quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Sonho, desdobramento inconsciente, ... Continuação

Na segunda aula do curso fomos informados que uma das participantes não havia se sentido bem após chegar em casa depois da primeira aula. Ela, que é médium e foi uma das que incorporou algumas das entidades envolvidas no resgate relacionado ao outro participante na primeira aula, acabou indo para casa juntamente com seu marido que tbm está participando do curso, justamente de carona com o outro participante, pois acabaram descobrindo que ela mora perto da casa do casal, em uma cidade próxima, e que tbm este já frequentara o mesmo centro espírita que o casal frequenta atualmente.
Logo deduzimos que havia alguma ligação entre eles e no final da aula fomos fomos investigar. Havia ficado um espírito junto da médium na reunião anterior, e esta alegou que não tinha ido junto com os outros pq ainda havia ficado um outro pra trás, que era muito mau. Auxiliamos então este ser e o encaminhamos para a equipe espiritual, enquanto o outro que a aterrorizava, já estava incorporado em outro participante.
Conversando com ele descobrimos que a médium e o outro participante envolvido nos degolamentos, haviam, juntos, destruído a família deste ser, que nutria por eles um profundo ódio. O fizemos ver um vida passada para que ele entendesse que aquilo era um retorno cármico de algo que ele tinha feito antes mas ele afirmou a princípio que nada vira, como sabemos que ela tinha visto pedimos a outra médium para descrever o que ele havia visto. Ele era um nativo norte-americano, provavelmente um moicano ou e alguma outra tribo que usava aquele  tipo de corte de cabelo, e era um guerreiro muito feroz e impiedoso. Nas aldeias atacadas por ele todos eram mortos indiscriminadamente e com crueldade, velhos, mulheres e crianças inclusive. Depois de revelada a visão que ele supostamente não vira, ele passoun a dizer que aquele ser não era ele e que ele não faria aquilo. Conversamos com ela acerca de sua família e tal e a médium que havia visto a cena perguntou-lhe se ele não estava reconhecendo a sua filha que morrera ao seu lado (o participante que estava recebendo esta entidade estava sentado ao lado da outra que havia passado mal no outro dia e é seu marido). Ele por fim acabou reconhecendo que a mulher que ele perseguia já fora sua filha e acabou se arrependendo e aceitando ajuda.
Um outro participante viu uma cena de um velho matando alguns animais no mato e então pedimos a outra participante que 'puxasse' o ser para si a fim de vermos do que se tratava. Era um negro velho que queria fazer um feitiço a fim de salvar o 'sinhozinho', e quando destruimos a 'cena' ele ficou desnorteado e dizia que seria morto se não curasse o sinhozinho. Logo o fizemos ver que ele não tinha conseguido e que fora mesmo morto. Ele viu então que fora colocado no tronco e açoitado até a morte. Ele estava preocupado pq os outros negros na senzala sofreriam tbm e explicamos a eles que todos seriam libertados nesse momento. Pedimos aos médiuns que fossem até a senzala e que trouxessem os escravos para que fossem auxiliados, o que foi feito. Esse velho que havia incorporado ainda perguntou se eu não lhe pediria nada em troca, ao que lhe dissemos que não, que todos, inclusive ele, estavam livres para recomeçar suas jornadas.
Uma otra participante, com mediunidade não desenvolvida, estava 'semi-incorporada' por uma entidade que nada via. Mandamos uma médium lá e esta viu que o ser estva numa caverna escura, acreditando estar sozinho, mas haviam vários corredores e buracos nessa caverna e um não via o outro. Outra médium já recebeu um ser de quem haviam arrancado os olhos e iniciou-se outro resgate. Retiramos todos os que estavam nas cavernas e lhes 'curamos', e quando fomos atrás de quem os mantinha ali, logo um ser incorporou em outro médium e já foi alegando que 'não era ele'. Conversamos com este ser, que um dos participantes teve a impressão de ser o capataz da fazendo de negros do resgate anterior, e descobrimos que ele arrancava os membros das pessoas e as mantinha escravizadas. Ele alegara que em via contratava feitiços com um e outro e aparentemente ele estva querendo alguma coisa. Por fim ele confessou que buscava a imortalidade ingerindo os órgãos das pessoas. Mostrei a ele sua aparência e tbm o local para onde ele iria quando eu o liberasse e ele ficou apavorado, dizendo que eles faziam coisas muito piores do que ele e implorou para não ser mandado para este local.
Eu disse a ele que para evitar isso ele teria que trabalhar muito e ele confirmou, dizendo que a espiritualidade já estava dizendo isso a ele. Demos uma melhorada na aparência do sujeito, que estava bem feio, e o deixamos aos cuidados da nossa equipe extra-física.
Mais um dia de curso onde a prática se fez presente. Este tipo de fato é até normal se considerarmos que a maioria dos participantes são médiuns atuantes, além do que a turma é pequena, apenas 10 alunos, o que facilita a criação de uma 'corrente' favorável a este tipo de resgate.
Abraços.

Um comentário:

  1. caramba q maneira essa experiência, estou conhecendo agora no seu blog, eu estava estudando sobre desdobramento astral e cheguei nesse blog muito show, e vc se parece muito mesmo com o dono da agência q eu fazia curso de modelo quando era nova, amei o trabalho de vcs e a riqueza de detalhes aqui do blog, parabéns pelo excelente trabalho fraterno e que Deus os abençoe sempre!

    ResponderExcluir