segunda-feira, 23 de março de 2020

Narita - Apometria para animais

     Atendemos outra cachorrinha, a Narita, uma cocker spaniel com 10 anos de idade, e que está cega e surda, doenças comuns dessa raça infelizmente. Sua dona teve que se ausentar do país e a cachorrinha passou a não querer comer mais, motivo pelo qual a dona nos contactou.

     A cachorrinha sentiu muito a ausência da dona e por conta da sua idade avançada, a média de vida dessa raça é de 12 anos, e ao seu estado de saúde, ela desistiu de viver, simplesmente não tinha mais motivos para viver. Ela não comia pois já nem sentia mais o gosto da comida, seu espírito já estava se desligando de seu corpo físico.
     Levamos ela para o hospital veterinário no astral e foram feitos procedimentos para retardar a passagem da cachorrinha, para que sua dona tenha tempo de retornar e viver mais algum tempo com ela, talvez um ano a mais.
     Vimos que a Narita foi um cadela de caça na Inglaterra numa vida anterior, numa familia de alta classe, aquelas que organizam caça a raposa, e ela adorava isso. Quando não estava caçando vivia num grande canil com outros cães da propriedade.
     Ela teve vários filhotes e muitos deles ficaram na propriedade e foram cães de caça como ela, que morreu velhinha, não ia mais caçar, mas via seus filhos partirem para a caça com orgulho.
     A dona da Narita na vida atual naquela vida era filha dos donos da propriedade e não tinha contato direto com a cachorra, a não ser quando havia os eventos de caça e ela participava.
      Numa outra vida anterior da Narita ela era também um cão de caça, mas numa família humilde que vivia num local montanhoso próximo a uma floresta e caçavam para sobreviver, para obter alimentos. Ela saía para caçar com o dono da casa e a filha do dono, que era responsável por cuidar dela lhe dando alimento e água, é a dona dela na vida atual.
      Narita antes de ser um cão doméstico em sua última existência como animal selvagem foi uma hiena na África, por isso o forte instinto de caça que ele apresentava em outra vidas.
      Neste caso só o que pudemos fazer para ajudar foi prolongar a vida da cachorrinha por um tempo que permita ela ter novamente contato com sua dona e receber um pouco de amor ainda antes de partir para outra jornada.

Gelson Celistre







Nenhum comentário:

Postar um comentário