quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Piratas energéticos

     Em nossa última reunião nos deparamos com um grupo de espíritos que realiza uma atividade bastante curiosa, o 'tráfico' de energia (ectoplasma). Em sua última encarnação, no século XIII, eram um bando de piratas e viviam do saque e da pilhagem. Ao desencarnarem, no astral, permaneceram com suas atividades e se 'adaptaram' ao ambiente. Passaram a roubar energia de grupos espíritas.

     Possuíam um tipo de garrafa transparente, semelhante ao vidro, onde armazenavam a energia retirada dos grupos mediúnicos, à qual misturavam outros fluídos de baixa vibração a fim de poderem absorver um pouco dessa energia e o restante era 'vendido' ou 'trocado' com entidades trevosas. O líder deles estava tão 'ligado' nesta atividade que quando lhe propus que aceitasse nossa ajuda e lhe disse que ele seria levado a um hospital no astral ele imediatamente pensou que lá poderia obter (roubar) muita energia e pensava em como fariam para manipulá-la.

     Enquanto conversava com este ser incorporado numa das médiuns, um outro ser dançava freneticamente ao redor do grupo mediúnico lançando feitiços sobre nós. Paralisei o ser e continuei o diálogo com o tal líder; como se mostrava reticente e só pensava em 'roubar' nossa energia, já estava a ponto de enviar todos para longe dali, estavam todos sentados de pernas cruzadas no chão ao nosso redor, dentro de uma bolha quando um deles disse a outro médium, num tom meio jocoso:

- Levamos tanto tempo pra te encontrar capitão, e já vai nos mandar embora?

     Indaguei a quem ele se referia e disseram que era comigo. Eu fazia parte daquele bando de piratas e parece que houve alguma 'divergência' de opinião e esse grupo foi degredado. Parece que todos tinham muito medo de mim e disseram que eu era muito mau. O ser que estava incorporado tinha uma espada cravada nas costelas, retiramos e 'curamos' ele, que se impressionou com minha 'magia', assim como os demais. Curamos os demais e todos queriam saber como eu adquirira aquele 'poder'. Por fim, após muita conversa, eles aceitaram nosso auxílio e foram levados pela equipe espiritual.


GELSON CELISTRE

Nenhum comentário:

Postar um comentário