quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A casa da bruxa

Recentemente foi noticiado pela imprensa o caso de uma mulher que, se dizendo protetora dos animais, recebia animais abandonados e vítimas de maus tratos para repassar para adoção. Segundo estimativas ela teria matado mais de 30.000 animais num período de 8 anos, até ser descoberta. Quando foi flagrada ela estava descartando no lixo cerca de 40 corpos de cães e gatos mortos. Aparentemente ela fazia isso para ficar com o dinheiro que recebia de particulares e de ONG's para cuidar dos animais.


É uma quantidade muito grande de animais e consequentemente muito fluído vital envolvido, coisa que certamente iria chamar a atenção de seres das trevas, motivo pelo qual resolvemos investigar o caso.

Ao sintonizar com o local a médium viu vários seres horrendos, com dentes pontiagudos e olhos vermelhos, devorando os corpos dos animais mortos (no astral da casa). A energia era tão densa que a médium passou mal, sentiu dificuldade de respirar, náuseas, queda de pressão e sensação de desmaio.

Enquanto ela observava a cena dos tais seres devorando os animais mortos, apareceram dois espíritos com aparência humana. Vestiam uma roupa preta e usavam uma capa preta tbm. Os cabelos são escuros e penteados para trás, os olhos são totalmente pretos, não tem a parte branca como os nossos, e seus dentes caninos são salientes; figuras típicas de vampiros astrais. Junto deles encontra-se uma bruxa, esta encarnada em desdobramento, que era a mulher que matava os animais.

Disse à medíum que para se alimentar do fluído de animais tinha que ser espíritos com a vibração muito baixa e em resposta, logo um deles se manifestou através dela:

- Vc está me irritando! Vc não entendeu nada né? Pois preste muita atenção, não é questão de se "alimentar" de sangue de animais. Seres como esses (que comiam os animais mortos) só precisam ser mantidos de alguma maneira e essa é a maneira.

- E pra que vcs usam esses animais?, pergutei;

- Não é da sua conta, já falei mais do que vc devia saber...

Nesse meio tempo o vampiro mandou dois daqueles seres horrendos se posicionarem ao meu lado, tentando retirar alguma energia de mim, mas a médium conseguiu sintonizar com o local no astral onde viviam os vampiros e começamos a explorar o ambiente.

Era um castelo que ficava ao lado de um cemitério. No castelo havia várias pessoas encarnadas desdobradas, umas vagando como se fossem zumbis, outras rastejando, todos com a aparência esquelética, tipo pele e ossos.

Enquanto observávamos o local chegaram três daqueles seres horrendos trazendo duas pessoas encarnadas, essas com aparência normal. Logo em seguida chegou um dos vampiros e se aproximou de uma dessas pessoas, que era uma mulher, e ao se aproximar lhe suga as energias.

A mulher grita e se debate tentando sair mas está segura por uma das criaturas horrendas e é sugada até cair desfalecida no chão. Aqui no físico, enquanto isso, ela dorme e está tendo um pesadelo. No dia seguinte vai acordar muito cansada mas nem vai suspeitar do que houve, pode até ter uma lembrança romanceada de um sonho onde ela namorava um vampiro.

O outro vampiro chegou ali junto com a bruxa, que é aliada deles, e observavam a chegada de mais seres horrendos trazendo mais pessoas encarnadas desdobradas, em sua grande maioria mulheres. Quem imaginar que a popularidade dos filmes da saga Crepúsculo influencia a mente das pessoas, principalmente das mulheres, e que as predispõe a querer um contato "romanceado" com algum vampiro, acertou. Só que seres das trevas não querem romance, querem energia (ectoplasma), o equivalente do sangue no astral.

Nesse momento emiti um comando para mandar de volta a seus corpos os encarnados aprisionados ali mas alguns voltaram com os seres horrendos grudados neles, então tivemos que criar uma bolha de contenção e prender os tais seres nela.

Me desdobrei lá com uma supraconsciência de mago e destruí o cemitério, o que chamou a atenção dos vampiros, que ainda não haviam percebido que havíamos prendido os tais seres. Os vampiros vieram em minha direção junto com a bruxa e me atacaram, seus olhos ficaram vermelhos e deles saíram raios na minha direção, mas destruímos essas energias antes de nos atingir.

Criamos um pentagrama de energia que sugou as energias dos vampiros e reenviou de volta aos encarnados que estavam presos no castelo e que mandamos de volta a seus corpos, o que enfraqueceu os vampiros a ponto de cambalearem, para em seguida serem presos.

Guardiões de nossa equipe espiritual chegaram para levar os seres horrendos que havíamos prendido e tbm os vampiros. Apagamos a mente da bruxa e a mandamos de volta ao seu corpo físico. Depois voltamos na casa da bruxa (no plano físico) e retiramos as energias densas que haviam ali.

No astral da casa realmente haviam milhares de animais. Os animais domésticos já possuem corpo emocional (astral), não tão complexo como o de nós humanos, mas ainda assim estão ligados a uma alma-grupo. É como se vários animais de uma mesma espécie formassem uma alma coletiva, um tipo de próto-consciência. Em muitos deles ali podia-se perceber a existência de sentimentos, como medo e pavor.

Invocamos alguns seres elementais, espíritos da natureza, para retirar os animais dali pois eles estavam presos através de magia negra (que desmanchamos) impedidos de se reintegrar à sua alma-grupo. Alguns gnomos apareceram para levá-los, eram baixinhos, nariz comprido e fino, parecendo até um galho de árvore. Após a retirada dos animais criamos ao redor da casa da bruxa um campo de energia, para impedir o acesso de outras entidades das trevas, que poderiam tentar se ligar ao local.

Todos nós temos seres das trevas em nosso passado e não é difícil algum deles nos encontrar encarnado e nos "inspirar" a fazer o mal. Às vezes sua influência é tão sutil que só percebemos quando já é tarde demais. Eu mesmo em mais de uma vida, depois de ter decido abandonar as trevas e me reerguer no caminho da luz, acabei cedendo à influência de antigos companheiros das sombras e caí novamente.

Sempre existem mais coisas por trás de algum acontecimento aqui do que as pessoas percebem. Em outro caso recente envolvendo crueldade com animais, mas em menor escala, onde uma enfermeira espancou um cãozinho num ataque de fúria e foi filmada por um vizinho, tbm ali houve a influência das trevas. 

A tal enfermeira, mesmo estando encarnada, no astral era líder de uma facção de bruxas e sua filha, que assistiu às agressões ao cãozinho, era sua inimiga de várias vidas. São dois espíritos que há muito vêm em desarmonia e a justiça divina os colocou como mãe e filha para que através dos laços de amor materno e filial, eles diminuam suas diferenças.

Um grupo rival de bruxas orquestrou aquela situação, inclusive intuindo a pessoa que filmou o ocorrido, justamente para destruir a vida dela, uma vingança. Entretanto, o que eles arquitetaram era que ela agredisse a própria filha e não o cão. Como eram ambos inimigos de várias vidas, eles despertaram no inconsciente da mãe a lembrança de várias vidas passadas onde eles se enfrentaram e se mataram, para provocar um ataque de fúria histérica na mulher. 

Foi a presença de espíritos do bem que direcionou a raiva da mulher para o cão, pois mesmo ele sendo um ser vivo que merece respeito e consideração, teria de ser "sacrificado" para salvar a criança humana. Após tomarmos conhecimento do ocorrido, nós verificamos o cao e prendemos os dois grupos de bruxas, apagando da memória inconsciente ativa da tal enfermeira essa frequência.


Gelson Celistre.

4 comentários:

  1. Muito interessante... até mesmo pq na matéria veiculada na internet, apareceu uma garotinha de apenas 7 anos que fez um desenho da mulher chamando-a de bruxa... já que dizem que as crianças tem uma maior facilidade de ver o mundo espiritual, por certo essa menina deve ter visto a tal mulher desdobrada como bruxa.

    ResponderExcluir
  2. Como diria William Shakespeare“Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia.”
    Eu vi a reportagem e fiquei chocada com tamanha crueldade, por que muitos animais aparentemente eram saudáveis, e só uma pessoa dominada pelas trevas para fazer isso mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante esse trabalho de desmanche seu e da equipe que te auxilia Gelson. Realmente nossas experiências/vivências de antigamente nos ajudam a enfrentar de "igual para igual" esses irmãos que se encontram nas trevas. Vejo de grande valia o seu trabalho e da espiritualidade maior em casos de grande repercussão na mídia, pois além nos mostrar o que passa no plano astral, fornece grande visibilidade e divulgação da Apometria.

    Espero que agora você continue firme em sua caminhada pela luz. Assim como eu, existem muitas pessoas que frequentam o seu blog, mas não comentam. Esteja certo que tantas outras ainda virão e se iluminarão com os conhecimentos que aqui são mostrados.

    Precisamos de outro curso em Fortaleza em breve!!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Eu não como animais, mas fico imaginando o tanto de humanos que os comem, não julgo ninguém, cada 1 no seu quadrado, mas deve ter algo de muito horrendo naquele povo do olho puxado que come lesmas, ratos, cachorros, gatos, formigas, um vídeo q me enviaram com uma mulher e 1 outro homem no supermercado comendo uma rã viva e a destroçando na câmera e comendo até as patas, ou mesmo qualquer animal que respira e se mexe, eles comem. Gostaria de realmente saber se realmente há algum ser trevoso por trás de tantas mortes de animais, mesmo que eles tem certeza na cultura deles que tudo é alimento e precisam se alimentar, e usam desse pretexto como desculpa. Há de fato seres trevosos incitando humanos para isto?

    ResponderExcluir