sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Nefertiti

     Nefertiti foi a esposa do faraó Amenófis IV, que mudou seu nome para Akhenaton e mudou a capital do Egito de Tebas para uma cidade que ele fundou em Amarna. Também tentou mudar a religião tradicionalmente politeísta dos egípcios para o culto a um único Deus que ele chamou de Aton. No final não deu muito certo e o reinado dele só durou 15 anos. Nefertiti ficou famosa quando o arqueólogo alemão Ludwig Borchardt encontrou um busto dela em 1912, em Amarna.

    Atendemos uma pessoa que fez um curso onde teria recebido umas chaves supostamente dadas a uma canalizadora pela própria Nefertiti. Resumindo as tais chaves abririam portais para as mais diversas finalidades, para ter dinheiro, para arrumar parceiro, para limpar o karma, etc. É a maravilha que todos procuram, porque tudo de errado que a pessoa fez em trocentas vidas passadas se resolve apenas ela entrando num portal desses. A tal médium que canaliza as tais chaves inclusive repete com frequência que ela é o único canal dessa Nefertiti.
    Claro que eu não poderia deixar passar a oportunidade de conhecer uma figura histórica famosa como a Nefertiti (sqn) e puxei logo a criatura para conversar. Já chegou me elogiando, dizendo que sou muito audacioso e louco (considerei um elogio) e que era um absurdo o que eu estava fazendo, que ela só tem um canal por onde se manifesta e não queria estar ali.
    Perguntei por onde andava o Akhenaton e ela disse que não sabia, que ela era feminista e que tinha que seguir sua própria história, fazer seu nome brilhar e tal. A criatura ainda se sentiu ofendida porque eu estava rindo do que ela dizia, mas eu não tenho mesmo respeito por espíritos enganadores, debocho mesmo. 
    Já perguntei logo porque ela resolveu se passar pela Nefertiti e ela disse que conhecia a história dela e percebeu que muitas pessoas gostavam dela, então resolveu assumir essa personalidade. Essa falsa Nefertiti em sua última vida foi uma bruxa e vivia no leste europeu. 
    Ela fazia muitos rituais de iniciação, rituais sexuais, e era mesmo nessa linha de sagrado feminino. A médium que diz ser seu canal foi uma das mulheres iniciadas por ela naquela vida.
    No astral a bruxa tinha um labirinto cheio de portas e as mulheres que faziam o curso das tais chaves da Nefertiti estavam desdobradas lá vagando com uma chave e quando se deparavam com uma porta tentavam abrir com a tal chave. Nesse processo a bruxa retirava a energia delas. No labirinto havia cerca de 120 mulheres. Nós destruímos o labirinto, libertamos as mulheres, que eram todas encarnadas, e prendemos a bruxa.
    Mas ela em sua última existência fazia rituais e certamente algum espírito recebia essa energia, ele não estava no labirinto mas nós o localizamos. Esse espírito mantinha uma torre enorme no astral onde havia centenas de espíritos de mulheres presas. 
    As mulheres estavam com os braços amarrados pelos pulsos e esticados acima da cabeça, penduradas em ganchos na parede interna da torre, umas acima das outras, do chão até o alto da torre, onde eram vampirizadas e abusadas sexualmente por este espírito. 
    Havia cerca de 280 mulheres na torre, sendo que a metade delas eram encarnadas, inclusive a mulher que atendemos era uma das que estavam penduradas nessa torre. O espírito foi preso, libertamos as mulheres e destruímos a torre. 
   A bruxa Nefertiti se achava uma feminista mas era manipulada por um espírito que escravizava as mulheres. A questão da falsa identidade aqui nem vem a ser o maior problema, pois mesmo que fosse a Nefertiti verdadeira ela era apenas uma mulher do seu tempo que casou com um faraó, não tem nada de especial nisso, mas as pessoas acreditarem que vão receber a chave de um portal que pode lhes dar coisas maravilhosas é que é preocupante.

Gelson Celistre 

Nenhum comentário:

Postar um comentário