quinta-feira, 6 de maio de 2010

Contrato de escravidão

     Consulente do sexo feminino com aproximadamente 50 anos, cujo marido morreu há 11 anos. Desde então diz que perdeu a vontade de viver, muito depressiva e apática. Antes de morrer o marido sofreu um acidente de automóvel, tendo sido quase decapitado pois seu carro entrou embaixo da carreta de um caminhão. Ficou com muitas sequelas e procurou 'de tudo' que pode para se curar, entenda-se trabalhos de feitiçaria.
     Segundo nos relatou a consulente, chegaram a fazer um empréstimo de grande quantia num banco para pagar um 'trabalho', que envolveu muito sangue com sacrifícios de animais. Diz que sentia a presença do marido em casa e que 'vários' médiuns, inclusive em centros espíritas, lhe disseram que seu marido a estaria acompanhando.


     Ao entrar na frequência da consulente os médiuns logo perceberam uma entidade de 'terreiro', resmungando que o procuravam e depois ficavam reclamando. Esta entidade acompanhava a consulente desde que contrataram o tal trabalho para a melhora da saúde do marido.
     Na verdade o que ocorreu foi que eles fizeram um 'contrato de escravidão' pois quando o marido dela morreu, havia se comprometido com entidades de baixa vibração, às quais estava ligado pelo sangue dos animais que foram mortos. Estas entidades eventualmente levavam o marido falecido até a residência da esposa saudosa para que ele sentisse a presença dele e acreditasse que 'todas' as presenças que sentia na casa fossem o marido falecido.
     A casa desta senhora estava literalmente negra, de tantos fluídos densos acumulados em mais de uma década. A entidade que se manifestou não quis saber de retificar suas atitudes e foi levada 'na marra'. O marido da consulente foi resgatado junto com outros escravos desse grupo de seres trevosos e se manifestou pela psicofonia de uma das médiuns. Ele sentia muitas dores de cabeça, tristeza e solidão, sentimentos que passava para a mulher devido à sintonia que mantinham. Efetuamos uma limpeza na residência da consulente e lhe passamos algumas orientações para modificar seu padrão de pensamentos, a fim de que vibre numa frequência mais positiva.
     Quem quer a qualquer custo obter alguma coisa que seu karma não permite, por falta de merecimento ou por se tratar de uma lição que ele precisa aprender, acaba piorando sua situação. Se recorrer a magia que envolva sacrifícios, principalmente com sangue, aí então está se colocando em situação muito difícil, pois está se aliando a entidades de baixa vibração e assinando seu próprio 'contrato de escravidão', que passa vigorar imediatamente após a morte.


Gelson Celistre

9 comentários:

  1. Ola Gelson. A pessoa que recorre a trabalhos de feitiçaria torna-se escrava de entidades trevosas?
    Como se fosse um "pacto", tipo..."eu te dei isso na sua vida, agora vc é minha"

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    É mais ou menos isso. Quando vc paga para que façam um 'trabalho' de magia está se associando não apenas ao 'pai-de-santo' mas tbm às entidades de baixa vibração que trabalham com ele, e moeda de troca é tua energia (ectoplasma) enquanto encarnado e depois tua liberdade quando desencarnado.
    É claro que cada caso é um caso e deve ser analisade separadamente, mas via de regra é o que costuma acontecer.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como se deve proceder num caso desses? imagine assim , procuramos alguém e esse alguém nos engana, porque é assim num primeiro momento,porque somos ainda muito cegos e egoístas e procuramos um "atalho" e na maioria das vezes somos inexperientes e desconhecedores de tais informações, essa pessoa atua e depois de um tempo vc desliga disso e se afasta completamente dessa situação toda e começa a enxergar com outros olhos , passa por novas experiencias, por alguns sofrimentos e dificuldades, principalmente ligados aquilo que vc pediu a este alguém. Podemos dizer que temos uma nova chance aqui em vida, como ocorre nesse caso?? eu não conhecia de espiritismo , allan kardec, nada sobre estes temas , depois passamos a conhecer , a seguir e mudamos radicalmente nossa visão e passamos então a atuar dentro de uma certa conduta mais voltada ao amor , a paciência, enfim aos ensinamentos do próprio cristo. Quando nos afastamos desse ser, a vida gira totalmente ao contrário, tudo se torna difícil e só me restou procurar ajuda em cristo , tive novamente ofertas desses "trabalhos" mas algo dentro de mim me disse fortemente não e então segui pelo caminho normal, com muitas dificuldades , grandes por sinal e ainda ando por um caminho mais cheio de obstaculos e principalmente num luta interna muito grande, mas na certeza da vitória

      Excluir
  3. Olá Gelson, As pessoas que fazem trabalho para conseguir um emprego ao qual foi usado frutas, velas e escrito uma carta(pedindo o emprego) no intuito de oferecer em uma bandeija para a entindade solicitante, também fica em escravidão com espiritos trevosos ou teria em cosequencia do trabalho alguma coisa para "pagar"?


    ,

    ResponderExcluir
  4. Oi,

    Cada caso é um caso e temos que avaliar individualmente. Via de regra o 'trabalho' é um contrato com entidades de baixa vibração pq seres 'elevados' não interferem em nosso karma, e quando o fazem por conta de nós termos algum merecimento para ser atendido em nossas preces, o fazem sem esse tipo de 'intermediário'.
    Mas as vezes esse suposto trabalho, e pode ser o caso citado, é apenas uma maneira de predispor a mente do solicitante, quando feito num local sério e ligado a entidades do bem.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá Gelson,
    A muitos anos atrás quando eu não sabia que existem pessoas que fazem sacrifícios de sangue, eu fui levada (de surpresa) por um namorado a um desses pais de santo e apesar de não ter presenciado nenhum sacrifício, hoje eu tenho um pressentimento que isso aconteceu mediante pedido e pagamento desse ex namorado. Enquanto o pai de santo e o ex namorado conversavam e combinavam algo entre si, eu permanecia a uma boa distância sem poder ouvir nada, apenas vendo os olhares que me lançavam vez ou outra. Fico horrorizada em pensar que possa estar vinculada a um contrato desse tipo. O que se pode fazer em uma situação como essa, se é que se pode dizer, quando somos envolvidos sem sermos consultados?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc de fato não foi consultada, não "assinou" o contrato, portanto as entidades não podem te cobrar por isso. Mas se vc tem débito cármico relativo à magia negra de outras vidas pode acaber sobrando pra ti, mas tudo depende do karma e merecimento de cada um.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente vc tem estado em regiões muito densas do astral inferior por isso sente freio quando volta para o corpo.

      Excluir