quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Síndrome do Pânico e Pacto

Essa semana atendemos uma pessoa com síndrome do pânico, a ponto de a mesma não sair mais de casa. Ela estava sintonizada em uma vida passada onde era mantida em cativeiro pelo marido por muito tempo até que em determinada ocasião o matou a pauladas e enterrou no interior de um galpão que havia nos fundos da casa onde morava. Terminou aquela existência sozinha naquele local, bastante velha, e ficou muito tempo ainda vivendo ali depois de desencarnar, sem perceber que havia morrido, até que foi resgatada. Houve uma série de circustâncias nesta existência que a levaram a se conectar com aquela vida passada pq despertaram nela sensações de medo e impotência diante de fatos de sua vida atual: uma relação muito conturbada com o pai, o recebimento como seu filho daquele marido que ela matou (e que nasceu com deficiência mental e motora), etc. Ela tbm sentia uma sonolência muito grande durante o dia e não conseguia dormir à noite, possivelmente pq se deslocava em desdobramento para aquele sitio onde teve aquela vida infeliz e que ainda estava plasmado no astral.
No atendimento tbm observamos a presença de um espírito desencarnado junto dela e que estava lhe sugando as energias. Este ser não era mau, queria até ajudá-la e pensava que estava fazendo isso. Era um companheiro dela de muitas existências e ambos haviam feito um pacto de um não abandonar o outro. Ocorre que devido à sua própria condição evolutiva ele não apresentava um padrão vibratório muito bom e estava inconscientemente vampirizando sua amiga encarnada.
Conversamos com ele e explicamos a situação, oferecendo-nos para ajudá-lo, o que ele aceitou. Tbm o informamos que após ele ser atendido e estando em boas condições, poderia voltar a ficar junto dela se assim o desejasse.
O tratamento do pânico que ela sentia foi feito com o desligamento daquela sintonia e a substituição de registros em sua memória subconsciente ativa por uma cena onde ela caminhava na rua entre muitas pessoas e estava muito feliz, sem medo algum e o "desmanche" daquele sítio astralino, que ainda apresentava uma carga emocional negativa muito forte e fétida. Logo que respondemos o e-mail que recebemos dela, e antes mesmo de termos feito a sessão de atendimento, ela já começou a conseguir dormir à noite, apesar de continuar ainda bastante sonolenta durante o dia. A cura total depende de uma séria de fatores sobre os quais não temos controle mas ela está se mostrando bastante confiante e tem boas chances de sucesso.
Abraços.

GELSON CELISTRE

Um comentário:

  1. Nossa!!! Que maravilha esse relato. Cada vez mas me conscientizo que estou no caminho certo. Creio que vou ter tempo de me libertar dessa Sídrome do Pànico. Afinal são 40 anos com ela.
    Obrigada

    ResponderExcluir