sexta-feira, 30 de julho de 2010

O inimigo invisível

Uma das médiuns relatou em nossa reunião que durante a semana tinha percebido o espírito de uma mulher perto dela e que esta teria dito que estava fazendo anotações sobre o nosso grupo. 

Segundo ela não parecia ser uma entidade 'do bem' e então pedi a ela que lembrasse do ser para que o puxássemos a fim de verificarmos do que se tratava. Logo a tal mulher apareceu e os outros médiuns tbm a viram, mas logo que a viram ela começou a mudar de forma, começou a assumir a aparência de pessoas conhecidas, uma médium que não veio, outra que não mais participa do grupo, etc.
Enquanto tentávamos descobrir do que se tratava um dos médiuns captou um pensamento muito irado de alguém dizendo que ia acabar com o grupo, um por um, que destruiria todos, etc. 
Isolamos a tal mulher 'transformista' numa bolha a fim de ver como ela realmente era e ao enviarmos energia para a bolha ela sumiu, era apenas um artificial, um falso espírito criado por uma mente poderosa.
Uma das médiuns captou a mente em questão e soube que a idéia dela era de que ficássemos perdendo tempo tentando descobrir quem era a tal mulher, que na realidade não era ninguém. Essa mesma médium estava bem sintonizada com a mente desse nosso inimigo invisível, e pedi que ela a puxasse bem pra si.
Ela começou a rir debochadamente e a dizer alguns impropérios, chamando-nos de bobos, idiotas, etc.
Enquanto ela segurava a mente do ser ali pedi aos outros médiuns que tentassem rastrear onde estava o corpo astral desse ser, posto que ele se manifestava ali apenas em corpo mental. Eles viram, no interior de uma caverna em densa região umbralina, um corpo esfarrapado sentado numa cadeira semelhante a um trono, era o corpo astral, ou o que restava dele, do nosso inimigo invisível.
Trouxemos esse farrapo de corpo astral até nós e eu ordenei ao ser que voltasse para dentro desse seu corpo e que não saísse mais. Ele ficou com mais ódio ainda mas essa foi sua punição. Uma vez preso ao seu próprio corpo, sem a liberdade que detinha antes, o encaminhamos para a nossa equipe espiritual.
Não cogitamos de saber as razões desse ser mas pouco importa, deve ser algum ser que se viu prejudicado por algum de nossos trabalhos de resgate ou que perdeu a ligação com algum de nossos consulentes.



Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário