domingo, 23 de junho de 2013

Círculo de Fogo

     Círculo de Fogo (Enemy At The Gates) é um filme de 2001 inspirado na história real de Vassili Zaitsev, um franco-atirador russo que se tornou herói nacional após sua atuação na Batalha de Stalingrado, em 1942, quando os alemães invadiram a União Soviética. O filme é muito bom, tendo com diretor Jean-Jacques Annaud e no elenco Jude Law, Rachel Weiss e Ed Harris, entre outros.


     Zaitsev sozinho matou cerca de 240 soldados e oficiais alemães em Stalingrado e no final da Segunda Guerra contava com mais de 450 alvos abatidos. Ele se aposentou por ter sido cegado por um morteiro. Morreu em 1991 aos 76 anos e terminou seus dias como operário numa fábrica em Kiev, na Ucrânia.
     Apesar do filme não ser muito atual eu só o assisti na semana passada e só no final é que fiquei sabendo que tinha sido inspirado numa história real e resolvi pesquisar na internet sobre Zaitsev. Após ler a biografia de Zaitsev fomos investigar onde ele estaria agora, depois de morto.
     Descobrimos que as vítimas do franco-atirador Zaitsev o encontraram antes mesmo dele morrer e o prenderam em desdobramento. Quando morreu já estava preso. Estava em um grande barracão, onde havia tbm várias outras pessoas presas, entre encarnados e desencarnados, vigiados por soldados alemães.
     Os prisioneiros que são encarnados são constantemente torturados, tanto como castigo como para sua energia ser extraída mais facilmente. Iniciamos a operação retirando os desencarnados e socorrendo os encarnados, que tiveram de ser levados para um posto de atendimento antes de serem reacoplados aos seus corpos físicos, por estarem muito debilitados. Havia algumas centenas de prisioneiros.
     Dentre esses encontramos Vassili Zaitsev e resolvi conversar um pouco com ele que, incorporado, respondeu algumas perguntas minhas, muito desconfiado e meio assustado. A conversa não foi muito produtiva por ele estar muito inquieto e receoso de falar alguma coisa, pois ainda acreditava estar vivo e ser prisioneiro de guerra. Na verdade era isso mesmo, pois ele estava vivo e era prisioneiro de guerra, só que em outra dimensão e não aqui no físico onde ele pensava estar.

Vassili Zaitsev, em Stalingrado (1942).
     Descobrimos que Zaitsev gostava muito de matar e que para ele não era apenas uma obrigação como soldado em guerra, ele realmente sentia prazer nisso. Essa observação é importante para que as pessoas entendam como funciona o karma, pois se ele cumprisse sua obrigação como soldado sem gostar de matar, seu karma seria bem menor do que ele desejando matar. Ao agregar emoção a uma ação nós a qualificamos e determinamos assim o tipo de karma resultante.

     A Batalha de Stadtlohn

     Zaitsev numa vida passada participou de uma das batalhas da chamada Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) que envolveu várias nações européias no séc. XVII, mais precisamente a Batalha de Stadtlohn (1623), pequena cidade da Alemanha. Durante a batalha a cidade foi atacada por meses e mais de 200 casas foram incendiadas. Num só dia mais de 6.000 soldados foram mortos.
     Encontramos Zaitsev tbm desdobrado nessa frequência e vimos que ele já tinha um instinto violento e cruel naquela época pois em alguns prisioneiros de guerra sob sua tutela vimos ele colocar pólvora na boca deles e os amordaçar com um pano, no qual depois ele ateou fogo, o que fez com que as cabeças dos prisioneiros explodissem e fossem totalmente destroçadas.
     Quando nos percebeu ali ele atacou uma médium com uma baioneta e acabamos literalmente entrando numa luta corporal quando eu intervi, mas consegui derrubá-lo e o paralisei. Além dos soldados mortos nessa batalha ainda havia milhares de civis pois a pequena cidade foi praticamente dizimada durante o conflito. Efetuamos o resgate dos espíritos e fechamos essa frequência de Zaitsev.

     A fortaleza de Stalin

     Como Secretário-Geral do Partido Comunista na União Soviética Josef Stalin ordenou a morte de centenas de milhares de compatriotas por motivos políticos. O total de condenações políticas foi de mais de quatro milhões, entre pena de morte, trabalhos forçados e exílio. Stalin morreu em 1953.
     Após a conversa com o Zaitsev me veio a mente que deveria procurar Stalin. Logo que comandei a uma das médiuns que rastreasse através da mente do Zaitsev onde estaria Stalin ela já sintonizou uma vida passada dele.
     Nessa vida passada de Stalin, que foi na Índia, ele torturava prisioneiros pendurando-os nus de cabeça para baixo em árvores e mandava um homem retirar a pele dessas pessoas, a pele do corpo todo, e com elas vivas. Ele liderava um grupo de uns 40 bandidos que aterrorizavam uma determinada região. Iniciamos com o resgate de vários espíritos que estavam nessa frequência.
     Vinte e oito dos membros daquele bando de marginais estavam desencarnados e se juntaram novamente no astral sob a liderança de Stalin. O bando vivia num local isolado, numa floresta de coníferas na Sibéria, onde ergueram uma base militar, uma grande fortaleza (aproximadamente uns 50.000 m²), cercada por muros altos com cerca de 10 metros de altura. Dentro da base havia vários barracões e prédios baixos, de uns dois andares, que pareciam feitos de concreto. Tbm foram vistas aeronaves similares a aviões modernos, bem como veículos blindados (tanques).
     Eu estava desdobrado lá com uma das médiuns observando o local para definir uma estratégia de ataque, pois havia muitos soldados por toda parte e alguns prédios eram cercados por um tipo de campo de energia. Desarmei um dos soldados, peguei sua arma, o pus para dormir e entrei no prédio que ele vigiava.
     Nesse prédio havia salas de tortura, onde os soldados de Stalin torturavam alemães nazistas que eles capaturaram com a ajuda de vários grupos de judeus com os quais se aliaram na dimensão astral, inlcusive um grupo de judeus liderado por um espírito que já havíamos encontrado há alguns meses e que apelidamos de "justiceiro judeu", e que foi responsável por alguns incêndios que ocorreram recentemente aqui na região sul, em boates e num quartel do exército.
     Esse justiceiro judeu ainda está solto e está determinado a exterminar todos os nazistas que encontrar. Ele está rastreando os nazistas reencarnados e quando os encontra tenta manipular seu karma de modo a fazê-los desencarnar para os prender e torturar no astral, sendo que em várias ocasiões tem obtido um sucesso razoável, como no recente episódio do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria-RS, onde morreram cerca de 242 jovens. Um grande grupo de judeus que morreram nos campos de concentração, sob a liderança desse justiceiro judeu, planejou a morte desses jovens que na vida passada foram todos nazistas. Seu plano só não obteve sucesso total pq muitos escaparam da morte e os que morreram foram socorridos e regatados no astral antes de serem presos por esse grupo de judeus.
     Mas voltando a fortaleza de Stalin, assim como na frequência do Zaitsev, havia prisioneiros desencarnados e encarnados e estes últimos é que eram torturados. Uma das coisas que eles faziam nos prisioneiros nazistas era marcá-los com ferro em brasa com o símbolo da suástica, como se marca o gado, em várias partes do corpo. Estávamos escondidos atrás de um armário e observamos uma dessas sessões de marcação a fogo num prisioneiro. Depois que os torturadores saíram conseguimos libertar o prisioneiro e enviar ele de volta ao físico, pois estava ali desdobrado.
     Enquanto isso nossa equipe de assalto já se posicionava ao redor da fortaleza de Stalin para nos dar suporte na invasão. Para quem acredita que todas as coisas no astral se resolvem com seres iluminados irradiando luz de cima das nuvens com um ar angelical sinto dizer que a tomada de uma base trevosa na realidade não é muito diferente do que acontece aqui no físico, à excessão das armas que são, para nossa visão, futuristas, disparando geralmente raios incapacitantes ao invés de projéteis. Nesse caso isso se reforçou ainda pq a maioria dos espíritos ali acreditavam estar vivos e ainda em guerra. Por este motivo Stalin plasmou um ambiente praticamente idêntico ao que havia no plano físico.
     Abaixo desse prédio havia um bunker imenso, onda havia milhares de corpos amontoados, homens, mulheres e crianças, tanto de desencarnados como encarnados, sendo estes últimos em maior número. Desse amontoado de corpos emanava uma fumaça cinza meio esbranquiçada que era coletada por uma série de canos e que era armazenada em enormes tanques, semelhantes a caixas d'água. Essa fumaça é o ectoplasma que é retirado dos espíritos encarnados que estão ali desdobrados e é essa energia que mantém toda a fortaleza de Stalin.
      Isolamos essa tubulação, o que ocasionou o acúmulo de energia no local e assim pudemos usar essa energia para retirar os desencarnados dali e enviar os encarnados de volta ao corpo. Depois nos dirigimos até os tanques de armazenamento de ectoplasma e os isolamos, criando uma energia ao redor deles que os tornou invisíveis.  Colocamos alguns explosivos pelo local e nos escondemos.
     Entretanto, nosso alvo não era apenas o Stalin, mas tbm um batalhão de 400 spetsnaz, uma tropa de elite altamente preparada para o combate, e fomos informados que eles haviam saído em missão, estavam fora da base, e que teríamos de esperar que todos eles chegassem. Esse contratempo fez com que tivéssemos que mudar os planos pois teríamos que permanecer mais tempo ali aguardando os spetsnaz.


     Já havíamos mexido na fonte de energia da base e eles logo descobririam, os spetsnaz receberiam ordens de não retornar e Stalin fugiria. Para não perder nossos alvos tivemos que nos deixar capturar pelos guardas da base. Fomos presos e torturados durante vários dias; no astral me arrancaram vários dentes a socos e tbm me cortaram fora dois dedos, sendo que coisas similares aconteceram com a médium que estava lá e com um dos nossos soldados que tbm se deixou capturar.
     Quando todos os spetsnaz retornaram Stalin foi com alguns deles até onde estávamos e para finalizar, antes de ordenar nossa execução, trouxe um médico com um arco de pua e abriu um buraco na minha testa, de onde tirou uma parte da minha massa cinzenta para estudo.
     Nesse ponto, com nossos alvos juntos, nossa equipe de soldados invadiu a base e nos resgatou, prendendo Stalin e seu batalhão de elite. Um dos planos de Stalin era o de colocar seus soldados spetsnaz junto a policiais militares e manifestantes nessas manifestações de rua que estão ocorrendo no Brasil, para tentar influenciar algum dos policiais a abrir fogo contra os manifestantes, mediante uma provocação agressiva ou atos de vandalismo. Depois de retiramos todos os soldados da base, Stalin foi retirado dali em um veículo semelhante a um helicóptero e os soldados em vários caminhões. Após a retirada de todos a fortaleza de Stalin foi destruída.
     Em muitos locais do astral, devido a densidade da atmosfera e à baixa vibração, é preciso se utilizar de veículos e equipamentos quase como aqui no físico. Apesar de espíritos de maior envergadura espiritual conseguirem, por exemplo, volitar nesses locais, se eles estão acompanhando outros menos evoluídos que não conseguem fazer isso, eles agem como esses últimos, utilizando os mesmos recursos que eles utilizam, para não os constranger, pois não gostam de demonstrar superioridade, preferindo ocultar suas credenciais espirituais.

Gelson Celistre

terça-feira, 11 de junho de 2013

O alienista

     Consulente com 26 anos, nasceu com uma deformação na válvula aorta que terá de operar. Faz faculdade de informática mas alega que não consegue terminar pois não consegue se concentrar. Diagnosticado com depressão há cerca de três anos, faz tratamento com anti-depressivos e anti-psicóticos. Tem dificuldade para dormir "... porque os pensamentos não me o deixam e costumo ter muitos pesadelos." 
     Boa relação com a mãe mas o pai é meio ausente. Conheceu uma moça ano passado com quem se relacionou intimamente durante um curto período e depois disso sua situação piorou: "Após ela ter terminado esta relação a minha depressão, concentração e vontade de viver piorou muito. Todos os dias penso nela em quase toda a hora, pois ela não me sai da cabeça e isso perturba a minha concentração."
     A princípio não parece ser nada muito grave. A deformação no coração é um estigma cármico, a depressão é resultado de um processo de obsessão espiritual e um amor perdido faz parte da vida, pois é pelo sofrimento que a maioria de nós aprende a respeitar o próximo. Todos os nossos atos geram consequências e em algum momento, na mesma vida onde os cometemos ou numa vida futura, teremos que arcar com essas consequências, como veremos a seguir.


     O alienista

     O consulente estava desdobrado no astral vagando entre uma multidão de espíritos que pareciam alienados, drogados e perturbados mentalmente. Era uma grande quantidade de espíritos só que eles não enxergavam o consulente, apenas sentiam sua presença e essa sensação despertava medo em um uns e ódio em outros. O consulente entretanto os via e ficava apavorado tentando sair desse local mas sem conseguir.  Era como se ele estivesse perdido em meio a uma grande multidão que caminha numa direção e ele se visse obrigado a seguir o mesmo caminho, mesmo querendo ir para outro lado.
     Numa vida passada, no ano de 1831, em Paris, o consulente era um jovem médico alienista (psiquiatra) fazendo experimentos com drogas psicóticas. Não existia ética no meio médico-científico naquela época (será que hoje já existe?) e ele usava os pacientes de um sanatório como cobaias em sua pesquisas. Muitas das cobaias enlouqueceram e mataram outros pacientes do sanatório. Foi visto uma cena daquela vida onde o consulente, um jovem médico com óculos redondos, injetava uma droga na veia de um paciente atado a uma maca por tiras de couro pelos punhos e tornozelos.
     Bem, mas essa situação, dele estar no meio de um bando de espíritos dementes sem poder sair, foi orquestrada por um outro espírito que quer se vingar do consulente. A intenção é que ele enlouqueça e cometa suícidio.

     O aborto

    Numa vida passada o consulente fez uma mulher, que estava esperando um filho dele, abortar. Ela não queria mas ele a obrigou. A mulher nunca se recuperou desse aborto pois queria muito o filho e essa mágoa e tristeza  ela levou para o túmulo.
    O destino dá muitas voltas e acaba provocando o reencontro de espíritos que possuem ligações kármicas, mas quem antes provocou o sofrimento agora o experimenta. A jovem a quem ele obrigou a abortar numa vida passada agora cruza a existência dele por um breve período na encarnação atual, apenas o suficiente para fazê-lo sofrer pela sua perda.
     Mas isso não é tudo. O espírito que seria seu filho naquela existência e ao qual ele negou o direito a vida, está agora no astral, desencarnado, e deseja vingar-se de seu assassinato (aborto) e do sofrimento que o consulente provocou naquela que seria sua mãe.
     Ele encontrou o consulente encarnado e provocou seu desdobramento junto aos espíritos que foram vítimas dele naquela vida como alienista (psiquiatra) a fim de que ele enlouquecesse e tirasse a própria vida. Apagamos a mente do tal espírito e ele foi levado por nossa equipe espiritual. O sanatório ainda existia no astral, cheio de espíritos dementes, uns já encarnados em desdobramento inconsciente, mas a maioria de desencarnados.  Todos foram resgatados e o local foi destruído.

     A eutanásia

     Em outra vida, mais recente, durante a Segunda Guerra Mundial, em 1941, o consulente novamente foi um médico e estando a Alemanha em guerra, acabou sendo nazista e atuou na frente de batalha. Muito prático e muito vaidoso, não queria perder seu precioso tempo tratando de soldados feridos, pois almejava um cargo mais elevado e de maior prestígio.
     Assim, o consulente levava os soldados feridos de seu próprio país aos portões do Valhala, o Salão dos Mortos em batalha da mitologia nórdica, através de injeções letais. Ele pensava: "É mais fácil usar esse procedimento do que esperar um soldado se recuperar, não há tempo para isso ou mesmo pessoas para cuidar de tantos soldados feridos! A eutanásia é a melhor saída nesse momento  E assim ele adiantou o desencarne de uma grande quantidade de soldados feridos em batalha, informando às famílias que a morte fora por outros motivos e não por conta da injeção letal que lhes aplicou.
     Como era nazista e médico estava ligado tbm a uma grande quantidade de judeus mortos em campos de concentração, mais precisamente 8 valas com uma quantidade enorme de corpos amontoados. Muitos deles nem estavam mortos quando foram jogados nessas valas e morreram asfixiados pelo peso dos corpos jogados por cima deles. Resgatamos os espíritos e destruímos o os locais no astral, tanto o hospital de campanha quanto as valas. A energia era tão fétida que nossa equipe espiritual utilizou um tipo de lança-chamas para higineizar o local. O consulente estava dedobrado nessa frequência, ainda bancando o deus da morte, e teve sua mente apagada e a frequência fechada.

     A ordem das bruxas

     Em outra existência o consulente foi um bruxo e fundou uma ordem de bruxos e conseguiu arrebanhar um bocado de bruxas para a tal ordem, fazendo elas trabalharem para ele. Assim, toda energia que elas retiravam das pessoas para as quais elas faziam feitiços, poções, etc., ele acaba recebendo delas.
     Como ele já estava muito velho e sabia que logo morreria, ele usou essa energia para construir um castelo no astral para ele morar após sua morte aqui no físico. No calabouço desse castelo ele aprisionou as pessoas das quais recebeu a energia, tanto os clientes das bruxas como elas próprias. Muitos espíritos estavam presos ainda nesse castelo, alguns já reencarnados inclusive.
     Nessa parte do atendimento o consulente apareceu desdobrado em nossa reunião e disse que já estava bom o que tínhamos feito por ele e que não precisávamos mais verificar nada e que já tinhamos feito mais do que ele havia pedido. Interessante que ele apareceu desdobrado com a aparência que tem agora, mas foi visto que ele estava ali tbm na frequência de bruxo.
     Apagamos a mente dele em ambas as frequências, resgatamos os espíritos aprisionados no tal castelo e o destruímos. O bruxo armazenava a energia num pingente de cristal que usava no pescoço e assim que destruímos esse amuleto ele perdeu as forças e não deu trabalho.

     O feiticeiro

      Por último, mas não menos trevoso, o consulente estava desdobrado em outra frequência relativa à uma vida antiga onde ele era feiticeiro numa tribo primitiva. Nessa tribo eles cultuavam uma divindade a quem ofereciam sacrifícios humanos e o consulente, pra demonstrar que era "forte", sacrificou o próprio filho.
     Para própria infelicidade futura do consulente, esse filho que ele sacrificou naquela existência era o mesmo espírito que várias vidas mais tarde seria seu flho novamente mas que ele obrigou a mãe da criança a abortar. E para piorar a mulher tbm era a mesma, essa por qual ele se apaixonou na vida atual mas que rompeu o relacionamento com ele.
     O consulente foi feiticeiro por muito tempo naquela vida e sacrificou muitas pessoas para a tal divindade. Ocorre que alguns anos após ter sacrifricado o próprio filho, a tal divindade, que na realidade era um demônio, incorporou no próprio feiticeiro e dizimou a tribo inteira, matou a todos, inclusive de algumas pessoas abriu o peito e comeu o coração.
     Quando o feiticeiro deu por si e percebeu o que tinha ocorrido, ficou em estado de choque por um tempo e logo depois, atormentado tanto pela culpa quanto pelos espíritos dos mortos, matou-se.
     O tal demônio a quem eles cultuavam como divindade ainda estava no astral vivendo às custas da energia das pessoas mortas e tbm pela ligação que ainda tinha com o consulente. Era bem exótico esse demônio, o corpo parecia uma chama vermelha e amarelada e tinha chifres e rabo. Mas os nativos da tal tribo não tionham a mínima idéia de como ele era pois o que servia de simbolo para eles era uma pedra, uma rocha. Provavelmente era uma tribo situada em alguma ilhota no Círculo de Fogo do Pacífico.
     O demônio foi preso, as vítimas resgatadas e o consulente teve essa frequência fechada.

     Conclusão

     Não precisa ser expert em reencarnação para perceber a evidente relação entre os problemas do consulente e suas ações em vidas passadas. O problema no coração está relacionado ao ato desatinado dele ter comido corações quando era feiticeiro. Em que pese que estava incorporado pelo tal demônio, o fato aconteceu pq os dois tinham sintonia vibratória, sem falar das pessoas que ele sacrificou, inclusive o próprio filho. Não vamos entrar no mérito da cultura e costumes da tal tribo na época pq a Lei do Karma leva tudo isso em consideração, mas o fato é que se gerou karma para ele é pq ele fez com um certo grau de consciência e por um motivo egoísta.
     O desencontro na vida atual com a tal moça é evidente, já nessa vida antiga ele matou o próprio filho, do qual ela era a mãe. Séculos mais tarde tendo novamente a chance de reparar o erro, obriga ela a cometer aborto. Os problemas de concentração tbm estavam ligados a ações dele no passado, que usava pessoas internadas num sanatório para pesquisar sobre drogas psicóticas e agora vagava no meio delas, sentindo o que eles sentiam. Se demorasse mais tempo ele provavelmente iria se matar, como queria o espírito que orquestrou essa vigança, o mesmo que ele sacrificou numa vida e que fez ser abortado em outra.
     Que melhoras o consulente pode obter de imediato? Com a retirada dos espíritos ligados a ele de várias existência e o fechamento das frequências onde ele ainda fazia o mal para outros espíritos no astral, a carga energética mento-emocional sobre ele se reduziu drasticamente, o que deve provocar uma sensação de alívio, permitindo que ele se concentre em suas atividades normais e durma tranquilamente, sem pesadelos, pelo menos por um tempo.
     Como vivemos todos aqui em função das relações cármicas e pelo passado de trevas do consulente, ele pode vir a abrir outras frequências de outras vidas passadas e atrair para si seres com os quais se aliou em outros tempos. Como e se isso vai acontecer não temos como saber mas sabemos que se o consulente realmente desejar nessa existência ser uma boa pessoa e agir com ética e respeito com os outros seres, pode até levar uma vida normal e produtiva, só depende dele.

Gelson Celistre