domingo, 22 de maio de 2011

Distúrbio de Déficit de Atenção e depressão

Todos nos relacionamos constantemente com seres da dimensão astral, os espíritos, e geralmente os que nos acompanham ou são antigos amigos/familiares ou comparsas/adversários.

Às vezes algum distúrbio psicossomático, como DDA (distúrbio de déficit de atenção) e depressão oculta um ou mais seres destes, que por uma razão ou outra querem nos prejudicar, nos fazer sofrer e em muitos casos até provocar a morte de nosso corpo físico, para que tenham mais acesso a nós na outra dimensão. Mas pode ocorrer tbm que esses distúrbios sejam efeitos de nossas ações em desdobramento inconsciente, ou até mesmo as duas coisas juntas.
Estudos sugerem que é um distúrbio genético, possivelmente devido a um déficit de neurotransmissores,  dopamina (DA) e a noradrenalina (NA) e também, déficit funcional do lobo frontal, (córtex pré-frontal e estruturas subcorticais). Saiba mais em http://tdah.org.br/
É um fato que sempre que sofremos alguma obsessão ou doença com origem espiritual nós já provocamos coisas bem piores em outras pessoas em outras vidas. A vida só cobra de quem deve.

 Abaixo está a descrição dos problemas da consulente, por ela mesma:
Desde que nasci tenho problemas de saúde, tomei o liquido do parto e fui direto para o oxigênio, as crises de asma e de bronquite comecaram aos 2 anos de vida, assim comprometendo toda minha infância fui internada várias vezes ficando duas semana em casa e uma no hospital. Com 7 anos resolveram retirar minha amígdala e com esta operação fiquei à beira da morte com hemorragia e lembro até hoje que vomitava muito sangue, depois tive um choque anafilático, alergia a sulfa, quebrei várias partes do corpo e uma delas tive que operar quebrei cotovelo. Eu e meu irmão sofremos um acidente de carro, descobrem que como sequela do acidente fiquei com um tipo de hematoma nos olhos que começou a diminuir minha visão, podendo me levar a cegueira, comecei a usar óculos e nunca mais o deixei, o hematoma desapareceu com o decorrer dos anos. Aos 21 entro com uma dor de garganta no hospital me receitam amoxilina e como resultado outro choque anafilático só que este foi muito diferente os médicos iam aumetando a dose de amoxilina pq achavam que a infecção estava aumentando, nenhum médico descobria que era alérgica ( algo muito estranho) e outra vez fico entre a vida e morte, chegando a perder 8 kilos numa semana, meu esôfago ficou todo queimado e com bolas de pus. Tenho dois discos da coluna desidratado. Hoje continuo com crises de asma. E tb fui diagnosticada como TDA (transtorno de défict de atenção), que causaram muitos traumas da infância pq o meu está acompanhado com dislexia de aprendizado, e tb depressão. ...minha vida financeira, profissional, nem amorosa esta boa por mais que me esforce.”

Pelos sintomas e pela época em que começaram a ocorrer já se deduz que a consulente está resgatando um carma bem pesado e que deve haver seres bem trevosos envolvidos nisso.
Inicialmente a médium começou a ver situações de vidas passadas da consulente, que indicavam estar ela em ressonância com uma ou mais vidas passadas, numa vida ela morria asfixiada por um homem e em outra vida morrendo envenenada pelo mesmo espírito. Tbm foi visto outra vida onde ela fugia pro uma floresta de um homem todo vestido de preto, capa e chapéus pretos tbm.

A médium sentia certa dificuldade pois seus olhos ardiam e lacrimejavam e seu peito doía. Nesse momento ela incorporou a consulente naquela vida onde fugia do homem de preto. Ela estava muito aterroziada e com muito medo do tal homem, achava que nunca iria conseguir fugir dele. Conversei com ela e cortei a sintonia dela com aquelas freqüências.
Minha intuição me dizia que essas ressonâncias eram apenas para ocultar algo mais grave e então pedi a médium que não visse mais nada sobre as vidas passadas da consulente, e lhe dei um comando para que fosse até onde ela estava agora (a consulente) em desdobramento inconsciente.
Imediatamente a médium se viu num laboratório onde uma mulher muito deformada, parecendo uma bruxa, enfiava uma agulha no pescoço de uma pessoa numa maca, as veias dessa pessoa ficaram escuras e ela viu esse líquido escuro descendo pelo corpo dessa pessoa. Em outra cobaia injetaram algo na garganta e criou algo como uma bola negra nesse órgão.
Algumas das mulheres que trabalhavam no local eram encarnadas, parentes da consulente, outras eram desencarnadas. O local era frio e escuro, havia um corredor com celas e pessoas presas nelas. Iniciamos a libertação dos presos e nisso algum ser tentou impedir a médium de enxergar ou escutar alguma coisa. De repente a médium começou a sentir muita dor no peito e nas costas e incorporou o tal ser, que se expressou da seguinte maneira:
- Vc vai sair agora ou eu vou acabar com essa daqui, estou com ela... vc vai ser responsável pelo que acontecer a ela... se retire imediatamente e posso pensar em soltá-la...

Não dei muita conversa pro cidadão, emiti alguns comandos hipnóticos e o fiz dormir para que a equipe pudesse levá-lo. A médium estava tremendo toda e disse que sentiu uma pressão muito forte na cabeça e quase gritou de dor; estava ainda um pouco atordoada pela energia densa do tal ser mas precisávamos voltar lá pois isso foi uma manobra para ocultar alguma coisa, senti isso.

Retornando ao laboratório ela voltou a sentir muita dor e ficou paralisada (em corpo astral). Nossa equipe a envolveu num campo de energia e lhe explicou que havia uma espécie de campo protetor no laboratório, com feixes de raios tênues mas muito eficientes em provocar dor em qualquer organismo vivo pois liberavam uma forte descarga energética, como se fosse um choque de alta voltagem. Estavam ainda terminando de libertar os presos e os retirando rapidamente pois não queriam que outras entidades em outros laboratórios ligados a esse percebessem a invasão. Iriam tentar através desse desdobrir outros laboratórios trevosos que eles sabem existir mas não possuem a localização vibracional, o endereço vibratório.

Nesse caso a consulente estava sofrendo os efeitos de suas ações em desdobramento, que tentaram mascarar com as ressonâncias de vidas passadas. Queríamos que acreditássemos que seus problemas eram devido há uma obsessão com ressonância vibratória para que não descobríssemos que a consulente atuava em um laboratório trevoso.

Psicologicamente ela sentiu efeitos positivos logo em seguida mas quanto aos problemas fisiológicos não sabemos até que ponto ela obterá alguma melhora pois as ações dela no astral, durante muitos anos, provocaram um efeito cármico de "espelhamento", pois as experiências na dimensão astral repercutiam em seu próprio corpo físico, entretanto, com a desativação do laboratório deve ocorrer alguma melhora nas condições físicas dela, embora não possamos precisar o quanto.
Abraço.

Gelson Celistre

6 comentários:

  1. Eu não sabia que a gente pode se desdobrar enquanto encarnado, a ponto de "trabalhar"em outro lugar. Isso acontece enquanto se está consciente ou durante o sono?
    Pode acontecer de, ao contrário deste caso, a pessoa atuar em missões de luz?
    Obrigada pelo Blog instrutivo e esclarecedor.

    ResponderExcluir
  2. Acontece sim, tanto em estado de vigília como durante o sono.
    Pode ocorrer de se desdobrar para trabalhar mas é uma pequena minoria, a grande maioria quando se desdobra não consegue atuar além do nível das paixões grosseiras, sai em busca de sexo ou satisfação de algum vício.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Gelson, apenas a apometria pode auxiliar nestes casos de desdobramento?

    ResponderExcluir
  4. Oi, creio que atualmente apenas em grupos de apometria vc pode obter um diagnóstico de desdobramento como esse, outros seguimentos espíritas nem cogitam que isso possa acontecer.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá Gelson,
    para fazer um tratamento assim com apometria seriam necessárias muitas sessões?
    Aqui em Minas não sei de alguém que faça; e estamos muito longe.....
    Mas tenho pensado na possibilidade.
    Abraço,
    Cristina.

    ResponderExcluir
  6. Oi Cristina,

    Tudo que pode ser feito dentro do merecimento do consulente é feito no atendimento e para ele gerar merecimento para um segundo atendimento vai levar meses, em alguns casos até anos.
    A melhora depende em grande parte do próprio consulente, que precisa efetura mudanças de pensamento, sentimento e ações.
    Abraço.

    ResponderExcluir