segunda-feira, 13 de julho de 2020

Minecraft

     Quem tem filhos ou netos crianças ou adolescentes deve conhecer o jogo Minecraft, um dos games mais populares entre o público infantil. Eu nunca joguei, mas me parece que é tipo um Lego digital onde se cria coisas com blocos de montar. Segundo reportagem do jornal Estadão, em maio desse ano o jogo atingiu a marca de 200 milhões de cópias vendidas.

      Já explicamos como os seres da dimensão astral usam esses jogos para vampirizar as pessoas encarnadas, vide o post Kratos, de 31/10/2013, e mais recentemente Gamer, de 18/2/2020. 
      No caso do Minecraft não é diferente. Imaginem 200 milhões de jovens e adolescentes cheios de energia jogando isso durante horas todos os dias praticamente. É muito ectoplasma.
      Atendemos hoje um menino de 8 anos que gosta muito de games e que estava preso dentro do jogo Minecraft. E ligado a esse jogo na dimensão astral,, vivendo exclusivamente da energia que retiram dos jogadores, uma grande cidade umbralina, apesar que por ter uma energia boa estava flutuando numa zona mais elevada.
     É uma cidade muito grande e com enormes prédios em estilo futurista, muito altos, envidraçados e com formas curvas. E quem habitava essa cidade eram todos espíritos que em vida eram ligados a tecnologia, principalmente informática.
      Conversei com o "prefeito" da cidade Minecraft, o sujeito que percebeu aquela energia acumulada e resolveu utilizar. Em sua última encarnação ele era um matemático austríaco, simpatizante do nazismo, e que morou em vários países da Europa até se estabelecer na Inglaterra, sempre trabalhando como professor.
    Esse sujeito morreu há cerca de 50 anos de enfisema pulmonar e estava sem rumo no umbral até que ele percebeu que a energia dispendida pelos jogadores de Minecraft estava sendo desperdiçada e se organizou para recolher essa energia e criar uma cidade. 
      Essa cidade então nasceu junto com o jogo, que foi lançado há cerca de 10 anos, e hoje abriga mais de 2 milhões de espíritos. Eles tinham equipes de espíritos encarregados de incentivar as crianças e adolescentes a jogar, youtubers a fazer vídeos sobre, enfim, tinham um sistema muito bem organizado para manter o jogo em alta entre os usuários, e isso no mundo todo.
      A quantidade de ectoplasma que eles recolhem dos jogadores é tão grande que eles não dão conta de usar, constroem prédios, equipamentos, vendem para outros seres, e ainda assim eles tinham um estoque de energia que poderia manter a cidade em todo seu esplendor por 4 anos, caso o suprimento de energia fosse cortado.
     Mas e o que fazer com 2 milhões de espíritos e 200 milhões de usuários? Não temos como impedir que as pessoas encarnadas joguem isso, existe toda uma indústria que alimenta esses jogos, não temos como impedir, mas no astral a coisa é diferente.
     Apagamos a mente dos 2 milhões de espíritos que vivem na cidade umbralina Minecraft, inclusive do idealizador da cidade, o matemático austríaco, e terminamos com a influência deles sobre os jogadores. O estoque de energia deles foi confiscado e distribuído em nossos postos de socorro espalhados pelo umbral.
      A partir de agora nossa equipe espiritual vai monitorar as atividades da cidade e impedir que eles vampirizem os jogadores, que vão continuar jogando e liberando energia, mas sem serem induzidos a isso, e a energia que chegar lá vai ser usada para o resgate de espíritos sofredores. 
      Também vamos tentar que os habitantes lá trabalhem conosco para localizar outros grupos que vampirizam os gamers

Gelson Celistre



Nenhum comentário:

Postar um comentário