quinta-feira, 21 de abril de 2011

O ataque dos dragões - Final

Leia antes O ataque dos dragões - Parte 2

Às vezes pelos relatos as coisas podem parecer simples, mas não são. Para não ficar muito entediante e tbm por falta de tempo para escrever mais, os relatos são resumidos e procuramos passar as informações essenciais para que os leitores possam ter uma idéia do que ocorreu no atendimento, algo que lhes sirva para reflexão e aprendizado, principalmente, sobre a realidade da reencarnação, da vida após a morte, como as coisas acontecem na prática, sem omitir ou romancear os fatos. Mas muitas outras coisas acontecem.

Antes e depois da reunião onde nos defrontamos com os dragões todos nós passamos mal, com dores diversas, mal-estar, ficando doentes, etc. Espiritualmente é constante o assédio por parte das trevas e isso se reflete em nosso estado de humor e tbm em nossos familiares próximos, que sempre são alvos em potencial e armas que utilizam para nos desestabilizar, o que não é tão difícil pq somos todos cheios de defeitos. E isso não ocorreu só desta vez, nos dias que tem reunião a gente já começa a passar mal pela manhã ou até em dias anteriores quando as energias que serão trabalhadas são muito densas, o que ocorre praticamente em todas as reuniões.

Existe uma batalha constante entre a luz e as trevas e os "bons espíritos" não são "todo-poderosos" como muitas pessoas imaginam. Os seres trevosos tbm possuem tecnologia avançada e inteligência, os líderes são seres poderosos, há milênios sem reencarnar, com conhecimentos que estamos longe de obter. O que facilita para a espiritualidade combater esses seres é a nossa energia, nossa intenção de auxiliar e nossas ligações kármicas com esses seres. É através dessas ligações que conseguimos puxar um ser que puxa outro e outro e acabamos chegando em algum líder de facção importante, destruímos algum laboratório, uma base trevosa, etc. Muitas vezes somos a isca para pescar algum desses seres.

A maioria dessas entidades trevosas que lutam conosco são antigos comparsas ou rivais nossos de vidas passadas, tanto na carne como no astral. Na reunião seguinte àquela em que capturamos os dragões fizemos uma verificação junto à equipe espiritual sobre a situação, pois todos continuamos sentindo os efeitos com dores de cabeça, mal-estar, etc., e nos foi mostrado que pelo menos três membros do grupo estavam desdobrados como um dragão, inclusive eu.

Como já fomos dragões no passado e as energias desses seres são muito fortes, o contato que tivemos com eles abriu essa frequência em nós e provocou um desdobramento inconsciente com aquela forma de dragão. Isso fez com que ficássemo sintonizados com aquelas energias densas e isso se refletiu em nosso corpo físico através de dores, doenças, mal-estar, irritação, etc.

Após nos mostrarem como estávamos a equipe espiritual fez uma aplicação de energia em nossas mentes e nossos corpos de dragão murcharam como se fossem um balão de ar esvaziando. Depois disso nos avisaram que essas dores e mal-estar irão se prolongar por algumas semanas ainda pois as energias movimentadas foram muito fortes. O bom disso é que estamos fazendo uma assepsia em nosso psiquismo inconsciente e estamos conseguindo limpar em nosso arcabouço mento-astral (poderíamos até chamar de calabouço de tanta coisa ruim que tem lá... rssss) muitas frequências de baxíssima vibração, o que nos fortalece cada vez mais.

É preciso observar que não é fácil para a equipe espiritual acessar esses seres pois a diferença de vibração entre eles é muito grande e é nossa intermediação que permite isso, pois temos a vibração baixa, ecotplasma, a vontade de auxiliar e a ligação kármica com os seres trevosos. Esses quatro ingredientes é que nos habilitam ao trabalho. É claro que o fato de termos sido dragões, magos negros, vampiros e toda sorte de coisa ruim que já existiu ajuda muito tbm. Mas estamos firmes nessa encarnação no caminho do bem e esperamos terminá-la um pouquinho mais longe das trevas do que quando nascemos.


Gelson Celistre.

3 comentários:

  1. Gelson, adorei o blog...eu vivo numa busca constante por informação e este blog é realmente muito elucidativo...Eu já li bastante sobre apometria, mas o trabalho desta equipe realmente me deixou muito feliz. Gostaria de saber se posso reproduzir algumas histórias em meu blog. Meus sinceros desejos de que a equipe permaneça na Luz e unida neste trabalho incrível!

    ResponderExcluir
  2. Oi Vanessa,

    Pode sim, só pedimos que cite a fonte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Gelson, realmente acho que o assunto é de utilidade pública.

    ResponderExcluir