domingo, 28 de junho de 2020

Insônia

     O consulente sofre de insônia há mais de 15 anos, já tentou várias terapias, inclusive apometria com outro terapeuta, desobsessão e passes em centro espírita e de Umbanda, barra de access, jhorei, ressonância harmônica por um ano e foi iniciado no reiki até o grau de mestre, mas o problema persiste. Também tentou o uso de remédios naturais e controlados, sem sucesso.

      Segundo o consulente a insônia não o deixa ser produtivo, o deixa de mau humor e está afetando sua saúde, desenvolveu arritmias cardíacas e se sente como se estivesse doente o tempo todo, pois não consegue dormir ou cochilar por muito tempo, segundo suas palavras: "É um inferno que já venho vivendo há muitos anos."
      Geralmente quando a pessoa tem insônia ou dificuldade para dormir ela está sofrendo alguma perseguição quando sai do corpo durante o sono, nesses casos a insônia é um mecanismo de defesa da pessoa, e no caso do consulente não era diferente.
      Em casos como esse onde a pessoa já tentou inúmeros tratamentos sem sucesso, inclusive desobsessão em centros espíritas e apometria, fico me perguntando como é que não viram o problema antes, pois não encontramos nenhuma situação excepcional, tratava-se de um caso simples de obsessão intervivos.
        Um parente próximo do consulente que já teve ligações fortes com ele em vidas passadas, tem muito ódio dele e o mantinha preso no astral em desdobramento sendo torturado o tempo todo numa masmorra medieval. Quando dormimos nosso corpo etérico se afasta mais do corpo físico e sentimos mais o que nos acontece no corpo astral, por isso o consulente não queria dormir, pois quando dormia sua consciência era puxada para a tal masmorra onde ele estava sofrendo todo tipo de castigo.
     Detalhe, o consulente é homossexual e essa pessoa que o mantinha preso é uma pessoa mal resolvida com a própria sexualidade, um gay enrustido, que esconde sua sexualidade na fachada de homem macho, de família, e acusava o consulente de ser depravado e degenerado. 
     Essa pessoa que o prendeu sente muita inveja do consulente por ele ter tido coragem de assumir sua sexualidade e de vivê-la plenamente, porque ele próprio não tem essa coragem e vive sufocado no armário.
     Mas as ligações kármicas entre ambos são muito antigas e remontam ao Império Romano, onde o consulente, um jovem gay, era amante de um soldado romano, esse mesmo espírito que o prendia no astral agora. A homossexualidade era encarada de modo normal naquela época pelos romanos, só não aprovavam muito quando o homem era afeminado, que era o caso do nosso consulente, mesmo assim o soldado o procurava e mantinham relações, até que o soldado casou com uma mulher e se afastou do consulente por um tempo.
     Porém, após algum tempo o soldado voltou aos braços do consulente, que era apaixonado por ele e que resolveu matar a mulher do soldado para ficarem mais tempo junto, o que ele fez furtivamente envenenando a mulher. Essa mulher inclusive é a mãe dele na vida atual. Depois disso o soldado ainda casou com outra mulher, mas manteve o consulente como amante oficial.
    Resgatamos uns 30 espíritos de homossexuais que morreram abandonados na cidade onde moravam o consulente e o soldado.
     Depois disso ainda se encontraram em outras vidas, sendo que em uma delas na Idade Média o consulente foi enviado para um seminário para ser padre por sua família, pois era afeminado. No seminário o padre que era seu confessor era o mesmo espírito que foi o soldado na vida passada romana e ao ouvir as confissões do jovem gay se apaixonou, sonhando em ter um romance com ele.
    Mas o jovem gay numa das confissões relatou ao padre como ele estava apaixonado por outro noviço e como ele se insinuava para o outro em várias ocasiões. O padre ficou louco de ciúmes e com raiva do jovem, pois se sentiu preterido pelo consulente, e obrigou o tal noviço a denunciar o jovem gay como herege, um sodomita, que estava tentando desviá-lo do caminho de Deus.
     Foi esse mesmo padre que o torturou de todas as formas possíveis para que confessasse seus crimes, sexo com animais e com o demônio, entre outras coisas. Após muitas sessões de tortura o consulente foi queimado numa fogueira como herege.
      Era nessa mesma masmorra que o soldado que depois foi padre e atualmente é uma parente do consulente o prendeu em desdobramento há mais de 15 anos e onde o torturava constantemente, motivo pelo qual o consulente tinha insônia, não queria dormir, para não sentir as torturas a que era submetido.
      O consulente era chicoteado, levava tapas no rosto, tinha seus cabelos puxados, era humilhado e agredido de várias formas, além de ser colocado em instrumentos de tortura.
    Resgatamos mais de 300 espíritos que foram queimados por serem homossexuais por este mesmo tribunal que condenou o consulente.
    Libertamos o consulente da masmorra e a destruímos, fechando a frequência que estava aberta e que permitia que o obsessor encarnado do consulente o mantivesse preso. O consulente foi levado para um hospital no astral pois estava muito debilitado.
      
Gelson Celistre
     



Nenhum comentário:

Postar um comentário