segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

A luz servindo às trevas

É interessante como alguns seres usam de estratégias ousadas para atingirem seus fins, geralmente com finalidades inomináveis. Saindo do universo dos obsessores passionais, zombeteiros e "marginais"do astral que são utilizados por mentes astutas como "peões" num jogo de xadrez, encontramos seres que estão há séculos ou milênios sustando em si mesmo a aplicação das leis naturais, evitando a reencarnação e mantendo seus "feudos" na dimensão astral, vampirizando os encarnados e colocando em prática seus planos de dominação e subjugação do maior número possível de almas, numa busca incessante de poder.

Estas mentes trevosas conhecem muito bem o modus operandi dos grupos de resgate e auxílio espiritual. Sabem bem quais são os princípios éticos e morais que norteiam o trabalho de muitos irmãos da espiritualidade, e tbm de irmãos encarnados, que labutam em centros espíritas ou outros grupos espiritualistas onde se trava algum contato com o "outro lado", através de um intercâmbio mediúnico.

Uma entidade poderosa, que mantêm sob seu jugo centenas ou milhares de espíritos desencarnados e até encarnados, acaba criando um laço muito forte de ligação com esses espíritos. Mesmo eles estando subjugados mentalmente e sendo vampirizados e explorados das mais diversas formas, chega um momento em que a desvitalização desses espíritos é tão grande que a entidade dominadora acaba sendo sugada por eles energeticamente, e então esse "senhor" precisa se livrar de seus "escravos". Só que a tudo tem um preço e nem sempre é tão fácil se livrar dessa carga energética sem dispender muito da própria energia e arriscar-se a ficar em situação desfavorável frente a outros maiorais das trevas.

É nesse momento que essas mentes trevosas "aparecem" num grupo mediúnico ou de apometria, às vezes através de algum outro espírito de menor vulto no contexto umbralino ou então são "puxados" quando se atende alguma de suas vítimas, seja encarnada ou desencarnada. Costumam trocar algumas palavras com o doutrinador ou apômetra (preferem grupos de apometria pois sabem que estes adentram em suas bases) para que ele perceba que está diante de uma entidade "poderosa" e que deve ter muitos espíritos aprisionados para serem resgatados.

Os médiuns e sua equipe espiritual efetuam o resgates dos seres ligados a este ser trevoso, que depois é levado para dialogar com alguma outra entidade no plano astral, onde é advertido sobre suas ações e as consequências delas. É nesse momento que a entidade se realiza completamente pois ou se faz de arrependido e depois foge ou foge simplesmente, livre da carga energética que estava lhe causando incômodo, pronto para começar de novo seus planos de dominação, geralmente já com alguma reserva de encarnados  que vai utilizar em desdobramento ou algum grupo encarnado que está fascinando para se apresentar como mestre de alguma coisa.


Equipes mais experientes, tanto no plano físico como no astral, geralmente estão sabendo qual a intenção desse tipo de ser quando ele se apresenta ou então percebem durante o atendimento. Algumas vezes fazem exatamente o que a entidade quer pois os seres ligados a ela precisam ser resgatados mesmo. Nem perdem tempo tentando doutrinar a criatura pois o mais importante é o contigente de espíritos resgatados. Há o caso tbm de utilizar esse "espertinho" para econtrar outros locais com seres aprisionados ou como meio de espionar outros grupos trevosos, implantando no ser algum aparelho de rastreamento sem que ele o saiba.

Já tivemos casos onde a equipe espiritual nos informou sobre a intenção do ser, de se ver livre dessa sua carga energética e tbm nos avisaram que faríamos muitos outros resgates semelhantes, pois muitos seres iriam "se entregar" com essa finalidade, mas como disse antes para nós o mais importante é o contingente de resgatados. Outro fator que nos foi informado é que estes resgates funcionam como uma espécie de "boi de piranha" para as entidades realmente trevosas, que vão sacrificando seres de menor importância em seu império, mesmo perdendo uma grande quantidade de almas escravizadas, para nos manter ocupados e assim aumentar a probabilidade de não encontrarmos suas bases mais importantes.

Entretanto, eventualmente nos deparamos com algum desses seres e sentimos que está na hora de encerrar sua carreira de crimes, seja por serem muito perigosos ou pq não tem mais nenhuma informação que nos seja útil. Recentemente em uma de nossas reuniões apareceu uma "gira" se gabando de que estava "melhorando" a vida sexual dos membros do nosso grupo e se oferecendo para ficar em minha casa com essa finalidade.

Numa rápida averiguação da frequência dela já apareceu um ser trevoso, escuro, bem alto, mais de dois metros, grandes asas de morcego, chifres, enfim, aquele visual clássico trevoso. Este ser tinha centenas de espíritos ligados a ele numa masmorra e tbm num hospício na dimensão astral. Sua intenção era a de que nós resgatássemos esse seres, livrando da carga energética deles, para poder seguir com seus projetos  maléficos. Mais uma vez a luz serviu às trevas, pois nós fomos até esses locais no astral e resgatamos todos os espíritos ligados ao "morcegão".

Enquanto finalizávamos o resgate ele, incorporado numa das médiuns, demonstrava toda sua arrogância e impaciência dizendo: - Acabem logo com isso e me mandem pra onde quiserem, provavelmente imaginando que sairia dali alegando que era de seu "livre-arbítrio" persistir no mal ou coisa parecida, caso não conseguisse fugir. Bom, desta vez ele deu sorte pois ao invés de permitirmos que ele continuasse se afundando na lama e agravando seus débitos kármicos, apagamos sua mente e ele foi "encaminhado" pela nossa equipe espiritual para um novo começo, sabe-se lá onde e em que condições. A verdade é que tanto a luz como as trevas servem a Deus.


Abraço.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário