segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Dissociação inconsciente de personalidade

O menino foi trancado em um quarto pela mãe e era  mantido em cativeiro, vindo a falecer; ele no entanto não percebeu e ficou muito tempo preso ao quarto achando que estava vivo. Ele dizia que a mãe eventualmente batia na porta e proferia xingamentos dirigidos a ele.
O motivo seria a morte do pai, que a mãe o acusava de ser o causador. Na verdade o pai do menino estava doente e a mãe saiu e deixou o garoto cuidando dele. O homem veio a falecer, por conta da doença, mas parece que a mãe o ficou culpando, a ponto de trancafiá-lo até a morte.
Conversamos com o menino, que era uma dissociação inconsciente de personalidade do consulente que estávamos atendendo e perguntei aos médiuns pelos pais dele, ao que me informaram que estvam ambos ali, o pai ainda desencarnado, demonstrando amorosidade pelo menino, mas as mãe, atualmente encarnada, ainda manifestando um sentimento negativo pelo seu 'filho'.
É provável que esta 'mãe' seja alguém das relações do consulente na vida atual e que estes sentimentos de vidas passadas estivessem prejudicando ainda a relação dos dois.
Estas situações são relativamente comuns mas esses desdobramentos por conta de ligações do passado, quando ocorrem, só persistem se houver uma carga emocional muito forte agregada ao evento em questão. No caso do garoto houve pq ainda estava plasmado no astral o quarto onde ele fiocu preso, provavelmente potencializado (talvez já tivesse até 'sumido') pelas emoções associadas a relação entre os dois seres, o filho e mãe, nesta vida.
Neste tipo de caso o que se pode fazer é amenizar as consequências, doutrinando a consciêncai dissociada do espírito que agia ainda como o menino para lhe retirar a culpa, pois a mãe o fez sentir culpado pela morte do pai, e fazer com que ela, a mãe, que tbm está encarnada, esqueça-se daquela vida, apagando sua 'memória inconsciente ativa', qaue foi o que fizemos.
Abraço.

Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário