domingo, 15 de agosto de 2010

Nazistas e dragões

     A consulente nos procurou para esclarecer um fato que ocorreu com ela anos atrás. Por ocasião de uma audiência de separação judicial a juíza que presidia a sessão solicitou que ela viesse conversar com ela noutro dia. Ela compareceu e a tal juíza a acusou de ser nazista, ao que ela retrucou dizendo que não, pois nunca se interessara por história e muito menos por nazismo. A tal juíza disse a ela que 'viu' junto dela durante a audiência um soldado nazista (espírito) e a aconselhou a ler alguns livros sobre espiritismo. Ela parece ter lido alguns livros sobre espiritismo mas a questão do 'nazismo' não ficou bem esclarecida para ela.



     O problema maior é que ela teve um filho com um homem do qual se separou antes mesmo da criança nascer e vida matrimonial deles foi muito tumultuada, com a família dela sendo contra e o marido sendo muito ciumento e possessivo. Após a separação ele nunca procurou o filho, que agora tem quase dez anos e quer conhecer o pai. O tal homem tinha duas filhas de um casamento anterior e tbm as abandonou sem nem querer saber como estão.

     Após ela relatar sua história, já se encontrava presente um cientista-médico nazista, com o qual passamos a dialogar. Enquanto conversávamos os outros médiuns iam localizando os laboratórios do médico e resgatando os seres ali aprisionados, bem como os destruindo depois. Este médico tinha um laboratório onde atuava e mais cinco que ele supervisionava os trabalhos, foram todos destruídos. Havia tbm um pântano lodoso onde eram jogados os 'dejetos' humanos vítimas de suas experiências, um local fétido e onde jazia uma quantidade considerável de seres que foram cobaias nesses laboratórios. Foram todos resgatados.

     A história deles era a seguinte: na vida anterior a essa, a consulente, seu ex-marido e o tal médico eram todos nazistas. Ela era enfermeira e assistente desse médico e o ex-marido era major do exército alemão. O tal major gostava de matar e torturar e se achava 'maior que a causa', segundo nos dissera o médico (essa parte talvez não seja exatamente assim como ele nos contou mas não tivemos como investigar mais)  e este disse ter recebido ordens de eliminá-lo, bem como a outros oficiais 'inconvenientes'.

     A enfermeira foi encarregada de seduzi-lo e depois envenená-lo, o que fez com maestria tal que o major se apaixonou por ela. Quando ela o envenenou ele percebeu e morreu olhando nos olhos dela, que demonstrava uma cruel frieza e nenhuma compaixão. Acontece que essa enfermeira tinha um 'caso' com o médico e ficou impertinente, exigindo dele que se separasse de sua mulher para ficar com ela. Teve o mesmo fim do major. O médico lhe injetou um veneno e a matou. Segundo ele o veneno era tão eficaz que fez com que as veias da cabeça dela explodissem. Esse médico disse que foi a julgamento no final da guerra e que foi condenado.

     O major tinha um 'pupilo' naquela vida, um oficial subalterno que o idolatrava, e quando morreu, o major achou que este o traíra juntamente com a enfermeira, sendo corresponsável por sua morte. O pupilo por outro lado ficou com ódio da enfermeira por ter matado seu ídolo. Aquele jovem pupilo é na vida atual o filho da consulente (cujo pai é o major). Com o tal médico não havia o que fazer, não queria ajuda de nenhum tipo e foi levado por um dos guardiões do nosso grupo.

     Enquanto conversávamos o ex-marido da consulente apareceu desdobrado, vestido a caráter com seu uniforme de major, muito revoltado e dizendo que não aceitava interferência na sua vida, que não queria saber da mulher (a consulente) nem do filho, etc. Enquanto o major esbravejava, outros médiuns perceberam a presença no recinto de dois 'dragões'. Pedi para verificarem o que eles queriam e nos disseram que estavam ali 'apenas' para garantir o 'livre-arbítrio' do major, que fazia parte de suas 'fileiras' e que estava com eles por livre escolha. Consultando nossa equipe espiritual fomos orientados a não interferir nas escolhas do major e a deixar os dragões partirem.

     Quanto à consulente, depois de morrer na vida passada ela foi direto para o império dos dragões, ficou algum tempo por lá, até que pediu auxílio e um ser 'de luz', que no passado fora um 'amor' dela, ouviu suas súplicas e intercedeu por ela, ficando como uma espécie de 'avalista' espiritual da consulente. Ela passou por vários tratamentos depois que deixou os dragões pois sua vibração era tão baixa que seu corpo parecia revestido de escamas.

     Descobrimos ainda que a consulente e sua atual mãe e irmã já foram bruxas no passado e que eram inimigas do 'major', nessa vida faziam muitas experiências de magia e feitiços, inclusive com humanos, e um dos irmãos da consulente foi uma dessas vítimas naquela vida, sendo que sua esposa atual era a mesma daquela existência.

     Mais um caso de nazistas na ativa no astral e de encarnados atuando em desdobramento em locais trevosos. Esse 'major' deve ser importante para os dragões pois se arriscaram vindo garantir seu 'livre-abítrio' e provavelmente está perdendo a última oportunidade que tem aqui na Terra, é um forte candidato ao exílio.


Gelson  Celistre.

9 comentários:

  1. Gelson

    Tem noção do que é esse "imperio dos dragões"?? Ja li a respeito em outro blog, queria saber se trata dos mesmos.

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    Os dragões são uma classe milenar de espíritos devotados ao mal, que habitam as regiões abismais da dimensão astral. Alguns livros que tratam do assunto: Legião, Senhores da Escuridão e A marca da besta, do Robson Pinheiro e Os dragões - O diamante no lodo não deixa de ser diamante, de Wanderley Oliveira.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. O que li a respeito foi exatamente desse livro:"Legião, Senhores da Escuridão"

    ResponderExcluir
  4. qual a relação dos Magos com os Dragoes???
    tem causado forte duvida sendo que existem livros que retratam que os Dragoes são os Soberanos e os magos simples marionete e vice-versa em outros livros.
    ha tbm a descrição do perispirito destes ,entre outros fatores que levam mais duvidas ainda,etc

    ResponderExcluir
  5. Esses nomes são apenas nomenclaturas. Todos que manipulam a energia com seu poder mental são magos, inclusive os dragões.
    Na organização draconiana existem vários graus de hierarquia, assim como os seres que chamammos de magos podem ter vários graus de conhecimento e poder adquirido.
    A diferença maior parece ser na intenção, os dragões pensam em termos de ações coletivas, globais, querem o poder absoluto, já os magos de diversos graus costumam estar envolvidos com sentimentos passionais contra uns e outro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. GELSON,ACHEI MUITO INTERESSANTE POR COINCIDIR TANTO COM O ATENDIMENTO QUE FIZEMOS NO PORTO JANGADA EM FORTALEZA,EU NUNCA TINHA LIDO SUAS POSTAGENS,E FOI BEM PARECIDO,A LAMA FÉTIDA ,OS DRAGÕES,OS NAZISTAS...É MAIS UMA PROVA DE COMO A APOMETRIA CONSEGUI IR TÃO LONGE!ABRAÇOS
    DANIELA

    ResponderExcluir
  7. Os que temos encontrado até agora e dos que temos informações pela literatura sim.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Hum. Creio existir, por leituras, sentimento e intuição, dragões mais, digamos, elevados.

    ResponderExcluir