segunda-feira, 25 de julho de 2011

O aprendizado pela dor

Existem situações pelas quais nenhum de nós gostaria de passar. Por mais que a gente saiba que a vida não acaba aqui, que existe vida após a morte, que vamos nos reencontrar com nossos entes queridos do "outro lado", etc., ninguém gostaria de perder um filho de repente, assim de uma hora pra outra, ainda mais uma criança.

Esta foi a triste situação pela qual está passando o consulente pois há pouco mais de dois meses, sua filha de  5 anos, que nunca havia tido nenhuma doença grave, teve um mal-estar súbito e morreu em menos de 5 minutos por parada cardíaca, sem que os médicos tenham descoberto o motivo. Ele relatou tbm que quando era criança, em torno de 4/5 anos, ele começou a pensar na morte e sentia um frio por dentro, uma sensação de vazio, como se a morte fosse o fim de tudo. Segundo ele esse sentimento sempre o acompanhou mas está lhe incomodando muito agora que perdeu a filha, apesar dele estar estudando a doutrina espírita.

Todos nós cometemos erros em nossas vidas passadas mas a lei de ação e reação, tbm conhecida como karma, sempre nos oportuniza uma reparação em uma vida futura. A lei é corretiva e não punitiva, mas em muitas situações nós só aprendemos sentindo na própria pele o que fizemos aos outros, ou seja, aprendemos pela dor.

Ao abrirmos a frequência do consulente nos deparamos com a situação de vida passada que gerou este "resgate" na vida atual dele. Ele foi seminarista e trabalhava num orfanato mantido pela sua Congregação e, não soubemos pq motivo, ele matou por envenenamento dezenas de meninas órfãs que viviam ali. Ele misturava veneno em remédios e alimentos destinados às meninas, aleatoriamente, e se comprazia em ficar observando-as e tentando adivinhar quais morreriam.

O local ainda estava plasmado no astral com dezenas de espíritos, das meninas, ainda presos lá, em grande sofrimento. Os médiuns sintonizados com essa frequência sentiram fortes dores abdominais, que era o que sentiam as meninas antes de morrer. Resgatamos esses espíritos e destruímos o local. A filha do consulente foi uma das meninas que ele matou por envenamento naquela existência.

Quando o consulente entrou na sala de atendimento estava acompanhado de um ser meio peludo, que ficou atrás dele e com a mão em seu ombro. Promovemos a incorporação dele, que disse estar apenas "fazendo seu trabalho", que seria evitar que o consulente falasse algo que não devia. Conversei um pouco com o tal ser tentando saber para quem ele trabalhava, que ele disse não saber, mas disse que esses outros seres estão "cuidando" da família dele.

Pedi aos médiuns que localizassem a família que estaria sendo cuidada e eles a encontraram num local umbralino, relegada à própria sorte. Resgatamos a familia e ele, percebendo que o enganaram, nos mostrou o ser de quem recebia ordens e através desse localizamos várias bases e laboratórios trevosos, com muita gente encarnada desdobrada.

Descobrimos que as energias vitais (ectoplasma) que eles coletavam nesses locais eram direcionadas para várias pirâmides espalhadas pelo astral. No interior dessas pirâmides, bem no centro, havia uma mesa redonda, com sete espíritos sentados ao redor, de costas para o centro, que recebiam em suas cabeças a energia da pirâmide, uma espécie de amplificador humano de energia, e a direcionavam para a mesa, onde abaixo havia um espírito com o corpo todo enfaixado, como uma múmia, e coberto por um manto negro com capuz.

Puxamos uma dessas múmias encapuzadas para tentar descobrir alguma coisa mas ela estava irredutível. Retirei o manto e as faixas e descobrimos que se tratava de um ovóide com algum objeto, possivelmente eletrônico, implantado em seu interior, que servia para manipulá-lo à distância. Ele tinha noção do que era (um ovóide) e o implante lhe permitia mais liberdade do que ele teria nessa condição.

Rastreando o objeto encontramos uma pirâmide maior no interior de uma grande caverna onde o mentor de toda essa operação estava. Era um ser muito antigo aqui na Terra e sem uma "forma"definida, além de uma mancha escura. Por conta das pirâmides e das múmias achei que ele estava sem reencarnar desde à época do antigo Egito mas ele disse que usava a forma (pirâmide) apenas para coletar energia e rastreando a mente dele vimos que na época em que os humanos ainda habitavam as cavernas ele já possuia laboratórios e bases no astral. Deve ter sido exilado aqui há milênios e conseguiu evitar a reencarnação até agora pois não conseguimos achar nenhuma vida "física" dele aqui na Terra. Foi preso e será exilado.

Uma curiosidade é que os laboratórios desse ser estavam ligados com vários laboratórios farmacêuticos aqui da Terra, e o "produto" principal que esse ser negociava era a fórmula de remédios para o estômago. Por estar há muitos milênios aquí na Terra ele tinha conhecimento sobre plantas já extintas no plano físico, as quais ele tem o material genético no astral, e que ele inspira aos farmacólogos para a criação de remédios estomacais. O ruim é que cada pessoa que ingeria um comprimido desse remédio criava uma conexão com esses laboratórios no astral e passava a ser desdobrada e vampirizada, tendo sua energia vital sendo canalizada para as tais pirâmides e por fim para ele mesmo. A quantidade de pessoas encarnadas ligadas a esse ser o alimentando era de centenas de milhares.

Quem utilizava os remédios para o estômago
"criados" por este ser se tornava vítima de vampirização.
A esposa do consulente estava desdobrada num hospital de base trabalhando como enfermeira, profissão que ela teve em sua encarnação passada na Alemanha nazista. Ela participava como assistente em pesquisas genéticas com crianças e a informação que nos foi passada é que as experiências que ela fez na  vida passada provocaram uma anomalia genética que ela transmitiu à filha, o que motivou a morte dela.

Invadimos a tal base mas fomos identificados e soou um tipo de alarme, que provocou a explosão de várias salas onde arquivavam os resultados de suas pesquisas e trabalhos. Como eles sabem que estão sendo localizados e suas bases sendo destruídas, estão criando essas bases sem as conectar com uma base central. Os dados coletados e obtidos com as atividades e experiências feitos em determinada base são coletados de forma a não deixar rastros que possam ser seguidos, assim com os comandantes de cada base não possuem informações sobre outras bases, nem sobre atividades nem sobre localização.

Prendemos os nazistas desencarnados que estavam lá, e os muitos que eram encarnados tiveram suas mentes apagadas e foram enviados de volta a seus corpos. A esposa do consulente "deu trabalho" para sair pq não queria abandonar suas atividades. A perda da filha por motivo médico desconhecido aumentou em seu inconsciente o desejo de realizar experiências genéticas, que era o que ela fazia na tal base em desdobramento.

Os médiuns perceberam a presença de espíritos "de terreiro" e fomos averiguar. Na casa do consulente havia vários deles, "trabalhos" e coisas afins. Foram presos e a casa foi limpa. Descobrimos que esses seres eram ligados a trabalhos feitos em cemitério e que se conectaram com o consulente e sua esposa quando da morte da filha deles (a tristeza baixa o padrão vibratório e esses seres conseguem se aproximar e entrar em sintonia).

Por fim encontramos a filha do consulente presa em seu próprio túmulo, acuada por dois seres metidos a exus, portando lanças, que a impediam de sair do túmulo, que ela via apenas como um local escuro. Ela estava muito assustada mas uma das médiuns a pegou nos braços e a entregou a um dos membros da nossa equipe espiritual, não tinha noção de estar morta e tbm não dissemos a ela no momento do resgate. Apenas a resgatamos e confortamos, oportunamente ela saberá o que ocorreu.

Pelo que o pai falou sobre ela e pelo que os médiuns perceberam, é um espírito que sabia o tipo de resgate que teria que realizar nessa vida e que não se revoltou, ao contrário, levou muita alegria e amor aos que conviveram com ela. Apesar de estar "presa", os espíritos malignos não conseguiam fazer mal a ela e esse período de pouco mais de dois meses que ficou nessa situação deve ter sido para ela resgatar mais alguma coisa de vidas passadas.



Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário