira se for transposta aqui para o físico seria como a luz de uma lâmpada. Também com a energia que podemos reconstituir uma perna amputada em um espírito no astral se fosse transportada para o físico mal daria para fazer sumir um arranhão na pele de alguém.
     É por ignorar isso que muitos terapeutas apométricos e quânticos prometem coisas milagrosas que não podem fazer, como curar determinadas doenças com o uso da apometria, pois acreditam que o mesmo sucesso que se pode conseguir na dimensão astral, em termos de curas, pode ser conseguido na dimensão física.
      Tudo no universo é uma questão de energia mas também tem que ser considerado o karma, que é um regulador e distribuidor, determinando quem vai receber o que e quanto pode receber de energia.
      No final descobrimos mais uma face do diabo, e não era a minha. :) 


Gelson Celistre

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Zibion

A necessidade de um contrato social é fundamental para manutenção da ordem em qualquer civilização e quando alguns indivíduos descumprem as normas estabelecidas para a convivência pacífica e harmoniosa, se faz necessário algum tipo de punição ou coerção desses seres, tendo em vista o bem maior da coletividade.
É um erro acreditar que em civilizações mais adiantadas tecnologicamente a convivência entre todos os cidadãos ocorre livre de conflitos. O nível tecnológico não espelha o nível moral e espiritual de uma civilização. Um exemplo bem conhecido na literatura espírita é o dos exilados de Capela, em que milhões de seres de adiantado grau tecnológico foram punidos em seu planeta de origem, tendo sido exilados num planeta primitivo (a Terra), onde a etapa evolutiva em que se encontravam os habitantes desse planeta era muitíssimo inferior à deles próprios, muitos inclusive tendo se recusado em renascer nos corpos dos terráqueos por considerá-los animais inferiores.
Recentemente nos deparamos com uma colônia penal, numa dimensão astral, onde são aprisionados seres de alta periculosidade, de vários planetas e dimensões próximas. O nome dessa colônia penal é Zibion e é uma espécie de prisão de segurança máxima.
Em Zibion os detentos ficam num estado de hibernação induzida e são armazenados em cápsulas, semelhantes a uma cápsula de um comprimido (cilíndrica). Esses recipientes ficam na posição vertical e são pouco maiores que um corpo humano, devendo ter pouco mais de dois metros de altura e um diâmetro de cerca de um metro. Esses recipientes ficam cada um em uma cela, como nas prisões aqui da Terra, e os detentos ficam com as mãos cruzadas sobre o peito. Detalhe: eles estão todos nus, carecas, e os corpos estão totalmente depilados. Todos apresentam aparência humanoide.
Essa prisão lembra algo como nos filmes Minority Report, com Tom Cruise, e O demolidor, com Silvester Stallone, onde os prisioneiros ficam num estado de hibernação.


Estas cápsulas possuem tubos para ventilação e monitoramento dos sinais vitais dos detentos. A mente desses seres tbm fica num estado de hibernação, assim como seus corpos astrais, para impedir que eles acessem algum outro ser que lhes auxilie numa fuga.
O planeta onde se localiza essa prisão é bem pequeno, mais ou menos do tamanho da  nossa lua, sendo totalmente desértico, com solo arenoso, e despovoado de espécies vivas, sem plantas ou animais, à exceção dos detentos e guardas. O monitoramento do local é feito por 23 guardiões, sendo revezado periodicamente o pessoal que trabalha ali, mais ou menos como se dá em plataformas de petróleo onde os funcionários ficam durante alguns meses em alto mar e outro período quase equivalente em terra.
A colônia é formada por sete prédios de três andares cada. Existe um prédio central e os outros seis ficam ao redor dele, todos interligados por corredores suspensos. O conjunto de prédios visto de cima se assemelha à célula de uma colmeia (estrutura hexagonal) e é cercado por uma redoma energética transparente. Eles possuem armamento para defesa em caso de serem atacados, semelhantes a canhões antiaéreos que disparam raios de energia.
Um dos detentos desse sistema prisional é um ser de altíssima periculosidade e o que está preso lá é uma frequência dele, pois ele está encarnado atualmente aqui na Terra, e o curioso é que aqui ele é uma mulher aparentemente normal que leva uma vida comum e que não tem nenhuma ideia de que uma parte de sua consciência está presa nesse lugar.
Na ocasião em que estivemos nessa colônia penal todos os prisioneiros estavam sendo removidos para outro local em razão de um ataque que iriam sofrer, da parte de um ser das trevas muito poderoso, que queria justamente libertar esse ser de altíssima periculosidade par auxiliáo num ataque à Terra. E houve de fato um ataque à colônia penal mas os detentos estavam seguros em outro local e os atacantes foram neutralizados.
Existem 18.716 seres aprisionados em Zibion e cerca de 1% deles são encarnados desdobrados. Como são seres de altíssima periculosidade uma quantidade maior que essa poderia representar perigo. A equipe espiritual que trabalha conosco tem conhecimento de 20 prisões semelhantes a essa, em planetas distintos.
Estes detentos que possuem uma parte de sua consciência encarnada são monitorados constantemente e foi através desse monitoramento que os responsáveis pela colônia penal descobriram que o tal ser iria tentar resgatar seu antigo aliado. O ser que queria libertar o detento entrou em confronto direto com entidades ligadas a nossa equipe espiritual num embate que durou mais de um mês, sendo os últimos sete dias de confronto ininterrupto e que envolveu várias legiões de seres de alta estirpe espiritual, mas ao final do qual ele foi vencido.
Este ser atravessou várias dimensões e passou por dezenas de planetas, atraindo para si mais de um bilhão de espíritos de baixa vibração, sendo que alguns milhões aqui do nosso planeta quando ele já estava mais próximo, formando uma nuvem negra de dimensão muito superior à da Terra, mas apesar de ter feito isso para se fortalecer para o confronto, ele acabou fazendo uma higienização nos locais por onde passou. Uma imagem aproximada do que ocorreu seria como no filme do Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado quando Galactus se aproxima da Terra.


Seres como esse que possuem grande poder e uma mente com desenvolvimento que nem conseguimos imaginar, mas que não respeitam os outros seres, que consideram inferiores, acabam por decretar a si mesmo sua punição, pois no caso deste ele vai voltar ao marco inicial de sua evolução como centelha emanada do Criador, vai ter sua mente destruída e vai voltar ao ciclo evolutivo no reino mineral. 
Para termos uma idéia, desde que ele adquiriu pela primeira vez um ego, que se perecebeu como um ser distinto do todo, até a data de hoje, quando ele foi derrotado pelas legiões celestiais, já se passaram cerca de 280 bilhões de anos.
Este ser já viveu na Terra numa época muito antiga e ficou conhecido na mitologia grega como Cronos. Na época ele foi vencido por outros seres e foi expulso e aprisionado fora do planeta, mas desde então ele vem se fortalecendo e agora, alguns milhares de anos depois, foi quando juntou energia suficiente para tentar dominar nosso planeta com suas trevas.
Apesar de estarmos habitando num planeta primitivo onde são alocados seres os mais diversos, em estágios evolutivos os mais variados, e no qual a grande maioria possui pesados débitos kármicos, muitos deles já trazidos de outros orbes (pois foram exilados aqui), o que permite que outros tantos seres com condições e poder possam cometer diversas atrocidades, existe um acompanhamento da alta espiritualidade sobre o que ocorre aqui e de algumas décadas para cá já está ocorrendo um saneamento na estrutura psicofísica da Terra, onde os seres que ainda não alcançaram um mínimo de consciência em relação aos seus deveres para com seus semelhantes estão sendo removidos para outros orbes.


Gelson Celistre

sábado, 5 de outubro de 2013

Mediunidade na infância

     Já nos deparamos com vários casos de mediunidade na infância e não existe uma idade determinada para o surgimento dessa faculdade nas crianças, que pode ocorrer até mesmo enquanto são bebês. Ao contrário do que muita gente imagina, a mediunidade não é um dom. A mediunidade é um karma negativo que podemos adquirir de várias maneiras.



     A mediunidade, com raríssimas exceções, ocorre geralmente devido a alterações em nossa tela etérica, uma espécie de malha magnética que reveste nosso corpo astral e que é o que impede que entremos em contato direto com a dimensão astral. Essa malha não é idêntica em todas as pessoas, podendo ser mais ou menos "elástica" em determinados pontos, facilitando assim a passagem de impressões da dimensão astral para os nossos sentidos físicos, dando vidência a uns, audiência a outros, percepções, sensações, etc.
     Entre outras coisas, o assassinato é um tipo de ato que gera mediunidade por efeito kármico. Ao matar uma pessoa de modo violento ocorre uma ruptura abrupta dessa malha na vítima e consequentemente no agressor, por um efeito de espelhamento kármico
     Vou relatar um caso recente onde atendemos um menino de 7 anos com mediunidade ostensiva. Desde bem pequeno ele tem um comportamento estranho segundo sua mãe, como falar com "um tio" que só ele vê, falar coisas sobre a vida das pessoas que ele não tem conhecimento (psicofonia), apresenta mudanças repentinas de humor, agride os colegas na escola sem motivo, debocha das pessoas, tem crises de risos e em seguida de choro, enfim, a criança apresenta claramente uma mediunidade ostensiva. A mãe já o levou em psicólogo e psiquiatra e ele tomou medicação por cerca de 8 meses, sem melhora.
     Algumas pessoas questionam o motivo de "Deus permitir" que esse tipo de coisa ocorra com uma criança inocente e que não fez mal a ninguém. A resposta é simples, essa criança inocente de hoje (vida atual) é o mesmo homem de ontem (vida passada) que não respeitou tbm a vida de outras pessoas, inclusive crianças.
     No caso específico deste menino ele foi um psicopata em pelo menos duas vidas vistas por nós. Em uma dessas vidas passadas ele era açougueiro e como os negócios não iam bem e já tendo ele mediunidade por conta de débitos kármicos anteriores, escutava vozes lhe dizendo para fazer coisas. Uma das sugestões que lhe deram essas vozes foi a de vender carne humana como forma de aumentar os lucros.
     A idéia pareceu boa pra ele, que começou a matar várias pessoas para vender a carne como se fosse de vacas, porcos, ovelhas, etc.. em seu açougue. No início eram mendigos e pessoas pobres que ele atraía com a promessa de um pedaço de carne, mas depois ele começou a sequestrar crianças tbm.
     Em determinado momento a população do local começou a questionar o motivo dos desaparecimentos das crianças e temendo ser descoberto, ele incriminou uma casa de religião de negros, acusando-os de matar as crianças para rituais macabros. O local foi depredado e os membros da tal casa torturados e mortos. 
     Isso durou alguns anos, o tempo suficiente para ele matar dezenas de pessoas, e só foi descoberto pq sua esposa estava grávida (na vida atual é a mãe dele) e teve problemas na gestação, tendo a criança morrido no parto. Ela ficou muito transtornada mas ele a confortou e disse que ia pessoalmente enterrar a criança. 
     Entretanto, a cobiça falou mais alto e ele "carneou" o próprio filho morto, sendo que a esposa acabou vendo ele fazer isso. Ela não foi percebida por ele, saiu e contatou as autoridades, que o prenderam. Ele morreu louco na prisão. Muitas pessoas quando souberam que haviam comido carne humana, pq eram clientes no açougue dele, acabaram se matando por vergonha e nojo de si mesmo.
     Em outra existência ele foi literalmente um filho-da-puta e apesar de sua mãe ter deixado essa vida e se casado, ele sempre foi discriminado por isso. Ele cresceu com razoáveis condições materiais e tinha uma vida tranquila financeiramente, mas as humilhações pelas quais passou por ser um fdp lhe marcaram profundamente e ele foi novamente um psicopata, um estuprador, principalmente de prostitutas.
     Além de estuprar ele tirava delas um souvenir, cortava delas um dedo, uma orelha, um mamilo, etc., para guardar de recordação. A intenção dele as vezes era apenas mutilá-las, de modo a não conseguirem mais clientes, mas muitas acabavam morrendo por infecção ou sangramento.
     Ainda vimos várias outras vidas dele onde numa negociava filhos de escravos para bordéis de pedófilos, noutra era jogador de cartas e roubava no jogo, em outra era um cigano que arruinou muitas famílias pois seduzia e engravidava mulheres casadas para tirar proveito financeiro delas, etc. Em todas elas ele ria muito da ingenuidade das pessoas que ele enganava e roubava.
     Por estas vidas já dá para ter uma idéia de pq "Deus permitiu" que essa criança inocente esteja passando por isso na vida atual. O período em que começam as cobranças, se na infância, adolescência ou quando adulo, depende do tamanho e do tipo da dívida. 
     Havia muitos espíritos obsessores cobrando desse menino suas atitudes desvairadas de outrora, desde os negros da casa de religião que ele acusou injustamente até as pessoas que foram canibalizadas por ele, passando por maridos traídos, prostitutas assassinadas, etc.
     Vimos ainda que a relação dele com a mãe e o pai da vida atual tbm é de longa data. Em uma existência ele era homossexual e quando tinha 16 anos foi pego mantendo relações sexuais com um outro menino das redondezas de onde morava. 
     Seu pai (o mesmo da vida atual) era metido a machão mas tbm era homossexual, enrustido, e para que os vizinhos não desconfiassem dele achando que o filho tinha saído ao pai, chamou os vizinhos todos e deu um surra no filho. A crueldade foi tanta que ele quebrou um pé de um banquinho e enfiou no ânus do garoto, "já que ele gostava de pau no rabo". Ele espancou o filho até a morte nessa ocasião.
     O menino tinha uma irmã (a mãe na vida atual) que ficou horrorizada com o fato mas que não pôde intervir. Entretanto, algum tempo depois ela presenciou o pai mantendo relações sexuais com outro homem e ficou muito revoltada, tanto que começou a envenenar a comida dele, que morreu alguns meses depois sem que ninguém soubesse a causa, nem ele mesmo. Em outra vida ainda, ele foi filho de sua mãe da vida atual, que o ofereceu em sacrifício ao demônio quanto tinha sete anos de idade. 
     Fizemos o que foi possível, encaminhando os espíritos que estavam com ele e com os pais, e aconselhamos a mãe a educar a criança no espiritismo, para que ele saiba o que é mediunidade e como conviver com esse karma, um exemplo de mediunidade adquirida principalmente por conta de assassinatos.

     Gelson Celistre
     



     

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Vampiros, ocultismo e bruxaria

                É comum as pessoas lerem algum relato no blog e se identificar com o caso, encontrando elementos semelhantes à situações pelas quais estão vivenciando. Este relato é referente a um atendimento que fizemos para uma moça que ao ler o post intitulado Romance astral encontrou uma situação que ela achou ser idêntica ao que aconteceu com ela.
                A consulente tem cerca de 30 anos, solteira, filha de pais separados, participou de uma “escola iniciática” Pró-Vida por 12 anos, mãe com problemas psiquiátricos, foi morar sozinha com o irmão na adolescência.
                Em resumo, a consulente viu um músico de outro continente na TV e achou que fosse sua alma gêmea ou coisa parecida e ficou obcecada, sonhando que o encontrava, que se amavam, que teriam filhos, etc.  Tentou contato via internet e numa sala de bate-papo do site (em inglês) do tal cantor conversou com um rapaz e imaginou que fosse ele, passando a conversar com esse rapaz, que segundo ela dava a entender que era ele.
                Conforme a consulente o tal rapaz “adivinhava” coisas sobre ela no momento, como a roupa que ela estava vestindo, se estivesse comendo alguma coisa ele sabia e dizia o que era, etc. Ela afirma que entrou em outras salas de bate-papo (em português) e lá tbm encontrava algum rapaz que “adivinhava” as coisas e ela achava que era o mesmo rapaz. Na mente dela ele tinha o “dom” da clarividência. Isso durou mais de dois anos e depois ela acabou deixando de lado.
                Ela acreditava ter desenvolvido “poderes” como a clariaudiência e telepatia na tal escola iniciática e começou a ouvir os pensamentos “dele” (supostamente do tal músico) tentando se comunicar com ela, além de sentir “toques” pelo corpo. Tbm passou noites sem dormir onde fazia movimentos involuntários com os braços, pernas ou pés, por “comandos” dele.
                Na tal escola iniciática disseram que era coisa da cabeça dela. Há mais de um ano está em tratamento num centro espírita através de passes. Nada dá certo na vida da consulente, nem trabalho nem amor, e ela que agora acredita ser vítima de obsessão, acredita que algum obsessor, algum ser das trevas, seja a causa de seu infortúnio e a tenha enganado esse tempo todo.
                Ao verificarmos a situação da consulente encontramos o seguinte:

                Vampiros

                Encontramos um castelo na dimensão astral com um enorme salão cheio de mulheres jovens, algumas apáticas, outras em choro convulsivo. A maioria dessas jovens é encarnada e estão ali em desdobramento, presas por uma energia que circunda o castelo e as impede de sair.
                Quando começamos a enviá-las de volta ao corpo surgiram três vampiros, femininos, com enormes presas e com pequenas asas e pés peludos. Um desses vampiros é a própria consulente. Os outros dois seres não possuem corpo físico, são desencarnados. Prendemos esses dois juntamente com a consulente.

                Quem gerenciava o local era uma outra mulher encarnada, que apareceu no salão nos desafiando. Era muito bonita e pomposa, e usava um vestido com uma gola alta. Essa outra mulher é a mãe da consulente. Tbm foi presa e teve sua mente apagada.
                O dono do castelo, o vampiro mor, estava tentando se ocultar mas foi localizado e preso. Ele tentou hipnotizar a nossa médium que estava no castelo mas não teve sucesso e foi preso.
                Era esse vampiro quem brincava com a consulente nas salas de bate-papo virtuais e produzia os “fenômenos” que a assombravam. Quando ela entrava nessas salas ele a desdobrava e ela mesma é quem intuía quem estava conversando com ela sobre o que dizer. A finalidade era justamente manter ela ocupada aqui com essa ilusão romântica para que ela não gastasse energia (sexual) com algum namorado e ficasse mais tempo desdobrada servindo a ele no astral.
                A ligação da consulente com esse vampiro vem de longa data.

                Ocultismo

                 Um jovem casal desfila pelas ruas de Paris chamando a atenção por onde passa, por sua elegância e beleza. Uma aura de mistério os circunda, provocando fascínio e medo nas pessoas que de alguma forma tem contato com eles. O que acontece no interior da grande mansão em que moram entretanto, supera em muito a imaginação dessas pessoas.
                Os dois são ocultistas e realizam os mais diversos experimentos. Sua obsessão é a juventude eterna e para se manterem jovens e belos estudam com afinco as práticas de vampirização energética sexual, onde se retira o fluído vital (ectoplasma) do parceiro (vítima) durante o ato sexual.


                Apesar de serem casados, para se manter jovens tanto o homem quanto a mulher fazem sexo com outras pessoas, para poder extrair delas o fluído vital. Foi visto um dos momentos onde a consulente naquela vida fazia sexo com um homem e quando ele chegou ao orgasmo desprendeu uma enorme quantidade de energia vital, que foi absorvida integralmente pela consulente.
                O homem ficou completamente exaurido mas voltou oturas vezes para manter relações com a mulher. Após algum tempo esses homens com quem ela se relacionava adoeciam e morriam, sendo que seus espíritos ficam aprisionados no astral. O mesmo acontecia com as mulheres vitimas do vampiro. Esse episódio que foi mostrado aos médiuns ocorreu no ano de 1347 mas nossa equipe espiritual nos informou que eles conseguiram sobreviver à Peste Negra que devastou a Europa em 1348 e só morream uns sessenta anos depois, num acidente de carruagem.
                Eles estavam viajando por uma região de serra e os cavalos se assustaram com alguma coisa, a carruagem saiu da estrada e rolou numa ribanceira. Essa alguma coisa que assustou os cavalos foi o espirito de uma de suas vítimas de vampirização sexual que havia morrido e queria vingança, mas eles eram tão trevosos que depois de mortos encontraram esse espírito e o aprisionaram por 30 anos no astral, até que por força da reencarnação ele foi atraído para um novo corpo.

                Bruxaria

                A consulente, muito antes dessa vida onde foi ocultista e vampira sexual, foi uma bruxa. Ela vivia próxima a um povoado e, oferecendo comida com uma droga que as fazia dormir, sequestrava crianças que mantinha presas em gaiolas de madeira dentro de uma caverna. Muitas mães acabaram enlouquecendo com o desaparecimento de seus filhos.
                A bruxa tinha um ajudante naquela vida, um homem grande e deformado fisicamente, parecendo um ogro, que na vida atual é o irmão dela. As crianças eram usadas em rituais de magia negra e depois eram comidas pela bruxa e o ogro.


                O local ainda existia no astral e a consulente e seu irmão estavam desdobrados lá. Tbm havia alguns espíritos das crianças mortas presos nessa frequência e tbm algumas das mães. Todos foram libertados, o local destruído e a frequência apagada da mente da consulente e do irmão.

                Conclusão

                O problema da consulente não pode ser enquadrado como um caso clássico de obsessão porque não encontramos ela sofrendo coisa alguma por conta de algum espírito, ao contrário, ela é quem estava fazendo mal a vários espíritos, aliciando moças para um vampiro numa frequência e comendo criançinhas em outra.
                Considerando que a mãe tbm era aliada do tal vampiro deve fazer muito tempo que ela atua nessa frequência com ele, tanto é que sua forma astral estava se modificando (presas, patas peludas e asas). Assim como pelo fato do irmão ter sido ajudante dela na vida de bruxa essa frequência tbm deve estar aberta há muito tempo.

                A consulente vive uma situação de desarmonia espiritual devido a um passado trevoso e tem pesados compromissos kármicos a resgatar. Para piorar crê que possui determinados conhecimentos "iniciáticos" que lhe despertaram "poderes", quando na verdade o que tem é a velha e conhecida mediunidade de prova, ou seja, nasceu com mediunidade por efeito de karma negativo.
               Como a grande maioria que acredita em reencarnação, ela diz que: "... sei que devo ter feito coisas horríveis em vidas passadas pra passar por isso , mas confesso que é difícil acreditar, me considero uma pessoa boa, ... adoro ajudar, ... sei que tenho defeitos mas não consigo ver nada de tão obscuro que justifique tudo isso que passei."
               A questão é que nosso conhecimento sobre nós mesmos é muito pequeno, pois o que sabemos é apenas uma ínfima parcela do que realmente somos. Nossa personalidade na vida atual deriva de diversos fatores contingenciais como a família em que nascemos, suas crenças, cultura, condições econômicas, etc. Imagine que vc já teve milhares de vida aqui nesse planeta e que vc vem reencarnando aqui há centenas de milhares de anos, mas pegue apenas os últimos dois mil anos da história do mundo e faça uma retrospectiva das guerras, crimes, violência, etc. e pode ter a certeza de que vc participou de tudo isso. 
               Se estamos encarnados aqui nesse planeta nessa época é pq ainda não resgatamos nosso karma com ele. Todo o mal que ocorreu no mundo fomos nós que protagonizamos e temos que pagar por isso, essa é a Lei e é pra todos. 
               O karma é uma dívida que pode ser negociada mas depende de atitudes sinceras do devedor. Se nos empenhamos em nos tornar melhores a dívida pode ser parcelada e pagamos um pouco a cada existêcia, mas se decidimos não pagar pq achamos injusto então a cobrança é maior e nos prejudicamos ainda mais.

Gelson Celistre
              

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Avatar

    Avatar é um termo do idioma sânscrito, da Índia, e se refere a encarnação de uma divindade na forma humana. Por exemplo, o guru falecido em 2011 Sathya Sai Baba era considerado por seus seguidores um avatar, uma divindade encarnada. Num sentido mais geral é um espirito ocupando um corpo físico.
    O filme Avatar, de James Cameron, fez muito sucesso recentemente (2009). O filme de ficção científica mostra um mundo distante da Terra, Pandora, onde através da engenharia genética criaram híbridos dos habitantes desse planeta com seres humanos e conseguiram projetar a mente de um humano no corpo híbrido criado, como se o espírito saísse de seu corpo e entrasse no do híbrido, uma espécie de encarnação temporária.

     Na literatura esotérica temos alguns casos semelhantes. Nas décadas de 50 a 80 um escritor inglês fez muito sucesso com livros sobre o Tibet, assinando como Lobsang Rampa. Esse escritor afirmava que ele era um monge tibetano que estava morrendo e que ainda não havia cumprido sua missão aqui na Terra. Por esse motivo ele procurou uma pessoa que estivesse disposta a lhe ceder seu corpo físico e encontrou um homem na Inglaterra, Cyril Hoskins.
     Ele teria então trocado de lugar com esse homem, seu espírito passando a habitar o corpo dele e sendo que o espírito do inglês deixou o corpo, ou seja, tecnicamente o inglês morreu e o monge tibetano passou a habitar o seu corpo. Ele chamou esse processo de transmigração. Num dos livros do escritor Carlos Baccelli ele relata uma conversa que o Chico Xavier teve com um amigo onde ele (o Chico) dizia que esse fato realmente aconteceu.
     Um outro filme de 2005, A Chave Mestra, tbm aborda esse tema, onde um casal de irmãos troca de corpos através de um ritual de magia negra vodu. Em 1987 o filme Coração Satânico tbm contava a história de um homem que teria trocado de corpo com um outro, que foi sacrificado num ritual satânico.
     Temos conhecimento de que esse procedimento é possivel de ser realizado e que de fato muitos magos negros o utilizaram através dos tempos.
     Recentemente em um de nossos trabalhos nos deparamos com um grupo de espíritos querendo usar uma variação desse procedimento para poderem atuar aqui na dimensão física.
     Era um grupo de oito espíritos das trevas, só que estavam desencarnados e pretendiam se apossar do corpo de oito rapazes jovens, que já estavam presos em desdobramento e seriam mortos em breve para que os oito pudessem utilizar seus corpos. Esse grupo de seres contava com a ajuda de um mago negro que dominou essa técnica no passado e que atualmente está encarnado.
     Na vida atual esse mago é uma mulher brasileira que reside na Europa e acabou nos solicitando ajuda devido a alguns problemas que vem enfrentando:

     "Quando morava no Brasil, visitei algumas vezes um centro espírita ... e tive algumas experiencias com psicofonia. Já haviam me falado que teria que trabalhar com minha mediunidade... Minha mae ve um espírito ... desde crianca, que a acompanhou por muitos anos. O meu próprio nascimento só ocorreu porque este espírito falou para ela nao fazer uma operacao para nao ter filhos ... Desde cerca dos 13 anos tenho saído semi-consciente do corpo, porém quando era crianca ja ouvia música que ninguém mais ouvia e coisas do tipo... Enfim, além desse historico, me ocorreu pela 2 ou 3. vez ontem, em que eu, em um sonho ... fazia psicofonia. O idioma que falaram através de mim, eu nao reconheci no sonho, mas "senti" que era uma mensagem extraterrestre... Mas sinto dores de cabecas frequentes, e uma sensacao de que minha mente está anestesiada, apesar de eu estar presente. Também sinto uma certa forca, um peso no pescoco ... e esse "nó" na garganta. Ao lado disso, como disse, moro na ... e esse foi meu grande sonho. Sinto uma ligacao muito forte com aqui e também tenho a sensacao disso estar ligado ao meu passado."

     Em seu estado de vigília ela não tem a menor idéia de seu passado e das coisas que ela faz no astral em desdobramento. Além de agir no astral com essa personalidade de mago negro ela tbm atuava em outra frequência com um grupo de nazistas num experimento com crianças.
     Esse grupo de nazistas tinha como aliado uma entidade extra-terrestre que foi exilada em algum planeta próximo e conseguiu fugir para a Terra. Esse ET estava armazenando energia para poder voltar para seu planeta de origem e era muito parecido com o ET da série de filmes Alien, com a Sigourney Weaver, que fez sucesso nos anos 80/90, e que tbm gerou outra franquia de filmes enfrentando o Predador (Alien X Predador).


   
     Esse grupo nazista era bastante ativo e dentre outras coisas eles sequestravam e prendiam pessoas encarnadas em desdobramento em gavetas em um local semelhante a um necrotério. A finalidade era impedir que essas pessoas depois de mortas acabassem renascendo de maneira involuntária ou por ação das leis divinas, assim eles poderiam administrar o retorno desses espíritos à matéria. A consulente foi um desses espíritos pois foi esse grupo que administrou a reencarnação dela e tbm a intuiu a mudar-se para a Europa.
     Esse trabalho durou cerca de três semanas pois precisávamos esperar que o ET aparecesse na base nazista. Eu fui preso em desdobramento pelo grupo nazista e levado para uma das "gavetas" do necrotério e fiquei lá até que o ET apareceu e então pudemos prendê-lo.
     A consulente tem mediunidade e se não conseguir utlizá-la de modo adequado vai acabar causando grande sofrimento para si mesma e vai tbm piorar bastante seu karma. De fato o que ela sente tem fundamento pois ela foi nazista e era um elemento importante nos planos da organização na existência passada e na atual e ela trabalhava ativamente com esse grupo nazi em desdobramento.
     É comum as pessoas serem influenciadas pela sua encarnação anterior, ainda mais se nela a vida era mais interessante do que na vida atual. Nem sempre o esquecimento que ocorre na reencarnação tem força suficiente para ocultar em nossa mente a vida pretérita e se foi uma vida onde há uma carga emocional muito forte agregada acabamos abrindo a frequência e retornando a ela em desdobramento.
     Os sonhos são janelas para o nosso mundo interior mas o que vemos precisa ser filtrado e analisado pois os conteúdos inconscientes e conscientes se mesclam ante a ação do nosso ego para que não percebamos de fato do que se trata e não nos vejamos como realmente somos.
   
     Gelson Celistre.
   






domingo, 23 de junho de 2013

Círculo de Fogo

     Círculo de Fogo (Enemy At The Gates) é um filme de 2001 inspirado na história real de Vassili Zaitsev, um franco-atirador russo que se tornou herói nacional após sua atuação na Batalha de Stalingrado, em 1942, quando os alemães invadiram a União Soviética. O filme é muito bom, tendo com diretor Jean-Jacques Annaud e no elenco Jude Law, Rachel Weiss e Ed Harris, entre outros.


     Zaitsev sozinho matou cerca de 240 soldados e oficiais alemães em Stalingrado e no final da Segunda Guerra contava com mais de 450 alvos abatidos. Ele se aposentou por ter sido cegado por um morteiro. Morreu em 1991 aos 76 anos e terminou seus dias como operário numa fábrica em Kiev, na Ucrânia.
     Apesar do filme não ser muito atual eu só o assisti na semana passada e só no final é que fiquei sabendo que tinha sido inspirado numa história real e resolvi pesquisar na internet sobre Zaitsev. Após ler a biografia de Zaitsev fomos investigar onde ele estaria agora, depois de morto.
     Descobrimos que as vítimas do franco-atirador Zaitsev o encontraram antes mesmo dele morrer e o prenderam em desdobramento. Quando morreu já estava preso. Estava em um grande barracão, onde havia tbm várias outras pessoas presas, entre encarnados e desencarnados, vigiados por soldados alemães.
     Os prisioneiros que são encarnados são constantemente torturados, tanto como castigo como para sua energia ser extraída mais facilmente. Iniciamos a operação retirando os desencarnados e socorrendo os encarnados, que tiveram de ser levados para um posto de atendimento antes de serem reacoplados aos seus corpos físicos, por estarem muito debilitados. Havia algumas centenas de prisioneiros.
     Dentre esses encontramos Vassili Zaitsev e resolvi conversar um pouco com ele que, incorporado, respondeu algumas perguntas minhas, muito desconfiado e meio assustado. A conversa não foi muito produtiva por ele estar muito inquieto e receoso de falar alguma coisa, pois ainda acreditava estar vivo e ser prisioneiro de guerra. Na verdade era isso mesmo, pois ele estava vivo e era prisioneiro de guerra, só que em outra dimensão e não aqui no físico onde ele pensava estar.

Vassili Zaitsev, em Stalingrado (1942).
     Descobrimos que Zaitsev gostava muito de matar e que para ele não era apenas uma obrigação como soldado em guerra, ele realmente sentia prazer nisso. Essa observação é importante para que as pessoas entendam como funciona o karma, pois se ele cumprisse sua obrigação como soldado sem gostar de matar, seu karma seria bem menor do que ele desejando matar. Ao agregar emoção a uma ação nós a qualificamos e determinamos assim o tipo de karma resultante.

     A Batalha de Stadtlohn

     Zaitsev numa vida passada participou de uma das batalhas da chamada Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) que envolveu várias nações européias no séc. XVII, mais precisamente a Batalha de Stadtlohn (1623), pequena cidade da Alemanha. Durante a batalha a cidade foi atacada por meses e mais de 200 casas foram incendiadas. Num só dia mais de 6.000 soldados foram mortos.
     Encontramos Zaitsev tbm desdobrado nessa frequência e vimos que ele já tinha um instinto violento e cruel naquela época pois em alguns prisioneiros de guerra sob sua tutela vimos ele colocar pólvora na boca deles e os amordaçar com um pano, no qual depois ele ateou fogo, o que fez com que as cabeças dos prisioneiros explodissem e fossem totalmente destroçadas.
     Quando nos percebeu ali ele atacou uma médium com uma baioneta e acabamos literalmente entrando numa luta corporal quando eu intervi, mas consegui derrubá-lo e o paralisei. Além dos soldados mortos nessa batalha ainda havia milhares de civis pois a pequena cidade foi praticamente dizimada durante o conflito. Efetuamos o resgate dos espíritos e fechamos essa frequência de Zaitsev.

     A fortaleza de Stalin

     Como Secretário-Geral do Partido Comunista na União Soviética Josef Stalin ordenou a morte de centenas de milhares de compatriotas por motivos políticos. O total de condenações políticas foi de mais de quatro milhões, entre pena de morte, trabalhos forçados e exílio. Stalin morreu em 1953.
     Após a conversa com o Zaitsev me veio a mente que deveria procurar Stalin. Logo que comandei a uma das médiuns que rastreasse através da mente do Zaitsev onde estaria Stalin ela já sintonizou uma vida passada dele.
     Nessa vida passada de Stalin, que foi na Índia, ele torturava prisioneiros pendurando-os nus de cabeça para baixo em árvores e mandava um homem retirar a pele dessas pessoas, a pele do corpo todo, e com elas vivas. Ele liderava um grupo de uns 40 bandidos que aterrorizavam uma determinada região. Iniciamos com o resgate de vários espíritos que estavam nessa frequência.
     Vinte e oito dos membros daquele bando de marginais estavam desencarnados e se juntaram novamente no astral sob a liderança de Stalin. O bando vivia num local isolado, numa floresta de coníferas na Sibéria, onde ergueram uma base militar, uma grande fortaleza (aproximadamente uns 50.000 m²), cercada por muros altos com cerca de 10 metros de altura. Dentro da base havia vários barracões e prédios baixos, de uns dois andares, que pareciam feitos de concreto. Tbm foram vistas aeronaves similares a aviões modernos, bem como veículos blindados (tanques).
     Eu estava desdobrado lá com uma das médiuns observando o local para definir uma estratégia de ataque, pois havia muitos soldados por toda parte e alguns prédios eram cercados por um tipo de campo de energia. Desarmei um dos soldados, peguei sua arma, o pus para dormir e entrei no prédio que ele vigiava.
     Nesse prédio havia salas de tortura, onde os soldados de Stalin torturavam alemães nazistas que eles capaturaram com a ajuda de vários grupos de judeus com os quais se aliaram na dimensão astral, inlcusive um grupo de judeus liderado por um espírito que já havíamos encontrado há alguns meses e que apelidamos de "justiceiro judeu", e que foi responsável por alguns incêndios que ocorreram recentemente aqui na região sul, em boates e num quartel do exército.
     Esse justiceiro judeu ainda está solto e está determinado a exterminar todos os nazistas que encontrar. Ele está rastreando os nazistas reencarnados e quando os encontra tenta manipular seu karma de modo a fazê-los desencarnar para os prender e torturar no astral, sendo que em várias ocasiões tem obtido um sucesso razoável, como no recente episódio do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria-RS, onde morreram cerca de 242 jovens. Um grande grupo de judeus que morreram nos campos de concentração, sob a liderança desse justiceiro judeu, planejou a morte desses jovens que na vida passada foram todos nazistas. Seu plano só não obteve sucesso total pq muitos escaparam da morte e os que morreram foram socorridos e regatados no astral antes de serem presos por esse grupo de judeus.
     Mas voltando a fortaleza de Stalin, assim como na frequência do Zaitsev, havia prisioneiros desencarnados e encarnados e estes últimos é que eram torturados. Uma das coisas que eles faziam nos prisioneiros nazistas era marcá-los com ferro em brasa com o símbolo da suástica, como se marca o gado, em várias partes do corpo. Estávamos escondidos atrás de um armário e observamos uma dessas sessões de marcação a fogo num prisioneiro. Depois que os torturadores saíram conseguimos libertar o prisioneiro e enviar ele de volta ao físico, pois estava ali desdobrado.
     Enquanto isso nossa equipe de assalto já se posicionava ao redor da fortaleza de Stalin para nos dar suporte na invasão. Para quem acredita que todas as coisas no astral se resolvem com seres iluminados irradiando luz de cima das nuvens com um ar angelical sinto dizer que a tomada de uma base trevosa na realidade não é muito diferente do que acontece aqui no físico, à excessão das armas que são, para nossa visão, futuristas, disparando geralmente raios incapacitantes ao invés de projéteis. Nesse caso isso se reforçou ainda pq a maioria dos espíritos ali acreditavam estar vivos e ainda em guerra. Por este motivo Stalin plasmou um ambiente praticamente idêntico ao que havia no plano físico.
     Abaixo desse prédio havia um bunker imenso, onda havia milhares de corpos amontoados, homens, mulheres e crianças, tanto de desencarnados como encarnados, sendo estes últimos em maior número. Desse amontoado de corpos emanava uma fumaça cinza meio esbranquiçada que era coletada por uma série de canos e que era armazenada em enormes tanques, semelhantes a caixas d'água. Essa fumaça é o ectoplasma que é retirado dos espíritos encarnados que estão ali desdobrados e é essa energia que mantém toda a fortaleza de Stalin.
      Isolamos essa tubulação, o que ocasionou o acúmulo de energia no local e assim pudemos usar essa energia para retirar os desencarnados dali e enviar os encarnados de volta ao corpo. Depois nos dirigimos até os tanques de armazenamento de ectoplasma e os isolamos, criando uma energia ao redor deles que os tornou invisíveis.  Colocamos alguns explosivos pelo local e nos escondemos.
     Entretanto, nosso alvo não era apenas o Stalin, mas tbm um batalhão de 400 spetsnaz, uma tropa de elite altamente preparada para o combate, e fomos informados que eles haviam saído em missão, estavam fora da base, e que teríamos de esperar que todos eles chegassem. Esse contratempo fez com que tivéssemos que mudar os planos pois teríamos que permanecer mais tempo ali aguardando os spetsnaz.


     Já havíamos mexido na fonte de energia da base e eles logo descobririam, os spetsnaz receberiam ordens de não retornar e Stalin fugiria. Para não perder nossos alvos tivemos que nos deixar capturar pelos guardas da base. Fomos presos e torturados durante vários dias; no astral me arrancaram vários dentes a socos e tbm me cortaram fora dois dedos, sendo que coisas similares aconteceram com a médium que estava lá e com um dos nossos soldados que tbm se deixou capturar.
     Quando todos os spetsnaz retornaram Stalin foi com alguns deles até onde estávamos e para finalizar, antes de ordenar nossa execução, trouxe um médico com um arco de pua e abriu um buraco na minha testa, de onde tirou uma parte da minha massa cinzenta para estudo.
     Nesse ponto, com nossos alvos juntos, nossa equipe de soldados invadiu a base e nos resgatou, prendendo Stalin e seu batalhão de elite. Um dos planos de Stalin era o de colocar seus soldados spetsnaz junto a policiais militares e manifestantes nessas manifestações de rua que estão ocorrendo no Brasil, para tentar influenciar algum dos policiais a abrir fogo contra os manifestantes, mediante uma provocação agressiva ou atos de vandalismo. Depois de retiramos todos os soldados da base, Stalin foi retirado dali em um veículo semelhante a um helicóptero e os soldados em vários caminhões. Após a retirada de todos a fortaleza de Stalin foi destruída.
     Em muitos locais do astral, devido a densidade da atmosfera e à baixa vibração, é preciso se utilizar de veículos e equipamentos quase como aqui no físico. Apesar de espíritos de maior envergadura espiritual conseguirem, por exemplo, volitar nesses locais, se eles estão acompanhando outros menos evoluídos que não conseguem fazer isso, eles agem como esses últimos, utilizando os mesmos recursos que eles utilizam, para não os constranger, pois não gostam de demonstrar superioridade, preferindo ocultar suas credenciais espirituais.

Gelson Celistre

terça-feira, 11 de junho de 2013

O alienista

     Consulente com 26 anos, nasceu com uma deformação na válvula aorta que terá de operar. Faz faculdade de informática mas alega que não consegue terminar pois não consegue se concentrar. Diagnosticado com depressão há cerca de três anos, faz tratamento com anti-depressivos e anti-psicóticos. Tem dificuldade para dormir "... porque os pensamentos não me o deixam e costumo ter muitos pesadelos." 
     Boa relação com a mãe mas o pai é meio ausente. Conheceu uma moça ano passado com quem se relacionou intimamente durante um curto período e depois disso sua situação piorou: "Após ela ter terminado esta relação a minha depressão, concentração e vontade de viver piorou muito. Todos os dias penso nela em quase toda a hora, pois ela não me sai da cabeça e isso perturba a minha concentração."
     A princípio não parece ser nada muito grave. A deformação no coração é um estigma cármico, a depressão é resultado de um processo de obsessão espiritual e um amor perdido faz parte da vida, pois é pelo sofrimento que a maioria de nós aprende a respeitar o próximo. Todos os nossos atos geram consequências e em algum momento, na mesma vida onde os cometemos ou numa vida futura, teremos que arcar com essas consequências, como veremos a seguir.


     O alienista

     O consulente estava desdobrado no astral vagando entre uma multidão de espíritos que pareciam alienados, drogados e perturbados mentalmente. Era uma grande quantidade de espíritos só que eles não enxergavam o consulente, apenas sentiam sua presença e essa sensação despertava medo em um uns e ódio em outros. O consulente entretanto os via e ficava apavorado tentando sair desse local mas sem conseguir.  Era como se ele estivesse perdido em meio a uma grande multidão que caminha numa direção e ele se visse obrigado a seguir o mesmo caminho, mesmo querendo ir para outro lado.
     Numa vida passada, no ano de 1831, em Paris, o consulente era um jovem médico alienista (psiquiatra) fazendo experimentos com drogas psicóticas. Não existia ética no meio médico-científico naquela época (será que hoje já existe?) e ele usava os pacientes de um sanatório como cobaias em sua pesquisas. Muitas das cobaias enlouqueceram e mataram outros pacientes do sanatório. Foi visto uma cena daquela vida onde o consulente, um jovem médico com óculos redondos, injetava uma droga na veia de um paciente atado a uma maca por tiras de couro pelos punhos e tornozelos.
     Bem, mas essa situação, dele estar no meio de um bando de espíritos dementes sem poder sair, foi orquestrada por um outro espírito que quer se vingar do consulente. A intenção é que ele enlouqueça e cometa suícidio.

     O aborto

    Numa vida passada o consulente fez uma mulher, que estava esperando um filho dele, abortar. Ela não queria mas ele a obrigou. A mulher nunca se recuperou desse aborto pois queria muito o filho e essa mágoa e tristeza  ela levou para o túmulo.
    O destino dá muitas voltas e acaba provocando o reencontro de espíritos que possuem ligações kármicas, mas quem antes provocou o sofrimento agora o experimenta. A jovem a quem ele obrigou a abortar numa vida passada agora cruza a existência dele por um breve período na encarnação atual, apenas o suficiente para fazê-lo sofrer pela sua perda.
     Mas isso não é tudo. O espírito que seria seu filho naquela existência e ao qual ele negou o direito a vida, está agora no astral, desencarnado, e deseja vingar-se de seu assassinato (aborto) e do sofrimento que o consulente provocou naquela que seria sua mãe.
     Ele encontrou o consulente encarnado e provocou seu desdobramento junto aos espíritos que foram vítimas dele naquela vida como alienista (psiquiatra) a fim de que ele enlouquecesse e tirasse a própria vida. Apagamos a mente do tal espírito e ele foi levado por nossa equipe espiritual. O sanatório ainda existia no astral, cheio de espíritos dementes, uns já encarnados em desdobramento inconsciente, mas a maioria de desencarnados.  Todos foram resgatados e o local foi destruído.

     A eutanásia

     Em outra vida, mais recente, durante a Segunda Guerra Mundial, em 1941, o consulente novamente foi um médico e estando a Alemanha em guerra, acabou sendo nazista e atuou na frente de batalha. Muito prático e muito vaidoso, não queria perder seu precioso tempo tratando de soldados feridos, pois almejava um cargo mais elevado e de maior prestígio.
     Assim, o consulente levava os soldados feridos de seu próprio país aos portões do Valhala, o Salão dos Mortos em batalha da mitologia nórdica, através de injeções letais. Ele pensava: "É mais fácil usar esse procedimento do que esperar um soldado se recuperar, não há tempo para isso ou mesmo pessoas para cuidar de tantos soldados feridos! A eutanásia é a melhor saída nesse momento  E assim ele adiantou o desencarne de uma grande quantidade de soldados feridos em batalha, informando às famílias que a morte fora por outros motivos e não por conta da injeção letal que lhes aplicou.
     Como era nazista e médico estava ligado tbm a uma grande quantidade de judeus mortos em campos de concentração, mais precisamente 8 valas com uma quantidade enorme de corpos amontoados. Muitos deles nem estavam mortos quando foram jogados nessas valas e morreram asfixiados pelo peso dos corpos jogados por cima deles. Resgatamos os espíritos e destruímos o os locais no astral, tanto o hospital de campanha quanto as valas. A energia era tão fétida que nossa equipe espiritual utilizou um tipo de lança-chamas para higineizar o local. O consulente estava dedobrado nessa frequência, ainda bancando o deus da morte, e teve sua mente apagada e a frequência fechada.

     A ordem das bruxas

     Em outra existência o consulente foi um bruxo e fundou uma ordem de bruxos e conseguiu arrebanhar um bocado de bruxas para a tal ordem, fazendo elas trabalharem para ele. Assim, toda energia que elas retiravam das pessoas para as quais elas faziam feitiços, poções, etc., ele acaba recebendo delas.
     Como ele já estava muito velho e sabia que logo morreria, ele usou essa energia para construir um castelo no astral para ele morar após sua morte aqui no físico. No calabouço desse castelo ele aprisionou as pessoas das quais recebeu a energia, tanto os clientes das bruxas como elas próprias. Muitos espíritos estavam presos ainda nesse castelo, alguns já reencarnados inclusive.
     Nessa parte do atendimento o consulente apareceu desdobrado em nossa reunião e disse que já estava bom o que tínhamos feito por ele e que não precisávamos mais verificar nada e que já tinhamos feito mais do que ele havia pedido. Interessante que ele apareceu desdobrado com a aparência que tem agora, mas foi visto que ele estava ali tbm na frequência de bruxo.
     Apagamos a mente dele em ambas as frequências, resgatamos os espíritos aprisionados no tal castelo e o destruímos. O bruxo armazenava a energia num pingente de cristal que usava no pescoço e assim que destruímos esse amuleto ele perdeu as forças e não deu trabalho.

     O feiticeiro

      Por último, mas não menos trevoso, o consulente estava desdobrado em outra frequência relativa à uma vida antiga onde ele era feiticeiro numa tribo primitiva. Nessa tribo eles cultuavam uma divindade a quem ofereciam sacrifícios humanos e o consulente, pra demonstrar que era "forte", sacrificou o próprio filho.
     Para própria infelicidade futura do consulente, esse filho que ele sacrificou naquela existência era o mesmo espírito que várias vidas mais tarde seria seu flho novamente mas que ele obrigou a mãe da criança a abortar. E para piorar a mulher tbm era a mesma, essa por qual ele se apaixonou na vida atual mas que rompeu o relacionamento com ele.
     O consulente foi feiticeiro por muito tempo naquela vida e sacrificou muitas pessoas para a tal divindade. Ocorre que alguns anos após ter sacrifricado o próprio filho, a tal divindade, que na realidade era um demônio, incorporou no próprio feiticeiro e dizimou a tribo inteira, matou a todos, inclusive de algumas pessoas abriu o peito e comeu o coração.
     Quando o feiticeiro deu por si e percebeu o que tinha ocorrido, ficou em estado de choque por um tempo e logo depois, atormentado tanto pela culpa quanto pelos espíritos dos mortos, matou-se.
     O tal demônio a quem eles cultuavam como divindade ainda estava no astral vivendo às custas da energia das pessoas mortas e tbm pela ligação que ainda tinha com o consulente. Era bem exótico esse demônio, o corpo parecia uma chama vermelha e amarelada e tinha chifres e rabo. Mas os nativos da tal tribo não tionham a mínima idéia de como ele era pois o que servia de simbolo para eles era uma pedra, uma rocha. Provavelmente era uma tribo situada em alguma ilhota no Círculo de Fogo do Pacífico.
     O demônio foi preso, as vítimas resgatadas e o consulente teve essa frequência fechada.

     Conclusão

     Não precisa ser expert em reencarnação para perceber a evidente relação entre os problemas do consulente e suas ações em vidas passadas. O problema no coração está relacionado ao ato desatinado dele ter comido corações quando era feiticeiro. Em que pese que estava incorporado pelo tal demônio, o fato aconteceu pq os dois tinham sintonia vibratória, sem falar das pessoas que ele sacrificou, inclusive o próprio filho. Não vamos entrar no mérito da cultura e costumes da tal tribo na época pq a Lei do Karma leva tudo isso em consideração, mas o fato é que se gerou karma para ele é pq ele fez com um certo grau de consciência e por um motivo egoísta.
     O desencontro na vida atual com a tal moça é evidente, já nessa vida antiga ele matou o próprio filho, do qual ela era a mãe. Séculos mais tarde tendo novamente a chance de reparar o erro, obriga ela a cometer aborto. Os problemas de concentração tbm estavam ligados a ações dele no passado, que usava pessoas internadas num sanatório para pesquisar sobre drogas psicóticas e agora vagava no meio delas, sentindo o que eles sentiam. Se demorasse mais tempo ele provavelmente iria se matar, como queria o espírito que orquestrou essa vigança, o mesmo que ele sacrificou numa vida e que fez ser abortado em outra.
     Que melhoras o consulente pode obter de imediato? Com a retirada dos espíritos ligados a ele de várias existência e o fechamento das frequências onde ele ainda fazia o mal para outros espíritos no astral, a carga energética mento-emocional sobre ele se reduziu drasticamente, o que deve provocar uma sensação de alívio, permitindo que ele se concentre em suas atividades normais e durma tranquilamente, sem pesadelos, pelo menos por um tempo.
     Como vivemos todos aqui em função das relações cármicas e pelo passado de trevas do consulente, ele pode vir a abrir outras frequências de outras vidas passadas e atrair para si seres com os quais se aliou em outros tempos. Como e se isso vai acontecer não temos como saber mas sabemos que se o consulente realmente desejar nessa existência ser uma boa pessoa e agir com ética e respeito com os outros seres, pode até levar uma vida normal e produtiva, só depende dele.

Gelson Celistre


quinta-feira, 30 de maio de 2013

A viúva-negra

     Muitas pessoas têm dificuldade em entender o que chamamos de "frequência" e de fato o termo, que foi emprestado da física, pode não ser o mais apropriado para descrever o evento do qual estamos falando, mas por falta de um termo específico e pelo termo já estar "consagrado" no jargão apométrico continuamos usando. Geralmente "frequência" refere-se a uma personalidade de alguém em uma vida passada que por algum motivo está "ativa" na dimensão astral, ou seja, essa pessoa estando atualmente encarnada se desdobra (outro termo inadequado), isto é, seu corpo astral se desacopla de seu corpo físico e se manifesta com a aparência e idéias que tinha naquela vida passada.
     A frequência pode se referir tbm à personalidade que a pessoa assumiu ou desenvolveu num período inter-vidas, entre uma vida física e outra, quando estava na dimensão astral, que é o caso que vamos relatar a seguir.

     A viúva-negra


     Este caso é interessante pois a consulente, em uma das frequências dela que tratamos no astral, apresentava uma aparência zooantropomórfica, ou seja, meio humana meio animal, uma mulher-aranha. Nessa frequência ela aprisionava e vampirizava outros espíritos e armazenava a energia que retirava deles em uma protuberância escura enorme que tinha nas costas; suas mãos pareciam os tentáculos de uma aranha e seus dentes eram enormes e pontiagudos.




     A viúva-negra se mantinha ligada a suas vítimas através de teias que saiam de seu corpo e se ligavam aos outros espíritos. No ninho dessa mulher-aranha havia várias pessoas encarnadas que estavam ali desdobradas num estado de transe, totalmente apáticas.

     Todos foram libertados, as teias foram cortadas e desfizemos essa forma semi-humana da consulente, fechando essa frequência apagando isso da memória dela.

     Magia viking


     Encontramos a consulente atuando desdobrada como feiticeira em outra frequência, num grande barco de madeira, um navio viking. O comandante do navio, um homem ruivo muito forte, atualmente é marido da consulente e logo que nos percebeu ali se manifestou por uma médium dizendo:

     - Vc não devia ter mexido com certas coisas, agora virá pra cá e ficará preso aqui, junto com os outros que se meteram um dia, assim como vc! Esse é seu destino agora!
     O local a que ele se referia era o navio onde ele estava, navegando em alto mar sob uma forte tempestade, para onde ele levou eu e a médium pela qual ele estava se manifestando e nos prendeu, numa cela no porão do navio.
     Junto dele havia uma mulher muito velha, uma feiticeira, com olhos esbranquiçados, como se fosse cega, e foi ela quem criou essa tempestade, com a finalidade de afundar navios e aprisionar a alma dos marinheiros.
     Numa vida passada muito antiga ela auxiliava esse guerreiro viking com magias e sortilégios para as batalhas e depois que morreram eles passaram a trabalhar para o ser que dava força a ela. Esse ser no astral tinha a forma de um gigantesco polvo e de fato mantinha presos os espíritos mortos pelo viking. Muitos já estavam reencarnados mas continuavam desdobrados nesse local, no fundo do mar, sendo sugados energeticamente pelo monstro marinho em forma de polvo.
     Interessante que eu já estava preso numa frequência no porão do navio mas esse polvo gigante espichou um dos seus tentáculos até meu corpo físico e me arrancou dele em outra frequência, me jogando nas ondas desse mar revolto pela tempestade. Enquanto isso a velha feiticeira fazia invocações e gestos que faziam a tempestade ficar mais forte.
     Demos um jeito no tal polvo gigante e apagamos a mente da consulente, que era a velha feiticeira, e do marido dela, o viking. Quando fizemos isso e destruímos o navio, a minha frequência que estava presa no porão, ao invés de retornar ao corpo físico como a médium, afundou e se juntou no fundo do mar com a frequência que o polvo tinha jogado no mar.
     Quando fomos me resgatar encontramos uma cidade submersa em ruínas, com muitos espíritos presos. Tbm havia ali vários navios naufragados com espíritos aprisionados a eles. Resgatamos todos os espíritos.

     O ritual


     Londres, 1329. Numa noite escura vimos uma mulher se esgueirando por entre os túmulos de um cemitério com algumas pequenas capelas e estátuas. Ela veste uma roupa preta com um capuz lhe cobrindo a cabeça.

     Rapidamente ela se dirige a uma cova onde, naquela tarde, um homem fora enterrado. Ela cava o monte de terra sobre a sepultura até encontrar o cadáver, coloca alguns objetos próximos do corpo, olhando ao redor de vez em quando para se certificar de ninguém estar vendo, e de repente do cadaver se desprende uma fumaça tênue, que ela aprisiona num frasco ou cristal.
     A bruxa está ali em busca de energia. Quando estamos vivos produzimos ectoplasma, que é o fluído que os espíritos querem de nós, mas quando morremos, nosso corpo etérico, que é o que produz o ectoplasma juntamente com corpo físico, leva 72 horas para se decompor. Nesse período entidades das trevas, vampiros e bruxos costumam "sequestrar" esses corpos etéricos nos cemitérios para usar a energia em trabalhos de magia negra.
     A bruxa ainda cavou mais algumas covas e em cada uma delas repetiu os procedimentos, extraindo dos cadáveres mais energia. Essa cena se repetiu em várias noites durante algum tempo, até ela ter uma quantidade de energia suficiente para seu propósito.
     Numa pequena propriedade rural próxima da cidade, atrás de um galpão, encontramos a bruxa novamente, mas desta vez ela estava oficiando um ritual.
     No chão de terra iluminado por algumas tochas havia o desenho de um  pentagrama dentro de um círculo e em seu interior havia um homem deitado.
     A bruxa se debruçou sobre o corpo do homem, proferiu algumas palavras como se estivesse invocando alguma coisa e derramou sobre ele os fluídos que ela havia recolhido dos cadáveres no cemitério. Logo em seguida o corpo do homem começou a se transfigurar, ergueu-se e foi ficando maior e criou chifres e um rabo, isso tudo em questão de segundos.
     A finalidade do roubo de corpos etéricos pela bruxa era materializar um demônio no corpo de um homem e ela conseguiu. Saíram dali e mataram muitas pessoas em vários vilarejos, sendo que na hora da morte ela já retirava o corpo etérico e ectoplasma da vítima e incendiava mo corpo físico. Isso ocorreu durante muitos anos, enquanto ela repetiu esse ritual.
     Ela estava com mais de 100 anos já, uma idade que muito poucos alcançavam naquela época (a média de vida era de 40/50 anos em condições normais) quando começou a se sentir fraca e então resolveu pedir para o demônio a quem serviu que dividisse a energia com ela. Ele recusou, provocou a  mortre dela e a aprisionou no astral, onde a encontramos, juntamente com as vítimas deles naquela vida.
     O local onde estavam no astral era escuro e fétido e havia várias valas cercadas por labaredas de fogo, que impediam os espíritos de sair. Uma dica para quem trabalha com esse tipo de ser, demônios e assemelhados, é que a primeira coisa a se fazer num confronto é cortar rabos, chifres, ou qualquer adereço que a criatura tenha de diferente, pois é nessas coisas como rabo e chifres, cascos, que eles armazenam a energia vampirizada de outros seres. Ao se cortar o rabo e os chifres a energia deles diminui instantaneamente.
     Outra providência imediata deve ser a de cortar as ligações do ser com pessoas encarnadas, geralmente através de fios finos, semelhantes ao cordão de prata. Deixando o ser com a própria energia fica mais fácil prendê-lo. Pode-se tbm emitir um comando mental retirando dele toda energia vampirizada, mas isso já exige um pouco mais de força mental e autoridade.
     Uma vez retirada sua força o demônio foi dominado facilmente e o fogo ao redor da valas diminuiu bastante (só não se extinguiu totalmente pq a mente dos espíritos aprisionados ajudava a mantê-lo). Os espíritos aprisionados foram resgatados, a mente da bruxa foi apagada e o local destruído.

     Iniciação em reiki


     A consulente foi iniciada em reiki e resolvemos verificar o que aconteceu durante o ritual de iniciação, embora já soubéssemos que não era nada de bom.

     Vimos uma caverna no astral muito iluminada onde havia um homem com uma roupa branca e pés descalços; era um tipo loiro de olhos claros e aparência jovial, na faixa dos trinta e poucos anos. Do teto pendiam vários amuletos pendurados por fios com símbolos diversos, inclusive os do reiki. Era nessa caverna que se realizava a verdadeira iniciação do reiki que a consulente fez, pois durenta a iniciação ela foi desdobrada e levada para essa caverna, onde o cara de branco colocou nela um colar através do qual ele pode acessá-la e retirar a energia de que precisa.
     Todas as pessoas que fizeram iniciação com esse mesmo mestre que a consulente passaram pelo mesmo processo e estavam sendo vampirizados através desse colar. Rastreamos os iniciados e destruímos os colares, o que já fez a caverna mudar de aparência, assim como o cara de branco, que ficou com a aparência de um velho bruxo, com uma roupa escura.
     O velho bruxo resistiu à prisão, atacando um dos membros de nossa equipe, mas já estava sem muitas forças pois havíamos destruído os colares de onde ele retirava energia dos iniciados. Foi preso e o local destruído.

     O livro negro


     A consulente frequenta um centro espiritualista dominado por estranhos seres que usavam capuzes pontiagudos e reverenciavam um livro negro escrito com letras de fogo em um idioma muito antigo. Todas as pessoas que frequentam esse centro são marcadas com uma energia semelhante à que tem nesse livro e servem de fonte de energia para manter esse livro negro no astral energizado de alguma forma com a energia de pessoas encarnadas.

     Os dirigentes do tal centro não conseguem enxergar esses seres como eles realmente são. Os videntes desse centro enxergam aquilo que querem ver e que é criado por esses seres, como entidades da Umbanda, mestres 'ascencionados', etc.
     Quando encontramos esses seres e os paralisamos para prendê-los descobrimos o motivo de reverenciarem o tal livro negro. Um ser com o corpo de fogo usava o tal livro como um tipo de transformador que convertia a energia coletada dos humanos em um tipo de energia que ele necessitava para viver.
     Nós isolamos o tal livro numa bolha energética e depois o destruímos. O ser de fogo praticamente se apagou quando foi desconectado do livro pois não tinha energia própria. Foi preso.


     É comum encontrarmos esse tipo de situação em nossos consulentes, a pessoa estar desdobrada em várias frequências sem que ela tenha a mínima noção disso. Quando a atividade nessas frequências é muito intensa acaba afetando o corpo físico da pessoa de alguma forma, geralmente de forma reflexa, por exemplo, quem vampiriza no astral sente-se desvitalizado aqui no físico.

     Uma pergunta que sempre me fazem é como evitar de fazer algo "errado" em desdobramento, pq todas as pessoas que atendemos dizerm que não querem fazer o mal para ninguém e que de fato não fazem. Entretanto, somos seres complexos e nem sempre as atitudes que ostentamos aqui na dimensão física refletem nossa índole "real".
     Imagine que vc é um ser que teve milhares ou milhões de vidas antes dessa e o que vc é como espírito é a somatória de tudo isso. Muitas vezes o meio em que vivemos só permite determinados tipos de comportamento, seja por conta da lei, dos costumes, da moral vigente, dos valores familiares, das nossas limitações intelectuais e financeiras, etc.
     Quando nos desdobramos e estamos na dimensão astral muitas vezes acessamos a memória de outras vidas que já tivemos, onde tínhamos outros valores e intenções. Não raro ocorre que nossa índole em vidas passadas recentes era bem diferente da atual e esses valores de vida passada acabam sendo mais importantes para nós do que os que temos na vida atual. Por isso é comum, por exemplo, atendermos mulheres que tem um comportamento sexual recatado aqui no físico mas que no astral fazem sexo compulsivamente, pq na encarnação passada foram prostitutas.
     Mas enfim, para não fazermos coisas erradas em desdobramento a única solução é não desejarmos, realmente, em todas as instâncias de nossa mentefazer coisas erradas. Na maioria das vezes nossa vontade está apenas num nível superficial de nossa consciência e nem sabemos direito o que queremos, ou em outras situações queremos algo que gera conflito em nossa mente.
     O auto-conhecimento e a determinação em eliminar nossos defeitos é o caminho mais seguro para evitarmos de nos desdobrar em frequências negativas, onde prejudicamos outros espíritos e a nós mesmos, agravando nosso karma e retardando nossa saída de mundos primitivos como a Terra.

Gelson Celistre