sexta-feira, 2 de abril de 2010

O médico e o monstro II

Uma das médiuns estava sentindo um incômodo no estômago e fomos averiguar do que se tratava. Ela sentiu então que tinha um homem, um espírito, dentro dela. Na realidade tratava-se de um ovóide. Criamos uma bolha de contenção na frente dele e transportamos o ovóide para dentro dessa bolha.
Em seguida pedimos aos médiuns que sintonizarm com esse ser e com a médium para verificarmos como ele foi parar dentro dela, pois sabíamos que sozinho não teria como. Os demais médiuns perceberam que foi uma mulher conhecida da médium que, estando ambas desdobradas (desdobramento inconsciente) na dimensão astral, pediu a médium que 'cuidasse do seu filho', pois nos locais que ela estava 'frequentando' corria o risco de perdê-lo, sendo que a médiu aceitou lhe fazer esse 'favor'. A médium que recebeu o ovóide disse que essa mulher sua conhecida estava fazendo tratamento para engravidar com um médico ginecoligista.
Para verificarmos se não teria sido esse médico quem lhe 'deu' o ovóide, pedimos aos médiuns que averiguassem o fato. A situação que se desenrolou revelou uma vultuosa operação de colocação de ovóides em mulheres que pretendem engravidar e buscam o auxílio médico. Os médiuns captaram a frequeência do médico que atendeu a tal mulher e o viram indo a um terreiro de macumba atrás de um 'trabalho' para obter riqueza e mulheres, e viram que nesse local ele fez um pacto para obter esses 'favores'.
Na dimensão física foi-lhe dito que ele teria que frequentar a tal 'casa espírita' e fazer regularmente oferendas e outras coisas do gênero, sendo que no astral ele aceitou fazer o qau fosse solicitado desde que tivesse o que queria. Foi nesse local que ele foi cooptado para uma organização trevosa que tinha por finalidade a introdução de ovóides em pessoas encarnadas, com vistas a experimentos macabros e disseminação de fluídos negativos e doenças na humanidade encarnada.
Pela frequência desse médico a espiritualidade nos trouxe o mentor dessa organização trevosa, que em sua última existência fora um cientista polonês, um geneticista, que a principio foi obrigado a trabalhar para os nazistas mas que logo se 'encantou' com as facilidades que teria para continuar e expandir suas experiências, pois lhe foi colocado à disposição um moderno laboratório. Ele disse que morreu em 1942 mas no astral continuou 'filiado' aos nazistas e dando prosseguimento às suas experiências.
Chegou a falar alguma coisa sobre o Brasil, que para ele era repugnante esse mistura de raças que ocorre aqui e coisas do tipo. Tinha uma boa argumentação e conhecimento da lei do carma, discorrendo com desenvoltura que estava apenas fazendo cumprir o carma dessas mulheres que recebiam os ovóides, uma vez que se os seus organismos não estavam preparados para conceber era pq não 'mereciam' tal ventura e argumentou que era de seu livre-arbítrio agir assim.
De fato, tudo o que ele falou era verdade e disse a ele que tbm era de meu livre-arbítrio impedi-lo de agir. A quantidade de ovóides que eles mantinham 'estocados' era imensa, muitos milhares, bem como a rede de médicos encarnados espalhados por todo os países que estavam sob influência desta organização, que totalizavam mais de onze mil.
Efetuamos o resgate dos ovóides, que foram transportados para local adequado pela nossa equipe espiritual e desfizemos as ligações entre os médicos encarnados e a organização, após o que o cientista foi encaminhado para uma 'conversa' com nossa equipe espiritual. E ele ainda não gostou muito do 'guardião' que veio para levá-lo pq este era meio 'escurinho', questionando se 'esse ai' era a pessoa com quem teria que falar ou se ele o levaria ao seu 'superior'. O cientista tinha esperança de conseguir 'trabalhar' na sua área, que é a genética. Pelo seu jeito ele se achava um grande conhecedor do assunto e que qualquer organização, seja do bem ou do mal, adoraria tê-lo trabalhando para ela.
Foi mostrado a outra das médiuns uma moça que ela conhece e que fez tratamento para engravidar, tendo nascido uma criança toda defeituosa (que não foi identificado antes dela nascer pelo médico em nenhum dos exames) e que morreu umas oito semanas depois de nascer. Tbm foi visto que a maioria das mulheres que receberam ovóides além de não conseguir engravidar ainda desenvolveram câncer na região do útero, devido aos fluídos altamente deletérios dos ovóides.
Certamente estes seres manipulam o carma dessas mulheres que tem dificuldade para engravidar, geralmente por terem cometidos muitos abortos no passado, pois não eram em todas que eles conseguiam acoplar os ovóides.
Abraço.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário