sábado, 16 de março de 2019

Criança médium

      A mediunidade é um karma e quanto mais cedo ela se manifesta e quanto mais ostensiva ela é maior o débito a ser resgatado. Quando surge na infância a pessoa vai ter uma vida bem difícil. Atendemos um menino de 10 anos a pedido da mãe adotiva, pois segundo ela "...acredito que ele tenha um obessessor que está atrapalhando muito ele , tens sonhos pesados, olha pra gente com um olhar que não parece ser ele, e sinto que tem algo que não me deixa chegar perto dele , parece que essa coisa me empurra , me afasta dele." 




     Nesses casos a criança não comparece na consulta, sendo representada pela mãe ou pai. A mãe nos informou que ele sonha e eventualmente também vê um homem vestido de preto que lhe pede para fazer coisas. O menino contou a ela inclusive que um dia esava bricando na pracinha e esse homem de preto apareceu para ele e lhe pediu para fazer algo que ele se recusou, e que o tal homem fez o balanço bater na cabeça dele. 
     A mãe também nos contou que as vezes o menino muda sua fisionomia e fala coisas como se fosse adulto, como um homem velho. Enquanto ela nos relatava isso, uma das médiuns incorporou o tal homem de preto que já foi dizendo que o menino lhe pertencia e que iria trabalhar para ele, que ele lhe devia.  Sondando o espírito jncorporado a médium descobriu que em vida passada ele era um poderoso bruxo e que a mãe do menino era sua auxiliar. Ela era quem providenciava o que fosse necessário para os feitiços, tipo um animal, uma mulher grávida, uma criança pequena, um feto, enfim o que fosse preciso ela dava um jeito de conseguir.
     Para um de seus trabalhos o bruxo precisava de um jovem adolescente e sua auxiliar providenciou, mas quando o bruxo viu o rapaz sentiu que ele tinha muito potencial e o pegou para ser seu aprendiz. Esse jovem é o menino que estávamos atendendo agora. Como aprendiz do bruxo ele tinha uma vida boa pois o bruxo cobrava caro e tinha uma grande fortuna em ouro. Com esse dinheiro ele ajudava sua família, que era muito pobre, com seus vários irmãs e imãos menores.
     O jovem era muito inteligente e tinha uma excelente memória, conseguindo memorizar páginas inteiras de feitiços, o que era muito útil para o bruxo que já não enxergava direito. Mas o jovem não gostava de matar crianças nos rituais pois pensava que poderia ser um de seus irmãos e decidiu abandonar o bruxo. Porém, ele sabia que não dava simplesmente pra dizer que não queria mais e por outro lado também não queria perder a boa vida que tinha e que o permitia ajudar seus familiares.
     Ele então denunciou o bruxo às autoridades e mostrou os locais onde ele enterrava os corpos das vítimas dos rituais. O velho bruxo foi preso e cruelmente torturado e o jovem distribuiu para várias pessoas pobres o ouro do velho, mas acabou tendo que fugir dali pois as autoridades do local não gostaram desse ato de caridade dele, queriam eles mesmos ficar com o ouro.  O jovem também levou os livros de magia do velho bruxo, para talvez tentar uma carreira solo mais light em outro local.
     Mas o velho bruxo não era fraco e depois de morto passou a obsidiar o jovem, que assim como hoje também tinha mediunidade naquela vida. O bruxo incorporava no jovem e o fazia cometer atrocidades, como matar uma pessoa e comer seu coração.
     Vimos ainda outra vida onde o trio (o meniono, sua mãe e o bruxo) já havia se encontrado e onde fizeram um pacto, selado a sangue humano, para se reencontrarem em vidas futuras. Foram vistas também várias vidas onde a mulher sequestrou o menino para que fosse seu filho. 
     Desfizemos o pacto do trio, o bruxo teve sua mente apagada e o menino foi atendido por nossa equipe espiritual para aliviar um pouco dos efeitos da mediunidade na idade atual, mas advertindo que ele tem mediunidade ostensiva e que em poucos anos ela vai se manifestar com força, sendo que orientamos a mãe a educá-lo no espiritismo para melhorar sua qualidade de vida.
     Muitas pessoas quando sabem que possuem mediunidade perguntam senão podem "pagar esse karma"  fazendo caridade. Fazer caridade não vai afetar diretamente a mediunidade da pessoa, isso é uma ilusão. A caridade feita hoje vai gerar um crédito cármico que poderá ser utilizado no futuro, em outra vida. 
     Outro erro comum de quem tem mediunidade mas não quer assumir um compromisso no centro espírita de participar regularmente dos trabalhos mediúnicos é dizer que está "indo no centro espírita"; ir no centro espírita, participar de estudos e assistir palestras e toamr passe também não vai mudar teu karma imediato com a mediunidade. São atividades muito boas e louváveis, mas você está indo lá apenas buscar para si, não está indo para ajudar ninguém, não está indo para se doar. E como a mediunidade surge porque você tirou algo dos outros para beneficiar a si mesmo, então o remédio é dar de si. A única coisa que ameniza os efeitos da mediunidade é a prática mediúnica bem orientada e assistida por entidades extrafísicas "do bem".

Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário