domingo, 10 de março de 2019

Baal

     Muitos deuses antigos eram na verdade demônios e instituíam cultos a si mesmos com a finalidade de receber sacrifícios, principalmente humanos. Baal em especial tinha preferência por crianças. Seu culto aparece na história entre os fenícios, cartagineses, cananeus, egípicios e outros povos da antiguidade. Na bíblia os hebreus combatem a adoração desse deus. Também é identificado como o deus Moloch. Os tempos mudam e com eles os costumes, mas esses demônios se adaptam e descobrem novas formas de obter seu "alimento". Costuma ser representado segurando uma criança ou com o falo ereto.


Baal



      Recentemente atendemos uma jovem com cerca de 20 anos que apresenta crises de pânico e taquicardia, desmaios, que não pode sair sozinha e consequentemente nem estudar ou trabalhar. Foi-lhe receitado pelos médicos medicamentos contra depressão, mas que não estão surtindo efeitos. Mora com a mãe, que foi quem solicitou ajuda, e foi uns dias antes do carnaval que efetuamos o atendimento, onde nos deparamos com esse demônio antigo visitando nosso país.
     Esse demônio veio ao Brasil no período do carnaval com a finalidade de incentivar a libertinagem, o sexo desregrado e descuidado, sem preservativos, com a intenção de provocar gravidezes indedesejadas que acabem em abortos, pois crianças pequenas, principalmente bebês, eram seu alimento preferido. 
     Em uma vida passada a consulente foi freira e cuidava de um orfanato. Inspirada por esse demônio, sem o saber, que lhe sussurrava que as crianças eram filhas de atos obscenos e impuros, ela incendiou o orfanato matando 186 crianças, pois na sua mente o fogo as purificaria. Baal é claro absorveu a energia dessas mortes e aprisonou suas almas. Foram mostradas várias datas onde ele promoveu a morte de crianças em grande quantidade ao longo da história.


Baal
     A consulente em outra vida passada ainda era uma bruxa e sacrificava criancinhas para esse mesmo demônio. Foi visto um ritual na clareira de uma floresta onde um grupo de mulheres, em círculo ao redor de uma fogueira, cultuava esse demônio. A consulente era a líder do coven e erguia uma criança com os dois braços ao alto, momento em que surgiam nuvens negras e raios no céu. O demônio se aproximava da vítima e lhe arrancava o coração no astral, provocando a imediata morte da criança no físico.
     Em uma vida anterior a mãe da consulente realizava abortos e efetuou dezenas deles e uma moça inclusive acabou morrendo por conta de um aborto mal feito. Essa moça veio a ser sua filha numa vida posterior a essa e tinha algum problema mental. Por conta disso a moça sofria muito abuso sexual, teve várias gravidezes indesejadas e sua mãe naquela vida fazia os abortos nela, pois não queria ter trabalho cuidando de crianças. Mas na verdade era o karma dela criar essas crianças que ela matou na outra vida. Na vida atual elas se reencontraram novamente como mãe e filha.
     Bem, vários desses espíritos que foram abortados pela mãe e sacrificados pela filha, em mais de uma vida, foram atraídos para perto das duas, por efeito de karma, mas a consulente é que acabou sentindo mais os efeitos diretos devido a ter a tela etérica mais permeável e sentir a presença deles. Trata-se de um karma conjunto onde duas mulheres que promoveram a morte de crianças em vidas passadas estão sofrendo as consequências. 
      Mas voltando ao Baal, além da ligação dele com a consulente, em uma vida passada muito antiga eu fui um sacerdote desse "deus" e sacrifiquei muitas crianças para ele. Em outra vida onde fui magoeu escrevi um livro de magia ensinando como invocá-lo. Quando se deparou comigo agora imaginou que poderia me controlar e usar minha energia para facilitar sua vida; criou um portal sobre minha casa e queria utilizá-lo para levar as almas que ele iria capturar com os abortos pós-carnaval para o local onde ele vive nas regiões abismais da dimensão astral.      
     Através desse portal conseguimos descobrir a localização da base de Baal, que foi preso e será exilado, e o utilizamos para retirar de lá milhares de espíritos de crianças aprisionados, o que durou praticamente uma noite inteira, onde trabalhamos em desbobramento ajudando nossa equipe espiritual. Os espíritos que estavam com a consulente também foram resgatados, mas devido ao karma que ela está resgatando nesta vida, é provável que ela tenha mediunidade ostensiva e se não se "educar", realizando algum trabalho mediúnico caritativo, a melhora não vai durar por muito tempo.

Gelson Celistre
    
     


Nenhum comentário:

Postar um comentário