quarta-feira, 1 de agosto de 2012

O supersoldado

Atualmente, nesta encarnação, o consulente é uma criança e apresenta uma doença de pele, dermatite atópica, onde a pela resseca, coça, forma uma espécie de casca vermelha e depois descama. A mãe relata que consulta regularmente com dermatologista e já fez diversos tipos de tratamento no menino, todos sem sucesso.
   

     Em suas três últimas encarnações o consulente vem fazendo pesquisas com a pele humana e na encarnação anterior a atual ele realizou essas experiências aqui no plano físico tbm.    
     Um agravante da situação do consulente é que ele estava desdobrado na dimensão astral fazendo experimentos com enxerto e implante de pele em seres humanos, num laboratório ligado a um grupo nazista. Em sua encarnação anterior ele foi um cientista nazista e antes mesmo do início da guerra, ele já  fazia experimentos com pele humana, em 1938.
     A finalidade dos experimentos não era apenas transplante ou enxerto de pele, mas sim o desenvolvimento de uma pele mais forte para ser implantada nos soldados alemães, uma pele que fosse resistente a arranhões, cortes, e que suportasse melhor o frio e o calor, etc. Esses experimentos faziam parte de um projeto mais amplo de se criar um supersoldado. Faziam experimentos de mutação genética com pele de cobra e outros répteis para serem usadas em seres humanos.
     Os nazistas efetuaram diversos experimentos com o uso de soros e drogas na tentativa de aumentar a força e resistência dos soldados em batalha, projeto que teve seguimento em outros países após o fim da guerra e especula-se que ainda atualmente.
     O consulente tinha obsessão em efetuar um implante de pele num corpo inteiro e com esse intento ele levou sofrimento e morte a muitas pessoas. Ele queimava o corpo das pessoas vivas para tentar transplantar a pele que retirava de outra pessoa tbm viva. Ele provocava queimaduras com fogo, ácido, abrasão, esfolava com um bisturi, etc. e era totalmente alheio à dor que provocava nas cobaias humanas. Era tão obcecado que passava dias e noites trabalhando.
     Estes experimentos foram feitos em um dos campos de Auschwitz durante a Segunda Guerra Mundial e havia milhares de espíritos a serem resgatados nessa frequência, onde encontramos um grupo de comandantes nazistas ainda em atividade no astral (somente neste campo foram mortos mais de 160.000 pessoas). Embora a guerra tenha terminado aqui no plano físico, na dimensão astral os campos de concentração ainda continuam plasmados e serão necessários ainda vários anos efetuando resgates até conseguirmos eliminá-los completamente e resgatar todos os espíritos envolvidos.
     Um dos fatores que favorecem a existência ainda desses campos no astral é o fato de que a maioria dos nazistas que estão reencarnados se desdobram e voltam a atuar nesses locais no astral, alimentando com sua energia os desencarnados que estão lá, assim como tbm os sentimentos negativos das vítimas do nazismo reencarnadas, que tbm se desdobram, retornam aos campos e perpetuam neles mesmos o sofrimento que tiveram na vida anterior. Sem falar que uma grande parte de espíritos que não conseguiu se desvincular daqueles acontecimentos e reencarnar, continuam ainda no astral sem saber que morreram e ainda presos nos tais campos.
     Quando resgatamos os espíritos desse campo e prendemos os comandantes nazistas, descobrimos entre eles alguns que ainda estão encarnados e que estavam ali em desdobramento. Um deles era o recém capturado húngaro Laszlo Csatary, preso em Budapeste aos 97 anos de idade no dia 18 deste mês. Nesse grupo tbm estavam mais dois nazistas que escaparam e que ainda se encontram foragidos, sendo que um deles vive na Europa e o outro no Canadá. Muitos dos que foram dados como mortos tiveram suas mortes forjadas e continuaram em liberdade, vindo a morrer muito tempo depois de causas naturais sem nunca terem sido descobertos.
     Os nazistas desencarnados que atuavam neste campo de Auschwitz favoreciam seus colegas encarnados, ajudando-os a se manterem incógnitos aqui na Terra, afastando deles pessoas que poderiam suspeitar de seu passado, monitorando as atividades dos caçadores de nazistas, etc.
     Além dessa frequência de sua vida passada o consulente atuava em outro laboratório no astral, onde tbm efetuava experiências dermatológicas. Este outro laboratório era anterior à vida passada do consulente como cientista nazista e lá um dos projetos dele tinha relação com a utilização do "fogo selvagem" (pênfigo) como uma doença epidêmica, de modo a infectar e levar ao óbito uma grande quantidade de pessoas.
     Numa dessas três últimas vidas inclusive o consulente foi acometido por esta doença (pênfigo), já por efeito kármico, mas isso não diminuiu seu ânimo em continuar as pesquisas. Os problemas de pele que ele apresenta nesta encarnação são o início do resgate dele de situações de várias vidas onde fez experimentos dermatológicos muito cruéis em seres humanos.

Abraço.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário