quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Desdobramento supraconsciente

Há algum tempo tenho notado que eventualmente ocorrem desdobramentos dos quais eu tenho consciência de que estão ocorrendo, mas dos quais não sei o que estou fazendo e nem onde estou. Por diversas vezes já ocorreu isso nas reuniões do meu grupo de apometria e tbm em atendimentos individuais de TVP, quando eu me desdobro e me projeto na frequência onde está o consulente, a fim de resolver alguma situação.
A grosso modo tenho relatado esses acontecimentos como 'desdobramento inconsciente' mas creio que eles se diferem do "inconsciente" propriamente dito pelo grau de consciência em que me encontro no estado de desdobramento, bem como pelo conhecimento de fatos que denotam uma abrangência maior da razão.
Eu diria que enquanto no desdobramento iconsciente que costumamos observar, onde a pessoa no ambiente no qual se encontra desdobrada, tem pouca ou nenhuma noção de que ela tem um corpo físico e tbm que já teve outras existências, nesse tipo de desdobramento, que vou chamar de "supraconsciente", o espírito tem uma capacidade de ação e conhecimento de fatos muito acima da média, como se a mente atuasse num nível mais elevado.
Estes meus apontamentos ainda estão em fase embrionária e creio que esse tipo de desdobramento ainda precise ser bem mais estudado, mas como tenho observado e recentemente ocorreu um outro evento desta natureza, achei por bem relatar. O que ocorreu e me levou a escrever foi o seguinte:
Em nossa última reunião, após termos atendido os consulentes agendados e termos nos defrontado com alguns seres trevosos que estão tentando me impedir de ministrar os cursos de apometria, eu senti que estava desdobrado em algum local e que era preciso fazer alguma coisa. Pedi então para os médiuns sintonizarem comigo e observarem o que eu iria fazer.
Eles me viram no alto de uma grande torre de pedra, observando uma vasta cidade umbralina. O que eu senti era como eu os estivesse esperando para mostrar alguma coisa. Desse local, depois que eles chegaram lá, eu os transportei para um grande salão, num prédio que ficava localizado nessa cidade, com o teto abobadado, onde haviam muitas pessoas. À medida que eu ia caminhando eles se afastavam para abrir espaço e me deixar passar. Alguns proferiam impropérios e demonstravam hostilidade mas eu nem ligava para isso.
Caminhei em direção à lateral daquele salão e, jogada no chão como uma dementada, estava desdobrada ali uma ex-médium do meu grupo de apometria. Quando ela foi localizada uma das entidades disse com arrogância: - Agora que já pegou o que queria pode ir embora!
Entretanto, dirigi-me a outra sala onde haviam várias estantes com livros, tubos com experimentos, objetos, etc. Os médiuns desdobrados me acompanhavam e relatavam o que eu estava fazendo. Quando entrei nesta sala o médium viu eu destruir uma das estantes e queimar tudo que se encontrava nela. Ele viu tbm que havia uma plaqueta com meu nome nesta estante e imaginou que fossem objetos de magia meus que por algum motivo tinham ficado ali de oturas épocas, mas logo que ele pensou isso, ele relatou que eu fiz um sinal a ele para que observasse as outras estantes e ele viu que em cada uma havia uma plaqueta com o nome de cada um dos membros do nosso grupo de apometria.
Após ter-lhe mostrado isso eu destruí todas essas prateleiras e, estando os escombros reunidos no centro da sala, elas foram queimadas. Depois disso eu fiz um gesto para eles, os médiuns ali desdobrados, apontando para cima, e ele viu que sobre nós descia um raio de luz que vinha do alto, e nesse momento todos subimos por este tipo de raio ou túnel de luz, caregando a ex-médium, e retornamos ao nossos corpos físicos. a ex-medium do grupo que resgatamos foi levada para o hospital no astral pois necessitva de tratamento. Nesse tipo de desdobramento supraconsciente o espírito parece ter um conhecimento acima do comum, como se tivesse acesso a informações de uma esfera superior.
Creio que o principal diferencial desse tipo de desdobramento para o inconsciente é que o espírito parece não estar ligado a alguma vida passada específica ou alguma personalidade em particular que ele já viveu, mas parece ter consciência de que ele é mais do que aquilo que já viveu em determinadas existências ou períodos. Seriam esses momentos estados onde nosso 'eu superior' assume o controle de seu veículo de manifestação agindo com um conhecimento de causa acima daquele que nos motiva quando estamos aqui retidos no ciclo carnal? Talvez, espero no futuro ter mais elementos para construir um saber relacionado a esse fenômeno, o desdobramento supraconsciente.
Abraço.

Gelson Celistre.

2 comentários:

  1. Oi Gelson, quando vc tiver mais informações a respeito deste desdobramento supraconsciente, gostaria que as postasse. Achei mto interessante o assunto.
    Lembro-me de ter lido no livro Nosso Lar e em um outro livro do médium Waldo Veira (não me lembro o nome do livro, mas era sobre projeções da consciência). Nos dois livros existem relatos sobre projeções em corpo mental (acredito que tenha sido o Mental Superior ou Espiritual), com a consciência muito mais desperta. Se vc se projetou pelo Eu Superior - ou Atma -, então deve ter sido um desdobramento fantástico.
    Um abraço.
    Thelma de Castro

    ResponderExcluir
  2. Olá Gelson. Já li um livro, não lembro o nome, de um psiquiatra que nas regressões pedia para os consulentes diante de uma situação determinada ver com uma perspectiva superior e perguntava o que deveria ter aprendido naquela existência ou naquela situação. Logo, o consulente respondia com uma visão do seu eu superior isolando aquela existencia e englobando tdo seu aprendizado em outras vidas.

    Em um de seus cursos que eu participei, depois de ter feito uma pratica com os médium, no qual mandou desmanchar uns laboratórios, tive um leve impressão que eu tinha estado lá ajudando no desmanche, tipo um dejavú. No entanto, só estava observando a prática.

    Abraços!!

    ResponderExcluir