domingo, 26 de junho de 2011

Obsessão



Entre outras coisas, a consulente afirma sentir a presença constante de um ser masculino a lhe vigiar, sofreu ataque de magia negra que quase a levou ao desencarne (disseram-lhe isso em um centro espírita), o que abalou profundamente sua saúde, fez tratamento psiquiátrico e tratamento espiritual em um centro kardecista. Fez dois atendimentos de apometria (não conosco) e afirma ter melhorado depois desses atendimentos mas não consegue reconstruir sua vida.





O obsessor
Inicialmente os médiuns a viram em desdobramento inconsciente, acorrentada dentro de uma caverna, descalça e com as roupas rasgadas. Disse a eles que a soltassem e imediatamente se manifestou uma entidade dizendo o seguinte:

- Ahhhh não vai não... ela vai ficar ali... é o lugar dela... ninguém tira de lá...
- E quem é que vai segurar ela ai? disse eu;
- Não importa... o que interessas é que dali ela não sai... quero só ver quem é que tira...
- Eu. Já tirei até as correntes, mas antes de eu levá-la quem sabe vc me diz o motivo de estar prendendo ela ai?
- Pq me desafia assim dessa maneira? Quem vc pensa que é para fazer isso? Ela é minha... já tem muito tempo...
- Conta tua história meu filho... disse-lhe;
- Não importa...o que interessa mesmo é que ela é minha... ela me pertence... demorei muito pra encontrar ela de novo pra deixar ela ir assim tão fácil... não vai mesmo! Não tenho que conversar com vc... muito menos te contar nada...
- O que houve entre vcs no passado? perguntei ao espírito;
- Eu não me lembro... já faz muito tempo...
- Vai lembrar em detalhes agora, disse eu;
O motivo da obsessão
Nesse momento o médium passa a ver o que o espírito estava recordando, era uma época antiga, numa pequena vila, e uma linda moça passeava pelas ruas de pedra, o espírito que se manifestou, era de um homem que foi apaixonado por ela, bem afeiçoado, mas pobre, o que não condizia com os ideais da moça, que apesar de se sentir atraída por ele o desprezava, pois queria uma vida de riqueza.
Ela tencionava casar-se com um homem rico e já tinha escolhido seu alvo, um homem bem mais velho que ela e com uma fortuna considerável. Também tencionava dar um fim nele logo depois de casarem. Esse era o seu plano. E o jovem apaixonado fazia parte desse plano, ela iria usá-lo, pois sabia que ele faria qualquer coisa por ela.
Tudo correu conforme o planejado, ela se casou com o homem rico e convenceu o jovem a matá-lo, que o fez, acreditando que ficariam juntos depois disso. Mas esse não era o plano dela, que simplesmente o desprezou. O golpe foi duro demais para o rapaz, que virou um mendigo bêbado, vagando pelas ruas desse vilarejo, a princípio magoado e triste, mas por fim com muito ódio da tal moça. Ele morreu na sarjeta, abandonado à sua própria desgraça.
Novamente conversando com ele, que incorporou numa das médiuns, ele disse:
- Pq vc tinha que mexer nesse passado que não quero mais lembrar? Eu não consegui naquela época mais agora estou conseguindo... então pare de me atrapalhar... ela nunca vai ser feliz ao lado de outro homem... nunca..... pq eu não vou permitir isso... ela não me deixou na mais completa miséria? então tem que pagar na mesma moeda...
Como o espírito estava irredutível, e com razão na visão dele, dei-lhe um comando para lembrar uma vida antes daquela.



Revelando o passado do obsessor


Na vida passada que o obsessor se lembrou, ele era um homem poderoso, um conde e vivia em um castelo. A consulente era uma jovem humilde que trabalhava neste castelo para ajudar os pais que eram velhos e doentes, ela era muito bonita e logo o conde se interessou por ela e passou a assediá-la.
A moça refutou as investidas do conde e ele ficou furioso. Quem ela pensa que é para me rejeitar? - pensava ele. Possuí-la tornou-se uma obsessão para ele, e como não tinha escrúpulos, ameaçou a vida dos pais dela caso não cedesse aos seus desejos. Ela em prantos, desesperada, temendo pela vida dos pais, entrega-se aos caprichos sexuais do conde, mas em sua alma abre-se uma ferida que nem a morte iria curar.
Aliás, ela entrou em um estado de apatia tão grande por ver seus sonhos todos acabados por conta dos caprichos do conde, que perde a vontade de viver e em poucos anos adoece e morre.
Finalizando
Após mostrar ao obsessor que ele não tinha razão para exigir justiça, pedi a ele que pare de perturbar a consulente, que a liberte e siga sua vida, e disse que iríamos ajudá-lo.
Ele entretanto, mesmo sabendo o que já havia feito para a consulente no passado, insistiu na obsessão, recusou-se a libertá-la. Como eu estava desdobrado lá também, fui até a consulente e a libertei e depois a fiz esquecer tudo o que aconteceu a ela em desdobramento. Alguém de nossa equipe chegou para retirar o obsessor, mais como ele estava relutante, deram-lhe uma espécie de choque elétrico e o levaram. O local onde ela estava acorrentada foi destruído.
A obsessão “contratada”
Logo que retiramos esse obsessor “passional” os médiuns identificaram uma “gira” (espírito feminino de baixa vibração geralmente utilizado em trabalhos de magia negra que envolvam energias sexuais) que também estava junto à consulente e passei a conversar com ela, que incorporou numa das médiuns:
- Há há... o que vc quer de mim desgraçado? Tá querendo ajudar essa desgraça aí né? rsrsrsrsrs
- O que tu tem com a mulher? - perguntei-lhe;
- Eu não tenho nada com essa desgraça... me pagaram e eu vim dar um jeito nela...
- E quem foi que te pagou?
- Foi aquela outra desgraça... que ela mexeu com o homem dela...
- Certo, então é o seguinte, pega o teu rumo e para de perturbar ela que não vai te acontecer nada, ok? Vamos desmanchar o feitiço e tu se manda...
- Se vc me pagar bem... me paga mais do que recebi que eu vou...
- Te deixar sair livre não é o suficiente?
- Me paga mais do que já recebi que eu vou... e ainda posso te arrumar alguma coisa que vc gosta.... hahahaha...
- Do que tu tem mais medo meu anjo? Pensa aí, o que te assusta mais?
- Há ha... de nada.... há há...
- De ficar toda velha e enrugada e ninguém te querer?
- Isso não fico... hahaha... sempre fui gostosa...
- Ah é? Então olha tuas mãos e teu rosto...
- rrrrrrrrrrrr.... o que está fazendo comigo seu desgraçadooooooooo... vai pro infernoooooo... o que vc fez comigo? Seja o que for desfaça agora...
- Vc vai desfazer tudo que fez pra ela e se mandar pra não voltar mais?
- Primeiro vc desfaz esse feitiço que fez pra mim...
- Olha aqui, se tu descumprir tua parte e chegar perto dela, ou mandar alguém, ou fizer algum feitiço, na hora tu vai voltar a ficar assim, entendeu?
- Eu vou desfazer! Não tenho nada contra essa desgraça mesmo... mais não devolvo o que me pagaram pra fazer!
- Então tira tudo que tu botou nela e desmancha o que tu fez, quando terminar vai estar como estava antes...
Nesse momento os médiuns a viram desenterrar algumas coisas que tinha usado no feitiço, uma boneca pequena, uma cruz, três moedas e até uma peça de roupa íntima. Ela colocou tudo isso dentro de um tipo de bornal e pretendia levar com ela, mas eu a mandei queimar tudo, o que ela fez a contra-gosto.
- Tira logo esse feitiço que tu botou em mim, disse a gira;
- Tá pronto desgraçado... já acabou... não quero mais conversa com vc desgraçado... já fiz o que vc queria e já vou é voltar pra minha banda...
- Se já terminou pode ir querida... e não esquece do que eu te disse!
Algumas entidades não respeitam ninguém e se acham acima da lei, como essa gira, e seres assim temos que tratar de acordo. Em muitas ocasiões nós os prendemos, mas nesse caso senti que devia deixá-la ir depois de lhe dar um susto.
A bruxa
Depois que a gira se foi, um dos médiuns se viu num local do astral onde havia uma bruxa cravando as unhas no coração de uma mulher e das unhas dela saía um fluído venenoso. Essa bruxa sentia muito prazer em fazer isso.
Na verdade essa bruxa obsidia também um homem ligado a essa mulher, sendo que são todos os três encarnados, o casal e a bruxa. A bruxa é a própria consulente em desdobramento inconsciente.
Nestes casos, o que se pode fazer é apagar a mente da pessoa desdobrada e a reacoplar no corpo físico, que foi o que fizemos.
Esse tipo de coisa é muito comum, por mais que a pessoa se ache “boa” ou “espiritualizada”, em desdobramento expressa seus desejos íntimos e com o coração cheio de ódio é fácil sintonizar com uma vida passada onde não foi uma pessoa boa. Passar a agir com a personalidade de uma outra vida, no caso onde foi uma bruxa malvada, é fácil.
A consequência geralmente é que a energia negativa que a pessoa gera e movimenta na dimensão astral se reflete em sua vida no plano físico, atraindo outras energias semelhantes e tornando a vida mais difícil. No plano astral nos mostramos como realmente somos e não com as máscaras que criamos para interagir com outras pessoas aqui no plano físico, por isso, é preciso nos conhecermos bem e tentarmos modificar nossos pensamentos e emoções mais íntimos, e fazer o que se costuma chamar de “reforma íntima”, que resumidamente seria identificar nossas energias negativas (sentimentos e pensamentos) e trabalhar para modificá-las.

No caso em questão, como a consulente estava obsidiando um casal, abriu brecha para que fosse também obsidiada, provavelmente se não estivesse agindo negativamente no astral, teria se livrado do obsessor há mais tempo e não teria sua vida travada.
Abraço.
Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário