quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Funcionário fantasma

     É comum vermos a expressão funcionário fantasma associada a gabinetes de políticos, que seriam funcionários que estão na folha de pagamento mas não trabalham de fato na repartição pública.

    No caso encontramos um funcionário fantasma que não estava na folha de pagamento mas que ia trabalhar. O atendimento era para verificar o motivo de uma empresa não estar indo bem, com os negócios em baixa, os clientes sumiram, pois mesmo considerando a situação econômica atual o proprietário suspeitava que poderia haver alguma influência espiritual atrapalhando.

    De fato havia, encontramos um obsessor com ele de uma vida anterior onde ele era um tipo de policial e matou esse obsessor que estava ocupando uma terra ilegalmente, também houve uma disputa pela empresa no passado entre o consulente e um parente próximo e esse não deseja que o consulente tenha sucesso, mas o mais interessante foi um funcionário fantasma.

     Esse espírito antes de morrer era vendedor numa loja de móveis e eletrodomésticos, na faixa dos 40 anos, e teve um AVC que o levou a óbito em 2004. Ele passava em frente a essa empresa e achava o local bacana, um lugar que ela achava que seria bom de trabalhar, então depois de morto ele simplesmente se contratou para trabalhar ali.

    E ele cumpria expediente direitinho, ficava depois do horário, ia na casa do chefe dar alguma explicação sobre o trabalho, enfim, era um funcionário muito dedicado. O único problema é que a energia do funcionário fantasma não era boa, apesar de ser trabalhador, e isso é de fato uma virtude, no conjunto de sua personalidade lhe faltava qualidades humanistas que tornariam sua energia melhor.

    Ele as vezes voltava a casa dos familiares que tinha em vida, quando algum pensava nele, mas não ficava muito tempo pois para ele o mais importante era o trabalho e ele sempre voltava para a empresa, pois disse que lá ele se sentia alimentado, revigorado. Claro ele se sentia assim porque vivendo no local ele acabava, mesmo sem saber, vampirizando os encarnados que trabalhavam ali e os que frequentavam o local.

    Quando chegava alguém na empresa ele ia para perto querer ajudar a vender o produto e os clientes sentiam essa energia ruim, que associavam com o local e não se sentiam bem ali. E se o cliente não se sente bem dentro da empresa lógico que qualquer produto que queiram lhe vender ele não vai gostar, não vai se sentir atraído, na verdade no caso os clientes sentiam uma repulsa.

    O funcionário fantasma não era mau, era apenas ignorante, um espírito que vivia muito preocupado em ter um trabalho quando vivo e que depois de morto seguiu com o mesmo pensamento. Não tinha lugar melhor para ir, não sabia fazer outra coisa, então seguiu trabalhando.

    Conversei um pouco com ele e o convenci a procurar uma outra colocação junto ao nosso Departamento de Recursos Humanos. Vamos arrumar um trabalho para ele num dos nossos hospitais no astral.

Gelson Celistre


Nenhum comentário:

Postar um comentário