segunda-feira, 8 de abril de 2019

Cernuro - O deus cornífero

      O ano é 1316 a.C. e numa tribo celta estão fazendo um ritual muito importante para o deus cornífero, Cernuro. O deus cornífero tem o corpo de um homem, mas com uma cabeça de animal, um veado com grandes chifres, e através desse ritual o deus passa a viver entre eles. Excluindo-se a ritualística mística, basicamente se trata de cortar a cabeça de um veado e de uma criança e fazer um transplante. Através de processos mágicos a criança continuava se desenvolvendo e crescendo normalmente, mas o corpo passava a ser cohabitado também pelo deus Cernuro. O espírito da criança ficava ligado ao corpo juntamente com o do deus, numa espécie de simbiose, um "deus vivo".

Deus cornífero, entidade pagã cultuada na Wicca.
Era cultuado como o deus Cernuro pelos antigos celtas.

      A tribo em que o deus cornífero habitava tinha grande poder e prestígio. Para que isso tudo acontecesse era preciso que na noite de núpcias do chefe da tribo o deus cornífero possuísse a noiva antes do noivo, para engravidá-la e gerar um filho homem, que seria seu próximo corpo quando chegasse na idade adequada, imagino que na primeira vez deve ter sido um feiticeiro incorporado e posteriormente ele mesmo nesse corpo zooantropomórfico. Mas nessa época a tribo era chefiada por um homem muito possessivo e ciumento, que não permitiu que o "deus vivo" possuísse sua esposa, nem antes nem depois dele. Ele teve suas núpcias a sua esposa engravidou, tendo nascido uma menina.
     Quando a menina chegou na idade do ritual, e temendo perder o poder e prestígio se perdesse o deus vivo em sua tribo, pois por ele não ter um filho homem outra tribo poderia reivindicar para si a tarefe de gerar o sucessor, ele procurou um velho feiticeiro, em segredo, para que fizesse o ritual de transposição do deus cornífero para sua filha. O ritual foi feito e o deus passou a habitar nessa menina filha do chefe.
   O deus cornífero habitou entre eles durante alguns anos desse jeito,  até que se conscientizaram do erro que cometeram e então tentaram reverter o ritual. Devido ao ritual não ter sido feito corretamente, pois ele deveria habitar o corpo de seu próprio filho, ele ficou limitado em suas ações, não conseguia falar, apenas urrava, e nem agir como gostaria, parecendo mais um monstro que um deus, causando medo nas pessoas. Não conseguiram reverter e o chefe acabou matando a própria filha, decapitando-a; o deus cornífero com isso perdeu grande parte de sua força e não conseguiu mais habitar como um deus vivo entre seus seguidores.
     Desde então ele vive apenas no astral do jeito que dá. De alguns anos para cá, com o ressurgimento de algumas religiões pagãs como a Wicca e o interesse das pessoas pela magia ancestral, ele passou a se fortalecer com a energia de novos seguidores. Ele até tentou induzir vários de seus novos seguidores a realizar esse ritual, mas 99% desse pessoal apenas brinca de ser bruxo e não tem coragem nem conhecimento suficiente para fazer o ritual como deve ser feito. Mas ele conseguiu reencontrar e se conectar com um grupo de servos que estão reencarnados e um deles acabou encontrando encarnados aqui no Brasil, mais especificamente em São Roque-SP, a menina que foi seu último corpo físico e o pai dela, o chefe da tribo, ela uma moça de 18 anos e ele seu irmão, com 5 anos.
     A moça torturou e matou o irmão, queimou algumas partes de seu corpo, furou os olhos dele, decepou seu pênis e comeu (isso de comer o pênis fazia parte do antigo ritual). Estava tão fora de si que quando tentaram contê-la após descoberto o crime, o cachorro da família a atacou e ela mordeu o cachorro, conforme a reportagem do G1: https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2019/04/06/vizinhos-relatam-gritos-de-desespero-em-casa-onde-garota-teria-torturado-e-matado-irmao-de-5-anos.ghtml .
     Esse deus cornífero veio de outro planeta para a Terra há incontáveis eras, tendo sido exilado aqui com mais 68 espíritos que eram seus servos. Eles acabaram sendo sugados pelo ciclo reencarnatório do planeta e assim vivem desde então, mas o Cernuro era mais forte e conseguiu criar esse expediente de bancar o deus vivo de comunidades primitivas para não entrar no ciclo reencarnatório. A escolha do animal tem a ver como armazenamento de energia nos chifres do animal.
      Ele no astral tem a forma de um homem musculoso com a cabeça de um veado com grandes chifres. Esse grupo foi exilado aqui há milhares de anos, quando surgiam as primeiras civilizações e em três ocasiões o Cernuro se manifestou aqui como um agênere, onde se materializou com essa forma e interagiu com os humanos, passando instruções de como realizar o ritual corretamente. De tempos em tempos ele precisava de fato ficar ligado a um corpo físico e dessa forma através desse ritual ele ia burlando a lei, mas em consequência ele ficava muito vulnerável pois ficava de fato ligado aquele corpo físico. Tanto que no astral quando morreu aqui (no corpo da menina) ele ficou sem cabeça. Na época desses fatos ele estava entre os vivos porque precisava recarregar as energias, com algumas vidas aqui nesse formato meio humano meio bicho ele conseguia milhares de anos sem ser puxado para a matéria.
     Mas agora com o ressurigmento de religiões pagãs e o interesse das pessoas pela magia antiga ele se fortaleceu e já estava no seu formato original e com muita energia. O deus cornífero Cernuro foi preso e vai ficar congelado num presídio, num planeta prisão. À medida que os 68 seguidores do Cernuro forem desencarnando também serão encaminhados para onde ele está e depois vão ver para onde enviam esse pessoal, que em milhares de anos aqui não melhoraram em nada, então acho que vão receber uma medida corretiva mais severa.

Gelson Celistre
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário