sexta-feira, 29 de abril de 2011

A rainha

Durante a reunião os médiuns perceberam a presença de um espírito feminino, com muita raiva e arrogância. Ele se autoproclamava "rainha" e estava "ordenando" que nossas reuniões terminassem de uma vez por todas, pois ela não admitia mais que nós continuássemos a invadir seus domínios.


Ela disse que não veio só, que havia vários dos seus junto dela para lhe dar suporte. Estou acostumado a conversar com seres trevosos mas essa me parecia mais louca do que perigosa. Segundo ela nós destruímos vários laboratórios e resgatamos os servos dela, e ela já estava cheia disso. Fizeram uma reunião e ela recebeu todo o apoio para vir até nós e acabar de vez com isso.

Eu perguntei a ela onde estavam esses seres que a estavam apoiando e ela então começou a chorar pq viu que os tais seres são da equipe do nosso hospital Foi repassada para uma das médiuns a informação de que os tais seres que estavam com ela e que decidiram na tal reunião que ela viesse até nós com sua "reivindicação" são espíritos que já foram resgatados por nós em outros atendimentos e que agora estão trabalhando em nosso posto no astral. Estes espíritos eram do mesmo grupo que essa "rainha" e planejaram isso para que ela viesse até nós.

Seria ilógico todo esse trabalho para resgatar um espírito que, pelo estado mental, poderia ser facilmente adormecido e transportado para o posto por algum trabalhador de lá. Mas assim como as entidades trevosas usam pessoas ligadas a nós para nos acessar, nós tbm usamos os espíritos que chegam a nós para acessar outros ligados a eles. O forte cheiro nauseante e a presença de um saco cheio de fetos no ambiente, que veio na esteira vibratória da "rainha", me mostrou qual a intenção real dessa visita da nobreza em nosso grupo.

Ligado a esse saco de fetos havia um outro espírito feminino (que tem ligação cármica com a "rainha") e mais uma grande quantidade de fetos em uma localidade umbralina. Esse local no astral está ligado a uma clínica de abortos aqui no plano físico.

Os médiuns viram o local, que fica situado numa grande cidade de nosso país, e que atende pessoas das classes sociais mais abastadas economicamente. Meninas de 13/14 anos que engravidam e que são levadas a essa clínica para que as famílias não passem por nenhum constrangimento social e tbm para "não prejudicar o futuro delas". Enfim, não nos compete julgar os motivos de quem opta por esta solução, o aborto, mas compete a nós envidar esforços para que este tipo de "serviço" não esteja disponível para quem, às vezes numa situação de desespero, não sabe o que fazer ou não pensa adequadamente nas consequências, e opta por isso.

Foram mostradas algumas meninas que fizeram aborto na tal clínica, algums eventualmente morrem, e tentamos incutir na mente delas que denunciem às autoridades a existência dessa clínica. Muitas meninas não querem abortar mas são forçadas pelos pais. Foi mostrado tbm aos médiuns que muitas pessoas que levaram seus filhos nessa clínica são pessoas a quem, socialmente, compete a fiscalização e combate a este tipo de negócio. Parece que na tal cidade pessoas da alta roda e autoridades fazem "vista grossa" para a existência da tal clínica, justamente pq muitos deles já utilizaram os serviços da mesma e pq algum conhecido pode vir a precisar.

 Abraço.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário