quinta-feira, 9 de junho de 2011

O despertar da kundalini

Recentemente atendemos uma moça, a pedido da mãe que já havia se consultado conosco, por conta dela estar se desentendendo muito com o pai. O motivo aparentemente é banal mas se chegou até nós algo mais "pesado" sempre acaba aparecendo pois usamos as ligações de vidas passadas dos consulentes  com entidades trevosas para descobrir bases/laboratórios e afins.

A princípio havia um ser maligno acompanhando a moça e seu pai, por conta de uma "dívida" de vida passada. Segundo a entidade nos disse, ela acompanha a moça desde o seu nascimento, mas só recentemente estava conseguindo algum acesso a ela. Disse o ser que havia uma "proteção" ao redor da moça que impedia que ele a acessasse. Sua intenção era que o pai a matasse pq ele queria ela pra ele.

Numa outra existência o pai da consulente pertencia a uma seita satânica e ofereceu a filha em holocausto. O problema é que a pessoa sacrificada deveria ser virgem, e na hora do ritual descobriram que não só ela não era virgem como estava grávida. Morreu assim mesmo mas o oficiante do ritual acredita que o pai da moça lhe "deve" ainda a filha, virgem ou não. O ser foi preso.

Mas o interessante neste caso era que este ser era subordinado a outro, esse sim bem mais perigoso. Inicialmente os médiuns viram uma serpente, depois várias mulheres numa floresta atraindo homens para um palácio. Quando nos aproximamos apareceu uma naja de tamanho descomunal tentando nos atacar. Dentro dessa serpente estava um iogue sentado em posição de lótus, usava um turbante com um rubi na frente. 

Na Índia os iogues desenvolveram muitos exercícios e técnicas de meditação,
respiração, posturas, etc. com a finalidade de despertar e elevar a kundalini.
Este iogue acreditou ser um deus em sua última encarnação terrena, na Índia. Conversando com ele me disse que quando tinha 10 anos de idade ouviu alguns homens falando sobre um avatar e se "identificou", acreditou que ele próprio era um deus encarnado e passou a se dedicar aos exercícios iogues de sublimação da kundalini, chegando a conseguir desenvolver alguns "poderes", mas morreu com 29 anos tentando levitar, quando estourou uma veia dentro de sua cabeça e ele veio a desencarnar, o que ocorreu em 1816.

Desde então esse iogue vivia em seu palácio no astral atraindo espíritos recém-falecidos para serem seus escravos e serviçais e espíritos encarnados para os vampirizar. Ele foi preso, os escravos e servos libertados e socorridos, teve a mente apagada e seu palácio foi destruído.

Atualmente muitas pessoas se dedicam a tentar sublimar sua energia sexual através de práticas tântricas ou exercícios iogues para despertar e elevar a kundalini, que chegaram ao ocidente provenientes de diversas fontes e traduções diferentes, sem se dar conta dos perigos que envolvem tais práticas.

A idéia é a de que a pessoa obtém a iluminação espiritual quando a kundalini, que repousa no chacra muladhara na base da espinha, desperta e sobe por alguns canais  (sushumnaida e pingala) até atingir o chacra das mil pétalas, o sahasrara

Entretanto, o despertar da kundalini e sua elevação através desses canais  só é possível se o "caminho" estiver livre, ou seja, se a pessoa já tiver despertado os demais chacras num grau razoável, e isso só se consegue com a elevação espiritual, com a prática da virtude, do amor e da compaixão.

A prática de alguns exercícios ou técnicas isoladas pode até despertar a kundalini, mas ela vai apenas potencializar as energias de baixa vibração na frequência em que a pessoa vive, provocando a ligação dela com seres de igual quilate, às energias telúricas de mais baixa frequência e a seres abissais.

Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário