segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Ressonância vibratória - Três casos para estudo

     A ressonância vibratória é um fenômeno muito comum e costuma 'abrir as portas' de nosso passado. Ela ocorre de maneira inconsciente, é uma espécie de acesso à nossa memória de vidas passadas, mas pode provocar efeitos em nossa vida atual e em nosso corpo físico. Vou relatar três casos de ressonância com os quais nos deparamos recentemente, a fim de demonstrar suas possíveis causas e variações. Todos os três casos ocorreram com mulheres, os dois primeiros com membros do meu grupo de apometria e o terceiro com a esposa de um dos membros.

Caso 1 - Dançarina indiana



     No primeiro caso ao abrirmos a frequência de uma das médiuns os demais logo a viram desdobrada como uma dançarina indiana, muito agressiva e brava. Junto dela um homem, tbm com muito ódio dela. Logo em seguida eles sintonizaram com a situação que gerou estes sentimentos entre eles.
     O tal homem era uma espécie de marajá indiano, de muitas posses e possuidor de muitos escravos, dentre esses, nossa médium que naquela existência era uma jovem e bela mulher, e que tbm era uma dançarina. Estava ocorrendo um banquete e ela dançava sobre a grande mesa onde eram servidos iguarias e bebidas aos convidados de seu senhor. Voluptuosa e arrebatada, ela se descuidou durante sua performance sobre a mesa e acidentalmente bateu com o pé numa das taças, que derramou seu conteúdo justamente sobre seu mestre. Este, indignado com o fato, ignorou os pedidos de desculpas de sua escrava e, num átimo, retirando da cintura um punhal, cravou-o no pé da dançarina, que ficou presa à mesa pela força do golpe.
     Ela sentiu tanto uma dor lancinante em decorrência da punhalada que sofrera em seu pé, quanto um ódio profundo pelo seu senhor. Mais rapidamente do que ele tinha lhe cravado o punhal, ela o retirou de seu pé e, de um golpe, degolou seu amo, que morreu ali mesmo jorrando sangue pela garganta aberta.
     Ela foi contida e presa, não tendo sido condenada à morte pq tbm era amante do filho de seu amo, que acabou achando bom o ocorrido, pois era o herdeiro da fortuna e título de seu pai. Entretanto, como uma forma de punição, ele teve que vendê-la. Ela acabou sendo comprada por um homem que, na vida atual tbm é membro do grupo e é seu marido, sendo que sua sogra atual era naquela vida a mulher do homem que ela matou.
     O motivo dela ter atraído para si este antigo companheiro de jornada, ambos com débitos cármicos a ajustar, foi uma ressonância vibratória provocada por um torção que ela teve em seu pé cerca de um mês antes desse atendimento. Como a sensação ao andar depois disso fosse muito parecida com a que ela sofreu depois do golpe do punhal naquela existência, devido a similaridade de sensações e sentimentos provocados pela torção, criou-se a ressonância.
     Aparentemente essa médium no seu dia-a-dia não aparentava nenhuma perturbação maior do que a habitual e parece que essa ressonância serviu apenas para atrair seu antigo senhor, que estava muito alterado e teve que ser adormecido e levado para tratamento. Ela não tinha nenhuma noção durante o atendimento sobre suas ações desdobrada como a dançarina indiana. Normalmente ela tem uma vidência relativa e eventualmente dá passagem a algum ser pela psicofonia.

Caso 2 - Dançarina espanhola

     No segundo caso, a outra médium do grupo se apresentou desdobrada como uma dançarina espanhola, usando um vestido vermelho, e a seus pés no chão estava um homem, um tanto mais velho do que ela, que agonizava vítima de um veneno que ela lhe ministrara. Enquanto esse homem, que era seu 'cliente' (ela era prostituta), agonizava caído no chão, ela colocou o pé sobre seu peito e disse: - Se vc não for meu não será de mais ninguém!
     A razão dessa revolta era de que seu cliente assíduo, e de quem ela já se achava 'dona', lhe comunicou que não iria mais utilizar os 'serviços' dela, provavelmente por tê-la trocado por outra. Essa ressonância não teve nenhuma consequência mais abrangente que pudéssemos observar, a não ser o fato que a gerou: no dia do atendimento a médium teve uma pequena discussão com seu marido, que por 'coincidência' é o mesmo que ela matou naquela vida, e deve ter ficado com raiva dele, com aquela vontade de 'matá-lo'. A ressonância se criou devido aos sentimentos experimentados por ela no momento da discussão.
     É um bom exemplo do motivo pelo qual nos desdobramos e fazemos coisas no astral que, em estado de vigília, juramos que jamais faríamos. Se vc tem desejo de fazer alguma coisa e só não faz por que não pode, se encontrar condições no astral vai fazer.

Caso 3 - A herança

     O terceiro caso ocorreu com a esposa de um dos médiuns e resolvemos verificar o motivo, No início da reunião seu filho apareceu desdobrado no grupo e estava preocupado com a mãe. O médium relatou, entre outras coisas, que ela estava sentindo dores nas pernas. Ao abrirmos a frequência dela os outros médiuns viram uma situação e perguntaram a ele se estavam com alguma situação de 'herança' na família e ele disse que sim.
     O que foi visto é que numa vida passada a esposa desse médium era um filho bastardo de um fazendeiro e, com sua morte, os filhos legítimos temiam que o bastardo exigisse uma parte das terras. Houve um conflito entre um dos filhos 'legítimos' e esse bastardo, sendo que o bastardo levou a pior. Foi alvejado com um tiro de espingarda em uma das pernas na altura do joelho, o mesmo que o médium marido da consulente confirmou depois que era onde ela mais sentia dor.
     A preocupação da esposa do médium com uma questão de herança na vida atual, criou uma ressonância com aquela vida passada e trouxe para junto dela o seu 'meio-irmão' que lhe alvejou, pois o cidadão estava perdido no espaço, sem saber que havia morrido. O espírito estava muito agitado e preocupado com os invasores que queriam tomar suas terras. Não tinha sequer noção de que havia morrido.
     Eu então o fiz lembrar do momento de sua morte, sendo que ele morreu de velhice sentando embaixo de uma árvore e segurando sua espingarda, vigiando suas terras. Ele não acreditou e afirmava que eu era um feiticeiro que estava tentando enganá-lo com visões falsas. Colocamos ele para dormir e o deixamos com nossa equipe espiritual.  O cidadão havia morrido há mais de dois séculos.

     Estes foram três casos simples onde se pode observar causas diferentes para o 'disparo' da ressonância, bem como diferentes consequências. É interessante notar que todos eles envolviam de alguma forma médiuns treinados em apometria, com bastante experiência em atendimentos como esses pelos quais passaram, e que eles não percebiam a situação pela qual passavam ou que pessoas próximas de suas relações passavam, o que demonstra a complexidade da questão dos desdobramentos inconscientes e como é difícil de controlá-los.


Gelson Celistre

5 comentários:

  1. Olá Gelson!
    Eu tenho uma dúvida: será que a pessoa apenas por assistir algum filme ou ler um livro que possui alguma semelhança com um fato ocorrido em uma vida passada, poderá entrar em ressonância vibratória?

    Obrigada pela atenção. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    Pode sim e isso acontece com muita frequência, até mesmo um cheiro, uma paisagem, pode tbm abrir uma frequência de vida passada.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Olá Gelson, estamos enfrentando mtos problemas, e sinto q é mais do q isso, gostaria de investigar, saber mais, pois acredito q tenha tudo haver com vidas passadas...Teria como vcs me ajudarem? o q posso fazer?

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Nós realizamos atendimentos presenciais, se entendermos que o caso é para apometria. Muitas situações podem ser resolvidas com mudanças simples nos hábitos e modo de pensar das pessoas, ou com a frequência a um centro espírita ou outro templo religioso.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Oi, como posso entrar em contato, ou relatar pra vc o q estamos vivendo? Sabe, estamos fazendo algumas coisas pra melhorar, mas começa melhorar e logo tudo retorna... mto ódio, mto rancor, coisas inesplicaveis, sem motivos...eu sempre quiz fazer uma regressão, mas nunca pude e tbem nem sei como...e hoje não sei explicar como ainda, seu blog apareceu pra min, pois na verdade eu nem sabia o q era apometria, li todas as histórias e isso só meu deu mais certeza que tem mto mais por traz de tudo q nos acontece. Será que poderia nos ajudar? somos uma familia linda e nos amamos mto, precisamos de ajuda, estou aflita.

    ResponderExcluir