terça-feira, 7 de julho de 2020

Intestino preso

     Os laços que nos unem a outros espíritos podem provocar situações desagradáveis às vezes, mesmo que esses laços sejam de amor. Nos deparamos com uma situação onde a consulente que atendemos, uma mulher, estava com problemas intestinais de difícil solução pela medicina convencional.

     Ao averiguarmos o caso vimos que a consulente estava acompanhada do espírito de uma criança. Incorporei o espírito num médium e conversei com ele para saber qual a ligação dele com a consulente.
     Em vida passada a consulente teve seis filhos, sendo um deles esse espírito, isso foi no início dos anos 1900, era uma família muito pobre, mal tinham o que comer, e não tinham acesso a tratamento médico. Esse espírito da criança que a acompanhava quando tinha sete anos teve um problema de saúde fez sua barriga inchar, provavelmente uma infecção intestinal. A mãe tratou como pôde, com chás e sopa, mas a criança acabou vindo a falecer.
     A consulente na vida atual atraiu para perto dela esse espírito que já foi filho dela devido a sintonia entre eles, os laços de amor que os unem, e por sintonia vibracional passou a sofrer do problema intestinal que causou a morte desse seu filho de outra vida.
      Procurando a causa do problema intestinal do espírito da criança vimos que o intestino dele estava amarrado em dois pontos, no cólon e perto do ânus, o que impedia ele de evacuar as fezes, inclusive vimos que na vida anterior ele já estava com essas amarras no intestino, que foi o que causou sua morte por causa da infecção.
     Rastreando quem teria feito isso com o menino vimos que numa vida anterior esse menino havia sido uma escrava negra que trabalhava numa casa de família numa cidade. Essa escrava era responsável por todos os trabalhos da casa, tinha que limpar, cozinhar e cuidar dos dois filhos pequenos da patroa, que cagavam muito pela casa e ela tinha que limpar eles e a sujeira.
    Para facilitar sua vida ela teve a ideia de enfiar umas buchas de pano dentro do ânus das crianças para poder fazer o serviço sem ter que parar toda hora para limpar a sujeira delas.
     As crianças acabaram tendo uma infecção intestinal, suas barrigas incharam e as duas vieram a falecer. A patroa descobriu as buchas de pano e ficou com muito ódio da escrava, que foi espancada até a morte por ela e o marido. Depois que morreram o casal continuou a perseguição à escrava e encontrando ela encarnada como um menino, lhe amarraram no astral o intestino, o que a fez morrer do mesmo jeito que as crianças na vida anterior.
    Duas pessoas próximas da consulente são aquele casal reencarnado, que no astral ainda odiavam o menino e mantinham as amarras no intestino dele. Resgatamos o espírito da criança, retiramos as amarras em seu intestino, e fizemos uma reorganização mnemônica no inconsciente do casal encarnado, para que não se desdobrassem naquela frequência para se vingar da escrava, e fechamos a frequência.
    Nesse caso o problema intestinal da consulente não era propriamente dela, mas de um espírito que estava muito próximo dela, em sintonia, e passou essa energia para ela.
     O espírito da criança não fazia isso intencionalmente e isso ocorre também com familiares falecidos, geralmente pessoas idosas que faleceram com alguma doença grave, como câncer, que não sabem que estão mortos ou não tem para onde ir e ficam convivendo com a família encarnada depois de mortos, passando a doença que lhes causou a morte para eles.
     Em trabalhos de magia negra quando querem que alguém adoeça ou morra lhe imantam espíritos doentes para que passe para a pessoa encarnada a doença que os vitimou.
     Nesses casos além do tratamento convencional, se a causa espiritual não for eliminada, a pessoa encarnada não consegue se curar. Isso é extremamente comum em casos de câncer, onde curam em alguma parte do corpo e aparece em outra, pois trataram apenas a consequência e não a causa que é espiritual.

Gelson Celistre
   


Nenhum comentário:

Postar um comentário