quinta-feira, 8 de outubro de 2020

Resgates

     Esta semana efetuamos quatro resgates de pessoas falecidas que demonstram bem o tipo de situação que podemos encontrar do outro lado após a morte.

    Um dos espíritos que resgatamos morreu há 20 anos, era um homem de 60 anos que reagiu a um assalto onde foi baleado e morto; outro era uma mulher de cerca de 90 anos que morreu de velhice; o terceiro era um homem de 67 anos que  estava doente e morreu há 3 dias; e o quarto uma mulher de 60 anos que morreu de cirrose hepática há cerca de duas semanas.

    O que morreu baleado há 20 anos estava caído numa região umbralina densa, do jeito que ela caiu aqui no físico quando morreu ele ficou no astral. Estava lá imóvel e depois de algum tempo se criou uma lama escura que cobriu seu corpo, como se o local tivesse tragado ele. Ele mentalmente estava preso no momento em que foi morto, sabia que tinha sido baleado, mas não que havia morrido, imaginava em sua mente que estava procurando os assaltantes para fazê-los pagar, mas via tudo escuro ao seu redor e não conseguia encontrar os meliantes.

       Ele estava consumido pelo ódio, não tinha noção de que estava morto e nem de que estava caído nesse local umbralino onde o encontramos. Estava fraco e tinha dificuldade de respirar. Incorporei ele num médium para tentar esclarecê-lo mas ele não aceitava que estivesse morto. Só se acalmou um pouco quando lhe disse que os assaltantes já haviam sido presos. Lhe disse que ele estava morto há 20 anos e ele não conseguia entender pois o sentimento que ele tinha era de que tudo pelo que passou havia acabado de acontecer. 

    Após um tempinho incorporado, por estar recebendo o ectoplasma do médium, ele se sentiu melhor e então o encaminhamos para o hospital, mas ele ainda não acreditava que estava morto.

    Esse homem numa vida anterior foi um general do exército na época do Império e matou muitas pessoas a sangue frio. Viveu num período onde houve alguma revolta e ligado a ele por conta dessa vida, que foi o karma que lhe causou a morte nessa última vida, resgatamos cerca de 560 espíritos que morreram nessa revolta.

    No segundo resgate de uma senhora bastante idosa encontramos ela num local de despejo hospitalar, o mesmo tipo da postagem que fiz em junho desse ano, Lixo hospitalar espiritual, só que era de outro hospital em outro estado. Ela não conseguia ver muita coisa mas escutava gritos de dor, gemidos e choros o tempo todo.  Iluminei o local para que ela pudesse ver onde estava e ela se apavorou, disse que aquilo parecia o inferno, com montes de corpos de pessoas amontoadas umas por cima das outras, algumas em decomposição, faltando membros, gemendo e gritando, chorando, enfim, realmente era uma cena dantesca.

    O espírito dessa senhora estava indignado por estar ali, dizia que houve um engano, que ela foi uma boa mãe, uma boa esposa, era de boa família, e não entendia o que estava fazendo ali. Argumentei com ela que certamente devia ser por conta de atos dela de vidas passadas, mas ela não aceitou, disse que desse outro lado também tinha gente incompetente e que haviam cometido um erro, pois ela já devia ter sido levada dali, nem era para estar ali. 

    Esse comportamento inclusive estava dificultando o resgate dele, então fiz ela lembrar de uma vida anterior onde ela foi dona de escravos e só conseguimos retirar ela dali após resgatarmos cerca de 180 espíritos de escravos ligados a ela dessa outra vida. Aproveitamos para resgatar os espíritos que estavam junto com ela no despejo, em torno de mil, e criamos uma bolha para os transportar. Ela inclusive não gostou de ter ido nessa mesma bolha com eles, achou que iria sozinha.

    O terceiro resgate foi mais tranquilo pois havíamos atendido o falecido há cerca de dois meses e ele já estava desdobrado no nosso hospital quando morreu, então teve uma morte assistida, teve ajuda para se desligar e não houve complicações nesse processo, estava tendo que lidar apenas com as emoções do fato em si, pois vai ficar longe dos familiares e é uma nova etapa na jornada.

    Esse quando o atendemos antes tiramos 24 espíritos que estavam com ele de trabalhos de magia negra, sendo que sete desses espíritos eram de trabalhos para que ele morresse. Fora isso ainda havia mais de 300 espíritos esperando ele morrer para cobrar dívidas de vidas passadas.

    No quarto resgate a mulher estava junto do marido, que ainda está vivo, mas que adoeceu seriamente depois que ela morreu. Também não tinha noção de estar morta, não aceitou quando lhe disse que havia morrido, foi adormecida e levada para um hospital no astral.

    Nesse caso encontramos uma situação interessante. Descobrimos que ela quando jovem fez um trabalho de amarração para conseguir casar com esse marido e essa energia do trabalho estava levando o marido dela à morte, pois era um trabalho para que os dois ficassem juntos para sempre, mesmo após a morte. 

    O trabalho foi feito na mata por uma cigana, cujo guia espiritual em vida passada foi um bruxo poderoso que acabou morrendo queimado por um grupo de pessoas que viviam numa cidadela ao redor de um castelo nos anos 1600. Desde então ele caça as pessoas que o mataram e as prende na mesma cidadela no astral, sendo que a mulher que resgatamos e o marido eram desse grupo. 

    Através do trabalho de amarração ele prendia não só um ao outro, mas também a ele. Já tem mais de 3 séculos que ele prende as pessoas desse grupo no astral e só as deixava reencarnar para as vampirizar. Ele foi preso e os espíritos libertados. Ele estava apenas esperando o marido da mulher morrer para levar os dois presos de volta para a cidadela.

    Esses são apenas alguns exemplos do tipo de situação que encontramos rotineiramente nos resgates. Como já dissemos a grande maioria das pessoas não são resgatadas por equipes socorristas ou seres de luz e ficam no astral à mercê do próprio karma.


Gelson Celistre 

    

Um comentário:

  1. Em um dos livros da Patrícia ela comenta sobre isso. Espíritos perturbados, com ódio, sentimentos de vingança, etc não adiantaria serem resgatados, só criariam problemas e fugiriam. O umbral é a região que sintonizam e será, infelizmente, o seu lar até que reflitam/sofram e mudem de pensamento e sentimento.

    ResponderExcluir