quarta-feira, 8 de abril de 2020

Satanás

     A forma como os espíritos se apresentam no astral, principalmente os que tem muito contato com pessoas encarnadas através de médiuns, em centros espíritas ou terreiros, simboliza o tipo de mensagem que ele quer transmitir ou o tipo de trabalho que ele se propõe a realizar. Hoje num atendimento me deparei com um espírito com a pele toda vermelha que se apresentou como Satanás.


     Quando o médium me disse que a criatura era toda vermelha e se chamava Satanás até me lembrei do Hellboy, mas esse Satanás não tinha rabo nem chifres, só era vermelho. Seu traje era de um feiticeiro africano, uma tanga de palha com algumas tiras de pano amarradas nos braços, alguns colares e segurando um cajado.
     Mas vamos ao contexto em que encontrei esse Satanás. Estamos atendendo um rapaz que tem envolvimento com drogas e a família em desespero foi em alguns terreiros fazer trabalho para ajudar o rapaz a se livrar do vício.
     Aqui vamos fazer um parênteses e dizer que num outro terreiro onde a família pagou por um trabalho para a mesma finalidade para este rapaz, o que fizeram foi catar três espíritos que vagavam pelo umbral, que não tinham vícios em drogas, e imantaram ao rapaz, acreditando que estes o influenciariam a não usar drogas, mas o que aconteceu é que os três se viciaram e passaram a influenciar o rapaz a querer usar mais, além é claro de o vampirizar pois estavam imantados a ele pelo trabalho feito.
     Apesar desse trabalho demonstrar que quem fez tem conhecimentos pífios em magia, pelo menos ainda foi feito com a intenção de ajudar. Já nesse outro terreiro onde trabalhava o Satanás o pai-de-santo simplesmente recebeu para fazer o trabalho e, ao invés de tentar fazer alguma coisa para o ajudar o rapaz a se livrar do vício, o ofertou a essa entidade que é o tal Satanás. 

      Conversei com o tal Satanás e o papo inicial dele foi o de sempre, que ele é forte, que eu não iria conseguir desmanchar o trabalho nem tirar o consulente dele e blá blá blá. Nesse ponto como sou debochado já coloquei rabo e chifres nele para ficar mais parecido com o Satanás, ele não gostou, e eu ainda lhe pus cascos e pernas de bode para completar o visual.
     Apesar de eu me divertir com isso, a finalidade é mostrar para a entidade que tenho mais poder do que ela e a conversa daí em diante fica mais fácil pois ele já sabe que não está lidando com qualquer um. Ele não queria, mas o fiz relembrar sua última encarnação antes de se tornar o Satanás.
      Esse espírito era um feiticeiro na África, foi capturado, trazido para o Brasil como escravo e foi parar em uma fazenda de cana-de-açúcar no interior de São Paulo. Ele fazia muita magia negra contra seus senhores, tendo inclusive feito trabalhos para matar os filhos do dono da fazenda. Logo que nasciam eram acometidos de alguma doença e morriam.

    Um outro escravo que queria agradar ao senhor contou sobre os feitiços e em retaliação ele foi torturado e morto. Foi amarrado ao tronco e chicoteado, jogavam-lhe sal nas feridas para lhe provocar mais sofrimento, depois foi espancado, chegaram a lhe quebrar alguns membros, e por fim o trespassaram com uma estaca comprida, que lhe atravessou as costelas, o pulmão e o coração, provocando sua morte.
    Sempre que em nossos atendimentos nos deparamos com frequências como essa da época da escravatura, fazemos uma varredura para resgatar outros espíritos ainda presos e nesse atendimento o número de espíritos de negros escravizados que foram resgatados foi em torno de 50.000.
     Não tinha como tirar a razão do Satanás em odiar os brancos, mas ele estava preso a esse sentimento de vingança e isso também era ruim para ele. Fiz ele lembrar da vida anterior e aí vimos que ele foi um grande traficante de escravos. 
     Ele era capitão de um navio e sua atividade principal era o tráfico de ópio, no qual ele era viciado, mas achou mais lucrativo traficar escravos para o Brasil e Estados Unidos. Morreu em uma das viagens, provavelmente de escorbuto, e no astral viu espiritos de escravos nadando e foi atrás deles, mas eles nadavam para a África e o traficante de escravos acabou reencarnando por lá.
     Como feiticeiro também fazia uso de drogas e atualmente no astral como Satanás ainda era viciado, por isso ele escolhia como suas "oferendas" pessoas brancas, preferencialmente viciadas em drogas. Nesse terreiro que ele atuava lhe ofertaram 11 pessoas incluido o rapaz que estávamos atendendo, e ele ainda estava imantado a mais 20 pessoas de outros terreiros onde atua.
      Bem, mostramos ao Satanás que apesar dele ter motivos para odiar os brancos ele também já foi um deles, inclusive um que traficava escravos, e que essa vingança só iria manter ele nesse ciclo de ódio sem fim. Ele disse que não quer renascer de novo porque não quer ser branco novamente.
     Apaguei a mente dele, mas mantive o senso de justiça ativo, para que, independente dele nascer branco ou negro, ele trate as pessoas como ele gostaria de ser tratado.
      O que fica de lição nesse caso, excluindo o Satanás, é que não se pode confiar em quem faz trabalho de magia para qualquer finalidade. Nesses dois terreiros onde foram pagos trabalhos para o rapaz abandonar o vício o que fizeram foi piorar a situação dele, num lhe imantando a três espíritos que se viciaram com ele e passaram a incentiver o vício e em outro a um espírito também viciado e que queria se vingar das pessoas brancas.
      Quanto ao pai-de-santo que trabalhava com o Satanás, desmanchamos todos os trabalhos que haviam sido feitos no terreiro dele e prendemos os espiritos que trabalhavam com ele. Ainda lhe mostramos seu futuro após a morte, vai ser escravizado por este mesmo tipo de entidade com quem ele trabalha. 
      É importante as pessoas saberem que quando encomendam um trabalho de magia em terreiros, o pagamento não se restringe ao dinheiro. Em todos os trabalhos eles usam entidades e espíritos e o pagamento desses seres é a energia da pessoa a quem supostamente deveriam ajudar, assim como de quem pagou pelo trabalho.
     Muitas pessoas que atendemos dizem que só fizeram trabalhos para o bem, mas mesmo nesses a entidade precisa ser paga com energia e quem contrata é que fará o pagamento, mesmo que o trabalho não surta efeito e a pessoa não consiga o que quer, um emprego, um amor, etc; ela vai ficar o resto da vida ligada a um espírito que vai lhe sugar as energias e escravizar.

Gelson Celistre

2 comentários:

  1. Mas isso sim é o inferno. Pra que fui mexer com essa merda no passado? preciso dar um ponto final nisso. Vai ver que a minha vida anda amarrada e bem travada justamente por causa desse tipo de coisa que, imaginava, seria uma boa fazer qd era mais jovem. Agora, sabendo do que sei, jamais me meteria nessa furada. Valha-me Deus. Espero que não vá para um planeta inferior como muitos, ao chegar o apice da transição planetária na decada de 30.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto, também ri muito com o tema título, porque todo espírito que quer amendrontar ou criar algum status com o nome satanás, precisa entender que se ele tivesse aqui na Terra com esse nome satanás ele seria apenas mais um, em meio a multidão e tem coisas tão terríveis atualmente, que ser satanás tá virando fichinha que até deus duvida.

    ResponderExcluir