terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Sonho, desdobramento inconsciente, bolsão de espíritos, etc

Esta semana tivemos a primeira aula de nosso curso de apometria e no decorrer dos trabalhos efetuamos um atendimento apométrico, contando com a participação dos presentes. Havíamos planejado uma aula prática que seria no terceiro dia do curso, mas nem sempre aquilo que imaginamos e o que ocorre e a espiritualidade resolveu aproveitar a aula para que pudéssemos efetuar o resgate de um bolsão de espíritos sofredores, o que sem dúvida enriqueceu já o curso em seu primeiro dia.
Uma das médiuns do meu grupo sonhou na noite anterior com um homem que ela não conhecia, e neste sonho este homem aparecia morto. Durante o curso ela reconheceu um dos participantes, que estava sentado à minha direita (dispomos as cadeiras em círculo) como sendo o homem com o qual sonhara e uma forte angústia se apossou dela, sentindo que ele deveria ser atendido.
De pronto expusemos a situação aos presentes e pedi que sintonizassem com ele para vermos de que se tratava. Vários participantes viram cenas do passado do participante, que passara a ser um consulente neste momento. Havia ligado a ele um grupo de umas 30 pessoas que ele havia degolado em uma prisão. Aqueles seres estavam vivendo presos no passado, sofrendo, na dimensão astral, e ligados ao consulente por laços kármicos.
Conversamos com dois ou três que incorporaram em alguns dos participantes que possuem mediunidade de incorporação, e acabamos por encaminhá-los è nossa equipe espiritual, depois de tê-los feito ver o que haviam feito no passado para terem morrido desta forma (degolados). Um deles havia incendiado uma aldeia inteira e outro fora irmão do consulente e o esfaquera pelas costas, os demais tbm viram seu passado mas seria inviável e desnecessário conversar com cada um deles. Devidamente esclarecidos foram todos encaminhados para socorro.
Havia um ser que cobrava do consulente que tinha que 'trabalhar' com ele, pois assumira em rituais de magia negra um compromisso com ele. Ele não queria reencarnar pq esqueceria seus conhecimentos de magia. Este ser tbm foi esclarecido e encaminhado, e a medida que executavamos algum comando íamos explicando para a turma o que estavamos fazendo e pq. Teve um mais revoltado que 'regredimos' a uma vida passada onde ele era um menino feliz e o deixamos sintonizado neste momento daquela vida.
Enquanto explicava que nesses casos onde existe muitos seres sofrendo algum outro está por trás manipulando essa energia, uma de minhas médiuns avisou que já estava ali a tal entidade, que manipulara e providenciara a 'conexão' do consulente com o ta bolsão. Pedi que a médium que viu 'puxasse' o ser para si para podermos conversar e assim ela o fez.
A entidade estava relutante em aceitar a doutrinação e aproveitamos para lhe mostrar seu futuro provável se ele continuasse a agir negativamente e tbm o que ocorreria se ele agisse para o 'bem'. Era um ser muito orgulhoso e tinha ódio do consulente pois numa vida passada o consulente descobrira um plano deste ser para matar um príncipe, de quem o ser era muito 'amigo', com a intenção de assim passar a ser um dos conselheiros do rei, pois o rei ouvia muito os conselhos desse filho. O ser acreditava que perdendo o filho o rei o nomearia como conselheiro pq eram próximos. O consulente descobriu o plano e na hora da emboscada acabou matando este ser. Ele relutava em aceitar a ajuda por ser muito orgulhoso e a equipe acabou levando ele adormecido.
As médiuns do meu grupo informaram que os seres do bolsão estavam ainda muito revoltados pq o consulente se desdobrava e ia até lá fazer-lhes mal. É um caso típico de desdobramento inconsciente. A força, o ódio, que os espíritos do bolsão nutriam pelo consulente provocava seu desdobramento e este se manifestava lá com a mesma personalidade que tinha naquela existência. Tbm me disseram que ele já chegara desdobrado ali com aquela personalidade e o tratamento dele consistiu em apagarmos a lembrança dele daquela existência e reintegrá-lo ao seu 'corpo'.
Abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário