quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

O vampiro do abismo

     Fomos contratados para resgatar um homem que faleceu há quatro anos, bom marido, bom pai, uma pessoa que se dedicava a família e que deixou muita saudade ao partir. Esse homem teve um infarto enquanto dormia e veio a falecer. Já havia atendido a filha desse homem e estávamos conversando quando surgiu o fato de que ele havia morrido dormindo, então comentei que nesses casos é provável que ele nem saiba que morreu, ela perguntou o que poderíamos fazer e disse que poderíamos resgatá-lo e o levar para um hospital.

    Ela disse que o pai já havia passado por um hospital e que agora estava numa cidade aprendendo para atuar como mentor. Perguntei de onde ela tirou isso e ela disse que um amigo que faz harmonização lhe disse. Respondi que ele não devia saber que está morto, quanto mais ser mentor de alguém, até porque isso não existe. Como vi que ela não aceitou não falei mais sobre isso e conversamos sobre outras coisas, mas no dia seguinte ela pediu para fazer o resgate do pai.
    Com os dados do falecido, nome completo, datas de nascimento e falecimento, e uma foto, dei um comando para o médium ir até ele, pois ele não estava próximo da filha, que foi quem contratou o resgate. A médium foi parar numa região abismal do astral, onde havia de um lado um imenso paredão de pedra e do outro uma extensa planície, uma região árida, sem vegetação, e escura, um local onde não se vê algo que semelhante ao sol, é como se fosse um eterno crepúsculo.
    Encontramos o pai da consulente caído no chão próximo ao paredão de pedra, desacordado, dormindo do mesmo jeito que morreu. Inclusive estava num sono tão profundo que não tinha forças para se mexer, ele ouviu quando coloquei o áudio da filha falando sobre ele mas não teve forças para se mexer.
    Não havia outros espíritos no local, estava deserto, e parecia que o homem acabou parando ali por conta da densidade do seu corpo astral, pois por melhor que sejamos nessa vida temos um lastro energético geralmente bem pesado de vidas passadas e isso pode nos situar em locais como esse após a morte.
    Para confirmar dei um comando para a médium ver como ele foi parar ali e ela viu que ele após a morte não percebeu que estava morto, não acordou e nem levantou da cama onde estava, e aos poucos foi descendo na mesma posição que morreu e acabou parando naquele local. 
    Parece que tudo ocorreu como de costume, resgatamos o homem e o encaminhamos para um posto no umbral mesmo pois estava muito pesado para ser levado para o hospital para o qual habitualmente levamos os resgatados.
    Mas no tal paredão de pedra próximo de onde o homem estava havia uma caverna grande e escura e antes de dar o caso por encerrado mandei o médium entrar nela pois apesar de parecer normal a situação do homem, se ele tinha uma densidade que o situou num local abismal é pouco provável que não tivesse algum inimigo ou outro ser por ali para exigir dele alguma coisa.
    Dentro da caverna a energia era pior que no lado de fora, o local exalava uma energia de dor e sofrimento e a médium viu vários morcegos pendurados no teto, 36 para ser exato, e identificamos que eram espíritos humanos que foram metamorfoseados.
    Rastreei o ser que os transformou e apareceu um homem com uma capa preta esvoaçante, de um preto brilhante, o vampiro do abismo. Esse vampiro está morto há cerca de 70 anos, era medico, morava em Recife e era espírita kardecista. Morreu com cerca de 73 anos de idade. Se achava uma pessoa muito boa e quando morreu se surpreendeu de ter ido para essa região abismal.
    Talvez tenha imaginado que se sucederia com ele o que houve com o André Luiz, do Nosso Lar do Chico Xavier, mas como não aconteceu ele usou os conhecimentos que tinha para sobreviver segundo disse. Ele hipnotizou os espíritos que encontrou vagando nesse abismo e os transformou em morcegos. Esses morcegos saíam e mordiam outros espíritos com quem tinham ligação e que estavam encarnados e voltavam para a caverna, onde ele retirava a energia recolhida pelos morcegos e utilizava para se manter bem naquele local. 
    Ele obtinha tanta energia com os morcegos que havia excedente e ele estocava no fundo da caverna, pois disse que ele também era atacado por outros seres que queriam lhe roubar a energia. Além dos 36 morcegos que já havíamos visto ele tinha mais uns 350 no fundo da caverna.
    O homem que resgatamos de fato chegou ali adormecido, mas acordou e saiu vagando sem rumo, o vampiro o viu e o transformou em morcego. Eventualmente o mandava para perto dos familiares para os vampirizar, principalmente a filha que tinha muita afinidade com ele. Quando percebeu que estávamos lá atrás do homem o vampiro do abismo o restituiu a forma humana e o deixou caído do lado de fora da caverna para que não fosse descoberto.
    Nós restituímos os morcegos à sua forma humana e os resgatamos. As reservas de ectoplasma que ele mantinha no fundo da caverna estavam contaminadas e foram destruídas pois estavam contaminadas e não poderiam ser reaproveitadas nos hospitais. A mente do vampiro do abismo foi apagada e ele foi encaminhado para reabilitação.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário