quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Medusa

Na mitologia grega a medusa era uma das três Górgonas, um monstro feminino com serpentes na cabeça ao invés de cabelo, e que paralisaria quem a fitasse nos olhos. Por diversas vezes encontramos entidades no astral com essa imagem plasmada, frequentemente bruxas.


Recentemente surgiu em uma de nossas reuniões mais uma, muito revoltada comigo, em função de eu estar "destruindo aquilo que nós construímos".  Ocorre que em meu passado trevoso, eu fui amante dessa mulher e no astral continuamos com nossas atividades.

Tínhamos um castelo com várias outras bruxas que comandávamos, além das atividades escusas que praticávamos, prestando serviços a outras entidades igualmente das trevas. Este grupo estava numa frequência tão baixa que há muito não tinham contato direto com os encarnados aqui na crosta.

Minha antiga companheira incorporou em uma das médiuns e conversamos um pouco, como sou meio debochado às vezes ela acabou ficando com mais raiva inicialmente mas depois acabou aceitando minha proposta de auxílio e resgatamos ela e as demais bruxas.

Este breve relato serve para percebermos como temos situações e seres de nosso passado a resgatar, pois quanto mais situações vc resgata mais situações surgem, como se fosse o descascar de uma cebola onde vc retira uma camada e existe outra  mais profunda.

Como curiosidade tbm a questão das formas utilizadas pelos espíritos para se apresentar, no caso aqui a de medusa. Outra forma muito utilizada por entidades trevosas é aquela do diabo clássico, com chifres retorcidos, corpo peludo e com patas de bode. Esses espíritos utilizam essas formas como maneira de demonstrar seu poder e atemorizar os demais, às vezes por tanto tempo que acabam assumindo realmente essas aberrações como a forma de seu perispírito, motivo por vezes de nascerem seres com defeitos congênitos muito semelhantes a entidades fabulosas, como corcundas, duendes, etc.

Abraço.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário