quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Jesus e Nossa Senhora

    Muitos dos nossos sentimentos possuem raízes profundas em nossas vidas passadas e às vezes ocultam eventos que não somos capazes sequer de imaginar. Ao investigar um sentimento de tristeza sentido desde a infância por uma consulente nos deparamos com uma situação inusitada.

    Numa vida passada essa consulente foi uma criança muito feliz, tinha muito amor dos pais, se sentia acolhida, tinha um sentimento de pertencimento, de fazer parte daquela família, mas quando tinha cerca de 12 anos acabou morrendo de uma doença que costumava acometer as crianças. Ela quando estava morrendo inclusive achou que estava adormecendo, mas depois da morte, no astral, ela ficou algum tempo próxima dos familiares e nesse período ela começou a se sentir triste, pois ninguém a via ou a escutava, se sentia abandonada, via a mãe chorar por ela mas esta mesma mãe não a via nem dava atenção a ela.

    A mãe da consulente naquela vida, que foi na Itália, era muito católica e rezava muito. Após a morte da filha, talvez porque sentisse a presença da filha perto dela, ela rezou para Nossa Senhora pedindo que cuidasse de sua filha. E vejam que interessante, apareceu Nossa Senhora e levou o espírito da criança. Segundo a médium a imagem era a clássica da Nossa Senhora e estava usando um manto branco e era um ser que transparecia bondade.

    Lógico que não era a mãe de Jesus, até porque ela deve estar ocupada resgatando seus próprios carmas, e sim algum espírito que se passava por ela. Puxei o espírito e incorporei numa médium para conversarmos. Logo que incorporou a médium tossiu muito porque o espirito, que era uma mulher, tinha algum problema nos pulmões. Após alguns minutos incorporada o espírito da Nossa Senhora conseguiu falar.

        Há seis séculos ela foi uma freira na Itália, era muito devotada a Cristo e tinha visões onde Jesus lhe mandava cuidar das crianças pobres e doentes, lhe dizendo que esta era a sua missão, que ela cumpriu com muita devoção inclusive após sua morte, já velha e com tuberculose, pois Jesus lhe apareceu depois que ele morreu e disse que ela deveria continuar com sua missão recebendo as crianças que morriam e levando elas para o reino dos céus.

    E era isso que essa freira vinha fazendo nos últimos 600 anos, recebendo as crianças mortas cujas mães rezavam pedindo que Nossa Senhora cuidasse delas. Nesse tempo ela já recebeu mais de dois milhões de crianças. É claro que mandei ela nos levar até o reino dos céus para vermos como estavam essas crianças, pois já estava claro que ela estava sendo usada por algum ser das trevas s fazendo passar por Jesus.

    Ao chegarmos no local ela logo começou a chorar, pois o que ela viu foi uma cena talvez só vista aqui na Terra na época do Holocausto, milhares de corpos de crianças jogados uns sobre os outros, enormes montes de corpos como se fossem montanhas, todos inertes e apáticos.

    Intimei logo o "Jesus" e o incorporei num médium, ele muito arrogante se dizia o próprio Cristo. Vimos que em sua última encarnação nos anos 1200 d. C. ele foi um bispo em Roma, se sentia um representante de Deus na Terra ao nível de Jesus, e diz que só não foi eleito Papa porque não reconheceram o poder dele. 

    Nesses montes de crianças no astral havia quase 300.000 e ele estava conectado com cerca de 800.000 espíritos encarnados de onde tirava energia, espíritos que já foram uma dessas crianças, que quando reencarnam ficam ligadas a ele e sendo vampirizadas, sendo uma delas a consulente que estávamos tratando a questão da tristeza que ela sente desde criança.

    Cortamos a ligação dele com os espíritos encarnados e nossa equipe espiritual recolheu os espíritos das crianças. Esse "Jesus" teve a mente apagada e vai ser encaminhado para a reencarnação. A freira era uma pessoa de bom coração, mas sem noção da própria importância e foi usada pelo espírito do Bispo que se aproveitou da ignorância e da mediunidade dela quando viva para prepará-la para lhe servir após a morte.

    Ser devoto, bom, piedoso e fazer caridade nem sempre é o suficiente para evitar de sermos enganados. Muitas pessoas de boa vontade acabam sendo enganadas por falta de conhecimento e excesso de ego. No meio espiritualista é o que mais tem, pessoas que acham que estão aqui em missão, que estão conectadas com mestres e ETs de toda ordem, sendo que nenhum desses está aqui resgatando seu karma, porque se acham espíritos elevadíssimos, estão aqui para serem canal, para guiar os outros, para amar, para curar, etc. Cegos guiando cegos.


Gelson Celistre


 

  

5 comentários:

  1. Me tire uma dúvida, que já tive em outros relatos seus: Não existe ninguem que poderia ter intercedido neste caso antes ? Foi necessário tanto tempo para uma ação? Não existe nenhum grupo espiritual que poderia ter agido antes? Pois fica a impressão que é uma socieda anarquica o mundo espiritual, terra de ninguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lá é como aqui, tem grupos que ajudam mas a quantidade de quem precisa de ajuda é muito maior do que a de quem se dispõe a ajudar, exatamente como aqui. Tu vai num centro espírita tem um monte na fila querendo ser atendido, mas vê quantos se oferecem para trabalhar lá. Quem está no astral é quem estava no físico, se aqui as pessoas são pouco evoluídas não vai ser porque morreram que vão se transformar em seres de luz.

      Excluir
  2. Dureza.. pedem que tenhamos fé (acreditemos sem evidências ou provas), que sejamos puros de coração como as crianças mas ... se ficar o bicho come, se correr o bicho pega. Se agarrar à ciência? Muita coisa a ciência não aborda, por preconceito ou por falta de instrumentos.. estamos ao Deus dará.. "só sei que nada sei", esse é o meu lema. Desculpe o comentário inútil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos colher aquilo que plantamos ao longo de várias vidas. Quando despertamos e começamos a procurar desenvolver a espiritualidade temos que lidar com os milênios que vivemos apenas para as paixões.

      Excluir