sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Vampiros, ocultismo e bruxaria

       É comum as pessoas lerem algum relato no blog e se identificarem com o caso, encontrando elementos semelhantes à situações pelas quais estão vivenciando. Este relato é referente a um atendimento que fizemos para uma moça que ao ler o post intitulado Romance astral encontrou uma situação que ela achou ser idêntica ao que aconteceu com ela.


   A consulente tem cerca de 30 anos, solteira, filha de pais separados, participou de uma “escola iniciática” Pró-Vida por 12 anos, mãe com problemas psiquiátricos, foi morar sozinha com o irmão na adolescência.
      Em resumo, a consulente viu um músico de outro continente na TV e achou que fosse sua alma gêmea ou coisa parecida e ficou obcecada, sonhando que o encontrava, que se amavam, que teriam filhos, etc.  Tentou contato via internet e numa sala de bate-papo do site (em inglês) do tal cantor conversou com um rapaz e imaginou que fosse ele, passando a conversar com esse rapaz, que segundo ela dava a entender que era ele.
    Conforme a consulente o tal rapaz “adivinhava” coisas sobre ela no momento, como a roupa que ela estava vestindo, se estivesse comendo alguma coisa ele sabia e dizia o que era, etc. Ela afirma que entrou em outras salas de bate-papo (em português) e lá tbm encontrava algum rapaz que “adivinhava” as coisas e ela achava que era o mesmo rapaz. Na mente dela ele tinha o “dom” da clarividência. Isso durou mais de dois anos e depois ela acabou deixando de lado.
     Ela acreditava ter desenvolvido “poderes” como a clariaudiência e telepatia na tal escola iniciática e começou a ouvir os pensamentos “dele” (supostamente do tal músico) tentando se comunicar com ela, além de sentir “toques” pelo corpo. Tbm passou noites sem dormir onde fazia movimentos involuntários com os braços, pernas ou pés, por “comandos” dele.
     Na tal escola iniciática disseram que era coisa da cabeça dela. Há mais de um ano está em tratamento num centro espírita através de passes. Nada dá certo na vida da consulente, nem trabalho nem amor, e ela que agora acredita ser vítima de obsessão, acredita que algum obsessor, algum ser das trevas, seja a causa de seu infortúnio e a tenha enganado esse tempo todo.
        Ao verificarmos a situação da consulente encontramos o seguinte:

                Vampiros

     Encontramos um castelo na dimensão astral com um enorme salão cheio de mulheres jovens, algumas apáticas, outras em choro convulsivo. A maioria dessas jovens é encarnada e estão ali em desdobramento, presas por uma energia que circunda o castelo e as impede de sair.
     Quando começamos a enviá-las de volta ao corpo surgiram três vampiros, femininos, com enormes presas e com pequenas asas e pés peludos. Um desses vampiros é a própria consulente. Os outros dois seres não possuem corpo físico, são desencarnados. Prendemos esses dois juntamente com a consulente.

      Quem gerenciava o local era uma outra mulher encarnada, que apareceu no salão nos desafiando. Era muito bonita e pomposa, e usava um vestido com uma gola alta. Essa outra mulher é a mãe da consulente. Tbm foi presa e teve sua mente apagada.
    O dono do castelo, o vampiro mor, estava tentando se ocultar mas foi localizado e preso. Ele tentou hipnotizar a nossa médium que estava no castelo mas não teve sucesso e foi preso.
      Era esse vampiro quem brincava com a consulente nas salas de bate-papo virtuais e produzia os “fenômenos” que a assombravam. Quando ela entrava nessas salas ele a desdobrava e ela mesma é quem intuía quem estava conversando com ela sobre o que dizer. A finalidade era justamente manter ela ocupada aqui com essa ilusão romântica para que ela não gastasse energia (sexual) com algum namorado e ficasse mais tempo desdobrada servindo a ele no astral.
        A ligação da consulente com esse vampiro vem de longa data.

                Ocultismo

       Um jovem casal desfila pelas ruas de Paris chamando a atenção por onde passa, por sua elegância e beleza. Uma aura de mistério os circunda, provocando fascínio e medo nas pessoas que de alguma forma tem contato com eles. O que acontece no interior da grande mansão em que moram entretanto, supera em muito a imaginação dessas pessoas.
     Os dois são ocultistas e realizam os mais diversos experimentos. Sua obsessão é a juventude eterna e para se manterem jovens e belos estudam com afinco as práticas de vampirização energética sexual, onde se retira o fluído vital (ectoplasma) do parceiro (vítima) durante o ato sexual.


       Apesar de serem casados, para se manter jovens tanto o homem quanto a mulher fazem sexo com outras pessoas, para poder extrair delas o fluído vital. Foi visto um dos momentos onde a consulente naquela vida fazia sexo com um homem e quando ele chegou ao orgasmo desprendeu uma enorme quantidade de energia vital, que foi absorvida integralmente pela consulente.
     O homem ficou completamente exaurido mas voltou oturas vezes para manter relações com a mulher. Após algum tempo esses homens com quem ela se relacionava adoeciam e morriam, sendo que seus espíritos ficam aprisionados no astral. O mesmo acontecia com as mulheres vitimas do vampiro. Esse episódio que foi mostrado aos médiuns ocorreu no ano de 1347 mas nossa equipe espiritual nos informou que eles conseguiram sobreviver à Peste Negra que devastou a Europa em 1348 e só morream uns sessenta anos depois, num acidente de carruagem.
       Eles estavam viajando por uma região de serra e os cavalos se assustaram com alguma coisa, a carruagem saiu da estrada e rolou numa ribanceira. Essa alguma coisa que assustou os cavalos foi o espirito de uma de suas vítimas de vampirização sexual que havia morrido e queria vingança, mas eles eram tão trevosos que depois de mortos encontraram esse espírito e o aprisionaram por 30 anos no astral, até que por força da reencarnação ele foi atraído para um novo corpo.

                Bruxaria

        A consulente, muito antes dessa vida onde foi ocultista e vampira sexual, foi uma bruxa. Ela vivia próxima a um povoado e, oferecendo comida com uma droga que as fazia dormir, sequestrava crianças que mantinha presas em gaiolas de madeira dentro de uma caverna. Muitas mães acabaram enlouquecendo com o desaparecimento de seus filhos.
         A bruxa tinha um ajudante naquela vida, um homem grande e deformado fisicamente, parecendo um ogro, que na vida atual é o irmão dela. As crianças eram usadas em rituais de magia negra e depois eram comidas pela bruxa e o ogro.


     O local ainda existia no astral e a consulente e seu irmão estavam desdobrados lá. Tbm havia alguns espíritos das crianças mortas presos nessa frequência e tbm algumas das mães. Todos foram libertados, o local destruído e a frequência apagada da mente da consulente e do irmão.

                Conclusão

      O problema da consulente não pode ser enquadrado como um caso clássico de obsessão porque não encontramos ela sofrendo coisa alguma por conta de algum espírito, ao contrário, ela é quem estava fazendo mal a vários espíritos, aliciando moças para um vampiro numa frequência e comendo criançinhas em outra.
     Considerando que a mãe tbm era aliada do tal vampiro deve fazer muito tempo que ela atua nessa frequência com ele, tanto é que sua forma astral estava se modificando (presas, patas peludas e asas). Assim como pelo fato do irmão ter sido ajudante dela na vida de bruxa essa frequência tbm deve estar aberta há muito tempo.
    A consulente vive uma situação de desarmonia espiritual devido a um passado trevoso e tem pesados compromissos kármicos a resgatar. Para piorar crê que possui determinados conhecimentos "iniciáticos" que lhe despertaram "poderes", quando na verdade o que tem é a velha e conhecida mediunidade de prova, ou seja, nasceu com mediunidade por efeito de karma negativo.
      Como a grande maioria que acredita em reencarnação, ela diz que: "... sei que devo ter feito coisas horríveis em vidas passadas pra passar por isso , mas confesso que é difícil acreditar, me considero uma pessoa boa, ... adoro ajudar, ... sei que tenho defeitos mas não consigo ver nada de tão obscuro que justifique tudo isso que passei."
       A questão é que nosso conhecimento sobre nós mesmos é muito pequeno, pois o que sabemos é apenas uma ínfima parcela do que realmente somos. Nossa personalidade na vida atual deriva de diversos fatores contingenciais como a família em que nascemos, suas crenças, cultura, condições econômicas, etc. Imagine que vc já teve milhares de vida aqui nesse planeta e que vc vem reencarnando aqui há centenas de milhares de anos, mas pegue apenas os últimos dois mil anos da história do mundo e faça uma retrospectiva das guerras, crimes, violência, etc. e pode ter a certeza de que vc participou de tudo isso. 
      Se estamos encarnados aqui nesse planeta nessa época é pq ainda não resgatamos nosso karma com ele. Todo o mal que ocorreu no mundo fomos nós que protagonizamos e temos que pagar por isso, essa é a Lei e é pra todos. 
        O karma é uma dívida que pode ser negociada mas depende de atitudes sinceras do devedor. Se nos empenhamos em nos tornar melhores a dívida pode ser parcelada e pagamos um pouco a cada existêcia, mas se decidimos não pagar pq achamos injusto então a cobrança é maior e nos prejudicamos ainda mais.

Gelson Celistre
              

Nenhum comentário:

Postar um comentário