segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Dependente químico

O vício das drogas é algo muito difícil de superar e requer muito esforço e dedicação por parte do dependente. Atendemos um rapaz viciado em cocaína que se conscientizou que a droga está fazendo mal não apenas a ele mas a seus familiares tbm e que resolveu se tratar. Salientamos a ele que é imprescindível a desintoxicação do corpo físico, preferencialmente numa clínica especializada em recuperação de drogados e que se ele não mudar seu padrão mental pouco adiantaria o atendimento espiritual. A situação que encontramos foi a seguinte:
O espírito de uma moça viciada em cocaína que morreu há cerca de 5 meses num acidente automobilístico era um dos muitos espíritos viciados que estava acompanhando o rapaz e o tratamento que efetuamos nela foi compartilhado pelos demais. Tentamos demonstrar a ela que estava se prejudicando com a insistência em continuar no vício, além de estar tbm induzindo o rapaz a se viciar mais ainda pois ela agia na mente dele para que ele fosse atrás da droga. Ela disse que agora que estava morta mesmo não precisava se esconder e podia cheirar enquanto quizesse. Seu estado era tão deplorável que logo que sentiu a presença dela uma das médiuns já começou a sentir uma coceira no nariz e a fungar.
Apesar dela não querer conscientemente deixar o vício, nem os demais espíritos que acompanhavam o rapaz, parti do princípio de que estavam todos 'fora de si' e resolvi tratá-los sem o seu consentimento. Dei uma ordem a ela, um comando mental, para que ficasse 'sóbria' daquele momento em diante, e que nenhum tipo de droga, seja cocaína, crack, álcool, etc. lhe faria perder a consciência, mesmo que ela quizesse. Ela ficou irritada e disse que iria procurar um 'macumbeiro' para desfazer o que eu fiz mas lhe disse que não adiantaria. Ela foi adormecida e levada para o hospital, juntamente com os demais espíritos que acompanhavam rotineiramente o consulente.
Após isso nos deparamos com uma cena estranha, três espíritos de negros mantinham uma frequência do consulente desdobrada e presa dentro de um narguilé. Na vida passada anterior a essa o consulente era traficante e usuário de cocaína e esses três negros eram seus meio-irmãos por parte de mãe. Ele era 'branco' e eles diziam que se arrependeram de confiar nele, pois ele usava mais a droga do que vendia. Eles disseram que ele morreu 'cheirando' e que no tempo deles era normal misturar outros produtos com a droga. Eles teriam dado uma 'forcinha' para que o consulente morresse de overdose; um deles, o líder, inclusive disse que eles na época chamavam de 'suicídio' e que não usavam o termo overdose.
Ele estava reticente em largar o consulente e um dos médiuns captou uma outra vida passada deles onde cada um desses negros era o líder de uma tribo africana e que o consulente, que era branco, conquistou a confiança deles e os traiu, escravizando todos os membros dessas tribos e os vendendo no Novo Mundo.  Pedi aos médiuns que entrassem nessa frequência e resgatassem todos que pudessem e ainda havia muitos deles em sofrimento no astral, alguns que morreram de doenças na viagem pelo Atlântico e que foram jogados no mar, etc.
Após isso a equipe espiritual nos disse para 'chamar a mãe' deles e foi algo até cômico. A mulher já está encarnada mas veio rapidamente e quando lhe dissemos o que eles faziam (ela na vida passada não sabia que eles traficavam drogas) ela deu uma esculhambação neles e desceu a bolacha nos crioulos, enxotando-os para onde estavam os membros da equipe espiritual.
Comentando sobre os locais onde o consulente costuma comprar drogas, se apresentou o espírito de um homem com uma iguana enrolada no pescoço. Ele é encarnado e é o 'dono' de uma 'boca' onde o consulente costuma comprar drogas. Falou que estávamos nos metendo nos negócios, etc. Teve a memória apagada e foi reacoplado ao seu corpo físico. Aproveitamos e fizemos uma varredura em todos os pontos de droga onde o consulente já esteve; pedindo para ele lembrar de cada um deles nossa equipe espiritual passou nesses locais e resgatou os seres que ali estavam e que tinham condições de receber ajuda.
Logo o 'verdadeiro' dono da boca, um ser desencarnado especializado em vampirização, se manifestou.
Este ser, que era um policial corrupto em sua última existência carnal e atualmente comandava mais de mil pontos de venda de drogas espalhados pelo mundo. Quando desencarnou caiu para regiões umbralinas mais densas e foi cooptado para trabalhar em uma organização maligna. Subiu de posto e atualmente detinha um cargo de poder do qual não queria largar mão. Efetuamos o resgate dos espíritos ligados a ele e o deixamos para conversar com nosso pessoal do astral.
Esperamos que o consulente consiga ter força de vontade suficiente para se livrar desse vício pois os danos ao organismo dos usuários de drogas os acompanha em vidas futuras até que eles mesmos consigam se libertar desses grilhões que eles mesmos criaram para si.
Abraço.

Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário