quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Ordem da Rosa Vermelha (Order of the Red Rose )

Uma das médiuns percebeu no ambiente um espirito com a cabeça e as mãos sangrando. Outras médiuns tbm sintonizaram com ele e viram que ele havia  sofrido um acidente de automóvel e que cortara as mãos e a cabeça quando foi projetado para frente, batendo no pára-brisa. Ele estava meio perturbado e falava numa 'seita', e as médiuns viram que ele foi morto num ritual satânico.


Este espírito era um jovem universitário que foi aliciado por uma sociedade 'secreta', um ramo da maçonaria (vide comentários), e no início achou tudo muito interessante e 'novidade', mas quando percebeu o que realmente acontecia nos rituais secretos, que eram sacrifícios humanos, ele quiz abandoná-la, mas como não se podia sair depois de entrar (somente morto), ele permaneceu mas com medo e sem querer realmente participar.

Os outros perceberam a indecisão do jovem e resolveram sacrificá-lo, ele tentou fugir mas bateu com o carro e então eles pegaram seu corpo e o sacrificaram. Ele tinha muito medo de revelar qualquer coisa, mesmo sabendo que estava morto, pois seria uma 'desonra' ao juramento de segredo.
Mesmo reconhecendo a 'nobreza' do ato desse ser disse a ele que não tinha opção pois uma força maior o obrigaria a responder as perguntas que lhe fossem feitas e assim ocorreu.

O que descobrimos foi que este espírito fez parte de um grupo que, juntamente comigo, fundou uma sociedade secreta de adoração ao demônio, uma seita satânica, no ano de 1832 na Inglaterra, chamada Ordem da Rosa Vermelha. Este espírito depois da vida em que fez parte da criação dessa seita teve outras quatro encarnações, sendo a última a do início do relato, tendo ele morrido nesta última em 1978, tbm na Inglaterra.

Parte do ritual deles envolvia banhar-se em sangue humano, das vítimas sacrificadas, sendo que o coração era guardado dentro de uma pequena caixinha de madeira, que antes era aberto e dentro era colocado um papel com coisas escritas. A entidade evocada se fazia ver pelos oficiantes do rito com um corpo humanóide, porém, como se fosse feito de fogo, como uma chama.

Nestas cinco vidas que o espirito do rapaz teve entre a criação da seita e seu holocausto vítima dela, numa delas inclusive foi um rabino judeu, em todas ele pertenceu a seitas similares, com nomes diferentes, mas com o mesmo grupo de espíritos comandando no astral, onde eles mantinham um grande prédio de arquitetura arrojada, fora várias outras dezenas de construções menores em várias localidades. Foi feito o resgate de um grande número de seres, muitos deles encarnados e trouxemos o 'líder' deles no astral. A 'sede', assim como toda a ordem, foi destruída.

Era uma entidade muito inteligente e há vários dias já vinha atacando todos os membros do nosso grupo, nos colocando 'vampiros' (em todos nós haviam seres semelhantes a morcegos grudados), etc. Os seres dessa ordem eram acostumados a frequentar centros espíritas para serem 'doutrinados', momento em que aproveitavam para sugar as energias dos médiuns e colocar-lhes aparelhos. Ele achou que conosco seria igual mas se deu mal pois além de libertamos todos os seres escravizados a eles, ainda prendemos todos os 'líderes'. Este último com o qual conversamos acreditava que sairia dali ileso e que completaria seu plano de ser 'poderoso' no planeta exílio, para onde queria ir. Antes de 'liberarmos' ele para nossa equipe espiritual, apagamos de sua mente todo conhecimento que possuía.

Detalhe interessante, o primeiro espírito que apareceu, o que se acidentou e foi sacrificado pela seita, é meu filho, está encarnado, e tem 8 anos de idade. Foi um caso de desdobramento inconsciente.
O trabalho espiritual me permitiu hoje ajudar a destruir uma ordem secreta que ajudei a criar há 168 anos.
Interessante notar que estive lendo uma trilogia do Rochester que trata justamente de satanismo, o que deve ter aberto essa frequência, permitindo que meus antigos colegas me encontrassem e, consequentemente, termos acabado com a tal ordem.

Tbm foi visto que embora eu estivesse já encarnado quando meu filho morreu na existência passada, em 1978 em tinha 11 anos de idade, eu me desdobrava com uma personalidade adulta e o aconselhava e orientava a sair da tal seita.


Gelson Celistre

5 comentários:

  1. Olá Gelson!
    Respeito muito seu blog e seu trabalho, mas não acredito que tenha sido um ramo da Maçonaria que tenha feito isso, isso não tem nada ver com a Maçonaria, que é uma ordem de pessoas que buscam evolução espiritual.
    Peço que dê mais esclarecimentos para que seus leitores não pensem errado da Maçonaria.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo,

    Não afirmamos que a maçonaria realize tais rituais, mas sim que naquela ocasião os espíritos trevosos que comandavam a tal ordem no astral estavam dirigindo as mentes de um grupo de encarnados que faziam parte de uma loja maçônica. Embora entendamos que os simpatizantes e/ou membros dessa sociedade não gostem de ver seu nome associado a tais fatos, não podemos nos omitir de revelar aquilo que nos foi mostrado, assim como em vários outros relatos já demosntramos que o mesmo tipo de situação ocorre em outras seitas e religiões, como a umbanda e o catolicismo.
    Não significa que a maçonaria compactue com este tipo de situação ou mesmo que tivesse conhecimento.
    Lembramos que no seio da própria igreja católica houve membros, inclusive em altos cargos como bispos e cardeais, que foram satanistas. Eu mesmo em vidas passadas já fui um membro da igreja católica que era satanista.
    Nenhuma sociedade de homens, por melhor que sejam suas intenções e propósitos, está livre de ter infiltrado entre seus membros pessoas inescrupulosas.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Ola Gelson,
    concordo que "ramo da Maçonaria" parece um pouco forte para quem esta compromissado com o trabalho franco-maçonico,gostei tmb da sua colocaçao objetiva.
    Parabens e um grande abraço de um trabalhador em atendimento e irmao Maçom.
    Chris []

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de maiores informações se for possível, sobre possiveis envolvimento da Maçonaria ou Rosa Cruz, com rituais satãnicos, pois fui convidada já por cinco vezes para entrar p Rosa Cruz, estou tentada a aceitar, mas tenho receio.Sou Kardecista e trabalho com apometria....

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Creio que vc sendo espírita e apômetra tem condições de averiguar a situação 'astral' da organização que lhe convidou a ser membro.
    Abraço.

    ResponderExcluir