sexta-feira, 16 de julho de 2010

Dramas

     Antes da consulente entrar uma das médiuns já começou a sentir dor num dos joelhos. Enquanto a consulente nos relatava seus dramas a entidade, já incorporada na médium, se mostrava impaciente para falar. Era um homem que morreu espancado a marretadas, principalmente no joelho, pela consulente que em outra vida era um homem e tinha algum cargo de responsabilidade em uma aldeia.


     Descoberto por este outro que estava roubando os aldeões ele foi morto. Logo depois todos descobriram que ele os roubava e ele incendiou a aldeia, onde muitos morreram queimados. Foi efetuado um resgate coletivo nesse sítio astralino. Captamos outra vida onde a consulente era 'benzedeira' e fazia partos e abortos. Naquela vida era uma psicopata pois ela matava crianças no parto e dizia às mães que a criança nascera morta, em muitas ela provocava deliberadamente danos nos órgãos reprodutores das mães para que elas não tivessem mais filhos. Resgatamos muitos seres nessa frequência.
     Na vida atual ela fez um aborto e o espírito que ia nascer como filho dela se manifestou na reunião, dizendo que seria uma oportunidade dela se tratar desse 'problema' que ela tem com crianças. Não parecia revoltado, apenas decepcionado por ela não ter levado a gravidez adiante.
Outra médium captou uma vida anterior da consulente onde ela teve que ser 'barriga de aluguel' para a própria irmã. Era o período medieval e a família dela era de origem humilde. Entretanto, sua irmã casou com um fidalgo e descobriram depois que ela não podia ter filhos.
     Para dar um herdeiro ao fidalgo os pais dela a obrigaram a manter relações com seu cunhado até engravidar, a fim de que esse filho fosse revelado a todos como sendo da irmã dela. Ela acabou vivendo sozinha a vida toda e nunca pode revelar para a criança, uma menina, que era a mãe verdadeira dela. A consulente tbm estava desdobrada numa cidade umbralina, onde 'coincidentemente' o governador é um ser que foi meu pai em passado remoto.
     Há algum tempo este ser apareceu em uma de nossas reuniões, acompanhado de um enorme cão negro, para reclamar que eu estava indo até sua cidade com o intuito de 'convertê-lo'. Eles não opuseram resistência quanto à retirarmos a consulente de lá, apenas observaram se iríamos conseguir, pois tinham alguma 'fé' de que a consulente não sairia facilmente, no que tinham razão.
Entretanto, nós a retiramos e apagamos sua memória inconsciente ativa para que ela esquecesse sua ligação com aquela cidade. Enquano apagávamos a mente da consulente desdobrada, fisicamente ele estava visivelmente perturbada, tremia e chorava, sentia falta de ar, etc.
     Logo que efetuamos o apagamento ela se situou em outra situação no astral. Estava num porão escuro,  era um menino de uns 5 anos, que tinha sido trancado ali pelo pai, que tinha desconfianças sobre ser realmente o pai biológico do menino. A mãe dele foi espancada e ele morreu preso nesse porão. Pedi ao médium que viu essa cena para que levasse o menino para o nosso hospital e fui tratando outra situação que estava ocorrendo com outros médiuns.
     Depois que terminamos a reunião, esse médium comentou que havia cometido um erro naquele momento, mas que a equipe espiritual o alertara e já fora sanado. O que ocorreu foi que quando ele foi levar o menino para o hospital esse pediu para levar junto seu gatinho, pois não queria se separar dele. O médium inocentemente achou que não teria problemas nisso e mandou o tal gatinho junto com o menino para o hospital. Depois a equipe o contatou e mostrou a ele que o tal gatinho na realidade era uma parte da consciência da própria consulente e que o animal estava atacando os trabalhadores do hospital.
     Foi percebido que a consulente vivia muito desdobrada nessa cidade umbralina pois lá tinha sexo e poder, enquanto que sua vida no plano físico é solitária e monótona, sem muitos atrativos para ela. Tbm foi vista uma outra vida onde a consulente se suicidou pq não aguentou cuidar de dois filhos que ela tinha, apesar de parecer ser uma vida normal. No final da reunião senti uma presença perto de mim e pedi para um dos médiuns veririficar, era o meu 'pai' que veio bisbilhotar e disse ao médium que dessa vez tínhamos vencido mas que não pensássemos que seria sempre fácil assim daqui pra frente.
     Na vida atual a consulente vive um drama íntimo, que não convém mencionar, por conta de um fato que ocorreu e que tem ligação com um evento ocorrido numa dessas vidas passadas e que ela não aceita, foi aconselhado a ela que procurasse um trabalho onde pudesse ter contato com crianças para tentar desenvolver a amorosidade, perdão, além da renovação interior necessária, estudo do evangelho, etc.


Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário