sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Peste negra

     Experiências traumáticas de vidas passadas influenciam nossa vida atual e com isso nossa qualidade de vida diminui. A consulente nos solicitou atendimento à distância para tratar um medo excessivo que ela tem de que seus filhos adoeçam e morram. Ela nesta vida é mãe de 4 crianças. Ela perdeu uma sobrinha com menos de três anos de idade, que era quase a mesma idade que a consulente tinha também, e isso lhe marcou muito.


     Numa vida anterior na Europa, na Idade Média, ela vivia numa numa aldeia de camponeses. Não era rica nem tinha posses, mas se sentia feliz. Era casada e tinha cinco filhos. Para ela seu futuro estava delineado e ela gostava de como seria, veria os filhos crescer, casar, teria netos, ela gostava dessa vida.

     Geralmente é difícil saber a data exata de uma vida passada antiga, mas nesse caso sabendo de alguns dados sobre os fatos ocorridos podemos estimar com certa precisão. Em seu auge, a peste negra matou metade da população da Europa, e isso foi entre os anos de 1346 a 1353. A estimativa é de que morreram entre 75 e 200 milhões de pessoas nesses 7 anos, entre a Europa e Ásia. 
     Naquela vida a consulente perdeu os cinco filhos vítimas dessa peste, então é razoável situar que foi nessa época que ela viveu, e morreu, talvez alguns anos antes ou depois do auge da epidemia. O poeta Bocaccio, que vivenciou esse período, assim descreveu os sintomas da peste:
"Apareciam, no começo, tanto em homens como nas mulheres, ou na virilha ou nas axilas, algumas inchações. Algumas destas cresciam como maçãs, outras como um ovo; cresciam umas mais, outras menos; chamava-as o povo de bubões. Em seguida o aspecto da doença começou a alterar-se; começou a colocar manchas de cor negra ou lívidas nos enfermos. Tais manchas estavam nos braços, nas coxas e em outros lugares do corpo. Em algumas pessoas as manchas apareciam grandes e esparsas; em outras eram pequenas e abundantes. E, do mesmo modo como, a princípio, o bubão fora e ainda era indício inevitável de morte, também as manchas passaram a ser mortais".
     Quando os filhos foram infectados a consulente foi presa dentro de casa com eles para não espalhar a peste para outras pessoas. Um a um eles foram morrendo e ela teve que conviver com os cadáveres putrefatos dos filhos dentro de casa. O mais velho tinha 12 anos e a mais nova ainda era um bebê de colo.
     Mas ela não morreu vítima da peste, pois de alguma forma ela não foi afetada pela bactéria, ela morreu porque ficou presa sem alimento ou água numa casa fechada com os cadáveres em decomposição de seus filhos. Foi uma vida muito trágica.
     Essa frequência abriu quando ela perdeu a priminha ainda criança, pois essa priminha era a filha de colo dela naquela existência. Hoje ela tem quatro filhos, sendo o mais novo uma menina, que é a reencarnação dessa priminha que já tinha sido filha dela. Ois outros filhos também eram filhos dela naquela vida. Além disso o pai dela na vida atual era o marido naquela vida.
    Esse era o motivo dela ter esse medo de perder os filhos por qualquer doença, até por conta de uma gripe, porque ela estava sintonizada com aquela vida passada. Apagamos a mente dela para fechar a frequência e ainda resgatamos cerca de 500 espíritos que viviam na mesma aldeia que ela.
     Vimos ainda que a ela gerou esse karma de perder os filhos porque numa vida bem mais antiga, milhares de anos antes, ela foi uma rainha-faraó no Antigo Egito e na disputa pelo trono ela mandou matar todos os filhos de famílias nobres que pudessem ter algum pretendente ao trono.
     A consulente ainda estava presa em desdobramento em duas frequências, uma relativa ao reiki e outra a barras de access, pois ela trabalha como terapeuta nessas modalidades. Por conta do reiki ela estava presa numa mesa, uma espécie de maca, com parafusos a prendendo pelos pulsos e outras partes do corpo. Destes parafusos saíam fios por onde uma entidade lhes sugava as energias. Além dela havia mais 16 pessoas presas por este ser. Libertamos todas e prendemos a criatura. Por conta das barras de access ela estava com vários furinhos na cabeça por onde era retirada sua energia, e grudada a mais 15 pessoas do mesmo jeito. Para quem quiser saber mais leia os relatos sobre o reiki e barras de access.
     Um fato curioso é que durante o atendimento uma das médiuns sintonizou muito com a consulente no momento em que estava presa na casa com os filhos mortos, ela chorou muito e disse que o cheiro de carniça era insuportável. Depois do atendimento ao passar por uma sala aqui em minha casa onde armazeno algumas peças em ferro fundido para confecção de bancos e meses, ainda embaladas em plástico, senti um forte cheiro de carniça e achei que tinha algum rato morto dentro de alguma dessas embalagens.
     Retirei todas da sala e coloquei para a rua, averiguei uma por uma e nenhuma delas tinha esse cheiro e nem o local onde as coloquei ficou cheirando mal. Liguei o ventilador de teto que tem nessa sala e o cheiro se espalhou pela casa, chegando ao andar de cima, onde outras pessoas sentiram. 
     Mais tarde tínhamos reunião com o resto do grupo e continuamos sentindo o cheiro até o final da reunião, depois ele desapareceu do mesmo jeito que surgiu, de repente.

     Não costumo atribuir ao sobrenatural o que não é, por isso procurei em toda a sala e nas embalagens das ferragens uma a uma e nenhum cheiro tinha nelas. Minha conclusão é que quando a médium sintonizou com a frequência, que estava com uma carga emocional muito grande e forte, devido ao sofrimento não só da consulente mas dos demais espíritos nesse bolsão, que eram em torno de 500, a energia se condensou aqui na dimensão física e de alguma forma foi atraída por estas peças de ferro fundido, talvez por algum efeito magnético interdimensional que ainda desconhecemos.

Gelson Celistre

Um comentário:

  1. Me lembrei inclusive desse atual doença, o coronavirus, la da China que foi criado em laboratório e se espalha pelo mundo. Alias, como se ja não bastasse as mais diversas doenças ja conhecidas, o homem vai e cria algo ainda pior e que tem potencial para se espalhar pelo planeta bem rapidamente. Para um doença infecciosa (como essa peste negra, que dizimou milhões de pessoas seculos) conseguir matar tanta gente assim....não sei bem se é esse o caso, mas parece até que teve a participação de cientistas das trevas, aqueles que trabalham em conjunto com magos negros criando aberrações através da tecnomagia no sentido de se tramar contra a humanidade.

    ResponderExcluir