terça-feira, 20 de outubro de 2020

Plantação de espíritos

     Hoje atendemos um senhor idoso que não tem histórico de doenças, é uma pessoa muito ativa, e que estava sentindo umas tonturas. Havia um obsessor com ele com aquele papo manjado de que ele não presta, que vai morrer mesmo, que tem que sofrer, que esperou muito tempo por esse momento, etc.

    Perguntei o que o tal senhor havia feito para ele no passado, ele esbravejou um pouco, insistiu que ele merecia sofrer, então fiz ele lembrar da última vida onde se encontraram para que o médium pudesse ver. Esse obsessor era produtor rural e o tal senhor era um cliente dele, comprava os produtos e revendia na cidade.

    O obsessor disse que o tal senhor o explorava, que ganhava muito mais do que ele que era quem produzia e que agora teria que trabalhar para ele no astral porque lhe devia. Senti que tinha mais coisa, cutuquei a criatura e descobrimos que esse obsessor era um homossexual enrustido e que tinha interesse no tal senhor naquela vida, mas o outro nem cogitava qualquer coisa nesse sentido.

    Não sei por quanto o tal senhor comprava e nem por quanto revendia, mas era uma relação de negócios e imagino que se ele fosse mesmo explorado venderia para outra pessoa, então esse papo de ser explorado não colou, nem a questão de ser "rejeitado".

    Resolvi investigar e perguntei ao obsessor o que ele fazia no astral, ele estava incorporado e respondeu que plantava no astral, assim como ele fazia no físico, achando que ia ficar nessa resposta, mas perguntei o que ele plantava e nesse momento o médium conseguiu ver de que era a "plantação" dele.

    Na realidade ele tinha uma plantação de espíritos, dos quais ele colhia energias mentais e emocionais. Existem muitas pessoas que após a morte ficam presas num sentimento ou pensamento único e na dimensão astral ficam apáticas, não interagem com outros espíritos, ficam imóveis absortas no seu mundo mental, como se fossem autistas, e o que esse obsessor fazia era recolher essas pessoas e agrupá-las uma ao lado da outra numa área, como se fosse mesmo uma plantação, e ele extraía delas essa energia que geravam de sentimentos e pensamentos, que ele negociava para os mais diversos fins, como feitiços, para enlouquecer ou adoecer alguém, etc.  

    Por exemplo se alguém quer que uma pessoa se mate, ele tem a energia de um suicida que só pensava em morrer o tempo todo, se fosse para provocar uma briga entre casais tinha a energia de uma pessoa que foi traída, precisando de um câncer agressivo? Ele tinha, e assim vai. Ele tinha mais de 5.000 espíritos plantados e estava precisando de ajuda na colheita, encontrou o tal senhor encarnado, achou que ele já estava perto de morrer e resolveu ficar por ali para acelerar o processo para ter alguém para trabalhar para ele. 

    Nossa equipe resgatou os espíritos "plantados" e prendeu o obsessor.


Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário