segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Onde fica o umbral?

     Muito se fala em umbral na literatura espírita, termo que foi popularizado pelos livros do espírito André Luiz, psicografados pelo médium Chico Xavier. Apesar de nos livros o umbral ser descrito como uma região da dimensão astral, muitos espíritas ou pessoas com algum conhecimento do espiritismo, acreditam que o umbral é apenas um estado de espírito, algo que só existe na mente daquele espírito em razão de seus pensamentos e/ou sentimentos.

Imagem de como seria a colônia espiritual Nosso Lar.
     Se analisarmos do ponto de vista funcional, o umbral equivaleria ao purgatório dos católicos, um local intermediário para onde vão as almas que ainda tem salvação, e penso que a intenção do uso do termo foi essa mesmo, mostrar que existe um local para onde vão as pessoas "comuns", que não são "santos" mas que cometeram seus "pecadinhos".
     No livro mais conhecido do espírito André Luiz, que até virou filme, Nosso Lar, é contada a história de um médico que após sua morte ficou por cerca de oito anos numa região meio escura, povoada por espíritos atormentados, até que se arrependeu sinceramente e, após uma oração, apareceu um grupo de espíritos socorristas que veio resgatá-lo e o levaram para uma colônia astral, uma cidade, chamada Nosso Lar. A conotação religiosa do episódio do médico André Luiz é bem evidente, com o arrependimento e a consequente "salvação". 
     Esses livros do André Luiz trouxeram muitas informações novas sobre a realidade do mundo espiritual que não foram bem aceitas pelos espíritas mais ortodoxos, aqueles para os quais tudo que não está nos livros de Allan Kardec é falso, embora o próprio codificador da doutrina espírita tivesse dito que outras informações viriam depois dele. Para este grupo de espíritas o umbral seria apenas uma criação da mente do espirito, como se ele estivesse em suspensão no espaço vivenciando as situações apenas em sua mente, como se fosse um delírio ou fantasia.
    Mas de fato o umbral é uma região, ele existe realmente na dimensão astral, assim como existem aqui no plano físico países e continentes. A diferença é que na dimensão astral o que existe está em diferentes dimensões e se acessa pela frequência, ou seja, pelo estado energético que o espírito apresenta. O umbral é uma faixa de frequência. Se fizéssemos um comparativo com as estações de rádio FM, que nas Américas varia entre 87.7 e 108 MHz, poderíamos situar o umbral no meio dessa escala, entre os 94 e 102 MHz. 
     As regiões que ficam abaixo e acima dessa faixa, a grosso modo, seriam o inferno e o céu. O "inferno" é uma região abismal, local de energia muitíssimo densa, para onde vão os espíritos realmente muito ruins, e o "céu" são as regiões superiores, onde habitam os "espíritos de luz", seres que após incontáveis vidas na matéria aprenderam a lição e evoluíram, não necessitando mais reencarnar em corpos materiais. 
     A Terra na dimensão física, onde estamos vivos agora, se localiza no umbral, ou seja, nós já vivemos no umbral, só que ainda temos corpos físicos. Quando morrermos se tivermos evoluído um pouco acima da média, vamos flutuar como se fôssemos um balão com hélio e vamos nos situar na dimensão astral nas partes menos densas do umbral, geralmente onde se localizam as colônias espirituais como Nosso Lar. Por outro lado se formos pessoas muito ruins, bandidos, assassinos, etc., vamos para as regiões mais densas (baixas) do umbral, sendo que alguns muito ruins já caem para as regiões abismais. A maioria entretanto fica por aqui mesmo, ligados aos familiares ou a situações que os mantém muito próximos dos encarnados.
     O umbral está em toda parte e todos nós após a morte vamos  estar nele, alguns por pouco tempo por possuírem um pouco mais de evolução ou por terem obtido merecimento para serem resgatados para alguma colônia e outros porque não possuem grau evolutivo nem mérito para sair dele (a grande maioria).
     É possível transitar pelas várias faixas do umbral, mais ou menos densas, mas isso depende da condição de cada espírito. É como aqui, podemos mergulhar sem equipamento por alguns minutos, mas se for muito tempo precisaremos de roupas especiais de mergulho, oxigênio, etc. No baixo astral também, podemos passar por lá rapidamente sem proteção mas se for demorar é preciso equipamento especial. Para chegar nas regiões menos densas é o mesmo, espíritos "comuns" não conseguem chegar nelas sozinhos pois a densidade de seu corpo astral não permite; seria como a gente querer voar aqui na Terra, para conseguir só com uso de equipamentos (asa delta, avião, foguetes, etc.). É por isso que na literatura espírita é sempre difícil um "morto" em uma colônia vir visitar um parente vivo, porque ele não consegue vir sozinho e isso demanda o auxílio de outros espíritos mais e/ou equipamentos, exige gasto de energia e uma logística e geralmente o espírito que quer não tem merecimento para que se coloque todo esse aparato ao dispor dele, por isso geralmente tem que trabalhar um tempo na colônia até que mereça algo do tipo.
     Por esse motivo também as pessoas que desejam obter comunicação com um ente falecido devem desconfiar de pessoas ou locais que oferecem contato com os mortos com muita facilidade. Será que a pessoa falecida com quem você quer se comunicar merece que se disponha de tempo, energia e pessoal qualificado no astral apenas para que você acredite que ela está "viva" ou para amenizar sua dor? E se ela nem sequer foi resgatada para alguma colônia e está vagando pelo umbral? Será que é fácil localizá-la e trazê-la até você para algumas palavras? De onde vai vir a energia necessária para tudo isso? E a troco de que? É para se pensar.
     Então o umbral não é um estado de espírito, ele existe na dimensão astral e pode ter várias "configurações", assim como temos diferentes ecossistemas aqui no plano físico, com relevo e vegetação próprias, nas regiões umbralinas também temos isso, existem vales e montanhas, assim como florestas e desertos. Também encontramos no umbral construções como temos aqui, casas e prédios. Existem cidades (que os espíritas chamam de colônias) em regiões densas do umbral também, onde existe miséria e favelas, que são administradas por seres maus, assim como existem as colônias do tipo Nosso Lar. 
     Existem também reflexos de construções do nosso mundo, como castelos, aldeias, prédios, pirâmides, barcos, etc, de diferentes épocas da nossa história, que acabam se plasmando no astral por conta de eventos que ocorreram neles e por terem espíritos ligados a eles, mas lá eles são tão reais como aqui, não são uma mera ilusão dos espíritos que habitam neles, todos que passarem por esses locais podem ver e interagir com esses sítios astralinos.
     Algumas comunidades continuam vivendo "no passado", como uma cidade inteira da idade média, uma aldeia indígena, um templo grego, uma pirâmide maia, etc., assim com existem cidades "futuristas", com alta tecnologia. Então no umbral tem de tudo e seus limites não são claramente demarcados. 

Gelson Celistre
     
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário